Sportz8ne - Revista de Esportes by Fraja8


Capello não chama Beckham para amistoso Alemanha x Inglaterra

Agência/Reuters

Inativo em seu clube (eliminado do campeonato dos Estados Unidos), astro fica fora da lista, que inclui jovens atletas

O italiano Fabio Capello, técnico da Inglaterra, anunciou neste sábado a lista de convocados para o amistoso contra a Alemanha, na próxima quarta, no Estádio Olímpico de Berlim.

Sem poder contar com nomes como o zagueiro Rio Ferdinand e o atacante Wayne Rooney, lesionados, e o meia David Beckham, fora de forma (seu clube, o Los Angeles Galaxy, está eliminado do campeonato da MLS), Capello aproveitou para convocar jovens jogadores.

O zagueiro Michael Mancienne, emprestado pelo Chelsea ao Wolverhampton, é uma dessas novidades, ao lado de Curtis Davies, do Aston Villa.

A equipe de Birmingham, com quatro convocados, é a que cedeu mais atletas para a relação, junto com o Portsmouth.

O Chelsea do técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari cedeu três jogadores: os zagueiros Wayne Bridge e John Terry, e o meia Frank Lampard.

Estes são os convocados pelo técnico Fabio Capello:

Goleiros: David James (Portsmouth), Joe Hart (Manchester City) e Scott Carson (West Bromwich).

Defensores: Joleon Lescott (Everton), Wayne Bridge (Chelsea), John Terry (Chelsea), Glen Johnson (Portsmouth), Matthew Upson (West Ham), Curtis Davies (Aston Villa), Michael Mancienne (Wolverhampton) e Micah Richards (Manchester City).

Volantes e Meias: Gareth Barry (Aston Villa), Ashley Young (Aston Villa), Frank Lampard (Chelsea), Steven Gerrard (Liverpool), Stewart Downing (Middlesbrough), Michael Carrick (Manchester United), Shaun Wright-Phillips (Manchester City) e Theo Walcott (Arsenal).

Atacantes: Jermain Defoe (Portsmouth), Peter Crouch (Portsmouth), Gabriel Agbonlahor (Aston Villa) e Darren Bent (Tottenham).



Escrito por fraja8 às 21h41
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Brasil tem três baixas em Haleiwa, mas classifica dois surfistas à próxima fase


                Bede entra na água na próxima rodada para iniciar a
                    luta pelo bi da Tríplice Coroa havaiana

Yuri Sodré e Wiggolly Dantas se juntam a Marcelinho Trekinho, Hizunomê Bettero, Jihad Khodr, Rodrigo Dornelles, o Pedra, e Pedro Henrique

GLOBOESPORTE.COM Haleiwa, Havaí

Após a eliminação de Leo Neves e Simão Romão na última sexta-feira, o Brasil teve novas baixas no WQS seis estrelas prime de Haleiwa. Neste sábado, ainda pela terceira fase, Heitor Alves, Jean da Silva e Pablo Paulino deram adeus ao sonho de conquistar a primeira jóia da Tríplice Coroa havaiana. No entanto, seguem na briga Yuri Sodré, melhor surfista da sua bateria, e Wiggolly Dantas. Os dois entraram na água logo após a queda dos compatriotas, mas não se deixaram abater.

Na próxima fase, Marcelinho Trekinho é o primeiro brasuca a cair no mar. Na terceira bateria, ele enfrenta os australianos Mick Campbell e Nic Muscroft, além do sul-africano David Weare. Hizunomê Bettero está na sexta, e forte, bateria. Ao seu lado, os aussies Tom Whitaker e Kieren Perrow e o havaiano Sunny Garcia. Na 11ª batreia, Jihad Khodr duela com Luke Stedman (AUS), Tim Reyes (EUA) e Charlie Carroll (HAV).

Yuri Sodré aparece na bateria seguinte contra Taylor Knox (EUA), Marlon Lipke (DEU) e Dustin Cuizon (HAV). Nas duas últimas disputas da quarta rodada, Rodrigo Dornelles, o Pedra, e Pedro Henrique e Wiggolly Dantas vão seguir na competição. Pedra corre contra Drew Courtney (AUS), Jordy Smith (ZAF) e Hank Gaskell (HAV). Pedrinho e Wigooly, na mesma bateria, encontram o australiano Joel Parkinson e Alain Riou (PYF).

Mais significa precaução para Bede

Número 2 do mundo e atual campeão da Tríplice Coroa havaiana, Bede Durbidge estréia no WQS seis estrelas prime de Haleiwa na próxima rodada. Ele vai encarar o havaiano Roy Powers, o americano Peter Mel e o seu compatriota Luke Munro. Precavido, o aussie levou 15 pranchas para o Havaí para não deixar o bi da Tríplice Coroa: WQSs de Haleiwa e de Sunset e o Pipeline Masters, última etapa do Circuito Mundial (WCT).

Os surfistas que caíram em Haleiwa, mas que estão bem no ranking, ainda têm chances de se classificar para o Circuito Mundial (WCT) de 2009.A última etapa da divisão de acesso mundial será em Sunset, também no Havaí.


Osasco vence final 'anunciada' e fatura os Jogos Abertos do Interior

Rodrigo Farah
Em Piracicaba (SP)
 
Ginásio lotado, calor e emoção até o fim. O evento mais aguardado dos Jogos Abertos do Interior atendeu às expectativas da torcida em Piracicaba. O Finasa/Osasco derrotou o arqui-rival São Caetano/Blausiegel na final do vôlei feminino por 3 sets a 1 (23-25, 25-22, 26-24 e 25-22) e com isso faturou o primeiro lugar da tradicional competição paulista.

IMAGENS DA FINAL EM PIRACICABA
Rodrigo Farah
Osasco, de Thais e Paula Pequeno, foi aos Jogos Abertos do Interior como favorito
Rodrigo Farah
Fofão não conseguiu evitar a derrota do São Caetano na decisão do torneio
Rodrigo Farah
Paula Pequeno ergue a taça de campeão para o Osasco após a partida de sábado
Em quadra, estrelas campeãs olímpicas como Mari, Sheilla e Fofão (São Caetano), Paula Pequeno, Sassá, Carol Albuquerque e Thaísa (Osasco) propiciaram aos expectadores um confronto de bom nível, mesmo sob o forte calor que assolou o interior do ginásio e o deixou com temperaturas de até 34°C.

"Foi algo muito desgastante para todas nós esse torneio, mas no fim tudo valeu a pena. Esse calor complicou muito, mas todas as jogadoras se superaram para vencer. É mais uma conquista e só aumenta nossa empolgação. Temos que celebrar, pois merecemos", comemorou Paula Pequeno, destaque da decisão.

O campeonato no interior de São Paulo ainda contou com as participações de São Bernardo e Vôlei Futuro/Araçatuba, terceiro colocado. A expectativa, no entanto, era que o duelo decisivo deste sábado fosse mesmo disputado por Osasco e São Caetano.

Na outra vez em que se enfrentaram na competição, na última quinta-feira, ambos os técnicos mandaram à quadra uma formação reserva. O time de Antônio Rizola levou a melhor por 3 sets a 2, em um jogo encerrado à 1h da manhã e acompanhado até o fim por atletas de outras modalidades dos Jogos Abertos do Interior, na grande maioria.

Ao longo do torneio em Piracicaba, Osasco e São Caetano sofreram com o forte assédio da torcida, que ao fim de cada jogo invadia a quadra em massa e chegava a deixar algumas jogadores em situações embaraçosas. Neste sábado, porém, a segurança foi reforçada, o que deixou as comemorações oriundas das arquibancadas mais comedidas.

Quando o duelo começou, nenhum dos lados abriu vantagem no placar durante os primeiros minutos. Até que Sheilla acertou boa seqüência de saques e desestabilizou a defesa do Finasa. Com isso, o time do ABC paulista ficou com seis pontos a mais, com 17 a 11 no placar. O clube de Osasco ainda ensaiou uma reação no fim, mas não pôde evitar o revés no set inicial.

Já o segundo set começou da maneira oposta. O Osasco passou à frente no marcador, porém voltou a mostrar falhas nas recepções e permitiu a virada do São Caetano. Aos poucos, Paula Pequeno liderou sua equipe à virada após uma série de ataques da ponta esquerda, suficientes para recolocar o Finasa na partida.

O set seguinte foi marcado novamente pelo bom aproveitamento de Sheilla nos saques. Com potência nos golpes, ela abriu cinco pontos seguidos e deixou o time do ABC na liderança do placar por 16 a 10.

Foi a partir daí que Osasco voltou a mostrar resistência na defesa e levou a melhor nas disputas mais longas de bola. Desta forma, empatou o jogo em 22 a 22, aumentando a empolgação dos torcedores, cada vez mais preocupados em se abanar para amenizar o calor. Mais animado pelo momento, o time do técnico Luizomar de Moura foi superior nos momentos finais e faturou o terceiro set.

O ânimo das jogadoras aumentou conforme o jogo se aproximou do fim. Novamente, a equipe do ABC paulista saiu na frente nos primeiros pontos e permitiu a reação do Finasa, que mostrou boa variação de jogadas para fechar o confronto.


Escrito por fraja8 às 21h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Náutico goleia o Cruzeiro, sai da zona perigosa e deixa mineiros longe do título

Agência / Agência Estado

Em jogo movimentado nos Aflitos, Alvirrubro faz 5 a 2 na Raposa

A monotonia e a apatia passaram longe dos Aflitos neste sábado. Em jogo bastante movimentado, o Náutico goleou o Cruzeiro por 5 a 2 e vai dormir fora de zona de rebaixamento. A Raposa, por sua vez, perderá uma posição no domingo, já que Flamengo e Palmeiras se enfrentam e obrigatoriamente um deixará os mineiros para trás. Em compensação, o confronto entre cariocas e paulistas também impede que o clube da Toca da Raposa deixe o G-4 por enquanto.

Na próxima rodada, o Timbu (15º com 40 pontos) joga fora de casa com o Figueirense em confronto direito contra o rebaixamento. O Cruzeiro (terceiro com 61) recebe o Flamengo, no Mineirão, em jogo que pode deixar um dos dois próximos da Libertadores 2009.

Ficha técnica: 

NÁUTICO 5 x 2 CRUZEIRO
Eduardo; Titi, Adriano e Vágner Silva; Ruy, Hamilton, Derley, Willian (Geraldo) e Alessandro (Everaldo); Felipe e Gilmar (Kuki). Fábio; Jonathan (Carlinhos), Leo Fortunato ( Thiago Martinelli), Thiago Heleno e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires, Camilo (Thiago Ribeiro) e Wagner; Guilherme.
Técnico: Roberto Fernandes. Técnico: Adilson Batista.
Gols: Gilmar, aos quatro minutos, Wagner, aos 18, Felipe, aos 23 do primeiro tempo; Felipe, aos três minutos, Guilherme, aos 31 minutos, Everaldo, aos 39, e Gilmar, aos 43 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Alessandro, Derley, Ruy (Náutico); Ramires, Wagner (Cruzeiro).
Estádio: Aflitos. Data: 15/10/2008. Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF). Auxiliares: Marrubson Melo Feritas (DF) e Nilson Alves Carrijo (DF).


Escrito por fraja8 às 20h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Roberto Carlos e Lugano marcam em vitória do Fenerbahçe

Divulgação/Site oficial

Time bate o Ankaraspor por 2 a 0 e assume a quarta colocação no Campeonato Turco

Roberto Carlos fez um gol na vitória do Fenerbahçe por 2 a 0 sobre o Ankaraspor, diante de sua torcida, pela 11ª rodada do Campeonato Turco. O pentacampeão abriu o placar aos 33 minutos do segundo tempo.

Já o zagueiro uruguaio Diego Lugano, ex-São Paulo, fez o segundo do Fenerbahçe aos 20 do segundo tempo.

Além de Roberto Carlos, o técnico espanhol Luis Aragonés utilizou os brasileiros Edu Dracena e Deivid.


O Fenerbahçe é o quarto na tabela, com 19 pontos - dois a menos que o vice-líder Ankaraspor. O primeiro colocado é o Trabzonspor, com 26.



Escrito por fraja8 às 20h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Canhão Ibrahimovic garante triunfo do Inter de Milão em Palermo

Agência/Reuters

Gols de fora da área do atacante fazem equipe abrir frente na liderança do Campeonato Italiano

O atacante Ibrahimovic mostrou toda sua versatilidade neste sábado. Com dois gols de fora da área, o camisa 8 garantiu o triunfo por 2 a 0 do Inter de Milão sobre o Palermo, fora de casa. A partida faz parte da 12ª rodada do Campeonato Italiano .

Com o resultado, o Inter voltou a se isolar na liderança, agora com 27 pontos, três a mais que o Juventus, que venceu o Genoa na quinta-feira (4 a 1). Milan e Napoli, que jogam neste domingo contra Chievo e Atalanta, respectivamente, podem chegar a 26 pontos se vencerem suas partidas.

Sem Adriano pela quinta vez consecutiva (quatro por questões disciplinares e esta última por conta de uma gripe), o Inter fez um primeiro tempo equilibrado com o Palermo, porém de poucas chances. Os brasileiros Julio César, Maicon e Maxwell foram titulares no time de Milão (Mancini entrou no segundo tempo). No lado da equipe cor-de-rosa, Fábio Simplício, ex-São Paulo, jogou de início.

Logo no primeiro lance da segunda etapa, o Inter abriu o placar. Ibrahimovic recebeu no lado direito da intermediária, avançou e, como não foi marcado de perto, enfiou o pé direito na bola. O goleiro Fontana se esticou todo, mas o chute cruzado bateu na trave direita e entrou.

O Palermo ainda tentou se organizar para buscar o empate, mas sofreu o golpe de misericórdia aos 17 minutos. Em falta frontal, de média distância, Ibrahimovic soltou a bomba. Fontana nem viu onde a bola entrou.

A partir daí, o Inter ficou com o domínio da partida. Mancini entrou bem no jogo, na vaga de Julio Cruz, e teve duas chances de marcar. O brasileiro, entretanto, não foi feliz e o placar foi mesmo 2 a 0.



Escrito por fraja8 às 19h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Real Madrid perde para o Valladolid e agrava sua crise

Agência/EFE

Depois da eliminação na Copa do Rei, merengues perdem para equipe da parte baixa da tabela e podem ver o Barça disparar no domingo

Valladolid, Espanha

O Real Madrid viveu neste sábado mais um capítulo de sua crise ao ser derrotado fora de casa pelo Valladolid, na abertura da 11ª rodada do Campeonato Espanhol . O uruguaio Cannobio fez o gol dos donos da casa, que na rodada passada foram goleados pelo Barcelona (6 a 0).

Com o resultado, o Real se mantém em quarto lugar, com 23 pontos, dois a menos que o líder Barça, que joga neste domingo contra o Recreativo, em Huelva, e pode abrir cinco pontos de frente em relação ao arqui-rival. O Valladolid pulou para o décimo lugar, com 13 pontos.

O insucesso do Real Madrid neste sábado se soma à eliminação da Copa do Rei, no meio de semana, diante do Real Unión, clube da Terceira Divisão, em pleno Santiago Bernabéu. Na Liga dos Campeões, o Real amarga duas derrotas para o Juventus, a última delas também dentro do Santiago Bernabéu. Na Espanha, já se fala que o técnico Bernd Schuster começa a ter o cargo ameaçado.

Em campo, o Real, que jogou de azul, mostrou pouca inspiração. O time entrou em campo com uma camisa de apoio a Van Nistelrooy, que operou o joelho e não joga mais na temporada. No ataque, Higuaín e Raúl pouco fizeram.

O lateral Marcelo foi titular no time merengue e salvou um gol em cima da linha, logo aos dez minutos. O Real não teve muitas chances a primeira etapa acabou sendo sem brilho. 

Agência/Reuters

Pouco depois do intervalo, o Valladolid marcou seu gol. Após boa jogada de León pela direita, Cannobio recebeu livre na entrada da área e soltou uma bomba, no ângulo, para fazer o gol dos anfitriões.

O técnico Bernd Schuster tratou de mexer na equipe do Real. Sneijder substituiu Van der Vaart e Marcelo deu lugar a Drenthe. Com o lado esquerdo revigorado, os merengues atacaram por ali e criaram as melhores de suas poucas chances. Em bomba de Sneijder, o goleiro Asenjo teve muita dificuldade para defender.

Nos minutos finais, Heinze recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo. Foi o golpe de misericórdia nas pretensões do Real, que amargou a derrota.



Escrito por fraja8 às 19h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Corinthians se vinga do Vila Nova, e garante o acesso do Santo André

Agência / Agência Estado

Timão derrota um dos poucos algozes no primeiro turno, deixa goianos praticamente longe da Primeira Divisão, e ajuda o time de Marcelinho

O Corinthians se vingou, em grande estilo, do Vila Nova-GO, um dos seus raros algozes na Série B no primeiro turno, quando perdeu por 2 a 1, no Serra Dourada. Apesar da forte marcação do rival, o Timão venceu por 3 a 1, dois gols de Herrera e um de Alessandro, e deixou a equipe goiana com chances remotas de garantir o acesso. De quebra, com o resultado positivo, o time comandado por Mano Menezes classificou o Santo André, de Marcelinho Carioca, para a Primeira Divisão do Brasileiro em 2009.

A vitória fez o campeão Corinthians disparar na liderança, agora com 82 pontos, 16 a mais que o vice-líder Avaí, que também já garantiu o acesso. O Santo André, pela primeira vez no grupo de elite do futebol brasileiro, tem 64 e ocupa a terceira posição. O Barueri, também de São Paulo, com 60 pontos, é o quarto e só depende das suas próprias forças para disputar a Primeira Divisão.

Bragantino, com 57, é o quinto colocado. Com chances remotas de disputar a última vaga com o Barueri aparece o Vila Nova, o sexto, com 55 pontos. Faltam duas rodadas para encerrar a Série B. 

Na penúltima rodada da Série B, o campeão Corinthians enfrenta o Avaí, no próximo sábado, às 16h20m, no Pacaembu. No mesmo dia e horário, na Boca do Jacaré, em Taguatinga, o Vila Nova-GO terá pela frente o Brasiliense. 

CORINTHIANS 3 x 1 VILA NOVA-GO
Felipe, Alessandro, Diego, William e André Santos; Cristian, Elias (Perdigão), Lulinha (Bebeto) e Douglas; Morais e Herrera (Careca). Max; Osmar, Valença, Luis Carlos e Marcel(Fernandinho);  Alisson, Heleno, Carlinhos e Alex Oliveira (Amaral); Pedro Júnior e Túlio Maravilha (Bruno).
Técnico: Mano Menezes. Técnico: Givanildo Oliveira.
Gols: Herrera, aos 7 e 32, Alessandro, aos 36, e Pedro Júnior, aos 38 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Carlinhos (Vila Nova). 
Estádio: Pacaembu (SP). Data: 15/11/2008. Árbitro:  Djalma José Beltrami Teixeira (Fifa-RJ). Auxiliares:  Katiuscia Mayer Berger Mendonça (Fifa-ES) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO). Renda: 468.961,00 - Público: 24.339 pagantes


Herrera agradece o apoio da torcida, mas pede pressa para a diretoria

Reprodução / Reprodução

Atacante marca dois gols, deixa o campo aplaudido e festejado, mas lamenta não estar com o futuro definido no clube

O atacante Herrera foi o grande destaque do Corinthians na vitória por 3 a 1 diante do Vila Nova, neste sábado, no Pacaembu, pela Série B do Brasileiro. Além de marcar dois gols, mostrando muito oportunismo dentro da área, ele teve o seu nome gritado pelos torcedores inúmeras vezes. E, no final do jogo, ao deixar o gramado para a entrada de Careca, o argentino foi aplaudido de pé pelo público presente no estádio. (Assista ao vídeo com os melhores momentos).

- Estou muito fez. A torcida tem um carinho especial comigo. Mas o importante é que o Corinthians venceu a partida, fiz um grande jogo e consegui marcar dois gols. Espero apenas resolver o mais rápido possível o meu futuro no clube. Quero continuar por aqui, mas não sei o que vai acontecer – reclama Herrera.

Apesar de não criticar a diretoria, o atacante demonstrou insatisfação com a demora na definição do seu futuro. Herrera tem contato com o Corinthians até o final da temporada e, apesar de ter propostas de outros clubes, ele pretende permanecer no Parque São Jorge.

- É preciso perguntar para a diretoria como está a minha situação. Eu quero continuar no Corinthians e tenho o apoio dessa torcida maravilhosa. Mas ainda não sei o que será feito do meu futuro. O jeito é pensar na partida contra o Avaí, quando disputaremos o último jogo no Pacaembu, e faremos a festa do título ao lado da nossa torcida – afirma o atacante



Escrito por fraja8 às 19h20
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




The Pop Culture Grid

How do sports stars fit in?
Leroy Hill
Seahawks LB

Ramon Sessions
Bucks G

Shea Weber
Predators D

Jon Busch
ire GK
should kiss and make up
Lane Kiffin and Al Davis
Barack Obama and John McCain
Obama and McCain
Kendra Wilkinson and Hugh Hefner
Best show I watched last week
The First 48
Martin
Entourage
The Office
Best nickname I ever had
The Thrill
Rook
Foogs
Buschy
I really need to stop eating...
McDonald's
Ice cream
Pizza
Cookies
Urban legend I really believe
Bigfoot
I'm not big on urban legends
Ogopogo (Canadian lake monster)
None
Color I wouldn't be caught dead in
Pink
Probably pink
Lime Green
Pink
Most I ever spent at the grocery store
$300
$200
$200
$600
What hurts right now?
Everything
I'd probably say my brain
My whole body
My finger
Song that's playing on my iPod right now
The new T.I.CD
T.I.'s new CD
I'm Shipping Up to Boston by Dropkick Murphys
AC/DC is always playing


Escrito por fraja8 às 18h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Alex Silva manda carta de apoio a são-paulinos


Mesmo depois de ter deixado o clube este ano, o zagueiro Alex Silva segue acompanhando o São Paulo. Da Alemanha, onde joga atualmente pelo Hamburgo, ele está acompanhando os jogos do time no Campeonato Brasileiro pela internet.

“Sofrendo junto”, como o próprio afirmou, o defensor mandou uma carta de apoio para seus ex-companheiros de clube. O recado foi afixado em um mural do centro de treinamento da Barra Funda e para que todos os jogadores pudessem lê-lo.

Confira abaixo a carta na íntegra:

Hamburgo, 12 de novembro de 2008.

Meus companheiros de São Paulo,

Primeiramente, venho agradecer a todos vocês pelo que fizeram por mim nesses dois anos e meio que fiquei aí. Todos os dias eu agradeço a Deus por ele ter colocado pessoas como vocês em minha vida, que me ajudaram a chegar até aqui.

Não pensem que porque estou aqui na Europa eu me esqueci de vocês. Sinto muita falta de tudo isso aí. Sinto falta das brincadeiras, das duras do Muricy, das preleções, das refeições na concentração. Sinto muita falta!

Mas eu tive que fazer meu pé-de-meia e abrir mão das coisas que eu mais gostava, que era esse elenco aí. Por isso, vim pra cá, pra Alemanha, pra poder começar a construir meu futuro.

Mas meu coração está aí, junto com vocês todos os dias, em todos os jogos. Os canais brasileiros ainda não estão instalados em casa pra eu poder ver vocês jogarem, mas estou acompanhando pelo site todos os jogos com uma narração de rádio, o que é horrível, pois o coração sai pela boca!!!!

Hoje, sou um homem realizado porque joguei com vocês, com cada um de vocês, que tem caráter e um profissionalismo enorme. Lembro o que passamos no começo do campeonato, altos e baixos. Então, sei que não foi fácil o que vocês conquistaram pra chegar onde estão, que é no topo da tabela.

Eu me sinto orgulhoso de vocês e falo do São Paulo aqui, de vocês, de cabeça erguida, com o peito estufado. Me sinto orgulhoso de ter feito parte de tudo isso aí, de ter feito amigos como vocês que me ajudaram a chegar até aqui.

Agora falta pouco, e ninguém vai tirar esse título da gente. Só tira se vocês quiserem, coisa que não vai acontecer. Vocês têm talento, nasceram pra brilhar e pra serem campeões. Lembrem-se que isso vai ficar na história de cada um de vocês, três vezes seguidas campeões brasileiros. Isso é emocionante e fantástico pra carreira de um jogador.

Hoje, você pega Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho, Kaká, melhores do mundo... Mas eles não terão e não têm uma coisa que vocês terão em seus currículos, que é por três vezes serem campeões brasileiros. Isso ninguém vai tirar de vocês. Eu estou torcendo muito pra vocês serem campeões, porque eu faço parte disso um pouquinho!

Lembro sempre daquele jogo do Botafogo, que o Lúcio Flávio ia fazendo o gol do empate e eu tirei debaixo do gol. Ali, poderíamos ter perdido dois pontos e hoje estaria fazendo falta. Não fiz nem a metade que vocês fizeram, que foi lutar do jeito que vocês lutaram pra chegar no topo da tabela, mas ainda me sinto parte desse grupo e sei que nada nem ninguém vai tirar esse título da gente, a não ser nós mesmos.

Tô aqui do outro lado, mas meu coração está aí com esse grupo maravilhoso que eu nunca vou encontrar igual!

Muricy, você me ajudou muito, sou muito grato a você por tudo o que o senhor fez por mim. Você, o Milton Cruz e o Tata, o Carlinhos, o Serjão e o Haroldo. Vocês merecem mais do que todos esse título, porque todo mundo criticou a comissão depois da Libertadores, e mais uma vez estão provando os profissionais que vocês são.

Quero agradecer também à diretoria, seu Juvenal, que apostou em mim junto com o Muricy, o Milton e o Tata. Vocês me pegaram cheio de defeitos e corrigira um por um, desde a indisciplina.

Agradeço ao REFFIS, onde encontrei pessoas que eu nunca vou esquecer, nem do tratamento nem do carinho que me deram quando eu estava machucado. Betinho, Alê, Sasaki, Rosan, Dr. Sanchez, são pessoas que me não me abandonaram em momento algum na minha lesão.

Por isso que meu coração está aí, junto com vocês, rumo ao título, porque vocês me mostraram a realidade da vida, o que é ser profissional.

Meus companheiros, que me deram muitos conselhos quando eu mais precisei... Aqui, o futebol é tão fácil que estou jogando de volante e eles me acham craque. De vez em quando, abaixo a cabeça e dou aquelas arrancadas, a torcida vai ao delírio!

Estou muito feliz por vocês, companheiros!

Ainda não acabou. Continuo na torcida e na net, ouvindo a narração e sofrendo junto com vocês dentro de campo a caba minuto, podem ter certeza.

Gente, paro por aqui, senão vou acabar me emocionando.

Um abraço,

Alex Silva (Pirulito)



Escrito por fraja8 às 18h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 O time do São Paulo ainda não está definido para enfrentar o Figueirense neste domingo no Morumbi.

Isso porque Muricy  Ramalho espera pela recuperação do poli valente Zé Luis, para definir seus titulares.

Ontem Zé Luis não  treinou no Morumbi, ficou no REFFIS fazendo tratamento em seu joelho (levou uma pancada).

Hoje ele deu continuidade ao tratamento e não participou do rachão no CCT.

Muricy testou o time com Jancarlos na direita e Joilson no meio, e com Anderson na zaga, com Joilson jogando de ala.

Caso Zé Luis seja mesmo vetado, acredito que Muricy deva entrar em campo com  Jancarlos na ala, revezando com Joilson no setor direito.

Sem Zé Luis o São Paulo deve jogar com:

Rogério Ceni, Jancarlos, Miranda, Rodrigo e Jorge Wagner, Joilson, Jean, Hernanes e Hugo, Dagoberto e Borges.

Com Zé Luis o time entra com:

Rogério Ceni, Miranda, Zé Luis, Rodrigo, Joilson, Jean, Hernandes, Hugo e Jorge Wagner, Dagoberto e Borges.

- Marco Aurélio Cunha voltou de uma rápida “tour” pelo Japão.

Ele esteve reunido com Danilo, para tentar repatriar  o meia para o São Paulo no ano que vem.

 Segundo me disse não será tarefa fácil, já que o jogador está totalmente adaptado ao Mundo oriental.

Mas não vai causar espanto se no ano que vem o clube anunciar o meia como reforço.

 

- A procuradoria do STJD já encaminhou denuncia contra o São Paulo, para o tribunal.

Tudo por conta do torcedor que invadiu o campo após o jogo contra a Lusa.

Invasão foi relatada na sumula da partida pelo árbitro Wilson Luis Seneme.

O julgamento deve acontecer nesta semana que entra.

O São Paulo pode ser simplesmente absolvido, pode ser considerado culpado pela invasão de seu torcedor e receber uma multa ou ainda perder mando de campo.

No ultimo caso, a pena só devera ser cumprida em 2009, já que foram vendidos mais de 30 mil ingressos para o jogo contra o Fluminense, na penúltima rodada do campeonato.

 

- O Fisioterapeuta do São Paulo, Luis Rosan, está comemorando 10 anos de seleção Brasileira.

Até agora foram 131 jogos servindo a seleção.

Rosan leva na bagagem, 2 copas do Mundo, 3 copas América, 4 copas das Confederações.

Trabalhou nestes 10 anos, com 6 treinadores: Zagalo, Vanderlei Luxemburgo, Leão, Felipão, Parreira e Dunga.

Parabéns Rosan! Este tem história para contar.

Posted by marcellolima - http://marcellolima.wordpress.com/



Escrito por fraja8 às 18h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Grêmio terá Olímpico lotado contra o Coritiba: ingressos esgotaram

As últimas centenas de ingressos que ainda estavam disponíveis para o jogo do Grêmio contra o Coritiba, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, esgotaram na manhã deste sábado. Com isso, se confirma a expectativa da diretoria do clube de que 45 mil torcedores deverão estar no Olímpico para apoiar o time no confronto marcado para as 19h10 deste domingo.

AE
Atletas terão estádio lorado a seu favor
"Nossa torcida soube valorizar o momento que a equipe vive e o Olímpico se transformará num caldeirão", afirmou o diretor de futebol gremista, André Krieger, neste sábado, satisfeito com a resposta dos tricolores ao apelo para que lotassem o estádio. Com os ingressos todos vendidos, o Grêmio continuará com a excelente média de público que vem mantendo no Brasileirão, sendo até o momento o segundo clube nesse quesito, perdendo apenas para o Flamengo.

O treinador Celso Roth, entretanto, em sua entrevista coletiva no final da tarde de sexta-feira lembrou que a torcida não deve esperar um jogo fácil, pois o adversário, já sem chance de chegar ao G-4 e ao mesmo tempo sem ameaça de rebaixamento, "jogará de forma cômoda, tranqüila, e nos imporá muitas dificuldades porque será uma partida de muita visibilidade".


Escrito por fraja8 às 17h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Além do ‘bicho gordo’, hexa vale R$ 700 mil aos jogadores

Cezar Loureiro/AGÊNCIA O GLOBO

Prêmio será repartido entre o grupo. Tabela da diretoria premia até o quarto lugar no Campeonato Brasileiro deste ano

Eduardo Peixoto Rio de Janeiro

O incentivo do Flamengo aos jogadores não se limita ao bicho de R$ 10 mil por vitória nestes quatro últimos jogos do Campeonato Brasileiro. Há também uma tabela de premiação do primeiro ao quarto lugar.

Os valores são iguais aos de 2007. Porém, como no ano passado não havia a chance de título, esta cifra sequer foi decidida. Em 2008, o hexa tem preço: R$ 700 mil de bonificação, fora as já citadas gratificações por vitória.

Se o Flamengo for segundo colocado, os jogadores rateiam R$ 500 mil. A terceira posição vale R$ 400 mil e a quarta R$ 300 mil. A partir do quinto lugar, o grupo não leva nada.



Escrito por fraja8 às 17h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




This Saturday Night is All-Right for fighting for the UFC

 
Saturday night in Las Vegas, Randy Couture will step into an eight-sided ring surrounded by a steel cage and stare down Brock Lesnar, a 31-year-old former NCAA wrestling champion who is six inches taller, at least 40 pounds heavier and 14 years younger. Mr. Couture, who is 45, will then have 25 minutes to knock his opponent unconscious, force him to quit or control him thoroughly enough to win by decision.

To do this will take everything he's learned in a lifetime of fighting: a deep knowledge of leverage and posture earned over decades as an Olympic-caliber Greco-Roman wrestler, Brazilian jiujitsu techniques honed over the last 12 years against top Russian, Japanese and Dutch fighters, specialized boxing tactics and a peerless ability to read and exploit a rival's weakness. All of this has made Mr. Couture the Ultimate Fighting Championship's heavyweight champion and one of the greatest masters of mixed martial arts, a sport that has developed over the last 15 years from a novelty into a legitimate rival to boxing that some consider the world's most sophisticated combative art.
 
Pay-per-view-television experts say it's possible that Saturday's fight, at the MGM Grand in Las Vegas, could draw more than a million buys at $44.95 apiece, which would match the sport's record and rank higher than all but two boxing matches from the last four years.
 
Marc Ratner, a longtime Nevada boxing official who is now an executive for the UFC, the sport's largest governing body and this fight's sponsor, explains the sport's appeal this way: "If you're in the middle of a street somewhere, and guys are playing pickup basketball to one side, and playing football on the other corner, and playing baseball, and a fight broke out, you'd automatically gravitate to the fight. It's something in our soul, our DNA."
 
For more than a century, this primal drive to watch people fight has been satisfied by boxing, a traditional sport that tests combat ability along just one dimension: punching. Mixed martial arts permits a much wider range of striking (kicking and open-hand hits are permitted, as are most blows below the waist) as well as submissions, takedowns, and ground fighting, testing ability of all three. Fighters combine elements of martial arts including muay Thai, a form of boxing that allows the use of the knees, elbows and feet; sambo, a Russian variant of judo; and even karate. To be effective, a fighter has to develop a well-rounded game. Without extensive training, even a world-class wrestler or boxer can be thrashed.
 
"There's a technical and tactical aspect to this sport," says Mr. Couture, when asked why he fights. "Why do people play chess?"
 
Mixed martial arts, or MMA, first became a form of entertainment in Brazil and Japan. It debuted in the U.S. in 1993. Today, the sport puts on about two dozen major events a year here, mostly on pay-per-view television. Although there are other promotional bodies and feeder leagues, the UFC is the largest and most established: It hosts fights in largest venues, purses and bonuses for major fights can surpass $2 million, and is now sanctioned in 37 of the 45 states with athletic commissions.

Early on, the fighters had little credibility and the only rules were restrictions on things like eye-gouging and biting. In 1996, Arizona Sen. John McCain, who famously called the sport "human cockfighting," led a campaign to keep it off the air and out of major venues. Its climb back to respectability started with the recruitment of martial artists and champion wrestlers, like Messrs. Couture and Lesnar, many of whom had competed in MMA overseas. Weight classes and new rules moved it away from chaos toward a more-sophisticated blend of boxing and wrestling similar to the form practiced by the ancient Greeks.
 
In 2000, boxing veterans and Las Vegas casino owners Lorenzo and Frank Fertita bought a stake in the UFC and won state approval. (This year, three MMA events organized by a UFC rival were shown on CBS.)
 
Mr. Couture first heard of MMA in 1996 when one of the wrestlers he coached at Oregon State gave him a tape of an event -- and one of the fighters was a former Oklahoma State wrestling teammate. "I was immediately intrigued," Mr. Couture says. After serving as an alternate on the 1996 Olympic Greco-Roman wrestling team, he applied to the UFC, but was turned down, he says, because the organization felt it had too many wrestlers and not enough martial artists.
 
The following year, though, he was asked to take the place of an injured competitor in a UFC tournament. Nine days later, at age 34, he won his first fight, beating Finnish boxer and pro wrestler Tony Halme in 57 seconds by forcing him into submission, then went on to win the final in just over three minutes. By December, "The Natural" had earned the UFC's heavyweight title.
 
"They threw him to the lions," says Stephen Quadros, a fighting analyst and commentator who considers Mr. Couture the greatest champion in UFC history. "He was older, he wasn't flashy, he wasn't a smack-talker, but he proved what he proved."
 
Mr. Couture has fought 18 times for UFC and has shown a remarkable ability to add new styles and tricks to his repertoire. His 13-5 record doesn't quite tell the story: His first UFC loss came at the hands of a fighter who later tested positive for steroids; another came on a cut; and two more came at the hands of Chuck Liddell, the great light heavyweight with whom Mr. Couture fought a thrilling trilogy that helped cement the sport's growing popularity.
 
 
After retiring for a time in 2006, Mr. Couture returned to the ring in March 2007 to face heavyweight champion Tim Sylvia, a boring but effective jab artist who was 40 pounds heavier, nearly a foot taller and more than a decade younger. In an electric moment, Mr. Couture, a heavy underdog, came straight after Mr. Sylvia in the first 10 seconds and knocked him nearly clean out with a straight right hand. Mr. Couture spent the rest of the fight backing the visibly shocked Mr. Sylvia into the cage with clinches and grinding him into the mat. As the clock counted down the last 10 seconds, a delirious crowd of 19,000 counted along; the Natural was again heavyweight champion. In his most recent fight, in August 2007, he knocked out Gabriel Gonzaga, a monstrous young Brazilian submission specialist, in the third round. "I try to break them," Mr. Couture says of his opponents. "Break their will. Push them further than they're willing to go."

On the eve of his fight with Mr. Lesnar, mixed martial arts seems close to doing something rare for a developing sport -- claiming a mainstream audience. UFC has expanded into Europe and, according to Mr. Fertita, the chief executive, is looking at Dubai and the Philippines. It has attracted some corporate sponsors and is hosting fights at major venues where up to 20,000 fans pay as much as $1,000 a ticket. UFC's main competitor, Elite XC, which had broadcast deals with CBS and Showtime, filed for bankruptcy-court protection last month. Sen. McCain recently told a reporter the sport had "grown up."
 
Nevertheless, the sport's fans skew young and many people can't distinguish it from scripted events like pro wrestling. States like New York and Massachusetts haven't sanctioned it and critics say there are too many amateurish fighters. There's some talk about whether Mr. Lesnar, a former high-profile pro wrestler with only three mixed martial arts fights, belongs in the limelight so soon.
 
Mr. Lesnar, a former national wrestling champion at the University of Minnesota, hits harder than arguably anyone in the game, says Mr. Quadros, who predicts Mr. Lesnar will win by second-round knockout. "But if Lesnar can't beat him in the first two rounds, Randy is going to stretch him out."
 
Sean Van Patten of Las Vegas Sports Consultants, who helps set betting lines for casinos, says he opened with Mr. Couture as the favorite, but as of late Thursday had Mr. Lesner as a very slight favorite. The longer it lasts, he says, the more chance Mr. Couture has to catch Mr. Lesnar in a mistake. To win, Mr. Couture says he will have to hold his ground, counter Mr. Lesnar's wrestling with better wrestling and, as he put it, "hit him every chance I get."
 
"Brock's game plan is going to be to use his size to overwhelm me, take me down," Mr. Couture says. "I'm an aggressive person by nature, and in my fighting style, so I'm going to go out and impose my will." (source WSJ.com)
 

 
This Saturday Night is All-Right for fighting for the UFC II
 
 
Randy Couture will never forget his first mixed martial arts bout, which came at UFC 13 in Augusta, Ga., on May 30, 1997, and not simply because it marked the beginning of what would become a wildly successful and lucrative career.
 
The former collegiate wrestling star carries a memory with him about his walk toward the cage that night that he hasn’t forgotten through five UFC championship reigns, including three separate stints as heavyweight champion and two as light heavyweight champion.
 
As Couture approached the octagon to face Tony Halme in front of roughly 1,000 rabid fans in the Augusta Civic Center, he wasn’t sure he had made a wise choice and wondered whether he belonged in this crazy, hybrid sport.
 
He began to suspect he may have made a mistake leaving the relative safety of amateur wrestling for this mess.
 
“I just wanted to make sure I didn’t pee my pants,” Couture said, chuckling, at a news conference for UFC 91 Thursday in the lobby of the MGM Grand that attracted an estimated 1,500 fans.
 
Couture will defend his belt against one-time pro wrestling star Brock Lesnar on Saturday in a bout that is commanding international attention. Reporters from South America, Europe and Asia, as well as from around the U.S. and Canada, have been credentialed for a card that company president Dana White expects to sell as many as 1.5 million units on pay-per-view.
 
Couture will make a return after a 15-month hiatus because of frequently bitter legal wrangling between himself and UFC management.
 
And he certainly won’t be worrying about urinating all over himself despite the prospect of facing the most physically gifted opponent he’s ever met. Lesnar has to cut weight to make the UFC’s 265-pound heavyweight limit, but has the athleticism and quickness of a much smaller man.
 
A fan who was allowed to ask a question at Thursday’s news conference warned Couture about Lesnar’s hands, noting they’re about the size of cinder blocks, which isn’t all that far off.
 
His entrance to the cage on Saturday will be very different than it was in those days, when it was largely an underground sport held in states without athletic commissions and kept alive by rabid fans who communicated via Internet message boards.
 
Then, Couture was in a foreign place and didn’t know what he had gotten himself into. But on Saturday, despite the acrimony of the past year, despite the turmoil that has engulfed much of his life, he said walking to the cage to defend his belt will feel like “walking home.”
 
“Walking out that first time [at UFC 13] and being overwhelmed by a thousand fans hanging over the fence trying to grab your clothes and trying to smack hands with you is a lot different than it is now,” Couture said. “Walking in there on Saturday night, it’s going to feel a lot like walking home.”
 
Couture sent a letter to the UFC announcing his resignation in October 2007. The UFC contended he could retire, but he couldn’t resign and walk away from his contract.
 
That led to a bitter and frequently acrimonious public dispute that wound up in the legal system. It was not only draining Couture’s finances, but it was wearing on him personally.
 
He said somewhat like a leper, stashed off to the side and kept out of view.
 
“I felt for so long I had a black cloud following me,” Couture said. “One of the things about me that anyone who knows me understands is that I’m a competitor. I love to compete and that was taken away from me.
 
“There are no hard feelings in this. Things got said, but the bottom line is, that’s in the past. I choose not to let what happened in the past bring me down. Dana and I got together and we settled our differences. It’s over and I’m looking forward.
 
“For the first time in a year,” Couture added, “I can wake up in the morning and feel excited and look forward to the day knowing I have a fight coming up and not have to wonder what lawyers I need to talk to or what the court schedule is going to be that day.”
 
Prior to the legal dispute with the UFC, he’d turned himself into a one-man marketing machine. He’s opened a series of gyms around North America that carry the Xtreme Couture brand. There are Xtreme Couture nutritional products. There’s an Xtreme Couture clothing line.
 
And all of those products, he knows, will get a boost if he manages to win a big fight.
 
Sitting in a lawyer’s office with a deposition, his products tend to sit on shelves and move slowly. But win a big fight in front of millions of fans and suddenly, the Xtreme Couture brand is hot and product moves quickly.
 
He realized it was time to ditch the lawsuits and kick the one-man marketing machine back into action.
 
He’s a fighter at heart and he’s happiest when he’s fighting. He’s 45 and isn’t sure how much longer he’ll be able to do it, but said he’s going to revel in the moment.
 
“I don’t have time to be bitter or angry,” Couture said. “I’m a positive person and I couldn’t be happier right now. I’m getting to do what I love and our sport has grown immensely, beyond what so many of us could have ever hoped or wished it could, and to me, that’s what I am excited about. That’s what I choose to think about. I think about a guy like Brock and figuring out a plan to beat this guy. That’s the kind of problem I like to have.” (source Kevin Iole Yahoo Sports)
 
 
 


Escrito por fraja8 às 17h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Chelsea vence com dois de Anelka e segue na liderança

 
Fechando os jogos deste sábado pela 13ª rodada do Campeonato Inglês, o Chelsea confirmou o favoritismo e venceu o lanterna West Brown fora de casa por 3 a 0 com boa atuação do francês Anelka e se segurou na liderança do torneio com 32 pontos. Como, mais cedo o Liverpool bateu o Bolton, os Blues tinham a obrigação de conquistar os três pontos para seguirem em primeiro lugar.

Agora, tanto Chelsea quanto os Reds estão empatados em número de tentos. No entanto, o time comandado por Felipão leva vantagem no saldo e gols. Com dez vitórias e apenas derrotas, os Blues vão fazendo um excelente começo de torneio.

O Chelsea não teve dificuldades para conquistar os três pontos em cima do lanterna com 11 pontos West Bromich e em dez minutos matou a partida. Aos 34 do primeiro tempo Bosingwa fez um belo gol e abriu o placar. Quatro minutos depois Anelka marcou, para repetir a dose depois nos acréscimos, marcando seu segundo tento no jogo.

Na próxima rodada, o Chelsea recebe o Newcastle em casa no sábado. Na mesma data, o WBA duela contra o Stoke City.



Escrito por fraja8 às 17h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




AUNQUE EL TÉCNICO MOSTRÓ SU TOTAL APOYO AL DELANTERO

A Guardiola le preocupa "cero" lo que le afecte al Madrid la lesión de 'Van Gol'

Josep Guardiola, entrenador del Barcelona, ha asegurado que es "una cosa interna" si ha decidido multar a la plantilla por llegar tarde al entrenamiento del viernes, lo cual podría haber supuesto 500 euros de sanción a cada jugador.

A Guardiola se le preguntó hasta tres veces por este asunto. En una línea de coherencia entre su discurso y su forma de actuar, el entrenador del Barça fue lacónico: "Es cosa nuestra, es una cosa interna".

Ha calificado de "normal" que si se pierde, en general, los entrenadores sea destituidos. "Los técnicos pasamos de ser muy buenos a ser inútiles totales", dijo, y ha expresado su apoyo al holandés Ruud van Nistelrooy,
lesionado gravemente en la rodilla, aunque Guardiola ha dicho que le preocupa "cero" lo que le pueda afectar esta baja al Real Madrid.

"Espero que vuelva lo más rápido posible. Es una pena, pena de verdad, no sólo por él, sino por cualquier jugador. Aquí nos tiene, para cualquier cosa que necesite", ha dicho el entrenador barcelonista.

No está preocupado por el estado físico de Messi
Guardiola no está preocupado por el estado físico de Leo Messi, quien jugó prácticamente todo el partido copero ante el Benidorm. "Se ha recuperado bien, ya veremos si jugará. Está bien", ha explicado el técnico, quien ha aclarado que Messi no le llegó a pedir
viajar a Escocia para ver el primer partido de Maradona como seleccionador albiceleste, pero recordó que ese día hay programado un entrenamiento con el Barça.

Abundando sobre las relaciones entre Messi, Maradona y el Barça, Guardiola afirmó que no había mantenido ningún contacto ni con el seleccionador argentino ni con la AFA. "Lo único que he oído es que (Maradona) respetaba el pacto entre AFA y el Barça. Todas las otras historias son pura suposición", añadió el técnico barcelonista.

"¿Si existe peligro de lesión en Messi? Y para Puyol, también. Siempre hay riesgo, nadie sabe quien se va a lesionar. Andrés (Iniesta) no se había lesionado nunca en su carrera y se lesionó hace poco", ha insistido.

"Aún no hemos hecho nada"
Guardiola considera que su equipo debe mantener la tensión. "Hay que estar atentos, por el rival, porque llevamos ocho victorias seguidas. A veces me canso de este discurso. Está bien lo que hemos hecho, pero nos cuesta atacar en unos partidos más que en otros, y no hemos hecho aún nada. Nos queda mucho por hacer y tenemos que volver a demostrarlo el domingo, porque vimos contra el Benidorm lo mucho que cuesta", ha explicado.

Analiza al Recreativo
Sobre el Recreativo, el técnico del Barça ha dicho que desde la llegada de Lucas Alcaraz es un equipo que encaja muy pocos goles. "Cedieron un empate ante el Valencia, una mínima derrota ante el Sevilla. Están muy bien organizados, con dos líneas de cuatro y delante Camuñas, Javi Guerrero y Sisi tienen mucho talento", ha agregado



Escrito por fraja8 às 17h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Bayern perde terreno

Os líderes da Bundesliga, Bayer 04 Leverkusen e TSG 1899 Hoffenheim, garantiram mais três pontos para a sua contabilidade, enquanto o campeão FC Bayern München deixou escapar uma vantagem de dois golos e empatou 2-2 no terreno do VfL Borussia Mönchengladbach.

Recuperação
Os comandados de Jürgen Klinsmann pareciam a caminho do sexto triunfo consecutivo, graças aos tentos de Luca Toni, aos 21 minutos, e Franck Ribéry, de penalty, aos 65. No entanto, os da casa, que entraram em campo no 15º lugar, lutaram bravamente até ao fim e marcaram dois golos, primeiro pelo avançado canadiano Rob Friend, a 11 minutos do final, e depois pelo médio norte-americano Michael Bradley, pouco depois.

Incerteza no marcador
Noutras paragens, o cada vez mais surpreendente Hoffenheim também teve de enfrentar forte oposição. Frente ao VfL Wolfsburg, que apresentou Ricardo Costa a titular, o Hoffenheim permitiu que o seu visitante empatasse a contenda em duas ocasiões, mas acabou por terminar em vantagem, por 3-2. Vedad Ibišević colocou os anfitriões na frente, com o seu 14º tento da temporada, mas Grafite igualou. Carlos Eduardo recolocou os da casa em vantagem, para Edin Džeko responder perto do intervalo. Porém, aos 69 minutos, Chinedu Obasi Ogbuke deu o triunfo ao líder da tabela.

Leverkusen aguenta
Um resultado que permitiu à equipa manter-se colado ao Leverkusen, que teve de lutar para segurar uma vantagem, em casa, ante o FC Schalke 04. Os internacionais alemães Stefan Kiessling e Patrick Helmes colocaram os homens de Bruno Labbadia na frente, com tentos aos 30 e 41 minutos, respectivamente, mas Kevin Kuranyi reduziu para o Schalke, a seis minutos do fim, garantindo um final de partida emocionante. Porém, o resultado ficaria em 2-1.

Hamburgo cai
Quem não teve a mesma sorte foi o Hamburger SV. A equipa de Martin Jol sofreu a terceira derrota consecutiva fora de portas, apesar de ter marcado primeiro no reduto do Hertha BSC Berlin, por Mladen Petrić, aos 13 minutos. Cícero Santos e Valeri Domovchiyski facturaram no início do segundo tempo, colocando o adversário do Benfica na Taça UEFA no quarto lugar da classificação, um posto acima do Hamburgo. O BV Borussia Dortmund está em sexto, graças à goleada por 4-0 imposta em casa, frente ao Eintracht Frankfurt, enquanto o "lanterna vermelha" FC Energie Cottbus continua em maus lençóis, apesar de ter vencido o Karlsruher SC por 1-0. O também aflito DSC Arminia Bielefeld arrancou um nulo na visita ao VfB Stuttgart.



Escrito por fraja8 às 17h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Teste à liderança

O surpreendente Leixões defronta o Sporting no Estádio José Alvalade na oitava jornada da Liga portuguesa, enquanto o FC Porto recebe o Vitória de Guimarães e o Benfica faz o mesmo ao Estrela da Amadora.

Sporting no rescaldo da Taça
Líder isolado com 16 pontos, a formação de Matosinhos, que já venceu fora o campeão FC Porto, tem novo teste complicado no sábado frente aos "leões", quartos classificados da tabela a três pontos dos leixonenses e que não perdem nem sofrem golos na prova desde 5 de Outubro, data da derrota (2-1) ante os portistas, apesar de terem sido eliminado por estes da Taça de Portugal no fim-de-semana passado. O treinador do Sporting, Paulo Bento, não pode contar com o lesionado Tonel e o castigado Marco Caneira, pelo que, mais uma vez, terá de efectuar alterações na defesa. No entanto, Derlei regressa aos convocados após suspensão, ao passo que Simon Vukčević continua a estar fora das opções técnicas.

Guimarães no Dragão, Benfica à espreita
No mesmo dia, mas umas horas antes, os "dragões", sem Pedro Emanuel e Hulk, castigados, defrontam no Estádio do Dragão o Guimarães e procuram subir na classificação, pois ocupam o oitavo lugar após dois desaires consecutivos ante Leixões e Naval. Jesualdo Ferreira voltou a chamar aos eleitos Ernesto Farías e Cristian Săpunaru. Quanto ao Benfica, a um ponto do topo e único conjunto invicto na prova, recebe o vizinho Estrela da Amadora no domingo, à espreita de vencer e, caso os matosinhenses não ganhem em Alvalade no dia anterior, tomar de assalto o primeiro lugar. Quique Flores tem Angel Di María indisponível por lesão, mas José Antonio Reyes está de volta após suspensão.

Braga recebe Setúbal
Nas outras partidas de domingo, o Sporting de Braga, outro dos representantes portugueses na Taça UEFA, joga em casa diante do Vitória de Setúbal, ao passo que o Nacional serve de anfitrião ao Rio Ave e a Naval visita Paços de Ferreira, que ainda não venceu. A ronda abre na sexta-feira com a deslocação do Marítimo ao terreno do Trofense e encerra na segunda com a recepção do Belenenses, igualmente sem conhecer o sabor da vitória, à Académica.

 



Escrito por fraja8 às 17h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Olimpico ao rubro no derby de Roma

Quando foi apresentado à imprensa em Julho como novo reforço da S.S. Lazio, Mauro Zárate não se escusou a revelar o seu maior desejo: "Quero marcar dois golos à [AS] Roma". Depois de ter apontado sete tentos nos primeiros 11 jogos da Serie A, aquele que é já apelidado de "Zárate-Kid" pode bem estar optimista em relação ao seu primeiro derby ante a Roma, no domingo. A Lázio dista apenas dois pontos do líder FC Internazionale Milano e tem o ataque mais concretizador da prova, com 21 golos.

Zárate optimista
"Este é o jogo mais importante da época e estamos na melhor condição possível", afirmou o avançado argentino de 21 anos, que chegou aos "laziale" proveniente do Al-Sadd. "Queremos os três pontos no domingo e seria excelente que eu pudesse marcar. Sempre disse que podemos conquistar o 'scudetto' e não mudei de ideias quanto a isso".

Ambiente especial
O ponta-de-lança Mirko Vučinić, da Roma, também aposta na vitória, mas da sua equipa, embora os "giallorossi" apresentem apenas dois triunfos na Serie A. "Estamos a 14 pontos da Lázio e queremos reduzir a diferença imediatamente – o empate não serve", afirmou o dianteiro do Montenegro, autor de dois golos na vitória (3-1) sobre o Chelsea FC na passada semana, em encontro referente à UEFA Champions League. "Este é um encontro especial. Enfrentamos a Lázio duas vezes por ano e é possível sentir-se, um pouco por toda a cidade, a atmosfera que antecede o jogo".

Infelicidade de Cicinho
No passado sábado, um autogolo de Cicinho, já em tempo de descontos, negou à Roma uma vitória no terreno do Bolonha FC. "O empate não afectará o entusiasmo inerente à vitória diante do Chelsea, pois sabemos que estamos no caminho certo", insistiu Vučinić. "Esta época não ganhámos tantos jogos, mas estamos moralizados. Temos noção do nosso valor e trabalhamos para resolver os nossos problemas".

Problemas
Daniele De Rossi, médio da Roma, lesionou-se numa mão depois de ter caído mal no treino de quinta-feira, embora o exame realizado tenha deixado de lado a hipótese de fractura, pelo que o internacional italiano deverá entrar em campo no Stadio Olimpico. Francesco Totti, que completou o 400º jogo na Serie A ante o Bolonha, vai disputar o seu 28º derby em todas as competições, não obstante estar a contas com os habituais problemas no joelho direito.



Escrito por fraja8 às 17h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"ESTÁ MÁS QUIETO Y PARECE CONFIADO", APUNTÓ EL PUNTA DEL INTER

Ibrahimovic le manda un 'recadito' a Iker Casillas

Zlatan Ibrahimovic, delantero del Inter, afirmó que "si en la competición por lograr el Balón de Oro sólo contara la Eurocopa, le daría el trofeo a Iker Casillas", pero como la competición también cuenta con la temporada completa, entonces su "máximo favorito es Cristiano Ronaldo, porque metió muchos goles y ganó la Champions".

El ariete sueco, polémico fuera de los campos, pero genial dentro de ellos, explicó que si en el premio solamente se valoraran las cualidades individuales se lo deberían dar a él. "Técnicamente no ha un delantero mejor que yo", indicó en una entrevista a 'L'Equipe'.
La estrella del Inter, que anotó uno de los dos tantos que encajó Casillas en la Eurocopa, elogió al cancerbero blanco. "Es muy rápido de reflejos, tiene decisiones acertadas siempre en la salida y es muy bueno en el uno contra uno", comentó.

Sin embargo, el delantero sueco mandó un 'recadito' al madridista. "Ultimamente no le he visto al nivel de siempre. Está más quieto y parece confiado. Del Piero no le debería haber metido tres goles y él lo sabe", afirmó.

"No tengo nada que envidiar a Ronaldinho o Kaká"
El delantero no envidia la técnica de los jugadores brasileños o la fortaleza de los italianos. "Soy un jugador que me hice en la calle. No tengo nada que envidiar ni a Ronaldinho ni a Kaká, soy tan bueno como ellos regateando".



Escrito por fraja8 às 17h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Polícia sabia da manifestação, mas técnico recusou esquema de segurança

Reprodução / SporTV

Luxemburgo entrou pela porta da frente do aeroporto com quatro pessoas

A polícia de São Paulo sabia que os torcedores do Palmeiras estavam preparando uma manifestação contra o time no embarque para o Rio de Janeiro, na noite desta sexta-feira. Foi montado, de última hora, um esquema de segurança especial para que o ônibus da delegação entrasse pelo portão 4 e os jogadores não sofressem qualquer tipo de ofensa ou agressão na chegada ao aeroporto de Congonhas. Porém, todo esse esquema foi recusado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, que fez questão de chegar normalmente no local com quatro seguranças.

Confira o que consta no Boletim de Ocorrência:

Através do delegado de permanências do CEPOL(Central de Operações da Polícia Civil) a delegacia do aeroporto de Congonhas percebeu que a torcida do time do Palmeiras estava se dirigindo ao aeroporto por volta das 20h30m. O GARRA(Grupo de Repressão a Roubos e Assaltos), GOE(Grupo de Operações Especiais), a Polícia Federal, a ENFRAERO e um representante da empresa de turismo que estava em contato com o gerente de futebol do Palmeiras traçaram um plano de segurança. O ônibus entraria pelo portão de carga e descarga e o embarque seria feto na própria pista. Enquanto aguardava o ônibus, Vanderlei disse ser pagador de seus impostos, que não aceitaria qualquer esquema de segurança e entraria como uma pessoa comum no saguão.

Palmeiras aumentará segurança na volta a São Paulo

Segundo o diretor do Palmeiras, Savério Orlandi, cerca de 50 torcedores esperavam o time no aeroporto em São Paulo, mas dez conseguiram entrar no local e agredir o treinador. Vanderlei, que sofreu uma luxação no braço direito, deve fazer um exame de raio-x na ainda na tarde deste sábado. Ele está caminhando com dificuldades, não foi ao treino de manhã, mas irá comandar o time na partida contra o Flamengo, neste domingo, às 17h, no Maracanã.

O Palmeiras, que normalmente utiliza oito seguranças, irá aumentar o seu efetivo para 20 homens no desembarque em São Paulo, independente do resultado do jogo no Maracanã. O diretor de futebol ainda comentou que o policiamento estava em bom número na hora do embarque, por isso não houve confusão de maiores proporções. Ele afirmou que não se podia mudar a logística do ônibus do clube em cima da hora. E fez questão de concordar com Luxemburgo em querer entrar como um cidadão comum no aeroporto.



Escrito por fraja8 às 17h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Cinco años con Messi

Messi, celebra su gol ante el rácing. Foto: pep Morata

Mañana se cumple un lustro de su debut en el amistoso contra el Porto de Mourinho

Sólo fueron 15 minutos pero suficientes para que el público de Oporto viera algo especial en aquel renacuajo de 16 años y 169 centímetros de altura. La inaguración del estadio Do Dragao, siete meses antes de la Eurocopa organizada por Portugal, pasó a la historia por coincidir con el debut de Leo Messi con el primer equipo del FC Barcelona.

Mañana se cumplirá exactamente un lustro de aquel intrascendente amistoso que acabó con el triunfo (2-0) de los 'dragoes' pero que sirvió para dar a conocer al gran público barcelonista a un prodigio que deslumbraba en los campos del fútbol base catalán regateando jugadores que salían a su paso.

Frank Rijkaard fue el hombre que decidió convertir a Leo en el tercer debutante azulgrana más joven con sólo 16 años, 4 meses y 23 días. Paulino Alcántara (15 años, 4 meses y 18 días) y Haruna Babangida (15 años, 9 meses y 11 días) siguen siendo los primeros. Bojan Krkic, que tenía 16 años, 7 meses y 26 días en su estreno en El Cairo contra el Al Ahly el 24 de abril de 2007, es el cuarto del ránking. Ganador nato, el argentino confesó que "me hubiera gustado más si hubiéramos ganado".

De desconocido a verdugo

Messi, que militaba en el Juvenil A, dejó su huella ante todo un campeón de la UEFA, que aquella misma temporada acabaría levantando la Copa de Europa. ¿Quién les iba a decir a Jose Mourinho, entonces entrenador del Porto, y Ricardo Carvalho, líder de la zaga de los 'dragoes' en aquel amistoso, que aquel chaval les acabaría amargando la vida tres años después en los octavos de final de la Champions League? Leo fue clave al provocar la expulsión de Asier del Horno en Stamford Bridge y encarrilar la eliminatoria contra el Chelsea. Si 'Mou' hubiera sabido antes de la calidad de Messi, seguro que el talonario de Roman Abramovich hubiera evitado que el técnico escuchara en el Camp Nou aquello de 'Vete al teatro; Mourinho, vete al teatro".

Pese a las expectativasque se levantaron tras su puesta de largo, Rijkaard llevó con mano izquierda el salto a la elite de Messi y no le hizo debutar en la Liga hasta casi un año después, el 16 de octubre de 2004 en Montjuïc. Desde entonces, ya suma 53 goles en 123 encuentros, dos Ligas, una Champions y dos Supercopas españolas sin olvidar su segundo puesto en el FIFA World Player y el tercero en el Balón de Oro en 2007. Pese a que su peso en el equipo es cada vez mayor, Leo afirma sentirse "tan importante como en años anteriores". Sin embargo, quienes más han notado su evolución son sus compañeros. Carles Puyol ya intuía su clase "pero ahora hace cosas increíbles", mientras Samuel Eto'o se rinde a su trabajo: "Dependía de él llegar a este nivel y se lo ha currado"

 



Escrito por fraja8 às 17h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Vontade de Alex prevalece e ele deve se apresentar à seleção

 
Do UOL Esporte
Em Porto Alegre
 
O meia-atacante Alex, do Internacional, tem dois compromissos marcados para o mesmo dia e mesmo horário, nesta semana. Quarta-feira, às 22 horas, ele está convocado para servir a seleção brasileira no amistoso contra Portugal, em Brasília, e ao mesmo tempo seu time, o Inter, decide uma vaga às finais da Copa Sul-Americana, no estádio Beira-Rio, contra o Chivas Guadalajara. Mas prevalecerá a vontade do atleta e ele irá mesmo jogar pelo selecionado nacional.

Ao chegar a Porto Alegre na sexta-feira, do México - onde o Colorado venceu o Chivas por 2 a 0 na primeira partida das semifinais da competição continental - Alex reafirmara seu desejo: "Vou me apresentar à seleção, é uma oportunidade que não posso desperdiçar". Já na tarde deste sábado, após um rápido trabalho no Beira-Rio, a confirmação: "Não apareceu nenhuma desconvocação e, como sempre disse, viajo para servir a seleção".

Os dirgentes do clube ainda chegaram a se manifestar sobre a possibilidade de pedir a dispensa do atleta junto à CBF, mas o assessor do futebol, Fernando Carvalho, admitira ser "improvável" a liberação do jogador. O lado positivo no fato de perder o atleta neste momento é a valorização do mesmo, pois o Inter poderá negociá-lo ao final da temporada.

Na verdade o clube gaúcho nem chegou a insistir junto à Confederação, depois de o time ter conseguido a ótima vantagem sobre os mexicanos, pois passa à fase final até mesmo perdendo em casa por diferença de um gol. Até o substituto de Alex já está definido, é Andrezinho, que assim segue no tyime, pois em Guadalara ele jogou no lugar de D'Alessandro, que ficou forta devido a uma intoxicação alimentar.

"Estou pronto para ajudar mais uma vez e mostrar que posso continuar no Inter", comentou Andrezinho após a chegada do México, ele que terá seu contrato de empréstimo encerrado no final de dezembro, e já deixou claro que deseja ser contratado em definitivo pelo Inter.

O titular Alex, que pela segunda vez foi convocado por Dunga para a seleção brasileira - a primeira foi para servir a equipe nos jogos contra Venezuela e Colômbia pelas Eliminatórias da Copa do Mundo - se apresentará ao técnico nesta segunda-feira, em Brasília, no Alvorada Park Hotel, local da concentração dos atletas para o amistoso contra Portugal. Dunga, que sempre repetiu que não liberaria Alex, comandará um único treinamento antes da partida, às 16h15min de terça.



Escrito por fraja8 às 16h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Randy Couture de volta ao UFC esta noite
 
Equipe PVT

Randy Couture está de volta ao maior evento de vale tudo do mundo e defenderá seu título dos pesos pesados esta noite no UFC 91. O evento será realizado em Las Vegas e Brock Lesnar tentará destronar o campeão.

 

O UFC 91 contará com a participação de quatro brasileiros: Gabriel Napão terá pela frente Josh Hendricks, Demian Maia vai encarar Nate Quarry, Jorge Gurgel lutará contra Aaron Riley, e Rafael dos Anjos faz sua estréia no show contra Jeremy Stephens.

 

Destaque ainda para o confronto entre Kenny Florian e Joe Stevenson, que pode definir o próximo desafiante dos pesos leves.

 

Confira abaixo o card completo do evento:

 

- Randy Couture (campeão) x Brock Lesnar (desafiante) - luta pelo título dos pesos pesados;

- Kenny Florian x Joe Stevenson;

- Gabriel Napão x Josh Hendricks;

- Demian Maia x Nate Quarry;

- Dustin Hazelett x Tamdan McCrory;

- Jorge Gurgel x Aaron Riley;

- Jeremy Stephens x Rafael dos Anjos;

- Alvin Robinson x Mark Bocek;

- Matt Brown x Ryan Thomas;

 

*O Premiere Combate transmite o UFC 91, ao vivo, a partir de 1h (sábado pra domingo/horário de Brasília).



Escrito por fraja8 às 16h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Agência/Reuters

Serena Williams bateu bola, neste sábado, com jovens do Quênia, na África. Ela se divertiu na academia Sadili Oval Tennis, em Nairobi. O Quênia é o segundo país que a americana visita no continente africano esta semana. Na última quarta, ela falou com jovens com Aids em Joanesburgo, capital da África do Sul



Escrito por fraja8 às 16h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ainda não há nada assinado, diz Button

Inglês espera que definição sobre seu futuro só saia após os testes em Barcelona

Embora seja dada como certa a sua permanência na Honda, Jenson Button diz que não há nada assinado com a equipe e espera que sua confirmação para 2009 venha após a semana que vem, quando Bruno Senna e Lucas di Grassi testarão em Barcelona.

Acredita-se que, seja qual for o brasileiro escolhido para correr na Honda no ano que vem, o sacrificado deva ser Rubens Barrichello, já que o chefe-executivo da equipe, Nick Fry, sugeriu que Button deva ficar.

"Não assinei nada ainda, mas eles sabem como me sinto e eu sei como eles se sentem. Espero que resolvamos algo em breve", disse o inglês à emissora Eurosport.

"Bruno e Lucas estarão em Barcelona e será interessante ver como que eles lidam com isto. Hoje em dia, não há muita desvantagem para os pilotos da GP2: os carros são apenas seis ou sete segundos mais lentos do que na F-1 e provavelmente não muito mais lentos do que nosso carro da última temporada", brincou. "Os pneus slick que eles usam são muito similares àqueles que teremos no ano que vem".

Apesar das fracas campanhas da Honda nas últimas temporadas, Button espera melhoras em 2009. "Eu fiz de tudo para ter Ross [Brawn, chefe da Honda] na equipe, pois estávamos precisando de conhecimento técnico e liderança. Está funcionando: Você não vê isto no carro, mas a atmosfera na fábrica está muito positiva", disse o inglês.

"Não trabalhamos neste carro desde a quarta ou quinta corrida. Isto me faz parecer ruim, mas posso me recuperar se construirmos um bom carro no ano que vem", completou Button, que vê com bons olhos as alterações técnicas para a próxima temporada, com a introdução do sistema KERS de reaproveitamento de energia.

"As mudanças são boas para nós. Significam que não ficaremos em uma situação onde estaremos três anos atrás de todos. São coisas positivas, que ajudarão nas corridas. Se estaremos no pódio ou venceremos corridas, só saberemos quando virmos o que os outros times fizerem", finalizou.



Escrito por fraja8 às 15h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Maradona embarca à Europa, onde estreará como técnico da seleção

Gustau Nacarino/Reuters
 
Das agências internacionais
Em Buenos Aires (Argentina)
 
O treinador da seleção argentina, Diego Armando Maradona, viajará neste sábado com a sua equipe técnica e o presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino), Julio Grondona, rumo a Escócia, onde vai estrear na quarta-feira, em Glasgow. O vôo está marcado para as 15h20 (horário local), com destino a Madrid, onde embarcarão, no domingo, para Glasgow, de acordo com as informações de um comunicado da AFA.

Maradona vai encarar a viagem em meio à crise desencadeada nos últimos dias, em torno da escolha dos integrantes da comissão técnica. Grondona não aceitou a indicação de Oscar Ruggeri, por parte do atual treinador, para integrar a equipe de auxiliares.

O ápice da crise aconteceu na última quarta-feira, quando surgiu a informação sobre a possibilidade do ex-craque deixar o cargo. No entanto, o próprio treinador tratou de desmentir a notícia. Ruggeri foi companheiro de Maradona na seleção argentina campeã do mundo no México, em 1986, assim como no vice-campeonato de 1990, na Itália.

Os jogadores convocados por Maradona para a sua estréia como técnico devem chegar em Glasgow entre domingo e segunda-feira, quando a seleção realizará o seu primeiro treinamento nas dependência do Celtic, clube local.

Na terça-feira, o plantel argentino fará um trabalho no estádio Hampden Park, local do jogo de quarta-feira. Maradona viajará com Grondona, Carlos Bilardo (diretor técnico de seleções), os ex-jogadores Miguel Angel Lemme e Alejandro Mancuso (auxiliares técnicos), Fernando Signorini (preparador físico), entre outros.



Escrito por fraja8 às 15h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Arsenal perde em casa e vê Manchester United assumir a 3ª posição

Arsenal's William Gallas and Aston Villa's Gabriel Agbonlahor
 
Do UOL Esporte
Em São Paulo
 
O Arsenal voltou a falhar em casa e deixou a terceira colocação do Campeonato Inglês. Após uma fraca apresentação, a equipe londrina foi surpreendida pelo Aston Villa e perdeu o duelo por 2 a 0, em pleno Emirates Stadium. E pior: foi ultrapassado pelo rival Manchester United na classificação da Premier League, graças a um show de Cristiano Ronaldo, autor de dois gols na goleada sobre o Stoke City (5 a 0).

Com o tropeço diante de sua torcida, a equipe do brasileiro Denilson estacionou em 23 pontos, um a menos que os Red Devils, que tem um jogo a mais para disputar. Não bastasse isso, Aston Villa também contabiliza 23, mas tem saldo de gols inferior ao do Arsenal.

A equipe treinada por Arsène Wenger sabia que não poderia fracassar em casa. Primeiro, o Liverpool, horas antes, havia vencido e chegado aos 32 pontos. Depois, sabia que o Manchester United tinha um rival teoricamente mais fácil. Dentro de campo, porém, o Arsenal mostrou muitos erros e foi dominado em boa parte da partida.

Para se ter idéia, deu apenas um chute ao gol em todo o primeiro tempo, com Fabregas. De resto, os visitantes do Aston Villa chegaram com mais perigo (foram seis finalizações certas na etapa inicial) e só não foram para o intervalo em vantagem por causa de um dia inspirado do goleiro Almunia.

O espanhol fez, ao menos, três grandes defesas nos primeiros 45 minutos. Na principal, ele defendeu pênalti batido por Ashley Young, aos 18min. O Arsenal não encontrava espaços para sequer trocar passes. Seus principais jogadores, como Fabregas e o rápido Walcott, foram praticamente anulados.

Esse panorama não mudou no segundo tempo. Os donos da casa demonstravam nervosismo. Já o Aston Villa, nitidamente mais tranqüilo, continuava criando as principais chances. De tanto insistir, foi premiado com seu gol. Esse melhor momento foi premiado com seu gol.

Aos 25min, Ashley Young cruzou para a área. Chichy tentou afastar, mas fez contra. A partir daí, o Arsenal não se encontrou mais em campo. Não bastasse isso, os rivais ampliarem apenas dez minutos mais tarde. O atacante Agbonlahor aproveitou chute de seu sistema defensivo e bateu forte, sem defesa para Almunia. 2 a 0.


Escrito por fraja8 às 15h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Giovanni é 1ª contratação de Rivaldo como presidente do Mogi

Arquivo/Folha Imagem
 
Do UOL Esporte
Em São Paulo
 
Depois de assumir a presidência do Mogi Mirim mês passado, mesmo ainda atuando como jogador pelo Bundyodkor, do Uzbequistão, Rivaldo fez sua primeira contratação visando a temporada 2009. E foi um velho conhecido. O time do interior do estado de São Paulo anunciou o experiente meio-campista Giovanni, ex-Santos, Barcelona e Olympiakos

Aos 36 anos, Giovanni volta a jogar no futebol paulista, depois uma frustrada passagem pelo Santos em 2005. Mas foi no clube da Baixada Santista que ele despontou para o futebol, dez anos antes, depois de sua destacada temporada de 1995, que acabou com o vice-campeonato brasileiro daquele ano. O Botafogo acabou como campeão.

Giovanni jogou com Rivaldo durante três temporadas no Barcelona da Espanha, de 1996 a 1999. Depois, antes de voltar para o Santos, o meio-campista atuou pelo Olympiakos da Grécia, onde também atuou junto do presidente de seu novo clube. Os dois jogadores também disputaram a Copa do Mundo na França em 1998.

O clube do interior conquistou o acesso para a primeira divisão do Campeonato Paulista nesta temporada. "Pelo seu passado, pelo seu comportamento, pela sua liderança positiva e pela sua experiência, Giovanni vai contribuir e muito com este Mogi Mirim que está sendo montado para 2009", explicou o diretor do time Cléber Américo.

A apresentação oficial de Giovanni ao Mogi Mirim e o início de sua preparação só acontecerão daqui duas semanas.



Escrito por fraja8 às 15h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




'Davydenko vai vencer', prevê Murray

Agência/Getty Images

Escocês acredita que físico do russo vai prevalecer em Xangai

Nikolay Davydenko vai superar Novak Djokovic e conquistar o título da Masters Cup, em Xangai. A previsão é do escocês Andy Murray, número 4 do mundo, que foi superado nas semifinais deste sábado pelo próprio tenista russo.

- Davydenko vai vencer. Djokovic fez uma partida longa hoje. Davydenko provavelmente vai estar mais descansado. Acho que isso vai fazer uma grande diferença - avaliou o escocês após sua eliminação em Xangai.

Murray, que ficou 3h01m em quadra para superar Roger Federer, não conseguiu se recuperar e não ofereceu resistência a Davydenko, que o superou por 2 sets a 0 em 1h39m.

A vitória de Djokovic neste sábado foi muito mais suada. Ele precisou de três sets e 2h51m para eliminar o francês Gilles Simon, número 9 do mundo.

Se Murray prevê vitória de Davydenko, o próprio russo, por outro lado, não se mostra tão otimista.

- Djokovic chega mais confiante à final. Não vi uma grande partida dele hoje. Ele foi ótimo em alguns momentos, mas não em todo o jogo. Talvez por isso eu tenha chance amanhã (domingo), mas é diferente. É uma final. Acho que vai ganhar quem estiver melhor fisicamente e não tão nervoso - disse.



Escrito por fraja8 às 15h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Com show do ex-craque Júnior, seleção carioca de beach soccer goleia Macaé

Agência/Divulgação

Partida disputada em Copacabana serviu como preparação para o Campeonato Brasileiro, que começa no dia 25, no Maranhão

Na areia de Copacabana, a seleção carioca de beach soccer confirmou que é uma das favoritas para o Campeonato Brasileiro, que começa no dia 25, no Maranhão. Com o reforço do craque Júnior, ex-Flamengo, a equipe goleou a jovem seleção de Macaé por 12 a 2 neste sábado.Júnior Negão, Sidney, Daniel e o português Madjer foram os artilheiros, com dois gols cada.

 

Quer concorrer a uma camisa da seleção brasileira de beach soccer autografada pelo Júnior Negão? Clique aqui e saiba como!

 

No blog do Júnior Negão, confira todas as novidades do Beach Soccer!

Um dos precursores do beach soccer, Júnior foi convidado para o amistoso e encantou o público na praia de Copacabana. Com jogadas de habilidade, ele fez um gol e arrancou aplausos da torcida e até dos adversários. A partida também serviu para comemorar os 10 anos do último título do Rio de Janeiro na competição nacional, em 1998.

O jogo teve quatro tempos de 12 minutos, e o técnico do Rio, Alexandre Soares, usou todos os jogadores que viajarão na sexta-feira para a disputa do Brasileiro. O único poupado foi o atacante Neném, com dores na coxa direita. O português Madjer mostrou bom entrosamento com o grupo e aproveitou para tietar o ídolo Júnior .

- Tudo o que eu sei no beach soccer, aprendi vendo o Júnior jogar. Além de ser um craque com a bola no pé, é um dos maiores incentivadores do esporte e por isso tem todo o meu respeito e admiração – afirmou Madjer.



Escrito por fraja8 às 15h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Com bela atuação de Cristiano Ronaldo, Manchester detona ‘canarinho’ inglês

Sem dificuldades, Red Devils derrotam o Stoke City

O Brasil que se cuide. Com bela atuação do português Cristiano Ronaldo, que estará em campo na próxima quarta-feira no amistoso contra o time de Dunga, o Manchester United atropelou o Stoke City por 5 a 0, neste sábado, em jogo válido pela 13ª rodada do Campeonato Inglês. O lado curioso é que o uniforme do adversário é amarelo e semelhante ao usado pela seleção brasileira

Agência/Reuters

Com precisão, Cristiano Ronaldo cobra a falta que abriu o placar em Old Trafford


Com o resultado, os Diabos Vermelhos chegou aos 24 pontos, tomando o terceiro lugar do Arsenal que, em casa, perdeu por 2 a 0 para o Aston Villa.

Mostrando que não estava de brincadeira, o Manchester, escalado com trio de ataque formado por Tevez, Cristiano Ronaldo e Berbatov (Rooney foi poupado por Alex Ferguson), começou a partida a mil por hora. Logo aos três minutos, Cristiano Ronaldo, em um cobrança de falta cheia de efeito, abriu o placar em Old Trafford.

Inspirado e jogando mais recuado, Cristiano Ronaldo seguia criando boas oportunidades. No entanto, Berbatov e Tevez desperdiçavam na frente. Aos 38, Cresswell, cansado de levar dribles, acerta o tornozelo do ‘gajo’. O craque reclama bastante da falta e também das dores. 

Agência/Reuters

Aos 45, Cristiano Ronaldo aprontou mais uma. Após bela jogada individual, o meia-atacante deu passe preciso para o volante Carrick ampliar para os Diabos.

Golaço de Berbatov

Se não estava com a pontaria calibrada na primeira etapa, o atacante Berbatov mostrou o velho faro de artilheiro no segundo tempo. Após passe de Tevez, o búlgaro, de voleio, estufou as redes de Soresen.

Com a vitória praticamente garantida, o Manchester passou a tocar mais a bola e o técnico Alex Ferguson aproveitou o jogo tranqüilo para lançar a campo jovens valores dos Red Devils como Manucho, Gibson e Welbeck. Esse último, por sinal, agarrou a oportunidade e fez o quarto gol da partida aos 39 minutos. Aos 44, Cristiano Ronaldo, endiabrado, fechou o caixão do Stoke. Agora é torcer para que o 'gajo' não repita a atuação deste sábado na próxima quarta-feira em Brasília...



Escrito por fraja8 às 15h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ole - Cada dia te quiero mas

"Mi campeonato con Diego ya está ganado"

¿Qué es ser leal a Maradona?

-Uno debe ser leal en la vida, no sólo con Diego. Con tu mujer, tu socio, tu familia... Para andar derecho tenés que ser leal. Pero estar con Diego no es decir a todo que sí. Es charlar, intercambiar opiniones. Hace tres años que hablamos casi todos los días. Hemos pasado días difíciles, pero gracias a Dios Diego está en un momento brillante. Nos unió el fútbol, los dos moriremos futbolistas.

-Hasta se despidieron de la Selección el mismo día, contra Nigeria, en el 94.

-La última pared que tiró Diego en el Mundial fue conmigo. Me rebota en el pie y casi entra al lado del palo... Ahí teníamos una relación muy buena, pero la afirmamos ahora. Nos volvimos a ver jugando al fútbol en la quinta de Zidar (ex dirigente de Boca). Fue cuando él se operó, luego apareció el showbol... Siempre intenté meterlo en el fútbol, devolverle las ganas de jugar. Por eso cuando el miércoles a las dos de la mañana me llamó para confirmar que sería su ayudante, no pude dormir. Me pone feliz que sea mi jefe en la Selección.

-¿Sos su contención?

-La contención es mutua. Lo encontré en situaciones en las que necesitaba apoyo, una palabra de aliento o tomar un mate y conversar. Yo me doy cuenta. Lo siento. Cuándo está feliz, cuándo está ansioso o nervioso.

-¿Se le puede decir "estás equivocado"?

-Tuvimos charlas en las que no coincidíamos. Es una relación normal. Son dos ojos más que tiene Diego, dos oídos más y otra cabeza para pensar. Toda la gente que está a su alrededor tiene que manejar su estado de ánimo. Si está bajo, levantarlo. Necesitamos a Diego auténtico. Porque si él está allá arriba, todo camina bien.

-¿Cuándo te convocó?

-Se fue dando. "Si me necesitás, yo voy a estar. Y si no me necesitás, está todo bien", le dije. Mi campeonato con Diego ya está ganado. Va más allá de la Selección: hubo un compromiso de vida. Hoy está espléndido. Con verlo así estoy hecho. Aunque no voy a mentir: compartir este momento, después de todas las cosas que pasamos, es único. Cuando arrancamos con el Showbol, sabíamos que esto iba a llegar.

-¿En serio?

-Sólo nos faltaba saber cuándo. Diego se preparó, en la última etapa hacía charlas... Le llega en el momento justo. Está más tranquilo, más distendido, encontró la estabilidad. Hay que acompañarlo en el minuto a minuto, porque ser Maradona es muy difícil. Está escrito en el libro de su vida, como él dice. Le tocó en el momento que le tenía que tocar. Si era tres años antes, por ahí no estaba preparado. Y dentro de dos, quizá era tarde.

-¿En el libro de Maradona está salir campeón del mundo como técnico?

-Sí, olvidate: él lo siente. Va querer ganar el Mundial desde el partido con Escocia. El no irá a ver qué pasa a Sudáfrica. Diego arranca con el acelerador a fondo.

-¿Hay un método Diego?

-Esto es la Selección. Primero, Diego va a querer transmitir sus vivencias y explotar el máximo de cada jugador. Lo que más me sorprende de él es todo lo que sabe de los futbolistas. Ponele cualquier partido y empieza a decirte quién es cada uno. Le encanta hablar de táctica. Y estando con Bilardo es imposible no ver videos, pero Diego se adapta bien.

-¿Cómo debe ser el vestuario de la Selección?

-Nunca te podés relajar. Cuando Diego defiende el país es tremendo, está ansioso, con ganas de salir a luchar. Me imagino un vestuario encendido. Y conscientes de que la Selección es una potencia mundial.

-Ahora el técnico será el ídolo de sus dirigidos.

-Es muy fuerte, ¿no? Son todos jugadores que con 20 ó 22 años son estrellas de sus equipos. ¿Qué otro les puede hablar que no sea Maradona?

-Es que si un jugador le pierde el respeto al DT...

-Te tenés que ir, automáticamente.

-¿Cómo lo viste en el caso Ruggeri-Grondona?

-Bien. Pensó que tenía que trabajar con un grupo de gente, lo nombró y nada más. Luego, en todo el lío que se armó, no participó.

-¿Lo golpeó el no a Ruggeri?

-Yo creo que las chances pueden estar. Diego no está golpeado. Conociéndolo, sé que va a terminar con su gente. El lo necesita, es parte de su vida.

-¿En qué coinciden y en qué se diferencian al hablar de fútbol?

-No nos gusta perder a nada. Diego es un enfermo por ganar. Juega al truco o al tenis y te quiere ganar. Y tácticamente, siempre fue un jugador habilidoso, su visión es que el jugador agarre la pelota y juegue bien al fútbol. Con orden, sin descuidar la pelota parada, pero por sobre todas las cosas, con creatividad.

-¿Imáginás un equipo parado 4-3-3 ó con un enganche y dos puntas?

-Imagino un equipo ofensivo, pero consciente de que no tenés que regalar nada. Hoy los partidos se ganan en el detalle. Sus equipos van a jugar bien al fútbol porque él lo siente así.

-¿A partir este partido ya se puede ver un cambio?

-Sí. Conociéndolo a Diego, va a querer imponer su sello, su carácter ya.

-¿Cuál es su sello?

-Como era Diego: un equipo agresivo cuando tenga la pelota, atrevido. En Escocia ya hay una gran movida, récord de prensa. La Selección se va a jerarquizar con él. Ya hablamos de lo increíble que será el primer partido de local, su entrada al Monumental... Todo eso lo genera Maradona.

-¿Le gusta un equipo con pausa o con vértigo?

-Cuando tenés la pelota, le gusta tenerla, cuidarla. No le gustan los equipos que la dividen, que van y vienen... Se vuelve loco.

-¿En qué escuela futbolística te formaste?

-Crecí mucho cuando pasé por Brasil. Me abrió la cabeza. Muchos creen que al brasilero le da lo mismo ganar o perder. ¡Mentira! Mueren por ganar. Me tocó estar cerca de Romario, que es lo máximo que vi después de Maradona. Es pillo, atorrante, mete el potrero... Todos te hacen crecer. También tuve a Menotti en Boca e Independiente, Basile en la Selección, el Bambino en un Vélez muy bueno. De todos saqué algo. Acá lo importante es colaborar, ser positivo, ir para adelante. Si lo tenemos bien a Diego, la Selección irá tranquila.

-Se te nota enchufado.

-Me encantó que me haya llamado. Pero si no me llamaba, iba a estar igual. Repito: mi campeonato interno con Diego ya lo gané. Está en donde nos propusimos.


El hombre del control remoto

Mancuso tiene el control remoto de Maradona. Es quien mejor lee sus estados de ánimo. Utilizando sus palabras, percibe cuándo Diego está arriba, cuándo baja, o cuándo hay que meterle acelerador. Y sabe cómo modificar su humor. Sus tres años casi de convivencia, sus charlas con pocos testigos y su andar pensante le permitieron integrar el pequeño círculo de confianza. Hasta inventó un juego, el showbol, para que el Diez se sintiera Diez de nuevo.
De perfil bajo, Mancuso cree que está para ayudar. No quería dar entrevistas, al punto que aceptó sólo por su interés en que se sepa lo bien que está su amigo. Y posó a pedido con el cuadro de una foto con Diego. Allí tiene lo que todo futbolero soñó: una cancha de fútbol impecable en la que los martes siempre se aparecía Diego. Pero no ostenta. Hay un plasma, un teléfono que no para de sonar. Todo a la vista. Todo, salvo el control remoto.



Escrito por fraja8 às 14h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Após agressão, Luxemburgo não comparece ao treino do Palmeiras

 
São Paulo (SP) - Depois de ser agredido por membros da torcida organizada do Palmeiras nessa sexta-feira , o técnico Vanderlei Luxemburgo decidiu se resguardar. O comandante palestrino não compareceu ao treinamento do elenco na manhã deste sábado e preferiu ficar no hotel no qual a delegação alviverde está hospedada no Rio de Janeiro.

Luxemburgo também não quis dar declarações à imprensa sobre a falta ao coletivo. Quando falou com os jornalistas sobre a agressão, na noite de sexta, o técnico mostrou escoriações e afirmou que foi necessário a proteção de alguns policiais para defendê-lo dos agressores.

Com isto, o comandante prestou queixa à polícia e espera as imagens da vigilância interna do aeroporto de Congonhas para identificar os agressores.

O Palmeiras viajou ao Rio de Janeiro para o confronto contra o Flamengo neste domingo pelo Campeonato Brasileiro. As duas equipes entram em campo às 17 horas no Maracanã.


Rapidinhas do Verdão

São Paulo (SP) - Segredo total: Pouco antes do fim do treino secreto desta sexta-feira, os seguranças da Academia abriram os portões somente para os carros e com uma condição: os veículos deveriam ter apenas seus motoristas e estacionados longe dos campos, deixando os jornalistas de fora. Caso o repórter, fotógrafo ou cinegrafista guiasse seu próprio carro, era obrigado a atravessar os portões e seguir do lado de fora à espera do encerramento dos trabalhos de Luxemburgo.

Casa vazia: O Palmeiras trabalhou durante toda a semana à espera de um Maracanã cheio no domingo. Mas, ao que parece, os flamenguistas já não confiam tanto no time de Caio Júnior. As vendas de ingressos foram encerradas nesta sexta-feira e somente 21.333 dos 68.680 bilhetes à disposição foram adquiridos.

Alívio com trio: Na derrota para o Grêmio, o Palmeiras não pôde contar com Diego Souza e Kléber, ambos suspensos. Contra o Flamengo, porém, os dois voltam a compor com Alex Mineiro o setor ofensivo que é a maior aposta de Luxa. Para alívio até de seus componentes. “É importante jogarmos os três juntos. Não porque os outros não têm qualidade, mas nós estamos entrosados, nos conhecemos um pouco mais, e nada melhor do que usar isso em um jogo decisivo”, comemora Diego Souza.

Confusão com Marcos é passado: Um dos mais experientes do elenco, Roque Júnior endossou o coro de tranqüilidade após o perdão de Luxemburgo a Marcos por suas subidas ao ataque no domingo. “Ele errou e assumiu o erro. As especulações que acontecem fora são normais, mas entre nós está tudo resolvido e é isso que importa. Se não resolvesse é que seria um problema”, aponta o zagueiro. “Agora, nada melhor que uma vitória para apagar tudo”.

De olho no título individual: Além de manter o Verdão na briga pelo título brasileiro, Diego Souza ainda sonha em ganhar o prêmio da CBF como melhor meia do Brasileiro. Por isso, quer ‘arrebentar’ na “decisão” contra o Flamengo. “São nestes jogos que aparecem os grandes jogadores. Estou bem preparado, tive duas semanas para me preparar só para esse jogo. Queria jogar contra o Grêmio, mas agora estou com o pensamento de ajudar o Palmeiras e batalhar pelas vitórias”, afirma o camisa 7.



Escrito por fraja8 às 14h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Kanaan trabalha por “ano de mais sucesso” em 2009

 
Cotia (SP) - Campeão da temporada 2004 da IRL, o baiano Tony Kanaan não vê a hora de revalidar o título. De olho neste objetivo na próxima temporada, o piloto passou por um sacrifício nesta última semana, fazendo o vôo Miami-São Paulo duas vezes desde o último sábado. Tudo para conciliar um treino de última hora com a Andretti-Green com os preparatórios para as 500 Milhas da Granja Viana, evento festivo de kart promovido por Felipe Massa.

“A equipe sempre é a prioridade, pois é meu trabalho e, com esse teste, eu tive que dormir duas noites no avião nos últimos quatro dias”, comentou o piloto, solicitado pela escuderia para avaliar e melhorar o desempenho da equipe em circuitos mistos, principalmente, após a prova extracampeonato disputada da Austrália, no final de outubro.

Em 2008, Kanaan foi o terceiro colocado na IndyCar Series, conseguindo apenas uma vitória nas 17 etapas que valeram pontos para o campeonato. “Foi um ano bom, mas poderia ter sido melhor. Já estamos trabalhando para que 2009 seja de mais sucesso”, comentou o piloto, que foi o competidor que mais liderou voltas este ano na categoria. “Fiquei surpreso, isso quer dizer que a gente andou bem. Mas acho que, na finalização para ganhar corridas, a gente não foi muito feliz”, admitiu.

O brasileiro ressalta a sua regularidade na categoria. “Nos últimos quatro anos, eu acabei entre os três primeiros em todos os anos. Só que, em uma categoria tão competitiva como a Indy, não dá para ganhar todos os anos”, resigna-se Tony, que tem um filho de pouco mais de um ano de idade, Leonardo. “Estou acelerando até mais depois que ele nasceu, afinal tenho que pagar as fraldas dele”, brincou.

Castro Neves - Em 2009, Kanaan pode perder um compatriota ao lado no grid. Duas vezes vencedor das tradicionais 500 Milhas de Indianápolis, Helio Castro Neves responde a acusações de evasão de divisas e sonegação de impostos nos Estados Unidos e pode pegar até 35 anos de prisão. O julgamento está marcado para o dia 02 de março.

“Faz tempo que eu não o vejo. Com todos os problemas, ele deu uma afastada e eu também ando super ocupado. Porém, desejo tudo de bom para e espero que dê tudo certo para ele”, limitou-se a dizer o baiano.

Granja Viana - Neste final de semana, Tony unirá-se mais uma vez ao amigo Rubens Barrichello, com quem conquistou sete das 11 edições já disputadas da 500 Milhas da Granja Viana. Nesta sexta-feira, ele classificou o kart de sua equipe para a pole-position da prova, que começa às 13 horas (horário de Brasília) deste sábado.

“Temos chance como em todos os anos que a gente correu, mas depende de muita coisa, como a sorte. Garanto que, dos sete títulos, a gente teve o melhor kart em apenas um deles. No resto, valeu a experiência”, avaliou Kanaan, lembrando que com a novidade de a largada ser realizada de dia em 2008 o calor proporcionará um desgaste maior dos materiais, o que pode ser decisivo na disputa.



Escrito por fraja8 às 14h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Blog do Mauro Cezar


Política altera distribuição/venda de ingressos para ver a Seleção da CBF. Preços vão de R$ 180 a R$ 250

Eram 9.860 dos 19.358 ingressos apenas para os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Mais de um terço destinado às “autoridades”. Pegou mal e os políticos e cartolas mudaram a distribuição/venda dos bilhetes para o amistoso Brasil e Portugal, na quarta-feira, no Gama, Distrito Federal.
Cerca de 2,5 mil foram tirados dos vips e colocados à venda. Assim, para os mortais, os 9.498 ingressos viraram cerca de 12 mil. Mas ainda assim destinados a um grupo específico, os endinheirados e/ou malucos, afinal, os preços vão de R$ 180 a R$ 250. Você pagaria tanto para ver o cotejo?
Mas o clientelismo é marca registrada na política nacional, e trata-se de um evento político-desportivo, como qualquer jogo da seleção da CBF em Terras Brasilis. Assim, os cartolas e governantes decidiram sortear 2 mil tíquetes entre os pobres mortais, os moradores do Gama.
Outros 500 ingressos serão entregues aos operários que trabalharam na construção do novo estádio, que em 2009 deverá receber jogos do campeonato brasileiro… da Série C. Mais uma obra paga por nós, contribuintes, acostumados a bancar Pans e Copas… Brasil-il-il-il-il!!!!

 

O Engenhão vale a pena para o Botafogo?

Bebeto de Freitas já deixou o seu nome na história do Botafogo. Não fosse seu engajamento à frente do clube em crise e então rebaixado à segunda divisão, certamente os alvinegros hoje estariam em situação desesperadora.
A estrela solitária tem dívidas, e enfrenta dificuldades para honrar seus compromissos. São dois meses de salários atrasados que voltarão a ser três em alguns dias, admite o próprio presidente. A ponto de Carlos Alberto deixar o clube, e com razão.
Na tarde desta quinta-feira, conversei com o repórter Cícero Mello antes e depois da entrevista que fez com Bebeto. E ele me informou que, ao perguntar sobre o peso do Engenhão no orçamento, não obteve resposta.

Foto divulgação

À noite, no Bate-Bola segunda edição, estive ao lado de Eduardo Elias e Flávio Gomes. Falamos sobre a crise alvinegra depois que foi apresentado trecho da entrevista feita pelo Cícero. Comentamos, entre outras coisas, sobre o estádio e sua influência no orçamento do clube.
Bebeto acompanhava o programa e ligou para a ESPN Brasil. Ao vivo, por telefone, questionou nossos comentários, mas não respondeu à minha pergunta: o Engenhão dá lucro ou prejuízo ao Botafogo? — clique aqui para ouvir. Já que nem o presidente esclarece tal ponto, a dúvida continua.
Tal postura de Bebeto alimenta boatos e especulações sobre o peso da obra construída para o Pan 2007 no orçamento botafoguense. Quanto custa a manutenção do estádio que leva o nome de João Havelange? As receitas nele arrecadadas cobrem quanto dessa despesa?
As explicações de Bebeto de Freitas são pertinentes. É compreensível que a crise econômica mundial interfira na captação de recursos para o cumprimento dos compromissos alvinegros. Mas isso não impede que, se deficitário, o Engenhão atrapalhe mais do que ajude os botafoguenses.
Ficamos, todos, à espera da resposta que não veio. Embora o presidente não goste, o Botafogo ganhou, sim, um estádio caríssimo, construído com dinheiro público. Dentro da lei, numa licitação correta, mas ganhou o estádio na administração César Maia. Terá sido um presente de grego?



Escrito por fraja8 às 14h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Blog do Calçade

Caio Werneck sonha em jogar na Roma

“Profissional” aos 9 anos?

Até que ponto um garoto de nove anos deve viver em função de uma possível carreira como jogador de futebol? É correto uma criança trocar as delícias da infância por recomendações da comissão técnica?

Caio Werneck, 9 anos, mora com a mãe na Itália e treina na Roma. Matérias publicadas pelo Estadão e pelo Globo mostram como o menino convive com a expectativa de se tornar um grande jogador de futebol.

Diferentemente da maioria dos garotos que deixam o Brasil para mergulhar no mundo da bola, Caio não representa a esperança de um futuro melhor para a família. Ele está ao lado da mãe e parece gostar da vida de futuro boleiro, dentro da estrutura “profissional” já vivenciada no clube italiano.

A história de Caio é interessante porque nos remete a muitas outras dentro do esporte. Vários tenistas foram tão pressionados pelos pais na infância que não conseguiram se tornar profissionais.

Mais: uma criança deve vivenciar o esporte sem as amarras da tática, dos treinamentos tecnicistas. O esporte deve ser um prazer, uma atividade lúdica, onde não existem zagueiros, meias, laterais ou sistemas táticos. Aos 9 anos, o futebol deveria ser uma diversão, uma brincadeira.

Veja a matéria publicada pelo Estadão:

 

BRINCADEIRA ACABOU CEDO PARA CAIO

Bancado pelo pai, menino treina e se comporta como

profissional na Roma. Seu sonho? A seleção

 

O mais novo integrante da legião de brasileiros em atividade no futebol europeu não ganha salário, sonha virar popstar e, o mais incrível, tem só 9 anos de vida. Caio Werneck é outro talento precoce a trocar os campos do País pelo exterior em busca de um sucesso incerto. Sua história, no entanto, não é atípica somente pela pouca idade.

Ao contrário da maioria dos meninos que tenta a sorte nos gramados mundo afora, Caio nasceu em berço de ouro. Seu pai, ex-jogador de futebol de pouco destaque, é dono de transportadora e de posto de gasolina em Juiz de Fora (MG), onde mora e mantém os negócios.

Israel Werneck banca a estada do filho na Itália, onde mora com a mãe, Alessandra. Até completar 14 anos o menino não pode assinar contrato com a Roma, clube pelo qual treina. Portanto, não recebe nenhum centavo. O pai só não paga hospedagem porque tem um apartamento na capital italiana.

Há dez anos, Israel visita Roma com freqüência. Tem amigos lá, como o ex-zagueiro Aldair e o treinador das categorias de base do time romano, Ricardo Perlingeiro. Diz ter criado esse vínculo quando atuou num time da Terceira Divisão do futebol italiano, mas nega que isso tenha influenciado na “contratação” de Caio.

O garoto foi pinçado numa clínica de futebol promovida pelo clube italiano, em junho, em Petrópolis, na região serrana do Rio. “Ele realmente é bom de bola”, disse o pai coruja, que já levou muitos garotos para fazer teste na Roma. A maioria não vingou e voltou para casa.

Caio já incorporou o jeito boleiro. De boné branco, tênis da moda, calção e casaco da Roma, desembarcou ontem no Rio para passar férias até janeiro. Trouxe na mala uma série de recomendações da comissão técnica. Terá de controlar a alimentação e manter a preparação física para não perder a forma.

Parece até profissional. “Uma vez o treinador me tirou de um jogo: eu não estava correndo”, contou. Caio até hoje se lembra do dia em que o meia Totti, craque da Roma, lhe deu um tchau. Não se esquece também da convivência com os brasileiros Julio Baptista, Taddei, Cicinho, Juan e Doni.

“Eles são legais”, disse o menino, que passou a exercer a função de zagueiro na Itália - era meia-atacante no Brasil - e já sentiu na pele a diferença de estilo de jogo. “Olha a marca roxa (na altura da barriga)”, mostrou ao pai, levantando a camisa.

Israel notou que o filho emagreceu. Estava, segundo ele, com “a barriguinha” menor. A mãe Alessandra confirmou: “Deve ter perdido uns 5 quilos.”

Com a vida regrada, veio também a expectativa de Caio tornar-se um fenômeno da bola. O garoto já sonha em chegar à seleção brasileira - e só é contido pelo seu maior conselheiro. “Já vi muitos Zicos e Maradonas não chegarem a lugar nenhum”, explicou Israel. “Falo sempre: ?Ô Caio, vamos devagar?. Ele está feliz e nem pensa em jogar fora da Europa.”

OPORTUNIDADE CARA

Mais Caios podem surgir em breve. A Roma vai realizar a segunda clínica de futebol no Brasil em dezembro, entre os dias 14 e 20, em Barra do Piraí, a 110 quilômetros do Rio. E já planeja fazer a terceira edição no ano que vem, em São Paulo. O preço por inscrição é de R$ 1.650.



Escrito por fraja8 às 13h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BLOG DO PVC


O ENGENHÃO E A CRISE

O Engenhão não está dando lucro. Isso é ponto definitivo, por mais que o presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, prefira não dizer isso com todas as letras. E deveria dizer simplesmente quanto o clube gasta e quanto embolsa com a administração do estádio. Uma das razões para não evidenciar esses números é político. Dia 27, haverá eleição em General Severiano.

Mas, a partir daí, pode começar a reflexão sobre a vida do Botafogo. Reflexão que inclui o Engenhão.

O estádio não agrava a crise do clube.

Bebeto espera a liberação de uma área nos fundos do estádio, para começar a alugar os galpões que existem no local. E, assim, aumentar a margem de lucro no ano que vem. A área não está liberada por entraves burocráticos. A liberação, em 2009, pode representar novas receitas.

O ponto é que a crise do Botafogo não é causada pelo Engenhão. O Botafogo não deixa de pagar salários, por causa dos custos do Engenhão. O estádio não agrava a crise do clube.

Por enquanto, não a atenua, mas os dirigentes - inclusive o futuro presidente, Maurício Assumpção - julgam que a perspectiva é que atenue a médio prazo.

Há uma confusão entre o que o Engenhão representa para a Prefeitura do Rio e o que representa para o Botafogo. Melhor seria que o estádio fosse construído com dinheiro da iniciativa privada.

Mas aí vamos discutir todos os descuidos e descasos do Pan 2007, não o Botafogo.

Uma vez construído com dinheiro público, melhor é deixar a administração para a iniciativa privada. É de se discutir se a licitação deveria permitir ao vencedor pagar apenas 32 mil reais de aluguel. De novo, a crítica deve cair no poder público.

Quanto ao Botafogo, o Engenhão seria um clube quase sem perspectiva. Com ele, tem futuro um pouco mais promissor.



Escrito por fraja8 às 13h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Muricy retribui elogios de Mano e lembra do tempo em que eram vizinhos no Sul

Nelson Coelho/Diário de SP/Agência Globo

Dupla de técnicos morava no mesmo prédio em Porto Alegre em 2005

Carolina Elustondo São Paulo

Mano Menezes apontou Muricy Ramalho como o melhor técnico do Brasil. O treinador do São Paulo não demorou a retribuir os elogios do comandante do Corinthians . A dupla, aliás, tem mais do que a profissão em comum. Os dois foram vizinhos na época em que Muricy comandava o Internacional e Mano dirigia o Grêmio , em 2005.

- Temos uma amizade boa. Morávamos no mesmo flat, embora o pessoal do Sul achasse que técnicos de Inter e Grêmio não pudessem conviver. Era possível porque eles não entravam no nosso flat (risos). Sempre almoçávamos juntos - relembra Muricy.

Depois das lembranças, o treinador são-paulino também elogiou a competência do comandante corintiano, que acabou de voltar à Primeira Divisão com o Timão. Mano já havia conseguido o feito com o Grêmio, que subiu para o Brasileiro de 2006 da Primeira Divisão.

- O Mano é um grande profissional, trouxe o Corinthians de volta e vai desenvolver um grande trabalho na próxima temporada porque é competente. É bom ouvir elogios dele - agradece Muricy. 



Escrito por fraja8 às 13h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Escrito por fraja8 às 13h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




São Paulo recebe o Campeonato Mundial de futebol estilo livre

a/Divulgação

Evento será disputado no estádio do Pacaembu entre segunda e terça-feira. Brasileiro concorre com 43 adversários

A cidade de São Paulo será sede do primeiro Campeonato Mundial de futebol “freestyle” (estilo livre). O torneio será realizado entre segunda e terça-feira, no estádio do Pacaembu com um total de 44 participantes de diferentes países, entre eles o representante brasileiro, Murilo Pitol, de 17 anos, que chegou à capital paulista na noite desta sexta-feira. A idéia é escolher o jogador mais habilidoso do mundo.

Vence quem melhor convencer os jurados com seus malabarismos com a bola. E os membros do júri serão o ex-atacante Bebeto, o jogador de futsal Falcão e o jogador holandês Edgard Davids. Além deles, o dançarino americano Crazy Legs formará a bancada. Na decisão, um quinto voto dos atletas eliminados na fase anterior será computado.

Cada disputa consiste em três minutos de confronto entre dois jogadores numa arena circular. A cada 20 segundos, eles passam a bola para o outro para que todos tenham o mesmo tempo para mostrar suas habilidades. Na segunda-feira, das 9h às 18h, ocorre a primeira fase, quando os 44 participantes serão reduzidos a 16 finalistas. Na terça, a decisão será às 20h. Quem superar todos os adversários será o campeão.

- Treinei muito para dar o meu melhor e vencer os gringos - diz o brasileiro Murilo Pitol, morador do Espírito Santo, e ganhador da eliminatória nacional, disputada em Recife.

Quem quiser assistir aos duelos precisa trocar três quilos de alimento não-perecível na loja Adidas da rua Oscar Freire, 1057, na capital paulista. São 1.500 lugares disponíveis na arena.



Escrito por fraja8 às 13h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




NFL’s new four-year loan comes at interesting time in labor situation

The NFL rolled its $1.4 billion credit line into a four-year term loan, meaning that unless the deal is refinanced, the league will have to pay back $350 million in 2011, the year the sport could be locking out its players, and the remainder of the loan in 2012.

The deal’s structure could also mean that some teams, in anticipation of the principal payments, could begin setting aside cash by 2010, the year there would be no salary cap if the league’s labor deal were not renewed before that season.

“Our No. 1 priority was to have certainty of financing during uncertain times at a price acceptable to us,” said NFL Chief Financial Officer Anthony Noto, of the league’s move.

Noto declined to comment on any implications the financing had on the labor situation.

The NFL’s credit facility came up for renewal on Oct. 31. Roughly half the league’s teams borrow from the loan pool, which by collectively bundling the league’s credit, allows the clubs to tap cheaper loans than they otherwise would have.

Under normal circumstances, the league would have just refinanced the deal, as it does most years. The ongoing turmoil of the financial markets, however, created a different situation.

While the sport could have refinanced, sources said, it chose instead to allow the loan pool to “term out,” meaning the existing debt transformed into the loan. Under conditions of a term-out, the loan will typically amortize quickly. The NFL, because of its strong credit standing, has a more lenient amortization schedule in that the first principal payments are not due until 2011, giving the league plenty of time to refinance.

The league could have borrowed at higher rates instead of terming out, but because the credit facility was arranged in better days, the term loan has rates that are at most 0.75 percent over the London Interbank Offered Rate, which was trading at 2.39 percent last week.

“It would be misleading to state we took the 4-year term option because we could not get the amount of money we wanted,” a league spokesman wrote in an e-mail.

The league does hope to refinance, and Fitch Ratings, in affirming its “A” grade on the debt, said it expected a new deal.

If the league does refinance at richer terms for the banks, the NFL Players Association is sure to hear about it. The league opted out of the collective-bargaining agreement in May, arguing the pact was too friendly for players. In making their case, the NFL — which through the league and its 32 teams has $9 billion of debt — has pointed to the upheaval in the credit markets as one reason the players should give back.

The union did not reply to a request for comment for this story, but in the past, it has asked the league to open its books to prove the CBA was squeezing the teams. So far, the league has refused to do so.

The NFL later this month also is expected to close another financing arrangement: a 10-year, $460 million loan at 6.11 percent. This deal would refinance bonds that are maturing, as well as add new debt to help teams transition from short-term to long-term interest funding, a source said.



Escrito por fraja8 às 13h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O’Neil to add 3 sales execs in effort to grow MSG Sports

After two months on the job, Madison Square Garden Sports President Scott O’Neil is putting his stamp on the organization with plans to hire three new top executives as O’Neil charts a course of aggressive growth to coincide with the renovation of the Garden.

O’Neil said he will hire two senior vice presidents and another vice president to help lead ticket and sponsorship sales across MSG Sports’ Knicks, Rangers and Liberty franchises. The new hires are additions to the staff and not replacements and are expected to be completed within a few weeks.

Currently, the New York Rangers have capped their season-ticket sales at 14,000, while the Knicks work to turn around their business after the past few disastrous seasons both on and off the court. O’Neil would not disclose the exact season-ticket base for the Knicks but said he expects to surpass 10,000 this season.

The Knicks’ renewal rate stands at about 85 percent, above the league’s 80 percent average.

In terms of corporate sales, MSG has 25 corporate partners who spend at least $1 million annually with both franchises, and one change under O’Neil has been to add value to some of MSG’s top spending partners. The Knicks are creating a “coach for a day program” for top sponsors who will tag along with Mike D’Antoni for a day. The team has set 10 dates for the program.

“D’Antoni couldn’t be more partner friendly,” O’Neil said.

While O’Neil beefs up MSG’s sales staff, he also is focusing on creating, acquiring or partnering with other sports-related properties. To date, MSG has looked at about 15 potential deals in and around New York, he said. “We are open for business and we have a mandate to grow the business,” he said.

O’Neil joined MSG Sports in mid-August and will help lead a $500 million renovation of the Garden, targeted for completion around the start of the 2011-12 NBA season. The renovation will more than double the size of the concourses around the facility to 100,000 square feet. It also will add new restaurants and a number of luxury suites and clubs, including one where the athletes would walk in and out of when entering or leaving the playing surface.

What is not yet certain is whether MSG will retain an agency to help sell what will be a raft of new inventory at the Garden. “We don’t know yet,” O’Neil said. “It’s too early and we are still in the planning phase.”



Escrito por fraja8 às 13h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




WBC expects higher ticket, retail sales numbers

By ERIC FISHER and TERRY LEFTON
 

The sales cycle for the 2009 World Baseball Classic is in full gear, with marked increases expected across all major revenue streams for the international tournament’s second edition.

Ticket sales have started for the 2009 event, set for March 5-23, with random drawings for the general public paired with pre-sale opportunities for season-ticket holders of the four MLB clubs that play in WBC host venues. General sales for the remaining tickets will begin Nov. 17 for the four first-round venues. Sales for the second-round, semifinal and championship games will begin Dec. 8.

Total attendance for the 39-game tournament is certain to surpass the 737,112 recorded for the inaugural event in 2006, as the 2009 version is playing in generally larger venues and now is an established event. Approaching 1 million in ticket sales is seen as a possibility.

“There’s a ton of excitement about this event, and for us, it really helps validate South Florida as a baseball market and why we went through so much to get a stadium deal,” said Florida Marlins President David Samson. The Marlins, hosting half of the second-round WBC games, are offering tournament tickets for those games to both Marlins and Miami Dolphins season-ticket holders as a separate purchase, with attendance of about 150,000 anticipated for the six scheduled Dolphin Stadium contests.

The renewal rate for Marlins season tickets is about 70 percent, some 20 percentage points higher than it normally would be at this time of year, Samson said. For a club that is believed to have the smallest season-ticket base in baseball, such sales lures are critical.

“Like everybody else, we went into the offseason concerned what kind of [sales] drop we might have because of the economy, but we’re up, and the WBC has definitely been a positive for us,” Samson said.

The other three MLB clubs playing host to WBC games are Toronto (first round), San Diego (second round) and the Los Angeles Dodgers (semifinals and final).

Advertising for the tournament, to be broadcast to 220 countries overall and domestically on ESPN and the fledgling MLB Network, will be handled by Grey Advertising and will break later this month.

On the sponsorship front, several packages have been sold on both a country-specific and global basis, though Paul Archey, MLB senior vice president for international business operations, declined to discuss specific countries.

Some sponsors, however, have purchased uniform patches. Industry sources said consumer electronics retailer Best Buy, which recently opened its first stores in Puerto Rico, is sponsoring that territory’s WBC squad and will have its logo on the team’s uniforms.

Merchandise such as these New Era
caps will hit the market by Dec. 1.

“Everyone in business is worried about the economy, but we’ve had such a good response from players, and our business partners are bullish,” Archey said. “Last time, we were out selling a concept. This time, people know what it is.”

Retailers drastically underestimated merchandise demand for the first WBC, so adjustments are being made this time around. WBC items will hit the market by Dec. 1, said Denis Nolan, newly installed as MLB vice president of international licensing. Champs, which has partnered with MLB on several initiatives including the annual Road Show merchandising effort at spring and summer music events, is once again a featured WBC retailer. Nolan said he is projecting at least a 15 percent increase in merchandise sale from the tournament over 2006.

MLB uniform rights holder Majestic Athletic will produce uniforms for all non-Asian teams, with New Era producing caps for those clubs. China, Japan, Korea and Chinese Taipei have their own deals.

Nike holds performance-wear rights for all 16 WBC teams.

“We see a lot of potential in this as fans learn what a unique event this is,” said New Era President Peter Augustine.



Escrito por fraja8 às 13h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Industry watches as Cowboys look for loan

By DANIEL KAPLAN

The Dallas Cowboys are seeking to borrow $350 million by Dec. 1, according to numerous finance sources, in one of the worst credit environments in the nation’s history.

The club’s proposed deal would refinance $126 million the team borrowed last year through the now-imploded auction-rate securities market, as well as add new debt to cover cost overruns at the team’s $1.2 billion stadium that is set to open next year, the sources said.

“Everyone is looking at the Cowboys’ deal. It is a huge bellwether,” said one finance source. “This is one of the only deals, period, in the market [sports or otherwise].”

Cowboys owner Jerry Jones and Bank of
America met with other banks Oct. 27.

Sports debt deals have been nearly nonexistent since the credit markets seized up in September. The Cowboys and New York Yankees borrowed $100 million jointly to fund their concessions startup Legends Hospitality (see SportsBusiness Journal, Oct. 20-26), but no other deals are thought to have closed during this time.

Cowboys owner Jerry Jones and the team’s lead lender, Bank of America, hosted more than a dozen banks at the suite sales center adjacent to the under-construction stadium in Arlington, Texas, on Oct. 27, offering a deal priced 2.5 percent over the London Interbank Offered Rate, a floating-rate index, sources said.

That rate last week stood at 2.39 percent, translating for the deal into a rate of just under 5 percent, which is low in this market. However, LIBOR has been wildly fluctuating, falling from 4.82 percent on Oct. 10 to last week’s level.

The Cowboys and Bank of America want the other banks to buy pieces of the loan, a process called syndication. The Cowboys and Bank of America declined to comment.

The Cowboys are relying on a few factors to get the deal done. One is the allure of the Cowboys brand. Second, the team has pledged in the proposed deal nearly all revenue lines from the new stadium, sources said. That’s a feature that was common in stadium financing six years ago but disappeared during the go-go years of easy credit, when pledged revenues were lighter.

A third factor is the growth of the Dallas market. During the bank meeting, according to a banking source, Jones pitched Dallas as being second only to Chicago in terms of market size among NFL cities with just one team. He referred to the Dallas Metroplex, which includes Dallas, Fort Worth and Arlington.

For the Cowboys, getting out from underneath the auction-rate debt is a pressing concern. They are one of four NFL teams to have borrowed from the auction-rate securities (ARS) market, a market that allowed companies to borrow cheaply and continue to reset the interest rate with auctions of the debt weekly and monthly.

In February, the ARS market seized up, and debt auctions failed, which automatically triggered significant interest rate hikes.

The New England Patriots were faced with paying $15 million to $44 million more per year because of the increase, the team alleged in a lawsuit filed in July against bond insurer Ambac. The Patriots in May refinanced their ARS notes.

The New York Giants had largely been shielded because of an interest rate swap it bought from Lehman Brothers, but it’s uncertain what that firm’s demise means to the team’s finances. Sources said the team, through Goldman Sachs, is studying refinancing its $650 million of stadium debt purchased through the ARS market. John Mara, the Giants co-owner, did not return calls for comment.

The club wants $350M for refinancing
and cost overruns for its new stadium.

The New York Jets, who also did not return calls, had ARS exposure, as well, though it’s unclear if the club still does.

The Cowboys estimated the stadium would cost $650 million when they announced the project in 2004. With $350 million of public funding and $76 million from the NFL, it looked like a choice deal for the team.

The club arranged to borrow at least $450 million through Banc of America Securities for its portion, with the first $126 million through the ARS market. But Jones agreed to cover cost overruns as part of the team’s share, and like many stadiums in this period, the price has spiraled.

The team has not yet secured a naming-rights deal for the stadium, which would bring in additional revenue. The club also could raise as much as $735 million from the sale of personal seat licenses, according to a Fort Worth Star-Telegram report. There are 55,000, 30-year PSLs available at prices ranging from $2,000 to $150,000.

The stadium will seat 80,000 but will be able to expand to 100,000 for special events like the Super Bowl, which Dallas is scheduled to host in 2011.



Escrito por fraja8 às 13h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




NBA’s ‘progressive’ efforts start at the top

http://botecodabola.wordpress.com/2007/11/01/resultados-da-primeira-rodada-da-nba/

The NBA plans to hold its first Green Week in early April, highlighting what the league says is its increasing involvement in environmental initiatives.

From April 2-10, all 30 NBA teams will participate in the program, with efforts ranging from raising fan awareness to fundraising for local environmental agencies. Each team must have at least one green-themed action during the week, according to the league office.

In addition, players will wear eco-friendly shooting shirts designed by Adidas, and NBA.com will feature green coloring in its design for that week.

“This is an issue that we have been working on for some time,” said Kathy Behrens, NBA senior vice president of community and player programs, which oversees green programs for the league. “From a business matter and from a social perspective, it is something we feel very strongly about.”

Behrens said NBA Commissioner David Stern is a longtime environmentalist and so is Stern’s wife, Dianne, a board member of Earthjustice, a nonprofit environmental interest law firm.

The league works with the Natural Resources Defense Council, which in 2006 conducted an on-site audit of the NBA’s league offices in New York and New Jersey resulting in a multitude of changes. Among those steps were the use of more recyclable materials, installing light sensors in rooms and using more economically friendly paper towels in rest rooms.

“Greening is a process, but the NBA is very progressive on this issue,” said Allen Hershkowitz, NRDC senior scientist who advises the NBA along with other sports organizations that work with the group.

The NRDC this year completed an audit of the NBA Store on Fifth Avenue in New York, and team presidents were briefed on the league’s increased environmental push at their annual meeting this summer in New York.

Steve Nash announced the Suns’ plan for solar
panels at US Airways Center in September.

Green initiatives will also be part of this season’s All-Star Week in Phoenix, with a day of service program that will include tree plantings. The plans follow last season’s community service initiative in New Orleans during the 2008 All-Star Week.

Each NBA team, through the league’s work with NRDC, now has a Web site aimed at helping the clubs adopt more eco-friendly strategies. The template pages, available at greensports.org/nba, parallel what’s available for MLB and NHL clubs. Similar pages also exist for WNBA teams.

“It’s a road map for all teams to use, and all have used it,” Behrens said. “Some teams were already down the road, and a number of teams have begun the [Leadership in Energy and Environmental Design (LEED)] certification process. Teams are making changes in supplies [and] procurement and using the [NRDC sites] to look at key areas.”

Some teams are more active than others.

The New Jersey Nets earlier this year were recognized by The CarbonNeutral Co. for their ongoing green efforts. The team hosted six Green Nights last season and plans to host six more during the 2008-09 season, drawing fan attention to environmental issues with in-arena signage and handouts promoting eco-friendly tips.

The Phoenix Suns are installing solar panels at US Airways Center.

In Orlando, the Magic is working toward its new home being the first LEED-certified big league arena. Among the elements planned for the facility, set to open in 2010, are a light-colored roof to decrease the building’s heat load along with increased energy-efficient systems ranging from air conditioning to lighting. The team also has a front office committee charged with developing energy-saving strategies, including a recent decision to substitute printed media guides with paper-saving flash drives.



Escrito por fraja8 às 13h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Seeds of opportunity

By BILL KING
Senior writer

Christina Lurie’s vision shapes the greening
efforts of the Philadelphia Eagles.

Leonard Bonacci’s office in the bowels of Lincoln FinancialField provides a full disclosure of his politics. A mounted and framed copy of the Vanity Fair cover featuring George W. Bush and his Cabinet hangs over his right shoulder.

The fact that Bonacci, staunch Republican, turns giddy when sharing a breakthrough that allows his team, the Philadelphia Eagles, to turn its used fryer oil into biodiesel, well, even his bosses and colleagues are sometimes surprised by the turnaround.

The shepherd of the Eagles sustainability program is Christina Lurie, the wife of the owner. She chuckles when she describes the jousts between Bonacci and her “liberal Democrat” friends who consult with the team on environmental practices. They parry over politics, but come together when the discussion turns to preserving the planet.

“Five years ago, I would have said, ‘Get away from me you tree-hugger,’ if you came here to talk to me about the environment,” said Bonacci, the Eagles’ director of event services. “As far as I was concerned, the environmental movement was a bunch of wackos.

“But when you talk to people who really are in the know, you find out that everything matters. It’s not an all-or-nothing thing, and it can improve your business. That was a revelation for me. It really does matter what you can do in your wedge of the world.”

It’s a sentiment that is catching on across sports. The pages that follow endeavor to show you how so, but also how much work remains.

When the chief engineer at Safeco Field, Joe Myhra, arrived at his stadium office on the second Tuesday in September, he began his morning the way many do: flipping a light switch that ignited a dozen, 32-watt fluorescent bulbs embedded in the ceiling.

If left on for six hours, the bulbs together would burn about 2.3 kilowatt hours of electricity.

That afternoon, as the Seattle Mariners were taking the field for batting practice, Myhra walked to a nearby control room, where he signaled a board operator to switch on the field lights. With the click of a mouse, juice flowed to the rows of metal halide lamps ringing the top of the ballpark — 535 of them, each drawing about 2,000 watts.

Lit for six hours, as they would be for this game against the Texas Rangers, they together would burn about 6,420 kilowatt hours of electricity.

With a mouse click, the Safeco Field
lights come on. In six hours, they use
as much electricity as the typical
U.S. house in a year.

Or almost exactly the amount it would take to power the typical U.S. household for a year.

Sporting events are gluttonous consumers of power and prodigious producers of waste. More than two-thirds of the electricity that powers major U.S. stadiums and arenas comes from fossil fuels, which when burned emit greenhouse gases. Almost all trash produced at U.S. sporting events ends up in landfills where, over time, it breaks down, releasing still more gases.

Greenhouse gases trap heat in the atmosphere, warming the planet. This, the vast majority of the world now believes, accepts, or concedes, is a problem.

So, what to do about it in sports, a business that requires frequent and high-volume travel and makes its money by attracting large numbers of people to events?

Allen Hershkowitz, a scientist from the nonprofit Natural Resources Defense Council who advises most of the major sports leagues on environmental matters, spent the better part of the last month in Brazil, studying the shrinking Amazon rain forest.

Speaking from his hotel, he outlined the devastation caused by two practices that sound environmentally conscious on the surface — the use of sugar for biofuel and soy for ink — but have gone horribly wrong in a region that affects weather patterns worldwide.

This might seem not just a continent but worlds away from the manicured fields, varnished wood courts and gleaming ice of sporting venues that have tried to operate with greater regard for their environmental impact. But Hershkowitz connects the distant dots. Some teams already use a biofuel mix for their groundskeeping equipment. Some are considering alternative inks for their printing.

Improving a business’s environmental practices — “greening” them — typically involves choices that are more complex than anyone anticipates going in.

“Civilization has its costs,” said Hershkowitz, whose organization is working with Major League Baseball, the NBA, the NFL and the U.S. Tennis Association, among others. “When people come to us, they expect that they’re going to become green, reduce all their impacts. Well, they can’t. We have to manage expectations.

“You can’t do everything, but everybody has to do something. There is no excuse for doing nothing. Once you do one thing, you’re going to find you can do two things. And little by little, we’re going to move in the right direction.

“The question is, are we going to move fast enough.”

Games are played in vast spaces that must be lit, heated and cooled. Within those spaces, tens of thousands of spectators eat and drink, producing mountains of bottles, cups and wrappers. Teams traverse the continent via charter jet. Fields and fairways require water and fertilizer.

If gas-burning cars are the environment’s No. 1 enemy, then an aerial photo of a parking lot at a NASCAR track or football game could double as a most-wanted poster.

Across the world, people are swapping out bulbs and turning out lights, nudging thermostats up or down by a few degrees, taking care to close windows and doors when the air or heat is running, and becoming more diligent about their recycling of plastic, paper and glass. So, too, are sports franchises and the operators of the stadiums and arenas in which they play. It is happening bit by bit, in ways that are small more often than large, driven in most cases by the realization that gobbling less power, using less water and throwing out less trash ends up costing less money.

Few businesses will make saving the planet a priority. But saving money? That’s an ideal that can be universally embraced.

So when the Mariners’ vice president of ballpark operations, Scott Jenkins, delivers a PowerPoint presentation explaining how green practices saved the club $40,000 on trash costs and cut $250,000 from its utility bills, his counterparts from across sports not only listen, but take notes and ask questions.

When Christina Lurie, wife of Philadelphia Eagles owner Jeffrey Lurie and the driving force behind the most comprehensive greening effort of any major sports team, sits down to discuss environmental practices with NFL Commissioner Roger Goodell, she finds the league already is considering taking similar steps at its offices, as well as at the Super Bowl and Pro Bowl.

The Eagles began their Go Green program humbly in 2003, with a modest recycling program. Then they started taking steps to conserve energy. The savings started to mount. The Luries rolled that money into increasingly large purchases of wind energy until, this year, they reached the point that all their power comes from “clean” sources.

The once “out there” Eagles are now the models that others ask about and emulate.

“There’s kind of an awakening in the industry now,” said Jenkins, the Mariners’ stadium manager, who came to the team after filling the same role with the Eagles. “In the past, it’s not been a hot topic. Now, it’s the hot topic. Everyone in the industry is taking some steps to become more green and have less impact on the environment. And I don’t think it’s just a passing fad.”

Jenkins breaks it down for colleagues with what begins as the simplest, most-resonant comparison, then flips into a daunting contrast.

“You do all the things you do at home,” he says matter-of-factly, “but apply them to 1.6 million square feet, tens of thousands of fans and hundreds of employees.”

In the course of a rundown of the Mariners’ approach and policies, Jenkins often comes back to the mantra of sustainability: reduce, reuse, recycle. It’s the same credo he recites at home. Close doors. Turn off lights. Click the thermostat up or down when the place is empty.

Put that way, it sounds simple. And it is, until you introduce the moving parts. Tens of thousands of bottles, cups and cans that must find their way to the correct Dumpsters. Nearly that many lights to switch off. Scores of doors and windows to close.

And, of course, there is a variable that stadium and arena operators must deal with at a level that few businesses endure.

“Not one step of this is difficult, but it takes coordination,” said Leonard Bonacci, director of event operations for the Eagles. “Every piece of this requires a person — a person who works for us 10 days a year.

“How much buy-in do you think you’re going to get?”

The CEO of the environmental consulting firm that helped sculpt the Eagles program from scratch, Tim Sexton, often finds that prospective clients who come to him for answers are put off by the same, overwhelming fear. Faced with a carbon footprint that is the environmental equivalent of Shaquille O’Neal’s size 23 sneaker, they don’t think they can afford to change.

“We say to people all the time, ‘This is a journey, it’s not a destination,’ ” Sexton said. “You want to be greener tomorrow than you were today.

“My mother used to say, ‘Life by the inch is a cinch; life by the yard is damned hard.’ That’s why so many organizations do recycling. Start with something you can wrap your head around.”



Escrito por fraja8 às 13h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Sorting through the trash

A composting program helped the Mariners
recycle 30 percent of ballpark waste this year.

When Jenkins assesses the recycling program at Safeco Field, he speaks as much about what is achievable as what they have achieved.

Working with concessionaire Centerplate and housekeeping provider Aramark, the Mariners are on their way to creating one of the more sustainable food and waste programs in sports. When Jenkins got to Seattle two years ago, the club was recycling about 18 percent of the 1,311 tons of waste produced at the ballpark. A year later, after implementing a compost program for food prepared in the kitchens, they increased that to 25 percent of 1,358 tons. This year, they upped it to 30 percent.

Jenkins has visions of doing much more.

The Mariners offer cold beverages in biodegradable cups made from corn, an item that the club introduced two seasons ago and many others in sports since have begun to use. The cups, which are clear, break down in about a month and can be disposed of in a compost pile rather than a landfill.

Introduced in 2005 at Oakland A’s games by Dave Rinetti, vice president of stadium operations — MLB executive John McHale, who coordinates green initiatives for the league, calls Rinetti “the Branch Rickey of the compostable beer cup” — corn-based cups are catching on across sports. The Mariners also have gone to some compostable plates and hope to switch over their cutlery next season.

The wild card is the labor-intense process of getting each item into the right stream. The variables that make up Safeco’s postgame trash profile are maddening. While the cups are compostable, the straw and lid that come with them are not. Peanut shells can go directly to compost, but the cellophane bags they come in cannot. Plastic bottles are recyclable. Caps are not. Mustard and ketchup packages can’t be composted or recycled.

The M’s Captain Plastic is rough on refuse,
but he seldom refuses a photo op.

It would all be easier if fans put their plastic bottles and cups in the 100 bottle-shaped plastic receptacles that are positioned around the concourses, side-by-side with ordinary trash cans, because studies have shown that few people will walk the extra steps to throw things out.

Fact is, even with them side-by-side, few fans use them. Teams say about 90 percent of bottles finish the night on the ground or in cupholders. The Mariners are hopeful those numbers will improve. They’ve created a muscled and masked mascot for the program, Captain Plastic, and placed his photograph on the recycling bins.

Once a game, between innings, Captain Plastic shows up in a section of seats and, with cameras capturing his act for the jumbo screen, roams the aisles collecting bottles in a plastic bag. His schtick goes over well. Fans of all ages follow him through the concourse and stop to have photos taken with him. He obliges, but only after securing a promise that they’ll recycle.

Few do, at least at the park.

And yet Jenkins remains optimistic that he can find a way to efficiently capture and sort through all this … well, mess … and then keep it out of the landfill.

Earlier this season, Jenkins, Myhra, Stewart and several other front-office employees did the postgame trash pickup of a few seating sections themselves, adding in an extra sweep. They grabbed up recyclable plastics and then picked through to collect any trash that couldn’t go to a compost pile.

Turnkey Sports Poll
The following are results from the Turnkey Sports Poll taken in October. The survey covered more than 1,100 senior-level sports industry executives spanning professional and college sports.
Overall, are green initiatives in todays sports industry genuine?
Yes, the industry feels it is an important issue
44%
No, it is just a marketing gimmick
43%
No response/not sure
13%
What is the top reason behind your companys decision to launch any green initiatives?
Seen as having a direct, positive effect on the environment
37%
My company has not instituted any green initiatives
17%
Good financial decision for the company
16%
Customers or employees have asked for it
15%
Everyone else is doing it
6%
Other
1%
No response/not sure
7%
How do sports businesses compare to companies in other industries for their environmentally friendly initiatives?
Slightly behind the curve; trailing other industries
41%
On par with other industries
23%
Way behind; other industries are doing far more
16%
Slightly ahead of other industries
11%
No response/not sure
7%
Setting the bar; way ahead of other industries
2%
Where can sports properties make the biggest green impact?
Institute recycling programs at events
39%
Leverage your brand to raise awareness of environmental initiatives
29%
Purchase energy from renewal sources
7%
Offer fuel-efficient transportation for team/fans
6%
Reduce office waste/go paperless
5%
Sell merchandise made from recycled material
3%
Other
5%
No response/not sure
6%
Note: Percentages have been rounded.
Source:
Turnkey Sports & Entertainment in conjunction with SportsBusiness Journal. Turnkey Intelligence specializes in research, measurement and lead generation for brands and properties. Visit www.turnkeyse.com.

What was left was compostable. Jenkins estimated that, by weight, it was at least half of the trash.

“If you could get to where you collected the beer, soda and water bottles, and then had everything that was left be compostable, then you could really flip the waste stream on its head,” Jenkins said, wheels turning. “There’s a chance that all waste becomes recyclable — all of it.

“In my wildest dreams, we would recycle everything at the end of the game.”

The pickup of the bowl is the most visible, and confounding, stage of the process. But throughout the stadium, there are other steps that are equally important. All concession stands, permanent and portable, are equipped with bags for recyclables. The kitchens also have those, as well as special biodegradable bags for food, both scraps and leftovers.

The overwhelming amount of the composting program tracks back to the kitchens.

While composting is de rigueur in many restaurant kitchens in the Northwest, it is a challenge for a ballpark. The five kitchens at Safeco Field employ about 80 people. Two seasons ago, executive chef Tamas Ronyai went through about 150, coming and going. This season offered far less turnover, but he still struggled to train them on the intricacies of getting the byproducts of their prep work into the appropriate trash cans.

It’s not as simple as it sounds. Before a game late in the season, Ronyai was shucking oysters. He had to pause for a moment and think about where to put the shells.

“Of course they go to the compost; they are from the ocean,” Ronyai said. “But sometimes at the cutting board, working quickly, even I have to think about it. Imagine for someone who hasn’t [had] the experience.”

All of it ends up in a trash room that allows for one last sort before the bags head to their final destination: a loading platform that straddles seven Dumpsters of varied size. There’s one Dumpster dedicated to office paper, but six others have designs on what’s generated from game operations: one for cardboard; one for food waste; one for plastic bottles; one for a commingled stream of plastics, metal and glass; and two for old-school, off-to-the-landfill trash, which still represents the greatest mass of what’s collected.

The Mariners had to build out the platform in order to accommodate all the waste.

The tally of what passed through this malodorous room during and after that game of three hours and nine minutes against the Rangers: 17,560 pounds of trash bound for the landfill, 440 pounds of plastic bottles, 780 pounds of compostables, 580 pounds of cardboard, and an 840-pound mix of glass, metal and other plastic.

All together, it was about 10 tons of waste generated in just that one night — or, roughly the same amount of waste the typical U.S. family generated over the last four years.

And that was on a night when about 16,000 fans came through the turnstiles. Three days earlier, the Mariners played the Yankees and drew about 40,000. That byproduct: 30,280 pounds of trash to the landfill, 780 pounds of plastic, 1,120 pounds of compostables, 1,040 pounds of cardboard, and a 1,440-pound mix of glass, metal and other plastic.

“We’re climbing up the tonnage ladder with our recycling and composting,” Jenkins said. “And we’re saving real money.

“Imagine, if we could get [all of it.]”

When the Eagles began recycling, they were frustrated by the fact that their waste hauler, who was providing both trash and recycling services, often refused their bags of plastic, saying they’d been “contaminated” by other trash. The team worried that the labor costs of separating it any more diligently would wipe out the program entirely.

“And then it dawned on us,” Christina Lurie said, “that they make much more money from regular trash than recyclables.”



Escrito por fraja8 às 13h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

A plan takes flight

Bogged down by midafternoon traffic on a stretch of I-95 that is every bit a postcard of the industrial Northeast, Lurie flashed back to a day five years earlier, when she first approached the executives from her husband’s football team about what they might do to lessen their impact on the environment.

“There was no interest, no comprehension, from top to bottom,” remembered Lurie, who since that day has run point on a greening program that was the first in pro sports and since has grown to be the most comprehensive. “It was clear that people didn’t want any part of it. But, as the head of the organization with my husband, we said, ‘We’re doing it. We’ll do it step by step and see how it goes.’ It takes time.”

About 20 minutes northeast of the Eagles’ stadium and training facility, just beyond the city line, the hybrid SUV ferrying Lurie exited the interstate and swung into Neshaminy State Park.

“Let’s walk,” Lurie said as she climbed out.

The Eagles took carbon offsets into their
own hands, planting trees in Eagles Forest.

The Eagles planted the trees to offset the greenhouse gases produced by their air travel. Rather than buying offsets from one of the many providers that then put the money into reforestation or renewable energy projects around the world, they chose to sponsor something locally.

Carbon offsets are the baptismal water of the repentant polluter. The Eagles must fly — no way around it — so they wash away the miles by planting trees. Critics suggest offsets are mostly “greenwashing”: a way for businesses to continue to consume and pollute but look better while doing it. The Eagles’ consultants have advised clients to be careful where they buy those offsets to make sure they’re having the desired effect.

At least by planting trees here, just outside their hometown, the Eagles can see where their dollars are going. It also has allowed them to create an environmental education piece of which they’re proud.

“Look around, and what you’ll discover is that there’s really only one organization that is green from top to bottom in sports, and that’s the Eagles,” said Sexton, the Los Angeles-based environmental consultant, conceding up front that the assertion could seem self-aggrandizing since he helped author the team’s plan. “The next closest is Seattle [the Mariners]. … Everybody else is sort of talking. They’re doing bits and pieces. It’s a start. But it’s shocking how little has actually been done that’s of a comprehensive nature.”

Part of that is a benefit of time. They started by recycling, then found ways to conserve energy. As they saved money, they used it to fund more ambitious projects. Five years in, they think they may be close to carbon neutral, although they’re savvy enough to avoid making that claim too loudly, since it’s a difficult one to document.

It all started a bit more than five years ago, when the Luries met old friend Sexton over lunch at the Peninsula Hotel in Beverly Hills, Calif. It was mostly a social engagement, but with a new stadium about to open, the Luries also wanted to pick Sexton’s brain on opportunities he might see for them.

They landed at the intersection of the team’s primary color and a cause that was close to all their hearts.

The Philadelphia Eagles’ Go Green program
was the first such program in pro sports.

Go Green was born.

The enthusiasm generated at that table in Beverly Hills did not carry back to Philadelphia. Christina Lurie and her green consultant friends — Sexton and his cousin and partner, Brendan Sexton — were met with immediate resistance, much of it coming from CFO Don Smolenski, who now is as big a champion for Go Green as there is in the building.

“We were at odds, not philosophically, but financially,” Smolenski said. “They were pushing to do this and this and that. Well, that all sounds great, but we’re trying to run a business here. We can’t just throw around money.

“We got off to a tough start.”

Once the Luries made it clear that they were going forward, regardless of the opposition, the pieces started to fall into place. As Smolenski worked with the Sextons, he came to realize that many of their recommendations would save the Eagles money, if not initially, certainly in the course of a few years.

One of the first big-ticket items was a conversion from electric heat to gas boilers late in 2004. It cost about $2 million to buy and install four large and two small high-efficiency boilers. That would have been a tough spend based only on greening, but the electric units weren’t generating enough BTUs to keep fans comfortable. They had to make a change. As it turns out, skyrocketing electricity costs tilted the equation so mightily that the Eagles estimate the project already has paid for itself.

Other, smaller investments also have paid off. For about $8,000, they automated the large, roll-up doors in the stadium, putting in sensors so that they open when a truck or golf cart pulls up and, more importantly, close once they’ve passed through.

“You leave one of those open in the middle of the winter and you may as well be throwing $20 bills out the door,” said Dave Duernberger, the Eagles’ director of facility operations. “You’ve blown out all that heat and dropped the temperature from 70 to 50 in a matter of minutes.”

As in most households, heating and cooling and refrigeration account for the largest share of utility use at Lincoln Financial Field. The other big draw is from lighting.

Some is unavoidable. The field lights must be on, even for a day game, because the networks demand a consistent level for their cameras. If the sun goes behind a cloud, the field lights compensate for the shadows.

Still, teams that have tried have found places to save.

Most facilities control lighting through a computer system that allows them to control individual areas. Some even dial down to individual lights. Operators can program the system to turn combinations of lights on or off, depending upon the circumstance.

In Seattle, the Mariners keep the field lights on for seven minutes after a game ends while their TV crew runs through its postgame wrap-up. When it goes to commercial, they shut down a row of lights. A half hour later, after they’re off the air, they drop down to a preset mode they call “cleaning lights,” which amounts to enough lights for the maintenance crews to do their jobs safely.

The Eagles follow a similar procedure after their games. They know from their power bills whether the tweaks are paying off.

The day after each game, the Eagles take a reading of their electric meter to see how they did with usage. For their game against Washington in October, when it was 68 degrees at kickoff, they registered their lowest 24-hour reading ever, burning 29,784 kilowatt hours. That was about 5,000 kilowatt hours fewer than they used for a September game when it was similar in temperature, at 76 degrees. And it’s about half of where their total was two years go, when they burned 58,631 kilowatt hours during and after a mid-September game when it was 77 degrees.

The more diligently they monitor, the better the results. Duernberger attributes the most recent drops to additional postgame walk-throughs to make sure that table lights, television sets and other equipment that isn’t automated is turned off, and doors to refrigerators and walk-in coolers are shut.

“It’s not like a TV is a big draw,” he said, “but when you’ve got 1,200 of them, it makes a difference.”

Power plays

Of course, all buildings don’t offer the same degree of flexibility when it comes to reducing power.

Ice adds a wrinkle to power usage in any building, but particularly to one in the hot and often humid Southeast. The NHL arena in Raleigh won’t hit as long of a sizzling stretch as the venues in Miami, Tampa or Phoenix, nor will it encounter the frigid conditions of Buffalo or Toronto, but it probably has the widest temperature swing of any market in the league.

It was 100 degrees outside when they opened the doors for one Stanley Cup playoff game at the RBC Center in 2002. It can reach the low single digits in the dead of the season.

“The only thing I knew about ice when I got here was that it went in my sweet tea,” said Rick Dunning, the facilities systems manager at RBC Center. “We all had a lot to learn.”

Operating a hockey arena in a warm climate like
North Carolina means higher energy costs.

Regardless of the temperature outside, conditions at ice level must be maintained within narrow parameters. The NHL recommends 60 to 63 degrees and about 30 percent relative humidity. Too warm, and the ice gets soft. Too cold, and it turns chippy.

Achieving that requires strict monitoring of a complex process. Ice is kept frozen by rows of tubing beneath it that carry chilled brine. The brine is cooled to about 16 degrees in tanks, then pumped through the tubes. Starting it at 16 degrees ensures that it will warm only to 20 to 22 degrees as its flows through the tubes, cooling the ice above. It’s those precise temperatures that are needed to keep the ice at the proper consistency when the air above it is about 60 degrees.

Dunning and the engineering staff monitor and log the temperatures and humidity levels every two hours throughout the day and then steadily during games. Sensors in air handlers throughout the building, in the walls and in the floors adjust the heating and cooling systems to maintain the conditions they require.

When the Hurricanes moved into the building, the new, computerized control system said the temperature at ice level should be 70 degrees. They found out quickly that was too warm. Over time, they’ve found the right mix of settings.

While managers of many stadiums and arenas have found ways to save money by adjusting set points on those systems, the Hurricanes say they’re limited in that respect while in-season because they must take care to protect the condition of the ice.

“Hockey players like their ice a certain way, and that always has to come first for us,” said Dan McGowan, operations manager at the RBC Center, who has worked at the arena since it opened. “You’re talking about very specific temperature and humidity conditions that need to be there for ice to be hard and fast the way players want it. To do that, the building is going to be a lot colder than other buildings that don’t have NHL teams. In the South, that’s going to cost you more.”

As a result, Dunning estimated that utility costs at the building will reach about $3 million this year, continuing a steady increase that has come as rates have risen.

That’s about twice what the Mariners will spend for utilities at Safeco Field.

The Eagles say they will use wind for all their electricity this year, tapping the savings netted from conservation to cover the cost. They also were the first company in the nation — not just in sports — to create a program that pays the incremental cost for any employee who chooses to buy wind power at home. It ends up running the team a bit more than $10,000 a year.

The Eagles’ solar panels serve a symbolic purpose;
the team uses wind for its electricity.

The final piece of the power puzzle for the Eagles is a small solar array at their practice facility that provides an inconsequential amount of juice but serves as a symbol that the franchise is doing what it can to use clean power.

“It’s visual,” Smolenski said. “People don’t see me buying wind because I don’t have a turbine. But they see the solar panels. It shows, visually, that we’re committed.”

While solar is primarily a messaging tool for most of the teams that have installed panels, a few are launching larger projects that will capture enough energy to make a dent in their power bills.

The Phoenix Suns recently installed about 1,100 solar panels on the top level of a nearby parking garage. The franchise estimates the array will generate enough electricity to power US Airways Center for about 25 games. Last month, Staples Center completed its own project, installing 1,727 panels on the arena roof. The Boston Red Sox generate about one-third of the power for their hot water boilers from a 28-panel solar-thermal system on the roof behind home plate of Fenway Park.

The NRDC is optimistic that other teams will follow those leads. Improvements in solar technology, such as the anticipated development of a film that captures solar power without placing much weight on a structure, could open greater possibilities for outdoor stadiums.

“One of the things we talked about is whether we’ll make the wings at our stadium [the distinctive covering over the top rows] solar panels,” Christina Lurie said. “As the state figures out how to do the tax incentives and as the prices come down, that might be a really interesting thing to do.”

‘You can make this work.’

Of all that the Eagles front office has learned while traveling the green path over the last five years, the lesson that may prove to be the most valuable for others is as basic as a sheet of post-consumer, chlorine-free paper.

Actually, it is a sheet of post-consumer, chlorine-free paper.

“We’re saying to you, ‘Come back to us with Green Seal products or I’m going to find somebody who can,’” Smolenski said, referring to the organization that certifies environmentally friendly products. “Once we started asking the questions and in some cases pushed back a little, people responded. And they understood that, hey, this might be a way for me to get in.”

Concessionaire Aramark
helps find green products.

Several companies that have resisted the Eagles’ environmental push have lost the team’s business as a result of it. The team changed paper companies. It moved its recycling program from a big trash company to a locally based outfit that deals only in recycling. It changed concessionaires. It says its current concessions provider, Philadelphia-based Aramark, now is frequently the one uncovering the new green products.

At different times, different people have told Eagles management that it was too expensive to use corn-based cups, recycled paper and Green Seal-approved cleaning products. They’ve found they could switch to all of them at either no extra cost or one that is inconsequential.

“You have to get the organization to understand that,” Smolenski said. “The first thing that people will say to you is that it’s going to cost more. Well, hold on. Ask how much. And then ask someone else.”

That’s the same approach Jenkins is taking with vendors in Seattle. He says the two most important pieces of advice he gives to others in the business are to be persistent and to measure everything you do so you can prove the benefits of that persistence.

In a greenhouse gas emissions study completed in January, the Mariners found that 70 percent of the 1.9 million miles that full-time and game-day employees traveled to and from work in 2007 were by car and that 92 percent of those employees drove to work alone. As a result, employee commuting made up about 15 percent of the Mariners’ carbon footprint. While that’s not a large share, it’s one the team could aim to improve.



Escrito por fraja8 às 13h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Kléber Pereira perto de igualar marca de Chulapa como artilheiro do Santos

Divulgação/Agência

Com 21 gols no Nacional, atacante santista está a um de alcançar ídolo do alvinegro, goleador do Campeonato Brasileiro de 1983

Julyana Travaglia Santos

No andar, eles têm estilos bem parecidos. Jeito molão no caminhar, jogando os braços. Com a bola nos pés, um atuava mais como um pivô, recebendo de costas para o arremate final. Já o outro, costuma jogar de frente para o goleiro na hora da conclusão. Em comum, o fato de serem o terror dos goleiros.

Considerado um dos maiores ídolos do
Santos depois da era Pelé, Serginho Chulapa ostenta uma marca no time da Vila Belmiro. Em 1983, ele foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro com 22 gols, número ainda não alcançado por um atacante santista.

Mas a marca de Serginho pode estar com os dias contados. Com 21 gols nesta edição do Nacional, Kléber Pereira tem tudo para bater o número do agora auxiliar técnico do Peixe. Faltando quatro rodadas para o fim do campeonato, ele pode começar neste domingo, contra o
Internacional, na Vila Belmiro, a escrever seu nome na história do futebol brasileiro como um dos artilheiros da competição com a camisa do Santos. 

Kléber Pereira já passou outros nomes bem conhecidos da torcida santista, como os atacantes Paulinho MacLaren (15 gols no Nacional de 1991) e Guga (13 gols em 1993). Nos números, o atual camisa 9 do time da Baixada está empatado com Viola, artilheiro do campeonato de 1998.

Se depender do faro para o gol, Kléber Pereira pode alcançar e bater a marca de Serginho já neste domingo. Neste Nacional, em quatro ocasiões ele anotou dois gols num mesmo jogo (2 x 2 Botafogo, 2 x 2 Flamengo, 2 x 0 Cruzeiro e 2 x 0 Vitória). Além disso, em duas partidas ele balançou as redes adversárias por três oportunidades (4 x 0 Ipatinga e 5 a 2 Vasco).



Escrito por fraja8 às 13h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Harley e Benjamin conquistam a etapa chinesa do Circuito Mundial


Escrito por fraja8 às 13h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Diretoria do Chelsea condena atitude Drogba, mas Felipão defende atacante

Montagem/Montagem

Africano é acusado de ter jogado moeda na torcida do Burnley

O Chelsea qualificou neste sábado de indesculpável a atitude de Didier Drogba, acusado pela Federação Inglesa (FA) de ter jogado uma moeda nos torcedores do Burnley em uma partida da Copa da Liga Inglesa.

- Apesar de Didier Drogba ter sido atingido por um objeto, isto não desculpa sua ação posterior. Também é preciso reconhecer que, sem tentar justificar o gesto, expressou arrependimento e pediu desculpas pelo incidente - afirma um comunicado do Chelsea.

Felipão defende atacante

O técnico dos 'Blues', o brasileiro Luiz Felipe Scolari, tentou defender o jogador, que está sendo investigado pela FA por conduta violenta e pode ser suspenso por três partidas.

- Didier não entrou em campo com moedas no bolsos. Não foi ele que começou. Só queria se divertir e jogar futebol, não brigar. Todo mundo deve pensar nisto. Eu não sou juiz, mas quero que a polícia encontre a pessoa que jogou a moeda em primeiro lugar sobre Didier - disse Felipão.


Magnata dono do City quer Kaká, Villa e Torres ao lado de Robinho em 2009

Agência/AFP

Segundo imprensa européia, Mansour Bin Zahid Al Nahyan planeja gastar € 243 milhões em contratações

GLOBOESPORTE.COM Manchester, Inglaterra

O Manchester City parece não estar nem aí para a crise financeira mundial. Segundo os principais jornais europeus neste sábado, o magnata árabe Mansour Bin Zahid Al Nahyan, dono do clube, está disposto a gastar cerca de € 243 milhões (R$ 705 milhões) em reforços em 2009. E os nomes de Kaká, do Milan, Fernando Torres, do Liverpool, e David Villa, do Valencia, são os principais alvos.

Além do trio, Bin Zahid também quer contratar jogadores para compor o elenco do time de Robinho, Elano, Jô e companhia. Para a lateral esquerda, Bridge, do Chelsea, e Stephen Warnock, do Blackburn, foram escolhidos pelo técnico Mark Hughes. No entanto, apenas um dos dois deve ser contratado.



Escrito por fraja8 às 13h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Adriano não faz parte dos planos do São Paulo neste momento, explica dirigente

Imprensa italiana fala sobre volta do atacante do Inter de Milão ao Brasil

Carolina Elustondo São Paulo

O início de 2008 no São Paulo foi marcado pela chegada de Adriano. O Imperador firmou um contrato até o meio do ano e vestiu a 10. No Tricolor, se recuperou dos problemas pessoais que o levaram a não render em campo. Voltou para o Inter de Milão revigorado. Agora, novamente com problemas no time italiano, passou a ser alvo da imprensa local, que acredita em mais uma passagem de Adriano pelo Brasil pelo próprio São Paulo. Fluminense ou Corinthians seriam as outras opções.

Um novo empréstimo não parece estar nos planos do São Paulo, apesar da imagem positiva que o atacante deixou.

- Neste momento o Adriano não teve seu nome cogitado no São Paulo. Naquela situação, o Inter nos enviou uma carta. Mesmo que isto acontecesse hoje, só mexeríamos com contratações depois do fim do Brasileiro - resume João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol do São Paulo.

Gaspar Nóbrega / VIPCOMM

O dirigente já havia explicado ao GLOBOESPORTE.COM que contratações a curto prazo, como aconteceu com Adriano, Carlos Alberto e Fábio Santos não seriam repetidas em demasia para a próxima temporada. Não estão descartadas, mas se acontecerem serão de forma isolada. O diretor elogia a passagem de Adriano pelo Tricolor paulista e lembra que mesmo quando o atleta teve problemas, tudo foi resolvido rapidamente. Ele espera que seja assim no Inter.

- No São Paulo ele entrou em forma, foi bem, recuperou a auto-estima, se adaptou ao grupo. Quando passou por problemas, resolvemos com conversa - acrescenta João Paulo de Jesus Lopes.

Adriano faltou o treino do Inter no início da semana e irritou o técnico José Mourinho, que já não estava satisfeito com as noitadas do Imperador. 



Escrito por fraja8 às 13h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Nunca me aposentarei, promete Ecclestone

Bernie Ecclestone, no GP dos Estados Unidos-2007

Chefão da F-1 avisa: "Só não irei ao trabalho no dia em que me sepultarem"

O chefão da F-1, Bernie Ecclestone, afirma que nunca se aposentará de seu ofício de comandar a categoria máxima do automobilismo.

O inglês, que lançou as bases que tornaram a F-1 um sucesso comercial, disse ao jornal "Gulf News" que seu tempo à frente da categoria é indefinido.

"Nunca, nunca, nunca", disse Ecclestone ao ser questionado sobre quando anunciará seu substituto. "O primeiro dia em que não irei ao trabalho será quando estiverem me sepultando e isto não deverá acontecer tão cedo", disse o inglês.

Ecclestone, que passou por uma cirurgia há nove anos, se diz "tão em forma quanto um violino" e previu sucesso para a F-1 em 2009, apesar da exclusão do GP do Canadá do calendário.

No entanto, ele afirma que há muitas outras pistas que podem ser incluídas na categoria. "Se você visse a lista de pedidos que tenho em meu escritório, você mal iria acreditar. É impressionante", finalizou.



Escrito por fraja8 às 13h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Diego Hypólito se poupa e fica longe do pódio no solo em Stuttgart

Russell Cheyne/Reuters
 
Do UOL Esporte
Em São Paulo
 
Com dores nas costas e visivelmente cansado, Diego Hypólito se poupou na final do solo da etapa de Stuttgart na Copa do Mundo de ginástica artística. O brasileiro terminou o seu principal aparelho na 7ª posição, com 14.450, longe do pódio. O título da competição, disputada neste sábado, ficou com o alemão Fabian Hambüechen, com 15.525.

A medalha de prata foi conquistada pelo britânico Kristian Tomas, com 15.450. A terceira colocação ficou com o atleta de Israel, Alexander Shatilov, que marcou 15.400 na final do aparelho.

Líder disparado do ranking mundial do solo, Diego Hypólito já tem vaga garantida neste aparelho na Superfinal da Copa do Mundo a ser disputada em Madri, em dezembro. Na Espanha, ele buscará o bicampeonato em sua melhor modalidade.

Diego tentará melhorar a sua perfomance na final do salto, em que também está classificado para a final. A decisão será disputada ainda neste sábado. No feminino, a sua irmã irá competir na final do solo.

Nos outros aparelhos, o brasileiros também decepcionaram em Stuttgart e não se classificaram para as finais. Sérgio Sasaki Júnior foi o 14º colocado no salto (15,412 pontos), 23º no solo (13,950), 27º nas barras paralelas (10,775) e 30º na barra fixa (13,000). Já Mosiah Rodrigues foi 23º no cavalo com alças (13,400) e 29º na barra fixa (13,050).



Escrito por fraja8 às 13h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O jogador de futebol Pelé em desenho (dir.) de história em quadrinho de Gilmar Fraga que foi apresentado na exposição "O Que é o Brasil" em 2007

Ronaldinho Gaúcho foi outro jogador de futebol que se tornou personagem de HQ. Em 2005, ele ganhou traço de Mauricio de Sousa

Ayrton Senna (1960 - 1994), piloto, foi inspiração para o personagem Senninha, criado na década de 1990



Escrito por fraja8 às 13h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Líder da Superliga, Bernardinho afirma: 'Não podemos criar favoritismo algum'

Divulgação/Divulgação

Técnico do Rio de Janeiro acha cedo para qualquer expectativa de título

João Gabriel Rodrigues Rio de Janeiro

Antes do início da Superliga Feminina 08/09, o técnico Bernardinho, do Rio de Janeiro, estava especialmente preocupado com dois adversários: Osasco e São Caetano, que vieram para a competição reforçados. Após cinco rodadas, porém, sua equipe é a única invicta e já garantiu vaga na final do primeiro turno, tendo, inclusive, vencido o time do ABC paulista.

Bernardinho, porém, diz que ainda é cedo para apontar o Rio de Janeiro como favorito ao título.

- Ainda estamos muito no início, foram cinco rodadas apenas. Não podemos criar favoritismo algum. A equipe precisa ser mais constante nos jogos, para que possamos ir atrás do título.

Após a vitória contra a forte Brusque na quarta-feira, também apontada como uma das favoritas pelo treinador, Bernardinho elogiou a postura das atletas em quadra. Para ele, a seqüência de vitórias dá moral para a equipe para o restante da Superliga.

- O time jogou uma bela partida, apesar de alguns altos e baixos. Estamos vindo bem. Estas vitórias servem para dar moral para a equipe. É um time remodelado, perdemos algumas peças importantes. Então, os resultados estão dando confiança para o restante da competição – afirma.

Após cinco rodadas, o Rio de Janeiro é o líder do Grupo A da Superliga, com dez pontos. A equipe de Bernardinho espera pela definição do Grupo B para conhecer seu adversário na final do primeiro turno



Escrito por fraja8 às 12h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Liverpool usa a cabeça para bater o Bolton e assumir liderança do Inglês

Agência/EFE

Kuyt e Gerrad marcam os gols da vitória dos Reds. Zagueiro Agger perde dente e protagoniza lance curioso no segundo tempo

Com dois gols de cabeça, o Liverpool derrotou o Bolton por 2 a 0, fora de casa, na abertura da 13ª rodada do Campeonato Inglês . Com o resultado, os Reds chegaram aos 32 pontos e assumiram a liderança do torneio. No entanto, o Chelsea, que tem 29, ainda joga neste sábado diante do West Bromwich podendo retomar o primeiro lugar.

O primeiro gol da partida saiu aos 28 minutos do primeiro tempo. O lateral-esquerdo brasileiro Fábio Aurélio (ex-São Paulo), um dos destaques do Liverpool nos últimos jogos, acertou cruzamento perfeito para o holandês Kuyt, entre dois zagueiros, acertar uma bela cabeçada sem chance de defesa para Jaaskelainen.

No começo do segundo tempo, o Bolton pressionou bastante. E, aos nove, por pouco o jamaicano Gardner não marcou para o time da casa. Na mesma jogada, o zagueiro Agger, dos Reds, protagonizou um lance curioso. Ao tentar cortar o chute do adversário, o defensor se chocou com a trave e acabou perdendo um dos dentes. Mesmo “banguela”, ele continuou em campo.

Aos 27, quando levava um certo sufoco do Bolton, o Liverpool ampliou. O zagueiro O´Brien deu bobeira na frente do espanhol Fernando Torres. O atacante, um dos artilheiros do time da Terra dos Beatles no Inglês com cinco gols, sem se mostrar fominha acertou um cruzamento de trivela para Gerrard que, de peixinho, estufou a rede.

Nos acréscimos, o brasileiro Lucas, que entrara no lugar de Kuyt, por pouco não marcou mais um, mas a bola passou raspando a trave. E detalhe: seria também de cabeça.



Escrito por fraja8 às 12h55
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Davydenko vence Murray e vai a Final do Masters

Menos de 24h depois de derrubar Roger Federer em uma batalha de 3h, Andy Murray voltou à quadra para as semifinais da Masters Cup de Xangai, mas não conseguiu manter o alto nível de jogo. O escocês, atual número 4 do mundo, acabou surpreendido pelo russo Nikolay Davydenko (5), que levou a melhor por 7/5 e 6/2 e avançou à final da competição.

Davydenko se mostrou consistente desde o começo da partida e manteve as ações equilibradas até o 11º game, quando conseguiu uma quebra decisiva. Em seguida, sacou com eficiência para fechar a parcial.

No segundo set, com Murray já demonstrando claramente que não estava recuperado da semifinal diante de Federer, o russo encontrou menos resistência. O número 5 do mundo conseguiu duas quebras de serviço e, com um ace, fechou a parcial por 6/2, após 1h39m de jogo.

Na final, Davydenko vai encarar Novak Djokovic, que bateu o francês Gilles Simon por 2 sets a 1 (4/6, 6/3 e 7/5), em 2h51m de jogo.



Escrito por fraja8 às 12h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Chelsea lança álbum de figurinhas virtual

reprodução/Site oficial

Em seu site, o Chelsea reservou uma área destinada às crianças e lançou um álbum de figurinhas virtual

reprodução/Site oficial

A cada dia, o clube coloca no ar as imagens de novos jogadores. O técnico Luiz Felipe Scolari também terá sua figurinha, assim como alguns ídolos da história do Chelsea (casos de Gullit e Zola, por exemplo)



Escrito por fraja8 às 12h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Sport

La Juve, maravillada con Busquets 

Busquets celebrando un gol con la camiseta del Barcelona

Según Il Corriere dello Sport tendría los ojos puestos en Sergio Busquets y su intención sería la de entrometerse en su renovación

La Juventus está asombrada con las capacidades de Sergio Busquets, tanto por su creatividad como para su intervención en las tareas defensivas del equipo, así que han visto en él al hombre ideal para ocupar su centro del campo. El doble papel que puede jugar en el equipo es su principal atracción comenta Il Corriere dello Sport.

Además con la principal atracción que el jugador queda libre a final de temporada y ahora se encuentra en pleno proceso de renovación de contrato. En Turín también ha asombrado su velocidad de piernas y su agilidad con su metro ochenta y nueve. Y que a pesar de su edad ha demostrado saber llevar el timón del equipo.

Además su internacionalidad con la Sub'21 aún ha aumentado más su efecto escaparate para que más ojos se fijen en él, y esto claro en plena renovación es un riesgo considerable.

Así que además del Arsenal, la Juventus también se suma a la lista de pretendientes para Busquets. Y es que en los dos clubs ven a un nuevo Vieira


El Chelsea se quiere llevar a Giovani Dos Santos por Navidad

Según informa 'The Sun', Scolari se quedó frustrado después de que el City se le llevara a Robinho y parece que ya ha encontrado a su recambio ¡Giovani Dos Santos!

El entrenador del Chelsea, Felipe Scolari, ha puesto su punto de mira en Gio Dos Santos como una pieza de recambio a la que nunca le llegó en verano, Robinho, que finalmente recaló en el City.

Giovani Dos Santos estaría "deseoso" según 'The Sun' de reencontrarse en el Chelsea con Belleti y Deco, que ya fueron sus compañeros en el Barça.

Redknapp, el entrenador de los Spurs, el equipo actual de Giovani Dos Santos, ha sido informado que no hay mucho dinero para fichar en invierno y que vender sería una buena opción pra conseguir liquidez


El mensaje de Guardiola: Prohibido relajarse

Guardiola reprimió ayer a la plantilla por haber llegado cinco minutos tarde al entrenamiento

El Barcelona afronta los últimos 40 días de competición del 2008 con la certeza de que en este período pueden decidirse muchas cosas

Seis partidos de Liga y dos de Liga de Campeones separan al Barcelona del descanso navideño. Ocho partidos en total que Guardiola quiere que su equipo afronte con una implicación total, tal y como ha sucedido hasta el momento, y una relajación cero. Si de lo primero no hay duda, Guardiola lleva días detectando síntomas extraños en el vestuario que quiere cortar de raíz. Ante la recta final del 2008, la consigna es clara: Gas a fondo y apretar el acelerador.

El Barça afronta los últimos 40 días del año desde una posición de privilegio. Líder en la Liga y a un empate de sellar su pase como primero de grupo a la siguiente fase de la Champions League, los objetivos del Barcelona se han ido cumpliendo uno a uno a mayor satisfacción del entrenador, que ha llegado a calificar la situación como irreal.

Ahora, a dos jornadas de Liga para iniciar el póker de partidos ante los cuatro grandes rivales de la Liga (Sevilla, Valencia, Real Madrid y Villarreal), la plantilla es consciente de que ha llegado el momento de marcar diferencias.

Hasta ahora, la gran superioridad de juego del Barça ha recolectado más elogios que rentabilidad en la clasificación. El segundo en la tabla, el Villarreal está sólo a un punto de los barcelonistas, mientras que el gran rival madridista, sumido en un caos a todos los niveles, está sólo a dos puntos por detrás del Barcelona.

Por tanto, en los siguientes partidos de LIga, la plantilla es consciente que un esfuerzo más puede verse recompensado con un rédito de puntos que puede ser fundamental de cara al desenlace de la Liga.

El planteamiento que el técnico transmite a sus jugadores es el que se basa en la idea que hay que ir “partido a partido”, pero la realidad de que si se sale airoso de la ‘etapa reina’ de la Liga, las vacaciones de Navidad serán más tranquilas y el regreso al trabajo en el 2009 será menos traumático.

Los futbolistas también son perfectamente conscientes de que entre noviembre y diciembre no se pueden ganar Ligas, pero sí que se pueden perder y no estaría de mas contribuir a eliminar rivales en la carrera por el título.

Después de dos partidos ante el Basilea y el Benidorm en los que el equipo ha puesto los pies en el suelo y ha bajado de la nube a la que se les había subido con toda justicia a causa de su juego excelente que practicaban, Huelva se presenta como la primera estación para afrontar seis jornadas de Liga que podrían ser cruciales y aclarar el panorama de la competición.

Después del compromiso en el Colombino, el Barça recibirá al Getafe antes de iniciar el ‘tour de force’ con el que se acabará el año. Visita a Sevilla, partido en casa ante el Valencia, clásico ante el Real Madrid y último partido del año en Villarreal.

Si en la Liga los partidos son decisivos, en la competición europea tampoco se puede apartar el pie del acelerador porque el partido del día 26 de noviembre ante el Sporting es fundamental para conseguir el primer puesto del grupo. Condición que vendría a asegurar un próspero inicio de año 2009 también en Europa, donde tampoco cabe relajación posible.


Romario: “Ronaldinho y Adriano pueden salir de fiesta… pero tienen que rendir después”

Romario siempre entra al trapo, por eso, no ha tenido ningún reparo en opinar sobre la última farra de Adriano y Ronaldinho en Milán, que le ha costado al ‘Emperador’ su ostracismo

“Todo el mundo sabe que yo siempre fui un tío bohemio, salía siempre, pero también siempre cumplía, todos tienen derecho en hacer lo que crean mejor, pero tienen el deber de llegar al campo y dar lo mejor de sí”, explicó. El ‘Baixinho’ rompió una lanza a favor de ambos: “Yo continúo creyendo que son jugadores que pueden ayudar a la ‘seleção’”.


ES UNO DE LOS FAVORITOS PARA GANAR EL ‘GOLDEN BOY’

Bojan puede ser el nuevo ‘chico de oro’ del Barça

Bojan Krkic podría conseguir su primer trofeo continental Foto: MARC CASANOVASEl canterano es el gran favorito a conseguir este trofeo que premia al mejor futbolista joven del fútbol europeo

Bojan Krkic llegó la temporada pasada al Barça. Tuvo suficiente con un solo año para que, todos aquellos quienes no le conocían de su etapa en el fútbol base, aprendieran su nombre. Los doce goles que marcó –10 en Liga, 1 en Champions y 1 en Copa– son suficientes razones para darse a conocer en Europa.

Tanto que el de Linyola es uno de los grandes favoritos para ganar el Golden Boy, un premio que, desde hace seis años, entrega el rotativo italiano Tuttosport. El primer ganador fue el hoy futbolista del Real Madrid Rafael Van der Vaart, que entonces jugaba en el Hamburgo. Tras él, ganaron Rooney (Manchester), Messi (Barça), Cesc (Arsenal) y Agüero (Atlético).

El Golden Boy es un premio que otorgan periodistas. El primer paso lo dan desde la redacción del diario italiano, donde confeccionan una lista de 40 jugadores sub’21. A partir de ahí, 30 periodistas de 20 países diferentes hacen sus votaciones. Y, entre los diez finalistas, dos serán jugadores del Barça, Bojan Krkic y Sergio Busquets. De hecho, Bojan es uno de los que más posibilidades tienen de lograr el premio. El de Linyola estará, seguro, entre los seis primeros clasificados. Sus grandes competidores para recibir el trofeo son el futbolista del Arsenal, Teo Walcott, el delantero del Manchester United, Anderson, el también brasileño del Milan, Pato, y el punta del Inter de Milan, Balotelli. Además, el Kun Agüero vuelve a estar entre los favoritos, por lo que tiene posibildades de ser el primer jugador que lo gana dos años consecutivos. De todas maneras, Bojan sólo debe temer por estos cinco futbolistas.

Pero el delantero blaugrana no es el único jugador del Barça que está entre los 40 nominados para lograr el Golden Boy. Sergio Busquets ha entrado con fuerza en la elite del fútbol mundial esta temporada y también está en la lista, aunque no está entre los grandes favoritos. Eso sí, el centrocampista tiene un puesto asegurado entre los diez primeros.

Está previsto que el ganador del premio se dé a conocer de forma posterior al Balón de Oro, que entrega France Football. Las fechas previstas, aunque aún no están decididas, serán entre mediados el mes de diciembre y Navidad. Será entonces cuando el rotativo italiano nombre al sucesor del Kun, si no logra su segundo trofeo. Y es que, seguramente, el único peligro de Agüero es Bojan Krkic, puesto que, de entre los favoritos al Golden Boy, es el que más méritos hizo la pasada campaña. No sólo por ser uno de los más jóvenes, sino por sus grandes actuaciones.

LA FRANQUICIA BLAUGRANA EN EE.UU PODRÍA CONTAR CON EL PUNTA FRANCÉS

Claure: "Henry suena para estar en Miami en el 2010"

Marcelo Claure defiende la franquicia de Miami para la MLS

El empresario boliviano aseguró a Ona FM que el nombre del club se elegirá a través de un concurso mundial

Marcelo Claure, empresario boliviano y socio del Barça en la construcción de la franquicia blaugrana en la Major League Soccer, aseguró ayer en el programa La Graderia, de Ona FM, que “se ha hablado sobre la posibilidad” de que Henry “esté en Miami en el 2010”, fecha en la que, si todo va como está previsto, la nueva entidad empiece a competir.

“Sí lo hemos hablado, pero la prioridad siempre será del Barça. Lo escogeremos en un comité técnico, pero lo decidirán ellos, que son los que más saben de fútbol. Henry suena, pero hay muchos más nombres”, aseguraba Claure, que, eso sí, está convencido de que sería el hombre ideal porque “siempre que hace entrevista con medios en Estados Unidos explica cuánto le gusta este país”.

El empresario boliviano está convencido de que la MLS les elegirá como nueva franquicia, para la que están trabajando desde hace tiempo. De hecho, explica, “en menos de una semana tenemos a 3.500 personas registradas en nuestra web y cada día aumentamos entre 500 y 1.000 socios”.

Claure no quiso manifestarse sobre el diseño de la camiseta, del escudo ni de los colores, aunque sí tiene claro que “será una combinación entre la ciudad de Miami y el Barcelona. Queremos hacer una integración entre un gran equipo de fútbol y una gran ciudad”. Lo que se someterá a sorteo será el nombre de la franquicia, puesto que, pese a que en estos momentos su página web es www.miamifcb.com, aún no está decidido: “Vamos a realizar un concurso abierto a todo el mundo para que la gente nos dé ideas. No sabemos si llamarlo Barcelona América, Barça América, Miami Barça... queremos que todos los aficionados y seguidores que el Barça tiene en el mundo decidan”.

Está previsto que, si otorgan la franquicia, se empiece a jugar en marzo de 2010, aunque en unas dos semanas se sabrá la noticia, por lo que “sólo tendremos 15 meses para montar un club, un equipo de fútbol, lo haremos con un tiempo apretado, buscaremos el nombre, los colores, será lo más divertido del proceso”. Claure también destacó el papel de Laporta: “Es un visionario, avanzado a su tiempo, con la voluntad de hacer crecer al club”.


Thiago aún no está a punto y cogerá ritmo en el juvenil

Thiago Alcántara jugará esta mañana con el juvenil A del Barça Foto: MARC CASANOVAS

Thiago Alcántara recibió esta semana el alta médica una vez se recuperó de la fractura de costilla que le había dejado en el dique seco en las últimas jornadas, pero hoy todavía no será de la partida frente al Gavà

Luis Enrique prefirió que el internacional sub’17 se entrenara ayer con el juvenil y hoy juegue con el equipo de Alex García ante el San Francisco para que adquiera el ritmo de competición. El segundo entrenador del equipo, Joan Barbarà, argumentó que “ante todo queremos mirar por el bien del jugador y tras dos meses de lesión, lo que más le conviene es jugar. Su predisposición cuando se lo hemos comunicado ha sido muy buena y ha demostrado una gran madurez”.

El cuerpo técnico también estaba pendiente de la decisión que pueda tomar Pep Guardiola esta mañana ya que debe descartar a dos jugadores de campo y Víctor Sánchez o Pedro podían ser alguno de ellos. Cabe recordar que el tinerfeño reforzó al filial la pasada semana en Terrassa sin haber realizado ningún entrenamiento previo con el Barça Atlètic y hoy podría repetirse la historia.

A expensas de la decisión de Guardiola, Luis Enrique convocó a los 17 jugadores disponibles, incluido Rubén Rochina, quien esta semana ha participado en unos entrenamientos de las categorías inferiores de la selección.

En cuanto al Gavà, Toni Llebaría perdió definitivamente a Crivillé por un esguince de tobillo, mientras que Quino fue ayer intervenido por la rotura del ligamento cruzado anterior de la rodilla dercha. Por su parte, Guira y Sanou continúan con la selección sub’21 de Burkina Faso.


EL PRIMERO OBJETIVO ES VILLA

El regalo de reyes del Man City asciende a ¡243 millones de euros!

Villa, objetivo del City

Manour Bin Zahid Al Nahyan ha puesto a disposición de Mark Hughes la friolera de 243 millones de euros según informa la Gazzeta dello Sport

Mark Hughes tiene a su disposición una cantidad ingente de dinero para atraer hacia el Manchester City los jugadores que precise y una parte ya la tendría disponible para el mes de enero.

Los objetivos del técnico del City son variados y algunos ya los han considerado imposible como Torres o Kaká pero preveen que llegue a ser hasta fácil llevarse buenas perlas que aunque no estén en el mercado los petrodólares facilitarían mucho la salida de los jugadores.

En el Daily Mirror comentan que Villa sería uno de los objetivos del City y lo han tasado en 47 millones de euros. A parte del ariete también estan en busca de un defensa central y centrocampista para reforzar el equipo.

Las piezas para las otras posiciones serían Wayne Bridge del Chelsea y Diarra, el del Portsmouth, que esperan conseguir por unos 19 millones de euros.


LA ÚLTIMA

El hombre que susurraba a los generales

Martí Perarnau

Quizás yo esté equivocado, pero creo que el Pep Team llega a sus tres partidos clave de la primera vuelta liguera y no me refiero al ‘Himalaya’ de diciembre, sino a los encuentros ante Recre y Getafe más el derby, por supuesto, contra el Madrid de Schuster (o de otro técnico). ¿Por qué? Pues por dos razones: porque vencer a Recre y Getafe significa iniciar la escalada de diciembre con el liderazgo afianzado, tanto el de puntuación como, sobre todo, el de la jerarquía. Con mayor o menor ventaja, pero líder rotundo y fecundo. Y porque vencer al Madrid malherido (que se habrá jugado tres días antes la clasificación de Champions contra el Zenit) puede ser un punto de inflexión definitivo y negativo para el club blanco, al igual que lo fue en sentido inverso el empate a tres de hace dos temporadas en el Camp Nou. Por esas dos razones, los tres partidos que cito me parecen relevantes y trascendentes. Perder puntos en las visitas al Sevilla y Villarreal o recibiendo al Valencia puede resultar más o menos doloroso, pero entraría en las previsiones pues nadie puede soñar que el ‘Himalaya’ no se cobre algún peaje. Pero serían apenas unas punzadas de dolor en el cuerpo del Barça. Unos tropiezos perfectamente asumibles en cualquier hoja de ruta.

A cambio, el equipo precisa concluir en victoria los otros tres encuentros. Los dos frente a equipos más débiles y el del enfrentamiento eterno con el Madrid. Tres partidos que pondrán a prueba si esto (los buenos resultados y las grandes sensaciones) es normal o no. Guardiola ya ha demostrado que no regala expectativas falsas. Si acaso, al revés, practica la motivación inversa: deshinchar globos de inmediato, rebajar las ínfulas, empezar desde cero cada día. Las expectativas son uno de los grandes enemigos del deportista, de ahí que Pep ande echando agua al fuego. En cuanto advierte la menor llama procede a abrir la manguera, sea en forma de rotaciones, multa, advertencia, sermón o declaración pública. Hoy mostrará nuevamente ese rostro de bombero de las ínfulas cuando aparezca en rueda de prensa elogiando al Recre y metiendo presión a los suyos para que no se duerman en los laureles. Guardiola es como aquel plebeyo que caminaba junto al general vencedor en su paseo triunfal por la Roma imperial y le susurraba sin cesar: “Recuerda, Octavio, que eres mortal...”.


Viñeta Caye



Escrito por fraja8 às 12h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Fred: "Quero ser decacampeão"

por Ricardo Espina


Fred: sonho de ser decacampeão com o Lyon

Os sete títulos conquistados pelo Lyon nas últimas temporadas e a hegemonia do clube no futebol francês ainda são insuficientes para Fred. O atacante tem como planos sagrar-se decacampeão da Ligue 1 por um motivo especial: é o mesmo número de títulos estaduais consecutivos conquistados por seu América-MG, clube no qual foi revelado.

Em entrevista à Trivela, Fred comentou sobre o domínio total do OL na França, de sua situação atual no clube e seus planos para o futuro. Aliás, ele pretende voltar à Seleção. “Jogar na Seleção e, principalmente, se manter lá é muito difícil. A concorrência é muito grande e só temos atacantes de alto nível. Só na minha posição temos o Adriano e Luís Fabiano, para não citar outros. Mas a minha hora vai chegar e vou agarrá-la de maneira definitiva, pois quero estar na África do Sul e balançar as redes em uma Copa do Mundo novamente”, disse.

Fred também abordou um momento complicado de sua carreira. Pouco antes do início da Copa América, em 2007, o atacante fraturou o pé direito em um treino da Seleção e ficou de fora do torneio. Começavam as dores de cabeça para o jogador. Ele demorou para se reapresentar ao Lyon e causou a irritação do presidente Jean-Michel Aulas, que quase o dispensou. Superado o problema, o brasileiro garante ter aprendido uma lição. “Depois deste episódio, cresci como ser humano e como profissional, pois voltei com mais fome de gols”, comentou.


Qual comparação você faz entre os estilos de trabalho dos treinadores Claude Puel e Alain Pérrin? Houve realmente algum problema entre os jogadores e Pérrin na temporada passada?

Os dois são grandes treinadores. O Alain Pérrin saiu por uma opção da diretoria. Sempre há um desgaste entre elenco e comissão técnica e entre os próprios jogadores, mas acredito que não quiseram continuar com ele por conta da diretoria querer apostar em uma nova filosofia de trabalho, como a do Claude Puel. Ele chegou este ano credenciado pelas boas campanhas que fez com o Lille nos últimos anos, sendo vice-campeão com o clube (temporada 2004/05) e chegou a disputar até a Copa dos Campeões. Com ele no comando, o Lille até venceu o Manchester (temporada 2005/06). Ele sabe como armar um bom time.

Como você explica tamanha hegemonia do Lyon na França? Por que os demais clubes não conseguem atingir o mesmo nível da equipe?

Dois fatores são essenciais para nos mantermos no topo: o elenco e a regularidade. O Lyon não tem um setor que não tem pelo menos dois bons jogadores em nível de seleção. Você pode perceber a quantidade de grandes atacantes que passaram por aqui nestas conquistas. Só para citar alguns, lembro do Sonny Anderson e do Élber. Além disso, o clube sabe manter uma temporada regular e não costuma tropeçar nos clubes pequenos e vence, com uma boa freqüência, os confrontos diretos com os principais rivais na briga pelo título.
 

Por que o Lyon não demonstra a mesma força exibida na Ligue 1 na Liga dos Campeões? O que falta à equipe para ela se dar bem na LC?

Não vejo como uma questão de falta de força na Europa. Acredito que o clube tem pecado em pequenos detalhes na hora dos mata-matas. Mas sabemos nos impor no torneio. Você pode ver isto por conta do nosso desempenho contra grandes clubes que, inclusive, já foram campeões europeus. Real Madrid, Bayern de Munique e PSV são alguns dos times que já vencemos. E tanto eles quanto outras grandes potências sempre têm dificuldades para nos vencer. O nosso time é “chato”. Outro fato interessante é que já fomos eliminados por clubes que acabaram sendo campeões no mesmo ano, como o Porto, em 2004, e o próprio Manchester, na temporada passada. O Lyon é um clube relativamente novo, com menos de 60 anos de existência, e acredito que já é forte na Europa e a sua hora está prestes a chegar. É trabalhar e provar que somos capazes.
 

Houve rumores de uma possível transferência para o Olympique de Marselha, Paris Saint-Germain. O que há de verdadeiro nisso? Você vê seu futuro no Lyon?
A imprensa francesa sempre especula muito. Jogo no maior time da França e, por isso, qualquer notícia sobre mim se torna grande. Quando pedi para ser emprestado, por conta do momento difícil que passava em minha vida particular, muito se falou sobre a minha saída e, quase tudo, era mentira. Contudo, o interesse do Paris Saint-Germain foi verdade. Eu tinha interesse de voltar para o Brasil e jamais jogar por um clube rival. Aqui na França só jogo pelo Lyon e nem precisam tentar me convencer a jogar por outro time. Tenho um respeito enorme pelo clube e pela torcida.
 

Na temporada passada, quando você se machucou antes da Copa América, passou por momentos difíceis, teve alguns problemas disciplinares e irritou o presidente Jean-Michel Aulas. Qual foi o tom da conversa entre você e o dirigente? O que você tirou de lição depois disso tudo?

Aquele período foi muito frustrante. Estava em alta e a Copa América era o “meu torneio” com a seleção. Era uma grande chance de cavar o meu lugar definitivo no elenco. O que aconteceu foi um problema de diálogo entre as duas partes e opiniões diferentes sobre o meu tratamento. O presidente queria que eu voltasse e me curasse no clube, mas eu quis ficar no Brasil e me recuperar por aí, já que o Cruzeiro me ofereceu a sua estrutura. Estava desiludido e queria ficar junto de meus familiares, para superar o baixo astral. Havia também uma pendência financeira. Nós conversamos cara a cara e resolvemos o problema, como dois homens fazem. Ele é um grande dirigente, pois só a hegemonia do Lyon no país já prova a sua capacidade. Depois deste episódio, cresci como ser humano e como profissional, pois voltei com mais fome de gols (risadas).
 

Quando você estava em baixa, Benzema ganhou espaço no Lyon e explodiu. Como é a convivência com ele? Na Eurocopa, ele não teve um desempenho tão bom pela França e foi muito criticado, mas voltou a ter boas atuações no Lyon. Por que ele vai tão bem na equipe e não consegue manter o nível na seleção?

Ele é uma excelente pessoa e torço pelo seu sucesso. O Benzema soube aproveitar o espaço no time titular e não decepcionou. Acho que ele é um ótimo jogador e acredito que ainda podemos formar uma grande dupla de ataque. O Lyon ganharia muito com nós dois em campo. Sempre que jogamos juntos, o resultado nos favorece.
Acho que ele não foi tão ruim na Eurocopa como todos falam. Ele é novo e ainda está se adaptando com a pressão da seleção francesa, que é grande por aqui. Desde que a “geração Zidane” elevou o nome do país, sempre há uma grande expectativa em cima de novos e promissores jogadores, para que eles façam tudo o que a seleção conseguiu recentemente. Ele ainda será a maior estrela do país. É uma questão de tempo e de adaptação ao esquema de jogo do time.
 

Após o episódio da Copa América, você não foi mais chamado para a Seleção. Acredita que tem chance de voltar a ter uma chance na equipe? Como avalia a concorrência?

Claro que sim. Acredito nos meus gols e nos critérios do Dunga. Ainda não fui chamado porque não tinha conseguido uma boa seqüência de jogos como tem sido agora. No início do ano, fiz 12 partidas como titular e marquei oito gols. Logo depois, saímos de férias (45 dias) e, infelizmente, me lesionei na pré-temporada. Mas, agora, tudo isso é passado. Jogar na Seleção e, principalmente, se manter lá é muito difícil. A concorrência é muito grande e só temos atacantes de alto nível. Só na minha posição temos o Adriano e Luís Fabiano, para não citar outros. Mas a minha hora vai chegar e vou agarrá-la de maneira definitiva, pois quero estar na África do Sul e balançar as redes em uma Copa do Mundo novamente. A sensação é muito boa...
 

Juninho Pernambucano é quase um “deus” em Lyon. Como ele lida com essa imagem? Você não se sente ‘ofuscado’ por ligarem à imagem dele quando se referem “ao brasileiro do Lyon”? Até quando ele pensa em jogar pelo clube?

O Juninho é um cara bacana e acho que reage com naturalidade. Todo esse status que ele tem é fruto do ótimo trabalho que ele faz e por conta da excelente pessoa que ele é. Ele esteve em todas as sete conquistas do Lyon e tem mais é que ser valorizado mesmo. Eu procuro me espelhar na sua dedicação para crescer ainda mais como jogador. Não acredito que ele ofusque a mim nem a outros jogadores. Pelo contrário, ele é uma boa referência para o time e, por isso, todos os nossos adversários nos respeitam.
 

No Lyon, você perdeu a condição de titular absoluto da equipe. Como fazer para retomar essa posição e ter o mesmo status de antes?

Trabalhando duro e fazendo gols. Já voltei à minha velha forma e acho que vou atingir um nível melhor ainda, pois estou mais maduro. Hoje acredito que estou mais preparado para agüentar a pressão por resultados e filtrá-la de uma maneira positiva para ajudar dentro de campo. Vou me firmar no time titular por conta do meu futebol e por conta da experiência que ganhei com estas dificuldades que tive na carreira.

Você está desde 2005 no futebol francês. Acredita ter chances de se destacar em um centro de maior tradição (Inglaterra, Itália...)?

Só vou conversar com outro clube quando todas as possibilidades de renovação com o Lyon estiverem esgotadas. Mas é claro que pretendo atuar em outro grande centro da Europa. Acho que me daria melhor no futebol espanhol, pois, lá, há espaço para se jogar. Porém, a Inglaterra me encanta pela emoção do campeonato; e a Itália pela tradição dos clubes de lá. Mas quero deixar claro que não estou saindo do Lyon. Quero ser decacampeão com o clube – como é o meu América Mineiro – e também conquistar a Copa dos Campeões.


Roma e Lazio fazem dérbi de opostos no Olímpico

por Equipe Trivela.com


Zárate tem sete gols na Série A

Separadas por 14 pontos na tabela do Campeonato Italiano, Roma e Lazio se enfrentam neste domingo, no estádio Olímpico, no dérbi que fecha a 12ª rodada. A Roma, que nas últimas temporadas rivalizou com a Internazionale pelo título, faz uma campanha decepcionante e está à margem da zona de rebaixamento. Enquanto isso, vê a rival disputar as primeiras posições.

Embalada pela contratação do atacante argentino Mauro Zárate, que marcou sete gols no campeonato, a Lazio ocupa o quinto lugar na classificação com 22 pontos, dois abaixo da líder Internazionale. A dupla formada por Zárate e pelo macedônio Goran Pandev é responsável por 12 dos 21 gols que fizeram do time 'biancoceleste' o de melhor ataque na competição.

O técnico Delio Rossi ainda completa seu tridente ofensivo com Tommaso Rocchi, que se recuperou de uma lesão sofrida durante os Jogos Olímpicos e marcou duas vezes na vitória por 3 a 0 sobre o Siena, no último fim de semana.

A Roma, 17ª colocada com apenas um ponto de vantagem sobre o Bologna, que abre o grupo dos três últimos, volta a depositar suas esperanças em Francesco Totti. O problema é que o capitão 'giallorosso' saiu com dores no joelho do treino desta sexta-feira e, apesar do otimismo sobre sua presença em campo no dérbi, não se sabe ao certo em que condições ele estará.

O meia brasileiro Rodrigo Taddei, com um problema na coxa, é dúvida. No meio-campo, David Pizarro cumpre suspensão e Alberto Aquilani não deve se recuperar de uma lesão muscular. A maior preocupação é com Daniele De Rossi, que machucou o pulso em uma queda no treinamento de quinta.

Depois de quatro derrotas consecutivas na Série A, a Roma chegou perto de voltar a vencer no último fim de semana, mas ficou no empate por 1 a 1 diante do Bologna, com um gol contra de Cicinho nos acréscimos. Antes, o time de Luciano Spalletti havia feito sua melhor partida da temporada na vitória por 3 a 1 sobre o Chelsea, pela Liga dos Campeões.

Inter defende a ponta

A Inter foi alcançada na quinta-feira pela Juventus, que goleou o Genoa por 4 a 1 no jogo que abriu a rodada, mas pode se isolar na liderança neste sábado, quando visita o Palermo. O técnico José Mourinho deixou Adriano de fora da relação de convocados pelo quinto jogo consecutivo (quatro deles na Série A), e também barrou Ricardo Quaresma, que vinha tendo más atuações.

Recuperado de contusão, o meia ganense Sulley Muntari está confirmado entre os titulares do time 'nerazzurro'. No Palermo, décimo colocado com 16 pontos, Antonio Nocerino está suspenso e Fabrizio Miccoli luta para ter condições de jogo após uma pancada em um treinamento.

O Milan é favorito para derrotar o Chievo, penúltimo colocado, em San Siro. O time de Carlo Ancelotti perdeu a liderança ao empatar com o Lecce no último fim de semana, mas aposta na boa fase de Ronaldinho, que marcou nos últimos três jogos oficiais.

Na equilibrada disputa pela ponta, quem também tem mostrado força é o Napoli, que vai a Bérgamo enfrentar a Atalanta.

Veja os jogos da 12ª rodada da Série A:

Quinta, 13/novembro
Juventus 4x1 Genoa

Sábado, 15/novembro
Palermo x Internazionale (17:30, ESPN Internacional, Esporte Interativo, Sportv 2 e RAI)

Domingo, 16/novembro
Atalanta x Napoli (12:00, ESPN Internacional e RAI)
Cagliari x Fiorentina
Catania x Torino
Milan x Chievo (12:00, ESPN Brasil e Esporte Interativo)
Sampdoria x Lecce
Siena x Bologna
Udinese x Reggina
Roma x Lazio (17:30, ESPN Internacional e RAI)



Escrito por fraja8 às 11h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




TheGame - football blog

Ahead of TheGame: FA charge Drogba over coin incident

DidierdrogbaafpThe news in 60 seconds

FA CHARGE DROGBA OVER COIN INCIDENT
The Chelsea striker has been charged with violent conduct by the FA after he threw a coin into the crowd during the Carling Cup defeat by Burnley on Wednesday. He has been given until 6pm tonight to respond to the charge.
http://www.timesonline.co.uk/tol/sport/football/premier_league/chelsea/article5155050.ece

LAMPARD SAYS FANS SHOULD BE PUNISHED
The midfielder has defended Didier Drogba and believes the FA should take stronger action to protect players from the actions of the crowd. "I take quite a lot of corners and it's not unusual to get things thrown at you and lots of abuse too and I think it's got to a stage now where it's got to stop," he said.
http://www.timesonline.co.uk/tol/sport/football/premier_league/chelsea/article5154290.ece

FERGUSON ASKS REFS TO DEVELOP SKILLS
The Manchester United manager wants Premier League officials to improve their speed of thought on the pitch. "You need to hone skills, improve and develop them," he said. "Making decisions quickly and accurately is key. It is not about fitness. Referees are full-time. We expect them to be fit. It is their decision-making we want to improve."
http://www.timesonline.co.uk/tol/sport/football/premier_league/manchester_united/article5156049.ece

MEGSON BACKS LIVERPOOL FOR TITLE
The Bolton manager thinks that Rafael Benitez's team can win their first domestic title in 18 years. "They are genuine contenders every year but what has happened this season is that they've got off to a good start," he said. "They seem settled and they are flying."
http://www.timesonline.co.uk/tol/sport/football/premier_league/bolton/article5155876.ece

BRUCE PREPARES FOR RELEGATION FIGHT
The Wigan manager admits that his team have a battle to stay in the Premier League just 12 matches into the season. "I've never known it this tight before and it just shows you what kind of league it is this year," he said.
http://www.timesonline.co.uk/tol/sport/football/premier_league/wigan/article5155704.ece


Bill Edgar's fiendish Friday quiz

Here are ten more teasers for you. Come back on Monday for all the answers and click below to find out the answer to yesterday's question.

1. Which of the following finals of the Football League Trophy (competition for bottom two divisions currently known as the Johnstone’s Paint Trophy) produced an attendance of more than 80,000?

A Bristol City v Stoke City, 2000
B Wolverhampton Wanderers v Burnley, 1988
C Birmingham City v Tranmere Rovers, 1991

2. How many successive league titles did Rosenborg win in Norway from the 1992 season onwards (a Norwegian season is completed within a calendar year)?

A 7
B 10
C 13

3. Four of the 92 league teams in England have names starting with A (Accrington Stanley, Aldershot Town, Arsenal and Aston Villa). How many of Scotland’s 42 league clubs have names beginning with A?

A 3
B 5
C 7

4. Which country was represented by all four Uefa Cup semi-finalists in 1980?

A Italy
B West Germany
C Spain

5. No English or Scottish club reached any of the 12 Uefa Cup finals from 1988 to 1999, but how many have played in a Uefa Cup final since then?

A 3
B 5
C 7

6. How many times have Manchester United finished runners-up in the Premier League over the past ten seasons?

A Once
B Three times
C Five times

7. Before this weekend’s matches, which team have conceded the most penalties in the Premier League?

A West Ham United
B Portsmouth
C Newcastle United

8. Which of the following clubs advertised their local newspaper on their shirts from 1995 to 1997?

A Charlton Athletic
B Portsmouth
C Wigan Athletic

9. Who said the following after Glenn Hoddle refused to pick him for England: “I thought Christians were supposed to forgive people their sins but that doesn’t seem to be the case with me”?

A Chris Sutton
B Ray Parlour
C Matt Le Tissier

10. Ahead of this weekend’s matches, Joe Kinnear has been in charge of Newcastle United for six games. How many of those have been live on television?

A 4
B 5
C 6



Escrito por fraja8 às 11h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Times Online


Sir Alex Ferguson almost made Canada his goal

src="/tol/js/m24-image-browser.js" type=text/javascript> src="/tol/js/tol.js" type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript>
Ferguson, then Scotland manager, takes training with his assistant Walter Smith in Israel (SNS)

As Sir Alex Ferguson talked of today's 50th anniversary of his entry into senior football as a 16-year-old centre forward playing for Queen's Park in the Scottish League second division, he remarked on how quickly the time had passed.

He also dared to wonder how different things might have been had he carried through a plan to move to Canada after reaching an impasse as a young striker at St Johnstone.

It is a little-known story, touched upon only briefly in his autobiography, but Ferguson maintains that he was deadly serious about emigrating - and turning his back on football - having been tempted by the prospect of a higher wage for toolmaking, the trade in which he served his apprenticeship while playing for St Johnstone and, earlier, Queen's Park.

“At that time toolmaking was a great trade in Canada and it was well paid,” Ferguson said yesterday. “I was at St Johnstone at the time. It was a great opportunity, but then things change and that is fate.”

In his autobiography, referring to a series of heavy defeats in St Johnstone's reserve team, Ferguson wrote: “Those were results to harden the depressing conclusion that my football career was grinding to a halt. It was about then that I began to contemplate emigration to Canada. Privately, as I surveyed my lack of progress in the game, I had to admit that I was by no means blameless. If you want to make it as a player, you have to be fully committed and willing to make sacrifices. In both respects I was coming up short. I wasn't in love with toolmaking, but having to serve my apprenticeship meant I couldn't really get my teeth into football, which I did love.

“My attitudes were in a mess and the notion of crossing the Atlantic grew increasingly attractive. Toolmakers were in demand in Canada and I knew quite a few who had gone there and were earning far more than they had in Scotland. Of course what I was really doing in that winter of 1963 was looking for an easy way out of my troubles.”

Manchester United's supporters can only begin to wonder how different life might have been had Ferguson been lost to British football, but yesterday his rival managers queued up to pay tributes to his achievements. “Sir Alex's contribution to football, not only in England but in the world, is huge,” Luiz Felipe Scolari, the Chelsea manager, said. “I want, in my life, to follow this man and his history. He's an inspiration.”


Jack Wilshere can follow in Theo Walcott's footsteps

src="/tol/js/m24-image-browser.js" type=text/javascript> src="/tol/js/tol.js" type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript> type=text/javascript>
Arsenal's English Midfielder Jack Wilshere in action during their Carling Cup 3rd round match against Sheffield United

Arsenal manager believes that the 16-year-old midfield prodigy could play a part for England in the 2010 World Cup finals

Arsène Wenger is not a manager to jump the gun. He mostly takes the long-term view, always considering the bigger picture. He does, though, have a sense of mischief and, perhaps in that frame of mind yesterday, he suggested that Jack Wilshere, the 16-year-old Arsenal prodigy, could play a part for England in the 2010 World Cup finals in South Africa.

Wenger believed that Theo Walcott, at 17 and without a top-flight appearance to his name, could possibly play for England in the 2006 World Cup finals in Germany. Sven-

Göran Eriksson, the head coach at the time, took the hint, including Walcott in his squad, but he cut a peripheral figure, did not feature in any England match and returned home to continue his education.

Wenger believes that Wilshere, who impressed in the 3-0 victory against Wigan Athletic in the Carling Cup fourth round on Tuesday but will not play against Aston Villa today, could follow a similar path. Age is on his side, too. “In 2010, Jack will be 18,” Wenger said. “Theo was 17 and had never played a single Premier League game and had not grown like Wilshere has now.

“Wilshere now will come in and

out of the team, he'll play in the Champions League and the championship. We have to assess that situation in two years. So let him develop and play and, when he is ready, he will play [for England]. You can never rule out the possibility.”

Born in Stevenage, Hertfordshire, Wilshere's languid manner in midfield and left-footed preference have drawn comparisons to Liam Brady, the former Arsenal and Ireland idol who is the club's head of youth development. He can expect a quick step up from the England Under-17 squad to the under-21s for their friendly in Norway on March 27.

“I believe the FA have decided the first step for him is to move him up to the under-21s and see how he deals with that,” Wenger said. “I don't know if they [the FA] have made the definite decision about Wilshere and the under-21s but they are considering it. Then the pressure starts.”

As with Walcott and Cesc Fàbregas, the Spaniard, Wenger will monitor Wilshere's progress closely. “I think he will make it here,” Wenger said. “The evolution of a boy is the mental aspect as well. From now to 18 or 19, we will see how he copes with that.

“I think we did the right thing with Theo. Until they are 19, you are not to consider them as a regular. The exception we have had is Cesc, but he had a very mature game.”


Elano fined($$$) for speaking out of turn

Mark Hughes gets tough with Brazilian forward in crackdown on club discipline

Mark Hughes, the Manchester City manager, has issued a stark warning to his squad not to cross him after Elano became the second player to be fined in less than two weeks for a breach of club discipline.

Elano appeared to question Hughes's managerial style during a television interview on Tuesday, which drew an angry reaction from the manager and resulted in the Brazil playmaker being fined a week's wages of about £40,000.  

Hughes called Elano into his office this week and told him that any grievances should be aired privately and that he would not tolerate players talking out of turn. “Elano has been fined - they were inopportune [remarks] and he made a mistake,” said Hughes, who will be looking for an improvement from his team away to Hull City tomorrow after back-to-back defeats in the Barclays Premier League.

“We discussed it and he understands that it was wrong. Everyone at the club knows it was wrong - you knock on my door and we speak that way. The situation has been resolved, he understands it can't happen again in the future and everyone else understands that. When those things happen, if I hadn't done it [fine him] that sends a different message.”

Elano claimed in the interview that “when I am playing I know what he [Hughes] wants and when I come off there is nothing from him”. He also said that he was unhappy at not being played as often as he would like.

Hughes pointed out yesterday that Elano had started 13 of City's 20 games in all competitions this season. “Elano is an emotional guy and he wants to play every game, which is to his credit, but sometimes I will make decisions that will affect players personally and professionally,” Hughes said. “He has to understand it can't always be about the individual player, it has to be about the team.”

“We have got players in the squad that I want to work with and use and Elano is certainly in that category because he's played a big part in the vast majority of games we've played,” said Hughes, who was given the unequivocal backing of Sheikh Mansour, the City owner, this week. src="/tol/js/m20-enter-view-comment.js" type=text/javascript> type=text/javascript>



Escrito por fraja8 às 11h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Painel FC

RICARDO PERRONE -
painelfc.folha@uol.com.br

Pano para a manga

Rubens Gomes, ex-vice de futebol corintiano, prepara documento para a Fifa sobre a comissão paga pelo clube a Marcelo Djian na contratação de Fabinho, que diz ter negociado diretamente com o presidente Andres Sanchez, sem a participação do agente. A Fifa prevê que o empresário só pode receber dinheiro do clube que adquire o atleta se o jogador der autorização por escrito. A Fifa pode punir todos os envolvidos. Segundo o ex-cartola, sua intenção é que o time seja reembolsado, pois pagou R$ 135 mil ao agente.

Divórcio. Marcelo Djian tinha contrato com Fabinho na época da negociação. O volante, porém, não o consultava mais. Decidira se desligar dele antes de retornar ao Brasil.

Dois lados. O advogado corintiano Luis Felipe Santoro atesta a participação de Djian no negócio, mas lembra que ele também é agente de Eduardo Ratinho, trocado por Fabinho. O presidente corintiano diz que a comissão é do empresário de Fabinho.

Lupa. Membros do Conselho de Orientação do Corinthians planejam questionar a diretoria na próxima reunião sobre as comissões pagas a empresários com valores superiores aos de mercado.

Carente. Cartolas santistas não ficaram surpresos com as queixas de Fábio Costa sobre a ausência de Marcelo Teixeira no jogo contra o Vasco. Contam que, sempre que vê o clube prejudicado, o goleiro pede a presença do presidente para tornar o time mais respeitado pela arbitragem.

PAC. A WTorre, que tem projeto para erguer cinco arenas no Brasil, assegura que a crise financeira não ameaça os estádios. Prevê, entretanto, que terá de adiar obras previstas em outros setores.

Velhos amigos. Desafeto de Ricardo Teixeira desde a CPI que investigou o futebol Brasileiro, Álvaro Dias (PSDB-PR) diz já ter assegurada uma vaga na subcomissão de esporte do Senado a partir do início de 2009.

Revanche. A meta de Dias agora será monitorar os gastos públicos com a Copa-14.

Calendário. Para evitarem dor de cabeça, candidatos à Copa-14 que têm seus estádios penhorados devem resolver as pendências jurídicas até 31 de julho. O Morumbi, dado como garantia de pagamento numa ação do zagueiro Amelli, não será problema, segundo o São Paulo.

Vermelhos. Conselheiros de grupo rival ao de Gilberto Cipullo no Palmeiras fazem comparação com o auge da crise vivida pelo PT para elogiar o dirigente. Dizem que, como o presidente Lula, ele tem boas intenções, mas está cercado por aloprados.

Ativos. São chamados de aloprados conselheiros que almoçaram com Estevam Soares, em meio ao caso do incentivo à Lusa contra o São Paulo, os cartolas que queriam homenagear a Ferrari e o conselheiro que peitou Luxemburgo na saída do estádio.

Dividida

"O Palmeiras subiu e comemorou. Então nós, que éramos desacreditados, temos que comemorar"
De FABINHO, volante do Corinthians sobre os festejos do clube pelo retorno às Série A do Brasileiro


JOSÉ GERALDO COUTO

O destempero de Marcos


Com seus equívocos sublimes, o goleirão do Palmeiras destoa do mundo chato das celebridades vazias


O APELIDO "São Marcos" é dos mais inadequados. Marcos é grande justamente porque não é santo. É um mortal com todas as fraquezas e contradições inerentes à sua espécie (a espécie dos homens, não a dos goleiros).
Na derrota do Palmeiras para o Grêmio, o goleiro alviverde percorreu toda a escala da condição humana em poucos minutos. Foi do ridículo ao sublime, e vice-versa, num ímpeto irresistível.
Para quem não viu: após tomar um frango na bola alçada por Tcheco, Marcos se lançou estabanadamente ao ataque, postando-se na área adversária quando restavam 15 minutos. A torcida foi à loucura. O técnico Vanderlei Luxemburgo também, mas num sentido oposto.
No dia seguinte, com a cabeça mais fria, o goleiro não tentou capitalizar o destempero a seu favor. Muito pelo contrário, confessou-se envergonhado, julgou infantil sua atitude da véspera.
Para efeito de contraste, vale lembrar a postura de Rogério Ceni, que em mais de uma ocasião deixou de admitir falhas clamorosas, atribuindo a responsabilidade aos colegas ou culpando fatores externos (o vento, a chuva, a luz). Assim vai chegar a presidente do São Paulo.
Marcos teve altos e baixos na carreira, como todo grande goleiro. Foi impecável na Copa do Mundo de 2002, mas falhou em situações decisivas, como a final do Mundial de Clubes, em Tóquio, em 1999.
Não é, portanto, a condição técnica que o diferencia dos outros bons goleiros da praça. O que torna Marcos único é a candura com que expõe sua precariedade, sua contingência, que no fim das contas é o patrimônio comum a todos nós, bípedes sem plumas, desde o infeliz Adão.
É isso o que o torna querido não só dos palmeirenses mas de todos os torcedores. Nós nos identificamos com Marcos porque vemos nele nossa fragilidade e nossas melhores potencialidades. Mesmo aos tropeços, o homem pode brilhar.
Num mundo de celebridades ocas, em que a imagem se sobrepõe a tudo (basta ver os "direitos de imagem", os "assessores de imagem" etc.), é animador ver alguém que dá a cara para bater e depois não esconde os hematomas. Se, por um desconcerto espaço-temporal, Fernando Pessoa tivesse visto Marcos, não poderia ter escrito o verso "Nunca conheci quem tivesse tomado porrada".
Maradona, Felipão, Edmundo, Muricy Ramalho e uns poucos outros, cada um à sua maneira, também se destemperam e se expõem de quando em quando, sem medo do ridículo. A coluna de hoje é dedicada a esses destrambelhados que nos salvam da vida domesticada, que é o outro nome da morte.

Festa azul
"Da ilha formosa,/ cheia de graça,/ é o time da raça." Assim começa o belo hino do Avaí, que acaba de voltar, depois de três décadas, à elite do futebol brasileiro.
Tive o privilégio de presenciar, no lotado estádio da Ressacada, a magra vitória sobre o Brasiliense que garantiu a subida do "leão da ilha" à Série A. O jogo foi feio, mas a festa foi linda. Com a melodia do velho samba-enredo "Pega no Ganzá", os torcedores cutucaram os arqui-rivais cantando: "Olerê, olará/ Figueira é Série B,/ Avaí é Série A".

jgcouto@uol.com.br


O DATAFOLHA NO BRASILEIRO

Eles sabem jogar com os pés

Rogério, Fábio e Magrão são os goleiros que melhor saem jogando

DA REPORTAGEM LOCAL

Com as investidas do palmeirense Marcos ao ataque no jogo contra o Grêmio, o debate sobre o que o goleiro pode fazer longe de sua área pautou muitas discussões.
Neste Brasileiro, não faltam exemplos de times que confiam em seus goleiros para executar essas funções.
De acordo com o Datafolha, Fábio, do Cruzeiro, Rogério, do São Paulo, e Magrão, do Sport, ostentam hoje os melhores índices de reposição de bola do campeonato.
Todos têm precisão acima dos 66%. Há dez anos, eram raros os goleiros que ultrapassavam os 60%. Com esse nível de acerto, os três estão entre os que mais inspiram confiança dos companheiros.
No São Paulo, a bola é recuada para Rogério sair jogando com os pés 7,9 vezes por jogo, o recorde do torneio. Fábio é o segundo mais acionado, com 4,3 recuos por partida. E Magrão é o quarto, com 3,8


MOTOR

Comunicar é preciso


Massa chegou à Ferrari num momento favorável, mas soube também lidar com o desafio de falar com o público


FÁBIO SEIXAS
EDITOR-ADJUNTO DE ESPORTE

MASSA FOI a atração do "Casseta & Planeta" desta terça.
Numa corrida de kart contra Hubert e Madureira, largou do fundo do grid, assumiu a ponta logo na primeira curva e passou o resto do tempo distribuindo bananas para aqueles que, em tese, deveriam ser os humoristas. "Massa esculacha, tripudia e zomba dos dois patetas!", gritou Gavião Bueno.
Depois, falou sobre a cueca da sorte, obsessão da cobertura global no GP Brasil. E, por fim, foi escada para uma piadinha que tinha Barrichello como alvo. "Quem são seus amigos na F-1?", perguntaram. "Eu tenho bastante amigo... Começando pelo Schumacher... Pelo Rubinho...", respondeu. "Ahh, o Rubinho tá em segundo lugar! É porque às vezes ele quebra!", emendaram os cassetas.
Pronto, estava construída a ponte entre o presente e o passado, entre o "vencedor" e o "pé-de-chinelo", entre o novo herói e o eterno alvo. Estava escancarado num esquete, com os propositais exageros do humorismo, os contrastes entre um e outro.
Ou o abismo entre os modos como um e outro se dirigem ao público.
Massa chegou à Ferrari num momento favorável, é verdade. Tinha idade e status que permitiam dizer a todos que estava ali para aprender com Schumacher. Mas é fato também que poderia ter metido os pés pelas mãos, falado bobagens, virado foco de piada ou recebido pecha de coitado por perder um Mundial na última curva do último GP do ano.
Virou o que virou, a ponto de "esculachar" os cassetas, porque sempre foi esperto e preciso nas declarações. E porque sempre foi muito bem assessorado por empresários e por profissionais da comunicação.
"Como faço para entrevistar o Rubinho?" Perdi a conta de quantas vezes colegas brasileiros e estrangeiros fizeram a pergunta. "Não sei."
Barrichello sempre fez as vezes de seu próprio relações-públicas. Deu um enorme passo quando admitiu ter assumido uma responsabilidade que não deveria, após a morte de Senna. Mas ficou nisso. Só nisso.
Proclamou-se piloto "1-B" ao chegar à Ferrari. Disse ser "apenas um brasileirinho tentando lutar contra esse mundo muito grande" quando foi espremido por Schumacher em Indianápolis. E desde junho de 2005 está com essa história de que vai escrever um livro contando podres sobre seu período em Maranello: "Vai me dar mais dinheiro do que eu ganhei na minha carreira toda na F-1".
Na mesma terça de Massa no kart, repetiu a bravata do livro num evento em São Paulo, notícia que foi requentada por sites do mundo todo...
Um segundo enorme -e bom- passo, agora, seria sair da F-1 de maneira honrosa. Mas não. Aos 36 anos, 16 temporadas na F-1, afirma que não sai, não sai, não sai. Apesar de saber que não há mais vagas.
Prato cheio para uma das edições de fim de ano da turma do "Casseta".

fabio.seixas@grupofolha.com.br


Muricy encosta em Luxemburgo

São-paulino está próximo de ultrapassar palmeirense em aproveitamento nos pontos corridos

Com vantagem nos jogos diretos, técnico líder do Brasileiro tem sido superior a colega do time alviverde nos últimos três Nacionais


RODRIGO BUENO
RODRIGO MATTOS
DA REPORTAGEM LOCAL

Vanderlei Luxemburgo se diz o melhor técnico do Brasil e coloca o são-paulino Muricy Ramalho como o segundo da lista. Pelos números, é possível apontar ascensão do rival.
Os dois dominam a era dos pontos corridos no Brasileiro. Muricy acumulou mais pontos desde 2003 (423) por ter trabalhado em mais, mas Luxemburgo ainda leva a melhor em aproveitamento (62,4% x 60,5%).
Mas, nos últimos três anos, a vantagem do mais caro treinador do país caiu bastante.
Matematicamente, há chance de Muricy ultrapassar Luxemburgo em aproveitamento ainda neste ano. Para isso, teria de vencer seus quatro jogos restantes e ver o palmeirense derrotado em todas suas partidas.
Próximas em aproveitamento, as campanhas revelam perfis distintos dos dois técnicos.
Com o time mais competitivo, Muricy perde menos -23% dos jogos, contra 25% do adversário. Já Luxemburgo obtém mais vitórias: 56,1% contra 52,4% do são-paulino.
Neste ano, Muricy está mais perto da terceira conquista seguida do Nacional. Luxemburgo não conseguiu o tri -também ganho por Rubens Minelli. Mas ainda é o mais vitorioso do Brasileiro, com cinco títulos.
Quando a comparação é no confronto direto, Muricy leva vantagem sobre o palmeirense. O técnico são-paulino acumula nove vitórias contra seis do ex-treinador da seleção brasileira. Há dois empates no histórico.
Neste ano, a disputa foi equilibrada: duas vitórias para cada lado e um empate. Luxemburgo levou o Paulista, e Muricy lidera o Brasileiro. Repete-se os últimos anos: o palmeirense é tricampeão estadual, e o são-paulino quer o tri nacional.
Essa seqüência vitoriosa de Muricy no Nacional fez com que a CBF o colocasse num patamar acima do de Luxemburgo para uma possível substituição a Dunga no comando da seleção brasileira, segundo a Folha apurou. Ao contrário do rival, o são-paulino não se intitula o número 1, mas se defende. "Também entendo um pouco desta coisa", costuma dizer.



Escrito por fraja8 às 11h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Sem jogar o Masters, Melo e Sá voltam ao Brasil felizes com ano

Xangai (China) - Ao contrário da chave de simples, a Masters Cup de duplas não registrou nenhuma desistência na primeira fase, o que acabou adiando o sonho de Marcelo Melo e André Sá de participar da competição. Nada, porém, que os deixasse triste. Pelo contrário, após sentir o clima do torneio, os mineiros se mostraram ainda mais motivados para dar um passo a mais em 2009.

"Tenho certeza que o ano que vem será ainda melhor. Em 2008, peguei experiência, estou mais maduro e vou ter chance de ajudar ainda mais nossa dupla. Nossa principal meta é classificar para a Masters Cup e vamos fazer de tudo. Como reserva deu para sentir o gosto do que é estar aqui", descreveu Melo em seu blog.

Após grande temporada e títulos no Brasil Open, Portschach e New Haven, os dois tiveram chances de ir a Xangai como titulares, mas acabaram em nono lugar na Corrida dos Campeões. "Foi uma grande temporada. Conquistamos três títulos, vencemos quase todas as duplas do top 10 e terminamos com nossos melhores rankings, eu em 19º e o André em 20º", completou.

Melo, que já havia relatado o encanto com as instalações
e estrutura do Masters, voltou a lembrar de passagens importantes durante a semana, como as vividas nesta sexta-feira mesmo. Além de bater bola com Roger Federer antes da grande partida com Andy Murray, eles puderam se despedir de Jonas Bjorkman, que encerrou a carreira após 17 anos como profissional.

"Foi um grande dia, começando pela despedida do Bjorkman. Acompanhamos o jogo dele e, assim que acabou, fizeram uma homenagem bem legal. E também tive o prazer de bater bola com o Federer durante quarenta minutos na quadra central, no aquecimento para o jogo contra o Murray", disse Melo.

"Vimos o jogo do Murray e do Federer até o início do terceiro set e fomos ao hotel por volta das 22h30. O (Gilles) Simon estava na recepção vendo, angustiado, esperando o términ. Quando ficou 5 a 5, ele resolveu ir para o quarto esperar o fim", comentou.

Encerrada a temporada no circuito, Melo e Sá agora pegam o avião para o Brasil e, antes de finalmente poderem descansar, jogam uma exibição em Itaparica contra Bruno Soares e Andy Ram. "Por volta do dia 7 de dezembro começamos a pré-temporada. Viajamos dia 1º de Janeiro para Brisbane, depois jogamos Sidney e o Aberto da Austrália", encerrou o melhor duplista brasileiro.



Escrito por fraja8 às 11h16
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Status de Felipe Massa turbina prova na Granja Viana

 
Tatiana Cunha
Da Folhapress
 
O vice-campeonato na F-1 rendeu a Felipe Massa um novo status. Sua agenda ficou mais apertada mesmo durante as férias, a quantidade de pedidos para fotos e autógrafos aumentou e sua presença em eventos já serve até como antídoto para a crise econômica mundial.

Um exemplo disso pode ser visto hoje, nas 500 Milhas da Granja Viana, prova de kart que vai para a 12ª edição e que sempre foi mais uma brincadeira para os pilotos no intervalo entre as temporadas das mais diversas categorias do que um evento realmente profissional.

Na esteira do sucesso de Massa, os organizadores da corrida, que tem largada prevista para as 13h de amanhã e duração de aproximadamente 12 horas, inovaram: construíram 12 camarotes com capacidade para 25 convidados cada um.

O preço é de R$ 350 por pessoa. Com direito a bufê de pães, frios, salgadinhos, crepes, cerveja e brigadeiro de colher, entre outros quitutes, é uma espécie de versão mais modesta do Paddock Club da F-1, que em Interlagos, por exemplo, fica acima dos boxes e tem visão privilegiada da área do paddock e das garagens das equipes.

"Nossa intenção era encher esses espaços, mas confesso que, apesar de ter um preço super acessível, com essa crise toda eu fiquei com medo de ficar tudo vazio", afirmou Felipe Giaffone, piloto e organizador.

"Com certeza o fato de o Felipe (Massa) ter sido vice-campeão ajudou a impulsionar as vendas porque na verdade são estes pilotos que fazem o evento. O dia em que eles saírem, acabou", completou Giaffone, que já festeja a venda de todos os camarotes com antecipação - ainda há entradas para a arquibancada, por R$ 20, vendidas no próprio kartódromo.

Com o aumento na procura, o ex-piloto da Indy já sonha em transformar a brincadeira em evento lucrativo. Inspirado no Desafio Internacional das Estrelas, prova de kart organizada por Massa anualmente em Florianópolis - neste ano será nos dias 29 e 30 -, Giaffone pretende agora atrair patrocinadores e também pilotos estrangeiros.

"Esta corrida é bastante cara porque dura 12 horas e quanto mais profissional, mais fácil para todo mundo, até para os patrocinadores", disse o piloto, que mantém a corrida basicamente com o dinheiro pago pelas equipes para se inscrever - os convidados não pagam.

Neste ano, além de Massa, Nelsinho Piquet, Rubens Barrichello, Tony Kanaan e Cristiano da Matta correm a prova.

Problemas

Maior estrela da corrida na Granja Viana, Felipe Massa não teve sorte hoje na classificação. A embreagem de seu kart quebrou e o piloto da Ferrari só conseguiu o 12º tempo. "Nunca estivemos entre os mais rápidos e talvez o problema esteja nos nossos motores. Claro que é legal largar na pole, mas em termos práticos isso não significa quase nada por causa da longa duração da corrida", disse.

Tony Kanaan, que corre com Rubens Barrichello, cravou a pole. O time de Nelsinho Piquet larga no quarto posto


Escrito por fraja8 às 10h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Voltando aos eixos para recuperar sua história, Fla completa 113 anos

Bruno Rousso
No Rio de Janeiro
 
Há exatos 113 anos, no dia 15 de novembro de 1895, era fundado na Praia do Flamengo, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, o Clube de Regatas do Flamengo. Criado especificamente para a prática do remo, o Rubro-Negro rompeu as fronteiras a partir de 1911 e invadiu os gramados, tornando-se uma das instituições futebolísticas mais vitoriosas do país.

Rafael Andrade (FI)
Rafael Andrade (FI)
A imensa torcida rubro-negra tem história e fez do clube o "Mais querido do Brasil"
Bruno Rousso
Bruno Rousso
Extensa placa exposta no prédio onde foi fundado o clube, na Praia do Flamengo
Bruno Rousso
Bruno Rousso
"Neste local em 15-11-1895 foi fundado o Clube de Regatas do Flamengo"
A primeira conquista em campo ocorreu em 1914, três anos após a criação do Departamento de Esportes Terrestres. A essa altura, o futebol já se tornara uma das grande paixões nacionais. Mas era apenas o início do que viria, no futuro, a ser conhecido como o "Mais querido do Brasil", em referência ao seu número de torcedores - estimado em cerca de 30 milhões.

Ao longo de sua rica história, o Flamengo viveu épocas áureas, mas entre o fim dos anos 90 e início dos anos 2000, passou por fase conturbada. Em diversas oportunidades, brigou contra o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, algo, aliás, que parecia iminente. Entretanto, mesmo sem ser um exemplo, a diretoria evoluiu.

O número de cartolas amadores diminuiu e o clube ganhou certo equilíbrio. A dívida ainda é grande (cerca de R$ 200 milhões), mas a saúde financeira vem melhorando aos poucos. Paralelamente a esta "volta aos eixos", a equipe vem conseguindo resultados em âmbito nacional.

"Temos de manter esta política de austeridade. Assim, em cinco ou seis anos o Flamengo não terá mais dívidas. Implantamos o profissionalismo aqui e os resultados foram expressivos. Não é por acaso que os resultados do futebol melhoraram. Isso se reflete em campo", explicou o presidente rubro-negro Márcio Braga, cujo mandato se encerra no fim do próximo ano.

Rotulado como "time regional" entre 1999 e 2001, quando conquistou o tricampeonato estadual, o Rubro-Negro se reergueu aos poucos. Ainda em 2001, conquistou a Copa dos Campões, em final contra o São Paulo. Mas era apenas um alarme falso. O grande passo foi dado mesmo em 2006, quando conquistou a Copa do Brasil, voltando, enfim, a brilhar nacionalmente.

No último Campeonato Brasileiro, o início foi ruim. Mas com dinheiro em caixa o clube contratou reforços na metade do campeonato e conseguiu surpreendente arrancada, terminando a competição na terceira colocação. Este ano, iniciou a todo vapor o nacional e chegou a liderar por dez rodadas. Mas a venda de jogadores importantes fez com que a equipe se desequilibrasse e caísse seis posições.

Contudo, mais uma vez os cofres foram a salvação. A diretoria correu atrás e trouxe reforços. Entre eles, Marcelinho Paraíba, Josiel e Rubens Sambueza, todos a um investimento considerável. Para acertar com os dois atacantes, o Rubro-Negro desembolsou cerca de R$ 2,5 milhões por cada. Em relação ao meia argentino, o gasto foi de aproximadamente R$ 2,8 milhões. Além deles, chegaram o meia-atacante chileno Fierro, os atacantes Vandinho e Fernandão, além dos meias Fernando e Everton.

Os reforços, apesar de não estarem brilhando como era esperado, deram nova vida ao time. Hoje, o Flamengo é o quinto colocado, com 60 pontos, sonha com o título e briga diretamente por uma vaga na Copa Libertadores. O líder São Paulo soma 65, seguido por Grêmio (63), Cruzeiro (61) e Palmeiras (61). Ainda está longe do sonho dos torcedores,


 
Principais títulos do Flamengo

Mundial Interclubes - 1981

Copa Libertadores da América - 1981

Copa Mercosul - 1999

Campeonato Brasileiro - 1980, 1982, 1983, 1987*, 1992

Copa do Brasil - 1990 (invicto) 2006

Copa dos Campeões - 2001

Torneio Rio-São Paulo - 1961

Campeonato Estadual - 1914, 1915, 1920, 1921, 1925, 1927, 1939 1942 1943 1944, 1953, 1954, 1955, 1963, 1965, 1972, 1974, 1978, 1979, 1979, 1981, 1986, 199,1 1996, 1999, 2000, 2001, 2004, 2007 e 2008

*
O Flamengo se considera pentacampeão brasileiro, pois conta o título de 1987 (Copa União) como oficial. Contudo, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) reconhece o Sport como campeão desta temporada. Na ocasião, os cariocas conquistaram o Módulo Verde da competição sobre o Internacional e os pernambucanos o Amarelo, após baterem o Guarani.

Estava previsto em regulamento um quadrangular final entre os campeões e vices de cada Módulo. Entretanto, o clube da Gávea e o Internacional se recusaram a participar. Desde então, a polêmica foi gerada.


Escrito por fraja8 às 10h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Agência/AP

O craque francês Michel Platini, que atualmente é presidente da Uefa, ganhou uma camisa personalizada da seleção da República Tcheca na última sexta-feira durante um evento organizado pela entidade em Praga. Político, Platini agradeceu o presente, mas, em respeito aos Bleus, não vestiu o uniforme



Escrito por fraja8 às 10h36
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Harley e Benjamin vencem final brasileira e conquistam o título do Aberto da China

Agência/Divulgação

Desde começo de 2007, Harley não perde uma decisão no circuito mundial

GLOBOESPORTE.COM Sanya, China

Cabeças-de-chave número 1 do Aberto da China, em Sanya, Harley e Benjamin bateram os compatriotas Pedro Cunha e Beto Pitta por 21/17 e 21/19 e conquistaram o título da última etapa do Circuito Mundial de vôlei de praia em 2008.

Campeão do circuito por antecipação, ao lado de Pedro Solberg, que se recupera de operação de hérnia, Harley manteve o bom retrospecto em finais. Desde o início de 2007, quando começou a parceria com Solberg, ele não perde uma decisão.

A vitória deste sábado teve gosto de vingança, já que Cunha e Pitta haviam superado Harley e Benjamin nas quartas-de-final, resultado que colocou os principais cabeças-de-chave na repescagem.



Escrito por fraja8 às 10h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




De virada, Djokovic vai à final em Xangai

Agência/Reuters

Sérvio vence batalha de 2h51m e despacha Gilles Simon da Masters Cup

Novak Djokovic teve de suar, mas conseguiu uma brilhante vitória de virada e avançou à final da Masters Cup, em Xangai. Após perder o primeiro set para o consistente Gilles Simon, número 9 do mundo, Djokovic foi mais firme e saiu com o triunfo, neste sábado, por 4/6, 6/3 e 7/5, em 2h51m.

Em sua segunda participação na Masters Cup, Djokovic, terceiro colocado no ranking mundial, chega à decisão e agora aguarda o jogo entre o escocês Andy Murray (4) e o russo Nikolay Davydenko (5) para saber contra quem lutará pelo troféu.

Aos poucos, o sérvio de 21 anos volta a mostrar o belo tênis que o levou aos títulos do Australian Open, em janeiro, e do Masters Series de Indian Wells, em março. Seus resultados na segunda metade da temporada, embora não tenham sido ruins, ficaram abaixo da expectativa.

Djokovic chegou às quartas em Toronto, foi vice-campeão em Cincinnati e chegou às semifinais no US Open, mas foi eliminado nas oitavas-de-final em Madri e Paris.



Escrito por fraja8 às 10h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ENTREVISTA - DANIEL ALVES


                Daniel Alves faz malabarismo. Jogador tem contrato
                    com o Barcelona até 2012

Daniel Alves: 'Estamos deixando a torcida do Barcelona mal-acostumada'

Lateral vibra com seqüência de goleadas do clube catalão e com sua rápida adaptação. Brasileiro revela ser parceiro de Messi: ‘É muito humilde’

Festival de goleadas

“Não esperávamos este começo tão bom. A gente trabalha para vencer sempre, estar sempre na ponta, mas não esperávamos tantos placares elásticos. Estamos deixando todos mal-acostumados por aqui. Quando o jogo fica duro ou quando ganhamos de pouco, eles ficam irritados (risos). Há clubes que vão jogar contra a gente e fazem a partida da vida deles, e se demoramos a fazer um gol a torcida se irrita.” 

Agência/EFE

Adaptação  

“Todos no clube me receberam muito bem, mas fiquei surpreso com a rapidez da minha adaptação. Minha característica dentro de campo não mudou muito em relação ao que era no Sevilla e isto foi o que mais fez com que a minha adaptação fosse rápida. Lá, o jogo passava muito pelo lado direito. Aqui no Barça, pelas características do time, o jogo vai por todos os lados do campo. Há muitas opções de ataque, com mais toque de bola e tabelas. Então, agora não tenho que atacar tanto e fica mais fácil, porque o desgaste não é tão grande. Tenho mais fôlego quando chego à frente.” 

Guardiola

“É um treinador que cobra muito dos jogadores. Sabe o que está fazendo, tem um conceito de futebol muito inteligente. Se continuar neste mesmo ritmo, tenho certeza de que vamos brigar pelos títulos que estamos disputando.” 

União do grupo

“Não posso falar sobre o passado porque não estava aqui. Neste momento me surpreende que essas notícias (de vestiário rachado) existissem, porque agora não tem nada a ver com as coisas que saíam. O grupo é bastante unido, com gente humilde e trabalhadora. Eu cada vez estou mais convencido de que acertei ao tomar a decisão de vir para o Barcelona.” 

Parceiros no elenco

“O grupo é sensacional. As pessoas são muito legais. Sempre há as pessoas que você se identitica mais. Martín Cáceres, Pinto, Sylvinho e Messi são as pessoas que mais me relaciono. Acho que é pelo fato de na maioria serem sul-americanos, como o próprio Milito também. Eu me dou bem com todos, mas estes são os mais chegados. Os que eu citei sempre sentam juntos na mesma mesa nas concentrações, junto com o Eto'o também.” 

Messi melhor do mundo

“O Messi para mim, se não for o melhor do mundo este ano, vai estar na briga com muitas chances. É um jogador excepcional e sempre digo que sou privilegiado por poder compartilhar vestiário e equipe com este jogador. É um cara superbacana. Apesar da fama e da condição de vida que ele tem, é bastante humilde. É um cara legal mesmo de se conviver.” 

Barça pode ganhar todos os títulos?

“Temos pensar em cada jogo e nas dificuldades que existem. Este é o caminho a seguir, o que estamos fazendo até o momento. Não podemos nos deixar influenciar pelos elogios que estamos recebendo e fazer o nosso trabalho, a temporada acabou de começar. Falta um mundo, muita água por rolar, e não podemos relaxar. Se fizermos isso podemos atingir nossos objetivos.” 

Meta na seleção

“O objetivo na seleção é primeiro estar no grupo. Depois, é claro que todos querem jogar, querem ser úteis. A confiança é muito importante, e eu tenho a do Dunga, já que estou sendo sempre chamado nos últimos dois anos. Infelizmente só podem jogar 11, ele opta pelo Maicon e tenho que respeitar a decisão. Tenho de estar sempre preparado para quando for solicitado.” 

Cafu como espelho

“Tenho uma referência que foi o Cafu. Sei que é muito difícil de fazer a metade do que ele fez. Mas acho que temos de ter sempre uma referência para marcar nossos objetivos. O meu é não ser mais um que passou pela seleção e sim marcar a minha história.” 

Agência/EFE

Meia-direita na seleção?

“É uma posição que conheço muito bem. Joguei meus dois primeiros anos no Sevilla nesta posição e depois voltei à lateral. Sou uma pessoa que está para ajudar. Se um dia o Dunga precisar que eu volte a jogar mais adiantado (jogou e foi bem na final da Copa América, contra a Argentina) vou voltar feliz da vida, já que conheço muito bem a função. Estou à disposição dele para ser utilizado onde ele precise. Contra a Argentina, no Mineirão (empate de 0 a 0), o Dunga voltou a me utilizar nessa posição, mas faltava pouco tempo para o fim do jogo.” 

Brasil x Portugal

“O objetivo é sempre que a seleção entre em campo e ganhe, independentemente de ser um amistoso ou não. Está faltando a gente pegar esse embalo de vencer dois jogos consecutivos. O mais difícil, que é ganhar fora de casa, estamos conseguindo. Temos de estar concentrados no nosso objetivo. Independentemente das opiniões, temos de trabalhar a margem disso. Se formos nos distrair com o que se fala a gente não vai conseguir este objetivo. Temos de estar concentrados 200% em cada jogo no Brasil. Só assim vamos conseguir este objetivo de vencer dois jogos seguidos nas eliminatórias.” 

Imprensa e torcida exageram?

“Quando a seleção não consegue ganhar é normal que falem. Em tudo na vida tem de haver um equilíbrio. Na minha opinião, acho que às vezes pegam um pouco pesado. Sabemos que a seleção tem de ganhar sempre, mas às vezes falam coisas que não têm nada a ver com o que está acontecendo. Mas temos de trabalhar sem pensar muito no que vai ser falado e nas possíveis críticas. Temos de aprender a conviver com isso e não deixar que isso influa no que vamos fazer dentro de campo.” 

Realização na carreira 

“Quero ser campeão do mundo com a seleção. Enquanto eu for jogador de futebol eu vou lutar por isso. Meu primeiro sonho era jogar pela seleção, depois, ser campeão. Quando conseguir isso, aí sim estarei realizado na carreira.”



Escrito por fraja8 às 10h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Zagueiro inglês de 86 diz que golaço de Maradona era evitável e culpa colega

Terry Butcher, que é auxiliar-técnico da seleção escocesa, se reencontrará com o carrasco da Inglaterra no dia 19

O maior gol da história das Copas do Mundo era evitável. Esta é a sentença de Terry Butcher, zagueiro da seleção inglesa na partida pelas quartas-de-final da Copa do Mundo do México de 1986, um dos driblados (juntamente com Reid, Beardsley, Fenwick e o goleiro Shilton) pelo camisa 10 da Argentina, em entrevista ao jornal espanhol "AS". Para Butcher, seu companheiro Reid, deveria ter matado a jogada no início, ainda no campo argentino, quando o craque adversário girou o corpo sobre a bola.

- Sempre nos perseguirá esse gol. Mas, quer saber? Aquele gol nunca deveria ter ocorrido. Sabíamos que o perigo era deixar Maradona dar a volta. E Reid, que se emparelhou com ele no início da jogada, devia ter dado uma estocada e cortar na raiz a jogada. Era evitável - diz Butcher ao jornal.

O ex-zagueiro inglês hoje é auxiliar-técnico do treinador George Burley na seleção escocesa e por coincidência se reencontrará com Maradona na estréia do argentino no comando da seleção do país sul-americano. Para ele, o gol de 86 só não teria como ser evitado por ele próprio:

- Quando chegou à minha altura ele já ia com muita velocidade e me driblou com facilidade. Recuperei a posição e me emparelhei com ele ao entrar na área. Mas não podia tocá-lo. Ele tinha ganho a jogada, enganou Peter (Shilton, o goleiro) e lhe bateu. Quando ele passou por mim intuí que podia se passar algo grande. O drible em Shilton foi a coroação genial da jogada. Maradona não era um jogador qualquer.

Perguntado sobre seu apelido originado de seu sobrenome (butcher em inglês significa açougueiro) ele disse que se fazia respeitar em campo. Mas se não pôde impedir Maradona, mesmo que na base de uma falta, de fazer aquele gol antológico, ele agora sonha com uma vingança, 22 anos depois:

- A vida sempre dá uma segunda oportunidade. Eu a entenderia como um ato de justiça poética. Sempre mantive a esperança de enfrentá-lo outra vez em campo. Minha maior decepção foi não ter feito isso na final na Itália (Copa de 1990). Teríamos ganho, eram piores que em 86. Perdemos a semifinal com a Alemanha, a verdadeira final, nos pênaltis. Diego me converteu no anti-herói que sou.



Escrito por fraja8 às 10h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Lucas revela alegria por ter medalha olímpica e camisas recuperadas

Agência/EFE

Segundo coluna do jornal "O Globo", a polícia de Liverpool recuperou objetos roubados da casa do volante brasileiro 

Uma semana depois de ter roubados de sua casa em Liverpool vários obejtos pessoais, inclusive a medalha de bronze conquistada com a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Pequim, o volante brasileiro Lucas recebeu uma ótima notícia. Segundo a coluna "Panorama Esportivo", do jornal "O Globo", a polícia da cidade inglesa telefonou para o jogador para informar que todos os objetos foram encontrados, entre eles as camisas com que estreou no Grêmio, no Liverpool e na seleção brasileira.

- Camisas de estréia têm valor inestimável. Não as venderia por dinheiro algum. Ufa! nem acredito - diz Lucas à coluna, da Inglaterra.

O volante disse que já estava pensando numa alternativa para não ficar sem sua medalha olímpica:

- Eu iria pedir à CBF para tentar, através do COI (Comitê Olímpico Internacional), uma outra medalha de bronze para mim. Agora não será mais preciso.



Escrito por fraja8 às 10h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Luxemburgo diz a jornal que foi agredido por torcedores palmeirenses

Técnico do Palmeiras afirma que fez queixa na delegacia, mostra marcas no corpo e revela que pedirá proteção policial para ele e sua família 

A confusão causada por cerca de 20 torcedores de uma facção uniformizada do Palmeiras no embarque da delegação do clube na noite desta sexta-feira para o Rio de Janeiro, onde enfrenta o Flamengo no domingo, foi mais violenta do que parecia. Embora a princípio tenha se divulgado que houvera apenas xingamentos dos membros de uma torcida organizada, o técnico Vanderlei Luxemburgo revelou ao jornal "O Estado de S.Paulo" na chegada ao Rio que foi agredido fisicamente.

- Foi uma covardia do pessoal. Fui agredido, registrei queixa na delegacia e passei por exame de corpo de delito - diz o técnico, que segundo o jornal exibiu inchaço em um cotovelo e algumas manchas pelo corpo, e afirmou ter identificado alguns dos torcedores da facção que o agrediram.

Ainda muito nervoso, Luxemburgo revelou que precisou chamar alguns policiais amigos seus para defendê-lo. Segundo o "Estadão", um torcedor, dizendo-se representante da facção, disse que quem começou as agressões foi o treinador, mas a diretoria do Palmeiras já pediu aos responsáveis pelo circuito interno de monitoramento do Aeroporto de Congonhas as fitas com imagens da briga.

Segundo Luxemburgo, o incidente o obrigará a tomar algumas providências:

- Quero levar o caso ao Ministério Público e vou pedir proteção especial para mim e para minha família.

Ele afirma que um ex-presidente da facção e ainda dirigente da torcida organizada havia ligado para o clube antecipando o que aconteceu:

- Mas não tive medo e enfrentei essa gente. A partir de agora qualquer coisa que ocorrer comigo será culpa deles.



Escrito por fraja8 às 10h09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Silas tenta repetir como treinador sucesso obtido como jogador

Aos 43 anos, jovem treinador consegue levar Avaí de volta à Série A

Técnico em início da carreira, Silas conseguiu um feito que há 28 anos os torcedores do Avaí esperavam: levar o time novamente à Série A do Campeonato Brasileiro. Aos 43 anos, o jovem treinador dá indícios que pode obter à beira do gramado o mesmo sucesso que conquistou dentro das quatro linhas. Um dos "menudos" do São Paulo da segunda metade da década de 80, Silas tem um currículo invejável como jogador.

Silas apareceu para o grande público em 1985, quando foi um dos destaques da
seleção brasileira campeã mundial de juniores em 1985. O meio-campista foi o artilheiro da competição. No mesmo ano, foi campeão paulista com o Tricolor paulista, título que repetiria em 87 e 88. Em 1986, ao lado dos parceiros de ataque Careca e Müller, foi campeão brasileiro.

Após o terceiro título paulista, se transferiu para a Europa, onde defendeu Sporting (Portugal), Cesena e Sampdoria (Itália). Em 1992, retornou ao futebol brasileiro, contratado pelo
Internacional. E voltou a comemorar títulos: o Gaúcho e a Copa do Brasil de 1992. Dois anos depois, foi campeão carioca pelo Vasco. Em 1995, foi atuar na Argentina e também foi bem-sucedido, conquistando o título nacional pelo San Lorenzo. Em 2000, levantou o Paranaense com a camisa do Atlético-PR.

Pela seleção brasileira principal, Silas disputou 34 partidas, vencendo duas competições: a Copa Stanley Rous 1987 e a Copa América 89. O meia foi convocado para as Copas de 86 e 90. E fez apenas um gol pelo selecionado, na goleada por 6 a 0 sobre a Venezuela em 20 de agosto de 89, no Morumbi, pelas Eliminatórias da Copa de 90



Escrito por fraja8 às 10h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Trekinho passa, mas Leo Neves e Simão Romão são eliminados em Haleiwa

Agência/ASP

Brasileiros ainda têm chances de se classificar para o WCT 2009

O Brasil sofreu duas grandes baixas no WQS seis estrelas prime de Haleiwa: os cariocas Leonardo Neves e Simão Romão. Ambos perderam na estréia, na terceira fase, e deram adeus ao sonho de conquistar a primeira jóia da Tríplice Coroa havaiana. Eles, no entanto, ainda têm chances de se classificar para o Circuito Mundial (WCT) de 2009. Outro carioca, Marcelo Trekinho, se garantiu na quarta fase, uma antes das oitavas-de-final, juntando-se aos pré-classificados Pedro Henrique, Rodrigo Dornelles, Jihad Khodr e Hizunomê Bettero

Leo já é integrante do WCT. Está em 34ª neste ranking, que mantém os 27 primeiros em 2009. Mas ele ainda pode tentar se classificar pelo WQS, em que ocupa a 31ª posição. Simão é o 15º do WQS, circuito que dá 15 vagas para a elite. A última etapa da divisão de acesso mundial será em Sunset, também no Havaí. 

Agência/ASP

Simão tirou uma nota 8,33 e ficou boa parte do tempo na segunda colocação. O havaiano Sebastien Zietz liderava, mas o australiano Kieren Perrow assumiu a ponta nos minutos finais, eliminando o brasileiro.

Leo entrou em ação logo depois e terminou na lanterna da bateria vencida por Joel Centeio. O havaiano tirou notas 9,33 e 7,83 e se classificou junto com seu conterrâneo Evan Valiere. O potiguar Jadson André também foi eliminado.

Marcelo Trekinho se classificou ao passar em segundo, atrás do australiano Jay Thompson. Heitor Alves, Yuri Sodré, Pablo Paulino, Wiggolly Dantas e Jean da Silva ainda vão competir na terceira fase



Escrito por fraja8 às 09h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Denver Nuggets de Nenê surpreende e derrota os Celtics em Boston

Agência/EFE

Pivô brasileiro volta a ter uma boa atuação e marca 14 pontos

Mesmo jogando em Boston com uma campanha inferior nesta temporada à do atual campeão da NBA, o Denver Nuggets do pivô brasileiro Nenê não se intimidou e surpreendeu o forte adversário na rodada desta sexta-feira. No fim, o placar de 94 a 85 deu aos Nuggets a sua quinta vitória em nove jogos na temporada regular e tirou a invencibilidade do rival em sua casa.

Com aproveitamento de 55,6%, o Denver manteve a terceira colocação da Divisão Noroeste. Já o Boston que sofreu a sua segunda derrota em dez partidas, com aproveitamento de 80% continua na liderança da Divisão Atlântico.

Nenê voltou a jogar bem e marcou 14 pontos. Ele, que atuou por mais de 35 minutos, ainda pegou sete rebotes. O melhor jogador do Denver, porém, foi o ala Carmelo Anthony, que fez 18 pontos e pegou 13 rebotes (além de mais três assistências). Outro que teve ótima atuação foi o armador Chauncey Billups, que saiu de quadra com 18 pontos.

Agência/EFE

- O time jogou muito concentrado na vitória, o que é sempre muito difícil de se conseguir aqui em Boston. A equipe ganhou o sistema defensivo, principalmente no segundo tempo, e procurou a cesta o jogo todo - disse Billups, ainda em quadra.

No Boston, Ray Allen acabou se tornando o cestinha da partida, com 26 pontos. Ele ainda pegou seis rebotes e deu quatro assistências. Outro que teve boa atuação pelos Celtics foi o ala-armador Paul Pierce, que obteve 19 pontos, sete rebotes e quatro assistências.

Phoenix vence mesmo sem Leandrinho

Desfalcado do armador brasileiro Leandrinho, que veio ao Brasil para o enterro de sua mãe, o Phoenix Suns derrotou fora de casa o Sacramento Kings por 97 a 95. Os Suns têm agora sete vitórias em dez partidas, um aproveitamento de 70% que mantém o time de Phoenix em segundo lugar na Divisão Pacífico. Os Kings sofreram a sexta derrota em dez jogos (40%) e estão em em terceiro na mesma divisão.

O pivô Shaquille O'Neal, do Phoenix, foi o destaque da partida, com 29 pontos e 13 rebotes, além de seis assistências. Nos Kings, o cestinha foi o ala-armador John Salmons, com 21 pontos.

Outros resultados da rodada desta sexta-feira

San Antonio Spurs 77 x 75 Houston Rockets

New Orleans Hornets 87 x 82 Portland Trail Blazers

Memphis Grizzlies 96 x 101 Milwaukee Bucks

New York Knicks 116 x 106 Oklahoma City Thunder

New Jersey Nets 115 x 108 Atlanta Hawks

Miami Heat 97 x 77 Washington Wizards

Indiana Pacers 92 x 94 Philadelphia 76ers

Charlotte Bobcats 104 x 96 Utah Jazz

Los Angeles Lakers 95 x 106 Detroit Pistons



Escrito por fraja8 às 09h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




EXPOSIÇÃO: FOTOGRAFIA

Abundante cidade - Dessemelhante Bahia

Mostra exibe 100 imagens de Salvador realizadas pelo fotógrafo baiano Voltaire Fraga

A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta a exposição Abundante cidade - Dessemelhante Bahia do fotógrafo baiano Voltaire Fraga (1912 - 2006). A mostra, composta por 100 imagens em preto e branco, faz um registro histórico da cidade de Salvador de 1930 a 1960, retratando a arquitetura, o povo e a religiosidade.

A exposição tem curadoria de Diógenes Moura e faz parte das atividades para o mês da Consciência Negra. Em Abundante cidade - Dessemelhante Bahia, há fotos de festejos populares, como a festa da Ribeira, a Conceição da Praia, a procissão do Nosso Senhor dos Navegantes e a Lavagem do Bonfim, além de retratos de personagens.

Na dia da abertura, às 11h30, Diógenes Moura apresentará a conferência Fotografia como literatura, a partir das obras de German Lorca, Luiz Braga e Carlos Moreira, entre outros.

 



Escrito por fraja8 às 09h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Em contagem regressiva, São Paulo e Figueirense se encaram no Morumbi


                Borges tenta fazer mais gols para ajudar o São Paulo
                    na luta por mais um título brasileiro

Líder tenta dar mais um passo ao título; vice-lanterna busca a salvação

Carolina Elustondo São Paulo

Como em uma contagem regressiva, o São Paulo enfrenta cada adversário pensando em quanto mais precisa para chegar ao tricampeonato brasileiro consecutivo. No mesmo esquema matemático, o Figueirense calcula o que ainda pode fazer neste Brasileiro para não cair para a Segunda Divisão. Com a característica de um campeonato com várias "finais", as duas equipes se enfrentam neste domingo, às 17h (de Brasília), no Morumbi. 

O líder, com 65 pontos, sabe que precisa vencer em casa para não dar chances aos adversários que estão na cola, principalmente o Grêmio, segundo colocado com 63 pontos. Ganhar faz parte do planejamento pelo título. Mas do outro lado há um time que está com 35 pontos, na vice-lanterna, e precisa dos três pontos fora para tentar se livrar do pesadelo da queda.  

Apesar do aparente momento ruim do Figueira na tabela, o técnico Muricy Ramalho, do São Paulo, não acredita em jogo fácil. Para ele, o time de Mário Sérgio virá fechado e pronto para aproveitar uma bobeada do anfitrião. Promessa de partida duríssima, garante o são-paulino.

- O Figueirense marca forte, aposta no contra-ataque e não vai mudar contra a gente. O Mário Sérgio sabe armar muito bem um time fechado. Temos que arriscar, agredir e fazer a cobertura bem - ensina o treinador do São Paulo.

Testes às escondidas

Sem André Dias, suspenso, Muricy testou duas maneiras de jogar em um treino fechado, nesta sexta-feira. No 4-4-2, colocou Jancarlos na lateral direita e puxou Joilson para o meio. Hernanes ficou mais livre para ajudar Hugo na armação. O treinador também observou o time no 3-5-2, que é o esquema utilizado regularmente. Neste caso, Zé Luis seria improvisado na zaga. O volante sentiu dores e não treinou no campo, sendo substituído por Anderson. Mas deve estar à disposição até a partida.

- Temos uma maneira de jogar e é preciso testar coisas diferentes, em cima da análise do adversário, que é mais perigoso fora de casa. Colocamos o Jancarlos na lateral e o Joilson no meio. É uma possibilidade - resume o treinador, sem confirmar o que deve levar a campo.

 

Divulgação/Site Oficial do Figueirense

Figueira em busca de fôlego

Vice-lanterna, com 35 pontos e 83% de chances de ter que disputar a Série B em 2009, de acordo com o matemático Tristão Garcia, o time do técnico Mário Sérgio encara o atual líder do Brasileirão com cinco desfalques certos. O zagueiro Alex Bruno e o lateral Cazumba, emprestados ao Figueira pelo Tricolor Paulista, não jogam por motivos contratuais. Além dos dois, Bruno Perone, Marquinho e Leandro Carvalho receberam o terceiro cartão amarelo, na partida contra o Atlético-PR, e cumprem suspensão.

Preocupado em ter uma defesa forte e investir nos contra-ataques, o técnico Mário Sérgio deverá improvisar Gomes ao lado de Rafael Lima e Asprilla na zaga. No ataque, Lima e Rafael Coelho treinaram entre os titulares, nas vagas de Bruno Santos e Tadeu, e deverão ser os responsáveis por tentar superar Rogério Ceni e conquistar algum fôlego para os catarinenses na reta final deste Brasileiro.

  SÃO PAULO

FIGUEIRENSE
Rogério Ceni, Zé Luis, Rodrigo e Miranda; Joilson, Hernanes, Jean, Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto e Borges. Wilson; Gomes, Rafael Lima e Asprilla; William Matheus, Diogo, Anderson Luiz, Cleiton Xavier e Ramon ; Lima e Rafael Coelho.
Técnico: M. Ramalho. Técnico: Mário Sérgio.
Estádio: Morumbi. Data: 16/11/2008. Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa/RS). Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa /RS) e José Javel Silveira (RS).


Escrito por fraja8 às 20h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Apesar da tentação, Andrés Sanches garante: 'Não vou vender nenhum jogador'

Agência/Lancepress

Presidente do Corinthians promete não se desfazer dos principais jogadores e aposta na briga por títulos na próxima temporada

O Real Madrid pode esquecer do sonho de tirar o atacante Dentinho do Corinthians. Quem garante é o presidente do Timão, Andrés Sanches. Segundo o mandatário, o Alvinegro não negociará nenhum jogador após a Série B do Campeonato Brasileiro.

- Não vou vender nenhum jogador. Vou sofrer bastante pressão, ficar bastante tentado, mas não vou vender, principalmente esses – afirma, à Rádio Jovem Pan, referindo-se a Dentinho e ao lateral-esquerdo André Santos.

Sanches acredita que manter a base da equipe campeã da Segundona será importante para colocar o Timão na disputa por títulos em 2009. Ele, aliás, aposta que o clube vai brigar pelos primeiros lugares em todos os campeonatos.

- Acredito que temos uma base fortificada e, com alguns reforços, o time vai ficar ainda mais competitivo. Se vai ser campeão, não dá para dizer. Mas vamos chegar para brigar por todos os títulos – completa.

Dentinho e André Santos estão sendo sondados por outros clubes desde a metade de 2008.O meia Douglas e o goleiro Felipe, outros que se destacaram na temporada, também estariam na mira de times do exterior.


Roque Júnior pede para cada jogador dar um pouquinho a mais no jogo de domingo

Fabio Menotti/Assessoria de Imprensa do Palmeiras

Esbanjando sinceridade, o experiente zagueiro entende que a partir de agora o Verdão precisa jogar acima do seu limite físico e técnico

Luiz Ademar São Paulo

O Palmeiras pode render muito mais do que apresentou na derrota para o Grêmio por 1 a 0, no Palestra Itália. E a partida contra o Flamengo, neste domingo, às 17h, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, é a grande oportunidade para o elenco dar a volta por cima em grande estilo. Pelo menos é o que pensa o zagueiro Roque Júnior, que está recuperado da lesão muscular que o afastou da equipe nas duas últimas rodadas, e à disposição do técnico Vanderlei Luxemburgo.

- O jogo contra o Flamengo é uma decisão e só a vitória nos interessa e mantém o Palmeiras com chances de conquistar o título brasileiro. Estamos cientes disso. Chegou o momento de cada jogador dar um pouquinho a mais dentro de campo no jogo de domingo - cobra Roque Júnior.

Ao longo da semana, o ambiente no Palmeiras chegou a ficar conturbado com a decisão do goleiro Marcos de partir para o ataque, em quatro oportunidades, na derrota para o Grêmio. Luxemburgo ficou furioso com o seu capitão, mas os jogadores entenderam a posição do companheiro.

- O Marcos assumiu o seu erro, todos aceitaram as suas justificativas e não é o momento de criarmos problemas dentro do grupo. Entre nós está tudo resolvido e o ambiente está tranqüilo. Todos sabemos das nossas responsabilidades e nada melhor do que uma vitória diante do Flamengo, no Maracanã, para apaziguar tudo isso - analisa o zagueiro.

Apesar de ter em mente apenas a vitória, Roque Júnior antecipa que a derrota não vai tirar o Verdão da luta pela vaga na Libertadores. Ele cita a alternância na liderança do brasileiro, que já passou nas mãos de Flamengo, Grêmio, Palmeiras e São Paulo, para mostrar que tudo pode acontecer nas quatro últimas rodadas.

- Claro que não pensamos em perder, mas em caso de derrota o campeonato não acaba para o Palmeiras. Teremos ainda três jogos, ou seja, nove pontos estarão em disputa e tudo poderá acontecer - diz o zagueiro.


Entre os cachos de Bruno e a ‘loucura’ de Marcos, Fla e Palmeiras jogam destino

Montagem/Montagem

Duelo neste domingo, no Maracanã, vai derrubar alguém - ou até os dois - da disputa pelo título. E goleiros são mártires dessa luta pela taça

Eduardo Peixoto Rio de Janeiro

Um guerreiro ficará caído no caminho depois do confronto deste domingo, no Maracanã. Ou os dois, em caso de empate. Flamengo e Palmeiras ainda planejam, reticentes, uma retomada de liderança na reta final do Campeonato Brasileiro. O duelo, pela 35ª rodada, começa às 17h (horário de Brasília).

Cada um ao seu modo, Bruno e Marcos exteriorizam a angustiante luta para não deixar o sonho morrer. O sacrifício do goleiro flamenguista é visível. Basta olhar para sua cabeça. Os cachos longos o incomodam. Mas ele não pode tirar por causa de uma promessa: só pode cortar os cabelos se o Rubro-Negro for campeão.

- Está difícil, mas não impossível chegar ao título. Mas vamos ver até onde vai esse cabelo. Quem sabe não viro um Sansão? – brinca Bruno, referindo-se ao personagem bíblico conhecido pela longa cabeleira.

Marcos quase não tem cabelos. Talvez por isso tenha preferido avançar ao ataque de forma tresloucada no último domingo. Isso aos 29 minutos do segundo tempo do jogo contra o Grêmio. Repetiu a cena mais três vezes, irritou o técnico Vanderlei Luxemburgo e pediu desculpas. Lembrou que fez tudo pelo bem do Palmeiras.

- A torcida gosta de mim porque sou xarope. Mas não tenho moral com os palmeirenses porque pago churrasco ou dou dinheiro para torcedores. Sou querido porque me estourei, quebrei a clavícula defendendo o clube. E ninguém tem nada contra o Vanderlei Luxemburgo. Só um psiquiatra entende o que pretendi fazer quando fui ao ataque contra o Grêmio - analisa Marcos. 

Briga direta na tabela

E qualquer ajuda é mesmo bem-vinda. Em quarto lugar na tabela do Brasileirão, o time do Palestra Itália tem 61 pontos e está a quatro de distância do rival São Paulo. Se perder no Rio de Janeiro, não apenas provavelmente se despede da briga pelo título como sai do G-4.

O herdeiro da posição seria justamente o Flamengo. Com 60 pontos, o time rubro-negro ganhou um argumento e tanto para correr ainda mais. Cada vitória nesta reta final valerá R$ 10 mil para cada jogador.

- Vamos respeitar o Palmeiras porque eles almejam a mesma coisa do que a gente.  E depois dos próximos dois jogos (o outro será contra o Cruzeiro) saberemos o que podemos obter no campeonato – diz o capitão Fábio Luciano.

A primeira obrigação do Flamengo é reconquistar a torcida. A expectativa é de que 50 mil rubro-negros estejam no Maracanã. Nos últimos jogos, em vez de incentivo, os jogadores e o técnico Caio Júnior ouviram vaias e gritos de insatisfação por causa de tropeços ao longo do torneio.

Em relação à escalação, o treinador do Fla tem uma dúvida. O lateral-esquerdo Juan recebeu uma pancada na perna direita na última rodada e não se recuperou. Ele segue em tratamento e decidirá se joga somente no domingo. Se for vetado, Luizinho o substitui. Na vaga de Sambueza, que está suspenso, Caio optou pela volta de Kleberson.

Luxemburgo faz mistério

Nelson Coelho/Diário de São Paulo

O Palmeiras parte para o tudo ou nada diante do Flamengo. Após a derrota para o Grêmio por 1 a 0, no Palestra Itália, o ambiente no clube ficou conturbado. As investidas do goleiro Marcos ao ataque na partida contra o clube gaúcho não deixaram o técnico Vanderlei Luxemburgo satisfeito. Mas levaram os torcedores ao delírio.

Marcos apaziguou os ânimos ao pedir desculpas públicas. Os jogadores aceitaram. Luxemburgo também, mas multou o goleiro com um valor simbólico. Depois da tormenta, o Verdão passou a pensar apenas no Flamengo. E conta com os reforços de Diego Souza e Kléber, que cumpriram suspensão diante do Grêmio, e de Roque Júnior, recuperado de dores musculares.

Luxemburgo faz mistério. Na quinta-feira, ele barrou Elder Granja na lateral direita e voltou a atuar no esquema tático 3-5-2, com Gustavo, Roque Júnior e Martinez no setor defensivo. Porém, na sexta-feira, o treinador fez um treino secreta para obrigar Caio Júnior a quebrar a cabeça. 

- Treinamos três formações diferentes. O Vanderlei queria testar algumas variações na equipe titular. O importante é que fizemos um bom treino e estamos preparador para vencer o Flamengo, no Maracanã – afirma Diego Souza.

Roque Júnior também ficou empolgado com as variações tática feitas por Luxemburgo no time titular. E, se não houver mudanças de última hora, o zagueiro acredita que estará em campo, independente do esquema tático a ser definido pelo treinador.

- Não vamos entregar nada. O treino foi secreto. O que o Palmeiras puder fazer para gerar dúvidas no Flamengo é válido. O que posso garantir é que estou recuperado e pronto para jogar – diz Roque Júnior.

  FLAMENGO

PALMEIRAS
Bruno; Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Leo Moura, Aírton, Ibson, Kleberson e Juan (Luizinho); Marcelinho Paraíba e Obina . Marcos; Gustavo, Roque Júnior e Martinez; Fabinho Capixaba (Elder Granja), Pierre, Jumar (Sandro Silva), Diego Souza e Leandro; Alex Mineiro e Kléber.
Técnico: Caio Júnior. Técnico: V. Luxemburgo.
Estádio: Maracanã. Data: 16/11/2008. Árbitro: Leonardo Gaciba(Fifa/RS). Auxiliares: Milton Otaviano (Fifa /RN) e Alessandro de Matos (Fifa/BA).
Transmissão: O TV Globo exibe a partida ao vivo para o estado de São Paulo. O Premiere, pelo sistema pay-per-view, mostra para todo o país.
Tempo Real: O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partir de 16h45 (de Brasília).


Escrito por fraja8 às 20h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Alexandre Arruda/CBV

O presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Ary Graça, relembrou os velhos tempos ao participar do Brasileiro Master. A competição reúne cerca de mil jogadores no Centro de Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema (RJ).



Escrito por fraja8 às 20h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




A por los tres títulos

En las últimas horas, y tras la clasificación del Barça para la siguiente ronda de la Copa del Rey, no son pocas las voces que creen que es un error el tratar de encarar con todas las fuerzas las tres principales competiciones (Liga, Champions y Copa).   Muchos defensores de esta idea aducen que la eliminación copera de Villarreal y, sobre todo, del Real Madrid no tendrá otro efecto en la Liga sino el de beneficiar a ambos conjuntos por haberse “quitado un estorbo de encima”.

Pues bien, personalmente, para nada coincido con esta teoría.   Coincido con la teoría de Pep de tratar como “título preferente” la Copa. Es evidente que los jugadores encararán con entusiasmo el intentar el asalto de la Liga tras dos años en blanco y que la Champions es de por sí una competición motivadora y por eso quizás Pep ha tratado de poner el acento motivacional en la competición doméstica del KO.

Yendo un poquito más allá, como dijo Guardiola, en un club como el Barça es difícil aceptar “años de transición”, entendiendo como tal un año de mejora pero sin obtención de títulos. Por eso Pep no pidió un margen de confianza en forma de tiempo de aclimatación del propio técnico a la plantilla y viceversa.  Y realmente el menos difícil de los tres títulos que ambiciona el Barça, la Copa es el más “asequible”. Pep sabe que es el título que puede ser el “flotador” en un año de inicio de proyecto y asentamiento de las bases del mismo.

Existen teorías en cuanto a la planificación deportiva de las plantillas de élite que asegura que es más asequible y “económico” en cuanto a gasto de energías el centrarse en una sola de las competiciones en las que se participa y abandonar las otras para asegurarse un título. En el lado opuesto estamos los que creemos que no hay mejor manera de conseguir un título que intentar con todas las fuerzas ganar todas las competiciones en las que se participa.

Parece que Pep es de esta segunda opinión y por eso ha puesto especial énfasis en dar importancia a la Copa del Rey  aun cuando el rival de turno era un equipo de 2ª B. Puede que el míster y todos los que compartimos su criterio en ese sentido estemos equivocados, en cualquier caso, de momento los resultados en las tres competiciones que jugamos van dando la razón al planteamiento de Guardiola.

¿Por qué no se llena el estadi?

En estos días estamos viviendo una paradoja en el entorno del F.C. Barcelona.  Y es que en un momento en el que equipo está deslumbrando con su juego y sus goleadas, las gradas del estadi se presentan semidesiertas.

Se antoja difícil explicar por qué el subidón de juego y  goles no termina de enganchar al soci y al aficionado en general para que acuda en masa al estadi.

Algunos achacan la falta de afluencia masiva al Camp Nou a las repetidas retransmisiones en abierto de los partidos del Barça y que ha sido “castigado” demasiadas veces con un horario intempestivo para muchos, el de las diez de la noche.

Es cierto que el horario del futbol abierto los sábados no es propicio para que el campo se llene pero no me parece que sea esta la explicación total de por qué el estadi no se llena. Teniendo en cuenta que se está haciendo un fútbol que veníamos añorando desde hace más de dos años, creo que la afluencia normal, incluso en ese horario, debería ser bastante mayor.

En alguna ocasión he comentado que me resulta curioso que el momento de mejor juego y resultado de los dos últimos años, la asistencia al estadi sea menor que en las épocas de miseria de juego y resultados.  Aventuré como una de las posibles causas a que a muchos culés les atrae más el ir a quejarse de un mal equipo que el ir a disfrutar de un buen espectáculo y evidentemente esa no puede ni debe ser la definción del aficionado culé en general pero realmente en la búsqueda de la explicación al exceso de “cemento” en las gradas  no se me ocurren muchos motivos actualmente.

Dejando por sentado que el horario de los sábados a las diez de la noche y la abundancia de partidos en abierto resta algo de afluencia al estadi ¿Qué otras causas ayudan a que el Camp Nou no se llene con una de las mejores rachas de juego y resultados del primer equipo? ¿Influirá la crisis económica que azota al país? ¿Será que los dos años de travesía del desierto han alejado definitivamente del estadi a muchos socios y aficonados? En cualquier caso creo que desde el club deberían lanzarse medidas especiales que incentivaran la afluencia de cules a nuestro santuario los días de partido

por TXIKI FORERO



Escrito por fraja8 às 20h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




"Bruno Senna é muito melhor que Di Grassi", diz Nelsinho

 EFE
 
Rafael Krieger
Em Cotia (SP)
 
Se depender da torcida do companheiro de Renault, Lucas Di Grassi não vai ficar com a vaga na Honda após os testes da próxima semana. Nelsinho Piquet desvalorizou o potencial do piloto de testes que ameaçou o seu posto na equipe francesa durante a temporada e afirmou que Bruno Senna tem mais condições de conquistar um lugar na Fórmula 1.

" O Bruno é muito melhor que o Lucas", disparou Nelsinho após fazer o quarto melhor tempo no treino classificatório para as 500 Milhas da Granja Viana, tradicional competição de kart realizada em São Paulo.

Deixando de lado a rivalidade Senna-Piquet, Nelsinho discordou da hipótese de que Di Grassi estaria mais preparado para conquistar a vaga, dada a sua experiência como piloto de testes da Renault. "O Bruno andou muito melhor na GP2 e tem bem mais talento que o Lucas", reforçou.

Lucas Di Grassi é colega de Nelsinho na Renault, e junto com Bruno Senna, fará na semana que vem uma bateria de testes com a Honda. A equipe japonesa poderá escolher um dos dois para correr ao lado do inglês Jenson Button na próxima temporada.

Ambos fizeram boa campanha na GP2 em 2008 e, como lembrou Nelsinho, Bruno ficou em segundo lugar, enquanto Di Grassi terminou o ano em terceiro. Um deles deverá abocanhar a vaga de Rubens Barrichello na escuderia.

"O Rubinho, com certeza, tem muito mais experiência e está num nível melhor. Agora, tem que ver se a equipe quer um piloto para o futuro, para investir, ou se quer alguém só para o ano que vem. Depende da estratégia deles", avaliou Nelsinho.

Barrichello já declarou que aposta suas fichas na Honda para ficar na Fórmula 1 no ano que vem, e descartou a hipótese de procurar outra categoria em 2009 caso nenhuma equipe lhe proponha um contrato.

Rafael Krieger/UOLEugene Hoshiko/AP

Pizzonia concorda

Ex-piloto de testes da Williams, Antonio Pizzonia também acha que Bruno Senna levará vantagem sobre Lucas Di Grassi, mas não pelo talento. "O Bruno tem nome, tem patrocinadores, interesse político, várias coisas que o Di Grassi não tem", avaliou o amazonense.

Para ele, Rubens Barrichello seria uma opção interessante para a Honda. "O carro (da Honda) visivelmente já nasceu ruim. É difícil quando começa errado, porque quando você está trabalhando para resolver os problemas, as outras equipes já estão melhorando o que já era bom. E nessas horas a experiência conta mais. Nesse lado, o Rubinho pode ajudar bastante", afirmou Pizzonia.

Já Cristiano da Matta, ex-piloto da Toyota, acredita que Lucas Di Grassi tem mais chances de ser titular da Honda. "Se ele já foi piloto de testes, com certeza é uma vantagem legal. Ele já conhece o carro, já sabe tudo o que ele vai encontrar. O Bruno está muito novo, terá muita coisa para aprender, vai ser mais dificl para ele", adiantou.



Escrito por fraja8 às 20h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Volvo Ocean Race se defende de piratas

 
REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A Volvo Ocean Race, competição de vela que gira o mundo inteiro, terá um problema em sua passagem pela Cidade do Cabo. O aviso foi feito por Graeme Brooks, especialista em inteligência da companhia marítima Dryades Intelligence Service, que alertou sobre os piratas na região.

Uma reunião sobre o assunto foi feita nesta semana com os assistentes da Volvo Ocean Race para tratar do tema. Afinal, no próximo sábado, a segunda fase da competição começará na cidade.

Para evitar possíveis ataques, que já foram 81 só neste ano, os organizadores da Volvo Ocean Race estão fazendo uma parceria com a Dryades Intelligence Service.

Uma das medidas adotadas pela organização da competição é impedir a aproximação de navios a menos de 600 milhas da costa africana.
 


Embratel fará meia maratona no Rio

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A empresa telefonica Embratel anunciou um acordo com a Secretária de Esportes de Niterói para a realização de uma meia maratona na cidade. A competição estará totalmente ligada à instituição.

A ação da Embratel na prova, que receberá o nome de Faz um 21, está relacionado com o slogan da operadora, e os 21 quilômetros que serão percorridos. Além disso, a competição começará as 8h21 do próximo dia 30, encerrando as comemorações do aniversário de Niterói, que acontece em 22 de novembro..

A prova, que será realizada em dupla, terá a premiação de R$ 3 mil para os vencedores, R$ 2 mil para os segundos, e R$ 1 mil para os terceiros.

Procurada pela reportagem da Máquina do Esporte, a Embratel afirmou que só se pronunciará sobre a prova na próxima segunda-feira.


Crise cancela Volta da Georgia

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A crise econômica mundial segue fazendo "vítimas" no mundo esportivo. Desta vez, a afetada foi a Volta da Gergia de Ciclismo, que contaria com a presença do norte-americano Lance Armstrong na próxima edição.

O motivo do cancelamento foi a crise que agravou os problemas econômicos da competição. Essa piora é reflexo da saída de muitos dos patrocinadores da volta.

A competição, que acontecia desde 2003, foi cancelada após uma reunião dos organizadores do evento, que viram dificuldades em enfrentar a crise com a ausência dos patrocinadores.


Chivas abre fase internacional do Coxa

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo


O Coritiba anunciou, nesta sexta-feira, uma parceria inédita com o Chivas Guadalajara, do México. O acordo, focado na interação entre as categorias de base das duas equipes, pode ser o primeiro de vários planejados pelo clube do Couto Pereira.

A idéia é implantar o modelo de escolinhas dos mexicanos no Brasil. Atualmente, o Chivas possui 70 espaços especializados no seu país de origem, além de uma franquia nos Estados Unidos.

Uma das principais características do clube mexicana é o veto histórico a jogadores estrangeiros. Até hoje, o Chivas Guadalajara tem seus elencos compostos apenas por jogadores do seu país, o que implica em uma estrutura de base eficiente.

O Coritiba pretende negociar também com alguns clubes europeus e até mesmo sul-americanos, sempre com o objetivo de intercâmbio entre as categorias de base.

"Alguns, como o Sochaux, da França, o Fenerbahçe, da Turquia, e o Hertha Berlim, da Alemanha, também já estão encaminhados", disse Mario André Mazucco, coordenador das categorias de base do Coritiba. "Por conta dessa parceria, já recebemos contato do Universidad Catolica do Chile e devemos estreitar nossos laços com outros clubes do mundo", disse Carlos Alberti, conselheiro da Comissão de Base.


Nascar cancela preparação devido à crise

http://www.genxgraphics.com/uyr/

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo


Após ver a crise financeira mundial afetar os seus principais fabricantes como Chrysler, Chevrolet e Ford, a Nascar cancelou alguns eventos para a próxima temporada. A iniciativa tomada é para reduzir os custos da principal categoria do automobilismo de turismo do mundo.

Com isso, a Nascar cortou todos os testes que seriam realizados nos circuitos como preparatório para a temporada, inclusive a pré-temporada nas 500 milhas de Daytona, tradicional corrida da categoria.

Essa decisão será válida para as três principais categorias da Nascar, a Sprint Cup, a Nationwide Series e a Truck Series.

"Penso que foi um erro. Entendemos a necessidade de cortar custos, mas isso atrapalha a programação. Agora temos de procurar outras maneiras de colher dados e entender melhor o funcionamento do carro em algumas pistas", afirmou Jimmie Johnson, líder da Sprint Cup, a principal divisão da Nascar.

Em contrapartida, os donos das equipes comemoram a decisão. Afinal, só com o cancelamento da prova de Daytona, elas economizarão cerca de US$ 1 milhão.

Anteriormente, os responsáveis da Nascar viram algumas equipes tomarem medidas contra a crise. No caso da Dale Earnhardt e Chip Ganassi, as escuderias decidiram por uma fusão para contornar o momento da economia mundial.

Com isso, a categoria tenta impedir que o número de equipes diminua tanto por fusões ou até por abandonos. Os times de médio e pequeno porte têm enfrentado problemas nas renovações de patrocínio.


Lotto lança camisa verde-limão do Goiás

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo


Cerca de um ano depois do sucesso do terceiro uniforme verde-limão do Palmeiras, feito pela Adidas, a Lotto vai fazer uma versão esmeraldina da camisa. No próximo domingo, contra o Botafogo, o Goiás estreará um modelo semelhante, só que com detalhes mais escuros no peito, produzido em homenagem aos 65 anos do clube.

"Para a Lotto, é uma grande satisfação lançar o terceiro uniforme para os torcedores do Goiás, com a garantia de um produto diferenciado e totalmente integrado à trajetória do clube em seus 65 anos de existência", disse João Augusto Simone, diretor de operações da Lotto no Brasil.

Além dos detalhes mais escuros, delineados por um efeito degradée, o uniforme também traz o escudo do clube e a logomarca da fabricante italiana no peito, ao contrário do desenho tradicional do Goiás, que separa as duas marcas na parte superior do uniforme.

O lançamento do novo modelo será acompanhado de uma parceria com as lojas Maranata, e terá ligação com a Timemania. O torcedor que comprar um bilhete da loteria e apresentá-lo a uma das unidades concorrerá no sorteio de uma uniforme.

"Comprando a nova camisa do Goiás com a marca Lotto, os torcedores sabem que estarão levando para casa algumas das principais características do esporte moderno: tradição, design inovador e alta tecnologia", disse Marco Goulart, gerente de marketing do clube.



Escrito por fraja8 às 19h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Com ‘ciúme’ do Real, Mourinho barra saída de Crespo

 
Milão (Itália) - A contusão do holandês Ruud van Nistelrooy, que ficará pelo menos oito meses longe do futebol, fez com que chovessem especulações de um novo atacante no Real Madrid: até mesmo o veterano palmeirense Alex Mineiro, de 33 anos e que marcou apenas três gols nos últimos 17 jogos, foi cogitado pela imprensa espanhola. Outro nome especulado foi do argentino Hernán Crespo, pouco aproveitado na Inter de Milão, mas o técnico José Mourinho tratou de pôr fim aos boatos.

“Se o Hernán pode ser importante para outro time, pode também ser para o nosso”, discursou o português, que não inscreveu o atacante na Copa dos Campeões da Europa e o utilizou em apenas três partidas no Campeonato Italiano. “Agora, pode acontecer de colocarmos o Crespo também na Champions se nos classificarmos para as oitavas-de-final”, emendou.

Crespo, assim, ocuparia a vaga continental no time italiano que deve ser deixada pelo brasileiro Adriano. De acordo com a imprensa italiana, o nome do Imperador encabeça uma lista de dispensas da Inter feita por Mourinho para janeiro, por conta da pouca disciplina do jogador.

Além de Adriano, o experiente Crespo ainda concorre a uma vaga no ataque com o sueco Zlatan Ibrahimovic, o italiano Marco Balotelli e o compatriota Julio Cruz. Mesmo utilizando o argentino em pouquíssimas ocasiões, Mourinho sublinhou a qualidade do veterano de 33 anos.

“É normal que um clube como o Real Madrid queira o Crespo para substituir o Van Nistelrooy, uma vez que não há muitos atacantes valiosos para a disputa da Copa dos Campeões”, lembrou Mourinho, que pediu para não ter que falar novamente do caso e ainda provocou o Real.

“A janela de contratações de janeiro serve geralmente para aqueles clubes que fizeram um trabalho ruim no início da temporada. Já eu quero terminar a temporada com os 29 jogadores que tenho em meu elenco e não pretendo responder a mais perguntas sobre chegadas ou saídas de atletas”, encerrou o português.


Julgamento não é adiado e Helinho pode perder vaga

 
Miami (EUA) - Acusado de evasão de divisas e sonegação de impostos nos Estados Unidos, o piloto Helio Castroneves tentou adiar a data de seu julgamento, programado para o dia 2 de março, para novembro. Os advogados do piloto, no entanto, não obtiveram sucesso.

O juiz distrital Donald Graham negou a manobra, sob a alegação de que o tribunal tentou satisfazer todos os advogados do caso, consultando seus calendários de trabalho e agendas pessoais.

Castroneves havia embasado seu pedido no fato de que seria difícil a Penske, sua equipe, substituí-lo em caso de condenação, o que lhe seria “catastrófico”, visto que com o julgamento em março, ele tem boas chances de perder a sua vaga no time.

Se condenado, Helinho pode pegar até 35 anos de prisão. De acordo com o site Grande Prêmio, a Penske deixou clara que se não houvesse alteração da data, iria procurar outro piloto para substituir Castroneves.


Diego fica em segundo na qualificação do solo

 
Stuttgart (Alemanha) - O brasileiro Diego Hypólito terminou em segundo lugar na prova de qualificação do exercício de solo da etapa de Stuttgart da Copa do Mundo de ginástica artística e está na final do aparelho. Apresentando quase a mesma seqüência com a qual disputou os Jogos Olímpicos de Pequim, Diego recebeu nota 15.400 e ficou atrás do alemão Matthias Fahrig com 15.525. Fahrig teve 0,1 de penalização na apresentação.

O outro brasileiro que disputou a classificação, Sergio Sasaki, não conseguiu vaga. Sasaki teve nota 13.950 e terminou na 23ª colocação entre os 27 participantes. O ginasta ainda tentou a sorte nas barras paralelas, mas foi o último colocado com nota 10.775.

O veterano Mosiah Rodrigues não teve melhor sorte e também não se classificou no cavalo com alças. Ele ficou em 23º com nota 13.400.

Diego ainda se apresentará no exercício de salto. Já classificado para a Super Final, em dezembro, no solo, o brasileiro busca na Alemanha a pontuação que falta para garantir vaga também no salto.

No início do dia, o Brasil já tinha garantido presença na final feminina do solo de Stuttgart com Daniele Hypólito. Ela ficou na reserva da trave de equilíbrio.


Rapidinhas do Corinthians


Até bambi? - O técnico Mano Menezes não é preconceituoso ao formar o elenco do Corinthians para 2009. Disse nesta sexta-feira que avalizaria a contratação de um jogador homossexual. “Nunca pensei no assunto, mas saber das opções sexuais de cada um não é uma preocupação minha”, afirmou, lembrando que não está em condições de escolher muito. “Tudo depende da sua capacidade de investimento. Se for muito boa, você pode selecionar até pela cor dos olhos”, sorriu.

Especulações – Mano Menezes se recusou a responder se gostaria de contar com o centroavante Adriano, que deverá deixar a Internazionale. “Não é do meu feitio ficar expondo nomes de profissionais”, justificou. Mas, ao falar sobre o meia Tcheco, com quem trabalhou no Grêmio, o técnico abriu um sorriso. “O Tcheco e mais uns 3 mil atletas têm contratos até dezembro. Ele está dentro dessa classe que a gente elogia muito porque tem trajetória”, enalteceu.

Férias antecipadas – O treinador do Corinthians já admite usar do expediente para dar fôlego a alguns dos campeões da Série B do Campeonato Brasileiro. “Não é uma coisa fácil de equacionar, mas vamos analisar caso a caso”, disse Mano Menezes, feliz na reta final da competição. “Agora, está ótimo para jogar. É possível sentir no semblante de cada um que estamos terminando bem a temporada. As férias só serão boas para rever os amigos.”

Fiéis – Membros de uma torcida organizada do Corinthians acompanharam o único treinamento da equipe entre a vitória sobre o Juventude e o jogo com o Vila Nova. Espalharam faixas e bandeiras pelo Parque São Jorge.


Tricolor sorri, mas com os pés no chão

Agência/VIPCOMM

Muricy não vê título nas mãos do grupo, que rejeita euforia

Carolina Elustondo São Paulo

Muricy Ramalho sempre prega que ter uma semana de trabalho é tudo o que ele precisa para ajustar o São Paulo . A tranqüilidade do treinador é refletida no comportamento dos jogadores. Brincadeiras e sorrisos ilustram o clima do líder do Brasileirão , que enfrenta o Figueirense neste domingo, no Morumbi. Mas sem tirar os pés do chão.

Quando dava entrevista coletiva na sala do estádio, nesta sexta-feira, Rodrigo ganhou um aceno de Hugo pelo vidro - Tem que dar moral para o Hugo, senão ele não agüenta - diverte-se o defensor. Depois, foi a vez de o comandante espiar o zagueiro diante dos microfones e brincar com a demora nas declarações. O atleta não perdeu a piada.

- Só ele quer falar (risos)? - provoca Rodrigo. Muricy entra na sala e retruca - Está falando muito - completa o treinador, sorrindo, para em seguida iniciar sua coletiva.

Apesar do clima de alegria, não há a sensação de que o título está nas mãos do Tricolor.

- Temos boa chance no campeonato porque dependemos só de nós. Mas não está nas nossas mãos porque faltam quatro rodadas. Os times estão jogando forte e não se pode errar. Vai ser campeão quem errar menos, e neste momento é fundamental falar pouco e ganhar os jogos - explica Muricy, já em tom sério. 

 Rodrigo sabe que o São Paulo tem condições reais de ser campeão por não depender de ninguém, mas garante que vaidade e euforia não fazem parte da rotina do grupo tricolor nesta reta final da competição.

- Dá para ver no grupo que não tem vaidade, ninguém está eufórico porque todo mundo sabe que o título está difícil. Estamos a dois pontos do segundo colocado e, se tropeçarmos, podemos ser ultrapassados. A euforia fica para o torcedor - acrescenta o zagueiro. 



Agência/Estado

Leandrinho, ala-armador do Phoenix Suns, da NBA, compareceu, nesta sexta-feira, ao enterro de sua mãe. Dona Ivete Barbosa morreu nesta quinta, vítima de falência múltipla de órgãos, aos 66 anos. O corpo foi sepultado no cemitério Dom Bosco, em Perus, na capital paulista. Além de Artur, irmão de Leandrinho, a atriz Samara Filippo, o ex-atleta Zequinha Barbosa e o cantor de pagode Leandro estiveram presentes. Ainda não se sabe quando Leandrinho, que veio às pressas ao Brasil, vai se reapresentar em Phoenix



Escrito por fraja8 às 19h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Irônico, técnico do Real Madrid afirma: 'Não entendo tanto de futebol'

Agência/EFE

Ameaçado de perder o emprego, Schuster se irrita durante coletiva

O técnico do Real Madrid, Bernd Schuster, se defendeu da crise gerada no clube, após a eliminação na Copa do Rei, chamando a imprensa de mentirosa e desmentindo acusações de que não fale com os jogadores nos intervalos e que pense em se demitir. O alemão também foi bastante irônico ao responder as perguntas.

- Não entendo tanto de futebol como vocês acham. A única coisa que posso dizer é que quando há conversas com um jogador ou com o presidente eu não vou informar a ninguém. Isso fica onde tem que estar. Não vou comentar nada da reunião. Não tenho nenhuma obrigação de comentar com os senhores o que falamos. Da minha parte, fica onde tem que ficar – disse Schuster.


Com futuro indefinido, Moraci Sant'Anna elogia evolução física do Furacão

Divulgação/Agência Estado

Preparador físico do Rubro-Negro é um dos principais responsáveis pela sensível melhora do time no Brasileirão

Gazeta do Povo Curitiba

Ferreira, Valencia e Alan Bahia. Os três jogadores do Atlético-PR são os melhores exemplos da evolução física da equipe no Brasileirão 2008 desde a chegada do preparador Moraci Sant’Anna. Bicampeão Mundial pela seleção brasileira, ele chegou ao clube junto com o ex-treinador Mario Sérgio para tentar recuperar a precária condição física dos jogadores atleticanos. Mário Sérgio saiu, mas ele ficou com a chegada de Geninho. O contrato da dupla com o Rubro-Negro termina no fim do ano e ainda não há definição sobre a permanência. Quando chegou, o que Moraci encontrou foi assustador.

- Realmente. Quando cheguei aqui, a situação estava muito complicada. Tínhamos 13 jogadores no departamento médico, o que é bastante anormal. O que mais me preocupou, após as avaliações que pude fazer, o que mais me deixou angustiado, era ver os jogadores naquela situação e não poder fazer nada de imediato para melhorar. No curto prazo, emergencialmente, não havia o que ser feito. Se eu puxasse demais o ritmo dos treinos, mandaria mais gente para o DM - diz Moraci.

O método de trabalho que mais se encaixou às necessidades do grupo de jogadores atleticanos foi decidido e precisou da participação de todos para dar certo. 

- Usamos o equilíbrio nos trabalhos, apesar de termos tido que assumir alguns riscos no começo. Tínhamos que forçar um pouco e sabíamos que mais jogadores poderiam voltar ao DM, como realmente aconteceu. Mas hoje, com o time em evolução, percebemos que valeu a pena. 

Aos poucos o departamento médico do time foi esvaziando e nesta semana chegou a um momento quase inédito na temporada: apenas Renan segue em tratamento (além de Nei, operado, que só volta ano que vem). 

- Depois desse primeiro momento, com base na nossa experiência e nas condições que tínhamos, mantivemos um ritmo de trabalho forte, mas sem exageros, aliado a trabalhos táticos e técnicos. A sintonia com o Geninho foi fundamental e o equilíbrio foi a chave do nosso sucesso momentâneo. 

Hoje, os jogadores têm se mostrado em um outro nível de preparo físico, bem diferente daquele encontrado por Moraci. 

- Não só o Ferreira está melhor, mas o Alan Bahia, o Valencia e a maioria dos jogadores. A evolução é sensível. Quando paramos de jogar quinta e domingo, o grupo todo melhorou. Do jogo contra o Vasco, que foi super desgastante, para o contra o Sport, que marcamos o gol da vitória no final, eles responderam muito bem e comprovaram essa evolução.

O “dedo” do Moraci 

Além de cuidar da preparação física do clube no dia-a-dia, Moraci Sant’Anna foi além. Para ele, é preciso conseguir um algo a mais para se alcançar o objetivo traçado. 

- Toda vez que você faz uma programação, leva em conta que os jogadores envolvidos são atletas profissionais. Quando você recebe um jogador pela manhã, espera que ele tenha se alimentado e descansado bem durante a noite, para daí sim responder aos treinos da maneira esperada. Mas nem sempre isso acontece - afirma. Controlar essas variantes se revelou uma missão complicada. 

- Quando eles comem no CT, a comida é balanceada e controlada pela Cris, nossa nutricionista. Fora dali é difícil controlar. Para complicar, hoje a maioria dos jogadores é casado e muitos deles têm filhos pequenos. Por vezes, um choro fora de hora, pode comprometer uma boa noite de sono. Para diminuir esse tipo de coisa, quando temos jogos domingo, chegamos a concentrar na quarta-feira para termos jogadores inteiros no dia do jogo - revela. A preocupação de Moraci com o extra-campo foi ainda mais além: 

- Já conversei com todos, do roupeiro ao presidente, sobre preparação física. Para você ter um idéia tive uma conversa com o pessoal que trabalha com o gramado da Arena da Baixada. Chegou um momento que a grama estava alta demais e prejudicava o desempenho dos jogadores, já que tivemos vários jogos com o gramado molhado e pesado. A grama ficava com 3,2 cm e pedi para baixar para 2,8 cm (risos). Nessa hora vale tudo - diverte-se. 

Futuro incerto 

Um dos responsáveis diretos pelo renascimento do Furacão no Brasileirão, Moraci ainda não sabe o que o futuro lhe reserva. 

- Quando vim para cá, acertei com o Edinho (Nazareth, ex-diretor de futebol) um contrato até o final do ano para ajudar a manter o Atlético-PR na primeira divisão. Ainda não conversamos sobre o futuro. Acho que todos estão (eu, diretoria e o próprio Geninho) esperando que a situação do clube finalmente se resolva para conversarmos. 

Mas, como um alento para a torcida, Moraci se diz contente com o trabalho desenvolvido e se mostra disposto a ficar. 

- Eu estou satisfeito com o meu trabalho até aqui. Minha relação com a diretoria é maravilhosa e sinto que há uma confiança no meu trabalho, o que facilita para conversarmos sobre a renovação. Vamos esperar o fim do campeonato para pensarmos mais sobre o assunto.


Shaq é multado, e três atletas pegam suspensão por tumulto em jogo da NBA

Agência/EFE

Tracy McGrady, que também se envolveu, terá de pagar US$ 25 mil à liga

O pivô Shaquille O'Neal, do Phoenix Suns foi multado em US$ 35 mil (cerca de R$ 82 mil) pelo empurrão que deu durante uma confusão no jogo desta quarta-feira entre seu time e o Houston Rockets. A liga também suspendeu Steve Nash e Matt Barnes, ambos dos Suns, e Rafer Alston, dos Rockets. O ala Tracy McGrady, de Houston, foi multado em US$ 25 mil (cerca de R$ 59 mil).

Alston e Barnes, que começaram o empurra-empurra, pegaram gancho de dois jogos, e Nash, que correu em direção e confusão e foi empurrado por McGrady, ficará fora de uma partida. O'Neal, por sua vez, empurrou McGrady.



Escrito por fraja8 às 19h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Haka X Kilt

A fabricante de uísques William Lawson's, que pertence à gigante do setor Bacardi-Martini, deu uma resposta curiosa à famosa dança tribal "Haka", executada por neozelandeses de diversas modalidades, especialmente do rúgbi, antes de jogos importantes. Em um jogo imaginário entre o país da Oceania e a Escócia (terra natal da marca), os bretãos assistem calmamente à exibição adversária, e surpreendem de maneira "imprópria" logo depois.

 

A peça, dirigida por Olivier Venturini, foi produzida no Westpac Stadium, em Wellington, capital da Nova Zelândia. Segundo os responsáveis, a presença no país foi importante para que a representação da haka fosse autêntica. Idealizado pela McCann-Eriksson da Bélgica, o comercial faz parte de uma campanha da marca que usa o slogan "William Lawson's. No Rules, Great Scotch".

 

O feito dos "escoceses", apesar de curioso, não é inédito. A resposta já foi utilizada em "Coração Valente", de 1995, estrelado e dirigido por Mel Gibson, que retrata a luta da Escócia pela independência do Reino Unido no século XIV. Em uma cena célebre, a trupe de William Wallace provoca os ingleses levantando seus kilts, as tradicionais saias do país.

 

Confira o vídeo a seguir:

 



Escrito por Equipe Máquina do Esporte


http://blogdamaquina.zip.net/



Escrito por fraja8 às 18h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Eu (infelizmente) já sabia!

 
por daniel perrone |

Eu já sabia!Deu no Lancenet!:

Um cambista que não conseguiu comprar ingressos no Pacaembu para o jogo do Corinthians contra o Vila Nova, que ocorre neste sábado, quebrou a vidraça do guichê de atendimento e interditou o local nesta sexta-feira.

Cada torcedor é autorizado a comprar apenas três bilhetes por jogo e tem seu CPF cadastrado para evitar fraudes. Ao ser informado que já havia esgotado o limite para o duelo, o cambista atacou o guichê atirando um cavalete na vidraça e fugiu. Não havia policiamento no local no momento do ataque.

- Costumamos reforçar o policiamento às vésperas dos jogos e recebemos muitas denúncias, mas infelizmente desta vez não havia ninguém no local e o cambista conseguiu fugir - afirmou ao LANCENET! o Sargento Ricardo Brasil, do 23º Batalhão da Polícia Militar.

Apesar dos esforços da polícia, os cambistas ainda podem ser encontrados no local e prejudicam os torcedores, que muitas vezes ficam sem entradas e acabam comprando dos ilegais com ágio que pode passar dos 200%.

- O cadastramento de CPF e as denúncias nos ajudaram a diminuir bastante os cambistas, mas é difícil porque eles sempre voltam e mudam suas estratégias - concluiu o Sargento.

OPINIÃO DO BLOGUEIRO: A polícia de São Paulo que me desculpe, mas desde segunda-feira o Pacaembu não tem presença de UM policial sequer nas filas. Os organizadores são coniventes (talvez por medo) e o público fica à merce dessa palhaçada. É só olhar o meu relato de dias atrás para saber que algo iria acontecer. O que o Sargento Ricardo Brasil declarou para o Lance! para mim é mais uma bela desculpa depois do desatre ocorrido. Para mim é só policiar a fila (o começo da fila e não o fim) que 90% da coisa se resolveria.

Não quero aqui criar polêmica dizendo que a polícia é ruim ou boa e etc. Quero que se resolva isso. Não dá para aceitar essas atitudes de cara baixa achando que tudo é normal. Cambista é uma atividade comum em diversos países, inclusive os mais ricos, mas aqui no Brasil é um absurdo, tem até gente com cartão de visita e serviço delivery… Parece profissão.

Imagem: Reginaldo Castro (Lancenet!)


Gringos reunidos: Arce, Rivarola, De León e outros estrangeiros no Olímpico

Estrangeiros que marcaram história do Grêmio assistirão ao jogo contra o Coritiba e desfilarão pelo estádio um dia antes de serem homenageados

GLOBOESPORTE.COM Porto Alegre

O jogo contra o Coritiba, domingo, no Olímpico, reunirá estrangeiros que marcaram a história do Grêmio. Atletas como Arce, Rivarola, Ancheta, Hugo de León e Trasante, entre outros, estarão no estádio para assistir à partida. Eles circularão pela pista atlética da casa tricolor no intervalo da partida.

Antes, às 17h, o torcedor poderá ter contato com os ídolos, que estarão no Memorial Hermínio Bittencourt à disposição dos gremistas para fotos e autógrafos. Um dia depois, o tradicional evento "Encontros do Esporte", realizado anualmente, homenageará atletas estrangeiros que atuaram por Grêmio e Inter.

No momento, o Grêmio tem três gringos: os uruguaios Morales e Orteman e o colombiano Perea. Já o Inter conta com cinco: os argentinos Guiñazu e D'Alessandro, o uruguaio Sorondo e os colombianos Bustos e Orozco.

Agência / Agência Estado



Escrito por fraja8 às 18h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Tale of the Tape
Extra Mustard's Paul Tinelli looks at two people whose best years may be behind them.

 
Roy Jones, Jr.
Lindsay Lohan
Age
39
22
Recent Bad Moment
Loss to Joe Calzaghe
Using an offensive term while talking about Barack Obama
May or May Not Be
The best fighter of the past 20 years
Bisexual
Recently Has Spent Lots of Time
Training in the gym
Hanging out with Samantha Ronson
Side Career
Playing semi-pro basketball
Singing
Career Highlight


Becoming heavyweight champ
Mean Girls
Career Low Point
Second-round loss to Antonio Tarver
Getting dumped as host of the World Music Awards
Big Pay Day
$10 million for fighting John Ruiz
$7.5 million for Just My Luck
Chest
38 inches
34C
Hard
Puncher
Partier

Forgettable

Ya'll Must Have Forgot music video
I Know Who Killed Me


Escrito por fraja8 às 18h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




The Entertainers Of The Year
 
Leighton Meester, Blake Lively 

EW.com has unveiled its 25 Entertainers of the Year, and one sports figure cracks the list -- Michael Phelps. Yawn. Big yawn. However, EW did get a lot of the list right (Neil Patrick Harris, Tina Fey, Facebook, Elizabeth Banks, Rock Band) with our highlight being the "Gossip Girls" cracking the top five. Our only gripe there is it should've been the "Gossip Girls" and Chuck Bass -- the best character on TV right now. Speaking of Gossip Girl, we need to clarify a nasty Internet rumor. Our friends at Cuzoogle.com have put together a list of 10 Current Chick Shows That Are Bearable To Watch. Now, they get things right by putting Gossip Girl at No. 1, but then they say this for No. 2: "90210: Jimmy Traina has been known to watch." This is an outrage. While we loved the old 90210 and still enjoy the Saturday morning marathon's on the Soap Network, we do not watch the new one. We watched the first three episodes, and the show royally sucked so we took it off the Tivo Season Pass and never watched again.


Campus Clicks
Now, President Bush knows how to flash Sparky's pitch fork sign
 

You Know You Want Even MORE Kelli
 
Kelli :: Courtesy Paul Figura

The e-mails keep rolling in about Kelli, the Jaguars cheerleader who is a big hit with Hot Clicks readers. Well, guess what else keeps rolling in? Even more photos of Kelli. So, we've added 10 brand new photos to our original gallery. Kelli was also kind enough to fill out this questionnaire, that the folks who run SI on Campus use for their Cheerleader of the Week feature. Now, for those of you who need even more cheerleaders to get you through the weekend ... Who's Hotter: NFL Cheerleader or NBA Dancers? ... And don't forget the NHL Ice Dancers ... A must-see Eagles cheerleader ... Boy shorts are a hit among NBA cheerleaders.

 



Escrito por fraja8 às 18h10
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Técnico do Liverpool é eleito o melhor de outubro no Campeonato Inglês

Agência/Reuters

Espanhol Rafa Benítez dedica prêmio aos seus auxiliares

O espanhol Rafa Benítez, técnico do Liverpool, foi escolhido o melhor treinador de outubro do Campeonato Inglês. Os Reds conseguiram quatro vitórias seguidas no mês passado, sendo uma delas em Stamford Bridge contra o Chelsea, por 1 a 0, a primeira derrota em casa do time, dirigido pelo brasileiro Luiz Felipe Scolari, após 86 partidas.

Benítez, cuja equipe também venceu Manchester City, Wigan e Portsmouth, se mostrou muito honrado em receber o prêmio, que dedicou a seu grupo de colaboradores, Sammy Lee, Mauricio Pellegrino, Xavi Valero e Paco de Miguel.

- É importante para todo o grupo porque significa que a equipe trabalha bem. Não se pode ganhar esse prêmio sem ter uma equipe de colaboradores ganhadores - disse o treinador espanhol.


Muricy faz segredo sobre o time que enfrenta o Figueira

Técnico não permite o acesso da imprensa ao treino desta sexta-feira

O técnico Muricy Ramalho resolveu fazer mistério sobre a escalação do time que enfrenta o Figueirense neste domingo, no Morumbi. O treinador não deixou a imprensa assistir ao treinamento, e ‘confinou’ os repórteres no saguão do estacionamento do clube. A loja do São Paulo e o bar dentro do estádio também ficaram fechados para que ninguém conseguisse ver o trabalho dos jogadores. O treino secreto durou 50 minutos.

Para o jogo contra o Figueirense, Muricy pode improvisar Zé Luis na zaga e manter Joílson na direita, mas o volante se machucou no treino de quinta-feira e não apareceu para treinar nesta sexta. O mais provável é que o jovem Anderson tenha treinado com os titulares.


Fla oferece cargo de ‘estagiário’ ao capitão Fábio Luciano

Diretoria quer jogador por mais um ano em campo e preparando-se para virar um executivo do futebol

Eduardo Peixoto Rio de Janeiro

Chuteira, calção, pasta e gravata. Se depender da diretoria do Flamengo, o capitão Fábio Luciano mudará seu uniforme de treino em 2009. Nesta sexta-feira, o vice-presidente de futebol do clube, Kleber Leite, explicou o plano pós-carreira que tem para o zagueiro.

O Rubro-Negro pretende transformá-lo em uma espécie de estagiário da parte administrativa. Fábio jogaria mais um ano e no tempo livre aprenderia sobre a vida de dirigente.

- É um caso de afinidade entre a instituição e o jogador. O Fábio tinha outra idéia, que era virar empresário, mas acho que vai ficar conosco. A idéia é que ele vá aprendendo sobre marketing e finanças para continuar depois de encerrar a carreira. Foi um dia muito feliz – diz o vice-presidente de futebol do Flamengo, Kleber Leite.

Aos 33 anos, Fábio cogita se aposentar ao fim desta temporada ou, no máximo, em 2009. Ele tomará a decisão durante as férias, mas a tendência é que dispute a próxima temporada no Flamengo. Ele está no clube desde a metade de 2007.


Divulgação/Site Oficial do Grêmio

A partir deste sábado, os tricolores poderão comprar computadores com a cara do Grêmio. São três modelos diferentes à venda na loja GrêmioMania do Olímpico. O produto tem o símbolo e as cores do clube gaúcho e é estampado com imagens da torcida no estádio. Também começam a ser vendidos pen drives personalizados do atual vice-líder do Brasileirão


Time de Rivaldo e Zico conquista o título do Uzbequistão pela primeira vez

Bunyodkor vence Andijon e garante troféu nacional por antecipação



Escrito por fraja8 às 18h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Brasil e Itália devem gerar 10 mi euros

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

Os últimos dois campeões da Copa do Mundo se enfretarão em fevereiro do próximo ano. Com nove títulos ao todo, Itália e Brasil farão um amistoso no Emirates Stadium, estádio do Arsenal, e deverá gerar 10 milhões de euros, segundo a agência Ansa.

Esse valor seria arrecadado com os possíveis parceiros da partida, que terá a transmissão para cem países do mundo inteiro, além dos ingressos, que no caso do setor VIP custará 1,4 mil euros.

Para obter um bom público, o Arsenal começará a vender os ingressos mais caros já na próxima segunda-feira. Já o restante terá sua comercialização no dia 4 de dezembro.

A intenção dos organizadores do evento é contar com a presença de grandes nomes do futebol como Fabio Capello, Pelé e Thierry Henry, além de outras celebridades da Inglaterra


Como Phelps, Cielo ganha maiô exclusivo

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

O nadador Cielo, medalha de ouro nos 50m rasos nas Olímpiadas de Pequim, começou a colher os frutos do bom desempenho nos Jogos. Segundo o "Uol Esporte", o atleta deverá desenvolver um supermaiô, da Speedo, com suas características, trabalho semelhante ao feito com Michael Phepls e o LZR Racer.

"O que eu quero é uma relação de parceria. Pessoas que queiram trabalhar comigo. Não é aquela coisa de 'está aí o maiô, vai lá e ganha'. E senti que, agora, isso deve acontecer", afirmou Cielo.

Com o maiô, que terá as medidas de seu corpo, o nadador e a marca pretendem abaixar ainda mais o tempo de Cielo no próximo ano.

Em Pequim, quando o nadador se aproximou do recorde mundial e conquistou o ouro, o atleta utilizou o maiô LZR.

O artigo criado pela Speedo é considerado um dos principais responsáveis pelas sucessivas quebras de recorde mundial na natação neste ano
.



Escrito por fraja8 às 17h55
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Apunta a la Cabeza

Grondona volvió a pegarle con todo a Ruggeri. Lo acusó de hacer lobby para llegar a la Selección y de ser poco hombre. Además, dejó en claro: "Maradona no me renunció".

Se juega una parada especial Julio Grondona en su polémica pública con Oscar Ruggeri. Y lo evidencia día a día el mandamás de la AFA, quien hoy acusó al ex DT de San Lorenzo e Independiente entre otros equipos de haber hecho lobby para lograr su ingreso a la Selección.

"Hay quienes actúan por capacidad o por lobby y salen en los diarios. Lo de Ruggeri es un lobby seguro", señaló en declaraciones radiales Grondona, quien en los últimos días mostró por este tema una ofuscación extraña en él, al menos públicamente.

Además, dijo que era "mentira" que no atendió a Ruggeri cuando lo quiso ubicar por teléfono. "Le dejé un mensaje: los hombres antes de llorar, hablan. Y le corté", aseguró. Ayer, Ruggeri había declarado que hacía dos días trataba de ubicar al titular de la AFA, pero que este no le contestaba. "Todo pasa, menos conmigo", se quejó amargamente el Cabezón.

Grondona descartó además que Maradona haya estado cerca de irse de la Selección por este tema. Dijo que Diego "no renunció", y agregó que "hubo conversaciones con Bilardo, y Bilardo habla con él".

El conflicto entre Maradona y Grondona acerca de la designación de Ruggeri como ayudante de campo casi genera el miércoles la salida del flamante técnico de la Selección. Finalmente, todo fue barrido bajo la alfombra y tanto Diego como el titular de la AFA viajarán a Escocia para el partido del miércoles de la semana próxima, que abrirá el nuevo ciclo.


DELPO VUELVE

"Estoy contento porque me uno al equipo"

JORGE VIALE | jviale@ole.com.ar type=text/javascript>var mm1722029 = Array( 'mm1722029g');

type=text/javascript>foto = new Galeria( document.images["Foto"], Array('/diario/2008/11/14/tenis/thumb/delpo.jpg'), document.getElementById("FotoEpigrafe"), Array('“Ultimamente estoy terminando con pocas energías”, dijo Delpo, que volvió a jugar infiltrado por el dolor en las uñas de los pies. Vamos, campeón. Es sólo un esfuercito más. '), document.getElementById("vinculoFoto"), Array('988705'), document.getElementById("numeroFoto") ); foto.setFoto(0);

Juan Martín Daaaal Patráaaa", despedía con estilo clossiano la voz del estadio Qi Zhong. La frustración del tandilense no admitía fuegos artificiales ni despedidas pomposas, eliminado del Masters por un casi perfecto Nikolay Davydenko, con resultado de 6-3 y 6-2. Alrededor de 20 minutos le duró la calentura al único argentino en Shanghai: en el encuentro con los grabadores, sonreía pese al cansancio, bromeaba con su favorito para ganar el torneo ("mi amigo Murray"), cerraba el capítulo Masters y su imaginación comenzaba a viajar a Mar del Plata antes que su cuerpo. "Estoy contento porque me sumo el equipo y empiezo a vivir una semana que puede ser histórica para mí y el tenis argentino", afirmó Juan Martín. "Yo quería ganar hoy (ayer) sí o sí, jugué con lo que pude y di el máximo. Me vine a China para no regalar nada, pero Davydenko fue una maquinita. Ya en esto no puedo pensar más". Hoy podrá dormir hasta tarde, partirá a la noche vía Frankfurt o Munich y llegará a Buenos Aires mañana a las 20. Según explicó Mancini (ver página 33), la idea es que se sume sin dejar pasar muchas horas.

Ante la breve duración del efecto de la crema cicatrizante, Del Potro volvió a jugar infiltrado contra Davydenko por el asunto de las uñas de los dedos gordos (en especial la del pie izquierdo). Es posible que utilice el mismo método en el Polideportivo contra su rival del viernes en Mar del Plata, que sería Feliciano López.

"Ultimamente estoy terminando con muy pocas energías. El partido de hoy (ayer) me agarra con las guardias bajas, se notaba que yo hacía mucho desgaste para cada punto y él estaba nuevo prácticamente", admitió Del Potro, que se lleva u$s 200.000 de China. Davydenko quebró en el cuarto game y lastimó permanentemente con la derecha cruzada o el revés paralelo (terminó con 25 winners contra 17 de Delpo). El argentino recuperó el saque para servir 3-4, pero a partir de ese momento apenas pudo ganar dos games.

El saque esta vez no lo salvó: apenas hizo tres ganadores y ningún ace. Con el segundo servicio, ganó nueve puntos de 24. "Cuando me siento cansado se nota en el saque y la derecha. Ultimamente me venía salvando el saque y esta vez no funcionó. Davydenko devuelve muy bien y me ganó bárbaro". En su balance, admitió que "era la desventaja que daba al venir en estas condiciones, pero igual me voy contento: gané un partido en el Masters y eso para mí no es poca cosa. Me voy sabiendo las cosas que tengo que mejorar, lo que hice bien y mal, y viví una linda experiencia".

Ahora, como dice, queda un último esfuerzo, diez días para quedar en la historia del deporte argentino. "La temporada fue buena y espero terminarla muy bien, con la Davis".



Escrito por fraja8 às 17h50
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




MegaRampa começa a tomar forma no Sambódromo de São Paulo

Divulgação/Divulgação

Começa a tomar forma a MegaRampa, principal atração deste fim de semana no Sambódromo de São Paulo. Nos dias 22 e 23, skatistas e bikers vão encarar a rampa de 27 metros de altura. Entre eles, estão figuras importantes como o brasileiro Bob Burnquist e o americano Danny Way.

Divulgação/Divulgação

Desde segunda-feira, 60 pessoas trabalham na construção da rampa. São 1.300 metros quadrados de área construída, 180 toneladas de material – só de parafusos, são 50 mil.

Divulgação/Divulgação

O projeto da rampa é do arquiteto e ex-skatista George Rotatori, de 44 anos. “São poucos os atletas no mundo que dropam a mega. A galera pode se preparar, porque a competição será um espetáculo. É um marco para o skate aqui no Brasil”.



'Quinta sem lei' na Argentina: organizada do Estudiantes queima menor de idade

Em Buenos Aires, torcedores do Chacarita Juniors ‘seqüestram’ dois ônibus para acompanhar jogo contra o Talleres

Não é só no Brasil que as organizadas causam terror. Na Argentina, os denominados “barrabravas” também aprontam bastante. Na noite da última quinta-feira, dois incidentes deixaram os amantes do futebol no país preocupados. Cerca de 80 torcedores do Estudiantes foram presos após queimarem os braços e pernas de um menor idade com fogos de artifício.

A barbaridade aconteceu nos arredores da Avenida Carrabobo, em Buenos Aires, antes do jogo contra o Argentino Juniors pela Copa Sul-Americana. De acordo com portal “Infobae”, 69 pessoas foram detidas, sendo que 58 eram maiores de idade.

Também na capital, cerca de 70 torcedores do Chacarita Juniors seqüestraram dois ônibus urbanos para acompanhar a partida contra o Talleres, na noite de quinta-feira, no estádio do Ferrocarril Oeste. A partida é válida pela Segunda Divisão do futebol argentino.

Além de levarem o ônibus, os torcedores assaltaram os passageiros que estavam no veículo. Na chegada ao estádio, a polícia prendeu os vândalos. No entanto, após prestarem depoimento, todos foram liberados.



Escrito por fraja8 às 17h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Com problemas mecânicos, Massa vai mal, e Kanaan é pole em Granja Viana

a/Divulgação

Rubinho, parceiro do piloto da Fórmula Indy, falta treino, mas dará a largada neste sábado. Nelsinho sai na quarta posição na corrida de 500 milhas

Tony Kanaan conquistou a pole da 12ª edição das 500 Milhas da Granja Viana. Mesmo sem a presença do antigo parceiro Rubens Barrichello, que preferiu passar a sexta-feira jogando golfe, o astro da Fórmula Indy dominou o treino de classificação e comandará pela quinta vez o grid de 65 karts. Em segundo ficou Vítor Meira, também da Fórmula Indy. Entre os astros da Fórmula 1, Nelsinho Piquet classificou-se em 4º e Felipe Massa, que enfrentou problema mecânico na tomada classificatória, sairá em 11º. A largada está marcada para as 13 h. Serão 644 voltas ou o limite de 12 horas.

Kanaan e Barrichello formam a parceria mais vitoriosa da história da prova. Foram sete títulos até agora. Hoje, Kanaan mal havia retornado aos boxes quando recebeu o telefonema do amigo.

- Ele ligou para me cumprimentar e dizer que representei bem a equipe. Agradeci, mas lembrei que amanhã a responsabilidade será dele, já que o Rubinho é quem vai largar - brincou Kanaan, que ainda esnobou Barrichello - Agora dá licença que estou famoso e dando entrevistas...

Em seguida, Kanaan fez questão de ressaltar a qualidade da equipe.

- Um diferencial da equipe é que temos quatro pilotos que podem cobrir um ao outro. Só pude andar no kart duas vezes nesta semana, por causa dos meus testes na Fórmula Indy, e a equipe fez um excelente trabalho – afirma.

Kanaan admitiu que o desgaste dos pneus deverá ser uma preocupação na corrida, que pela primeira vez será majoritariamente disputada durante o dia.

- Até então, corríamos mais à noite, com temperaturas bem mais amenas e praticamente só usávamos um jogo de pneus. Com o calor que está fazendo, pode ser que tenhamos de usar um segundo. Acho que cerca de 20 karts chegarão na volta do vencedor.

a/Divulgação

Massa: 'Talvez o problema esteja nos motores'

Massa não teve sorte na tomada classificatória do grupo de convidados. O rolamento da embreagem quebrou logo na terceira volta e o piloto da Ferrari precisou recorrer aos pneus do segundo kart da equipe para o classificatório. Terminou apenas em 12º e foi beneficiado pela punição aplicada a Raphael Matos, que fez o 4º tempo, mas deu uma segunda volta - cada piloto tinha direito a apenas uma. 

- Foi mais ou menos. Nunca estivemos entre os mais rápidos, e, talvez, o problema esteja nos nossos motores. Mas é o tal negócio: nas últimas três corridas fiz duas poles e um terceiro lugar, mas não terminei nenhuma delas. Pode ser que a sorte agora seja diferente. Claro que é legal largar na pole, mas em termos práticos isso não significa quase nada por causa da longa duração da corrida - resignou-se Massa.

Nelsinho Piquet, em contrapartida, gostou do quarto lugar.

- É sempre bom largar entre os primeiros, principalmente em uma prova tão competitiva como essa. Mas é preciso lembrar que é uma corrida de 12 horas, ou seja, bastante longa, e mais importante que tudo é o kart resistir até o final. Estamos bastante motivados para a prova. O kart está rápido, com bom acerto. Nosso objetivo é brigar pela primeira vitória da equipe nas 500 Milhas – diz. 

Os melhores no grid das 500 Milhas da Granja Viana:


1º) Tony Kannan, Barrichello Racing, 57s891, média de 72.13 Km/h
2º) Vitor Meira, Tony Kart/Fittipaldi, 58s089
3º) Eduardo Ventre, MG Pneus, 58e179
4º) Nelsinho Piquet, Oi Piquet Sports, 58s283
5º) Francesco Ventre, MG Pneus, 58s302
6º) Charlie Fonseca, Tony Kart/Fittipaldi, 58s370
7º) Eduardo Leite, Spirit Sports, 58s378
8º) Felipe Giaffone, Webmotors/HSBC/Caras, 58s387
9º) André Nicastro, Win Brazil, 58s432
10º) Rafael Suzuki, Sabiá Racing, 58s442
11º) Felipe Massa, Massa Blausigel Team58s501
12º) Mario Haberfeld, Tony Kart/Fittipaldi , 58s534



Escrito por fraja8 às 17h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Luis Fabiano vibra com 'hat trick'

Agência/Reuters

Atacante fez três gols na goleada do Sevilla sobre o Ponferradina, que classificou o time do brasileiro às oitavas-de-final da Copa do Rei

O atacante Luis Fabiano, do Sevilla, viveu uma manhã de sexta-feira leve. Depois de marcar três gols nos 4 a 0 sobre o Ponferradina, pela Copa do Rei, o Fabuloso tirou um peso das costas. Afinal, o Sevilla havia perdido o jogo de ida para o modesto rival e corria o risco de ser eliminado prematuramente do torneio.

- Fiquei muito feliz pelos meus gols e aliviado por termos conseguido a classificação. A qualidade da nossa equipe foi questionada quando perdemos o primeiro jogo para o Ponferradina, mas sempre acreditamos no nosso potencial e sabíamos que essa fase complicada iria passar - conta Luis Fabiano.

O brasileiro acredita que a boa fase deve ter seqüência neste fim de semana, quando o Sevilla volta a campo pelo Campeonato Espanhol

- Conseguimos duas vitórias nos últimos dois jogos e espero repetir o desempenho que tive na quinta-feira na partida deste domingo, contra o Getafe. Será importante conquistarmos um bom resultado nesse jogo para encostarmos nos líderes do Campeonato Espanhol - acrescenta Luis Fabiano, que ocupa com seu Sevilla a quinta posição no campeonato, com 20 pontos - cinco a menos que o líder Barcelona.

Cortado da seleção brasileira na convocação passada por conta de uma lesão, o atacante está ansioso para se apresentar ao técnico Dunga na próxima segunda-feira. O Brasil encara Portugal na quarta, dia 19, em amistoso no Distrito Federal.

- Quero me apresentar à seleção brasileira em alto astral. Não vejo a hora de rever meus companheiros e vestir novamente a camisa do Brasil contra Portugal - finaliza o Fabuloso.


Ronaldo convida, e ex-lateral do Flu participa de jogo beneficente com Zizou

Agência/EFE

Gabriel do Panathinaikos vai disputar o 'Jogo contra a Pobreza'

O lateral-direito Gabriel, do Panathinaikos, da Grécia, foi convidado pelo amigo Ronaldo Fenômeno para participar da sexta edição do "Jogo contra a Pobreza", que ele promove anualmente com Zinedine Zidane. O evento será realizado na cidade de Fez, no Marrocos, na próxima segunda-feira. O ex-jogador do Fluminense está animado para participar da partida beneficente.

- Não podia recusar o convite de Ronaldo e, desta vez, poderei participar do evento. No ano passado, também fui convidado, mas não pude viajar porque tinha partidas pelo Fluminense. Como não terei nenhum jogo durante a semana e ainda as seleções de vários países disputam amistosos e jogos pelas eliminatórias da Copa do Mundo, poderei viajar. Essa é uma causa muito justa e fico feliz em ajudar - disse Gabriel, que viajará no dia do jogo e voltará para a Grécia na terça-feira.

O lateral apóia a causa abraçada por Ronaldo e Zidane, que são Embaixadores da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e estão na luta contra a miséria



Escrito por fraja8 às 16h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Uefa vende UCL para TV da Grécia

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A Uefa acertou a venda dos direitos televisivos para o período entre 2009 e 2012 na Grécia. As emissoras Mega e ERT, ambas com sinal aberto, fecharam um acordo para a transmissão da Liga dos Campeões da Uefa e a Liga da Europa, antiga Copa da Uefa.

Assim, as emissoras terão prioridades nas escolhas de qual jogo passar ao vivo em cada um dos dias da Liga dos Campeões da Uefa. A Mega optará pela partida da terça-feira, e a ERT pela da quarta-feira.

Além disso, as duas emissoras poderão transmitir o resumo de cada um de seus respectivos dias. Os valores que envolveram esse acordo entre os canais gregos e a entidade européia não foram revelados.


Lance! terá aplicativo com patrocínio

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

O termometro das torcidas da rede social do Grupo Lance!, o Lance! Activo 2.0, terá um widget, um tipo de aplicativo, com patrocínio. Agora, o Torcidômetro estará disponível para negociar com novo parceiros.

"Ao virar widget, o Torcidômetro passa a estar disponível para download e, com isso, a marca do patrocinador será replicada, alcançando blogs, perfis e outras redes sociais além do L! Activo", afirmou Paulo Henrique Ferreira, gerente de produtos do Lancenet!.

A agência responsável por desenvolver esse projeto será a Red Cub, que também é quem cuida dos projetos do Lance! Activo e do Torcidômetro


Organizadores da Euro-12 não temem crise

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A atual crise financeira mundial não deverá afetar a organização da Eurocopa de 2012 por parte da Ucrânia e Polônia. Pelo menos foi o que as duas federações nacionais garantiram nesta sexta-feira (14).

"A difícil situação econômica não influirá no nível de organização da Eurocopa", afirmou Grigori Surkis, presidente da Federação Ucraniana de Futebol (FUF).

Além de afastar possíveis ameaças pelo atual estado da economia mundial, Surkis anunciou um acordo firmado juntamente com Grzegorz Lato, presidente da Federação Polonesa de Futebol (PZPN), que prevê uma parceria entre os dois países para os próximos cinco anos.

Já o presidente da entidade polonesa preferiu apenas pedir para a imprensa parar de especular sobre o futuro da competição. Para Lato, a Eurocopa de 2012 não terá problemas de nenhum tipo.

Ambas as declarações vêm para afastar os rumores de que os países poderiam não conseguir sediar a competição. No caso da Ucrânia, as especulações ocorreram por problemas na construção de alguns estádios. Já a Polônia sofreu com incidentes administrativos.


GP da China pode deixar Fórmula 1

Agência/EFE

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

Com prova garantida em 2009 e 2010, a China não sabe qual será o futuro do seu GP na Fórmula 1. Os organizadores da corrida no país asiático afirmaram que tem dúvidas se renovarão o acordo que se encerra daqui a duas temporadas.

"Estamos vendo as possibilidades. No próximo ano estaremos prontos para dar uma resposta", afirmou Qiu Weichang, diretor administrativo dos esportes em Xangai, em entrevista à revista "Autosport".

O principal motivo para essa dúvida é o fraco rendimento econômico do GP, que é realizado desde 2004. Até aqui, a corrida não atrai um grande público e existe a possibilidade do patrocinador principal não seguir após 2009.

"Pretendemos criar uma situação em que todos ganhem, do nosso lado e do lado de Bernie Ecclestone [chefe da F-1]. Se houver algo que possamos fazer para haver cooperação entre as duas partes, vamos fazer", completou Weichang
.

 


Divulgação/Divulgação

A Williams é a primeira equipe a revelar os aerofólios dianteiro e traseiro para a temporada 2009. O piloto Jonathan Kennard testou o FW30, carro que a equipe inglesa usou na temporada 2008, porém já equipado com as novas asas, no Aeródromo de Kemble, na Inglaterra. A equipe já tinha avaliado o aerofólio traseiro para 2009 em setembro, no circuito de Barcelona. Mas o novo bico só apareceu neste teste. Os outros times da F-1 devem mostrar suas novas asas nos testes de Barcelona, na próxima semana.



Escrito por fraja8 às 16h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Federer: 'Meu corpo estava doendo'

Agência / AFP

Suíço se mostra cansado e lamenta eliminação na Masters Cup

 Xangai, China - Após a batalha de 3h que acabou com derrota diante de Andy Murray e a conseqüente eliminação da Masters Cup, Roger Federer lamentou não ter conseguido resistir fisicamente durante os três sets.

- Meu corpo estava doendo. Normalmente, uma partida de três sets é moleza. Foi uma pena eu não conseguir agüentar hoje. Para ser honesto, estou feliz de não ter jogo amanhã - ressaltou, durante a entrevista coletiva após o jogo.

O jogo teve 3h01m de duração, e Murray levou a melhor por 4/6, 7/6(3) e 7/5. Federer pediu atendimento médico três vezes e recebeu massagens na região lombar. Mesmo assim, continuou na partida e chegou a ter uma quebra de vantagem na terceira parcial.

- Eu não desisto quando coloco o pé em uma quadra. Quase fiz um milagre. Não acredito no quão perto estive disso, então estou bem feliz - ressaltou o suíço.


Murray compara vitória sobre Federer a título da Copa

 
Xangai (China) - O britânico Andy Murray deixou a quadra plenamente satisfeito após levar a melhor na maratona contra o suíço Roger Federer pela última rodada classificatória da Masters Cup. Nesta sexta-feira, o escocês bateu o ex-número 1 do mundo por 4/6, 7/6 (7-3) e 7/5. Para Murray, o resultado é quase tão importante quanto conquistar o próprio título do torneio.

'Uma vitória sobre Roger Federer significa quase tanto quanto vencer a Masters Cup para mim. Ele é o melhor jogador de todos os tempos', elogia o escocês. Com o resultado de hoje, ele aumenta para 4 a 2 seu histórico de vitórias sobre o suíço.

'Quando você joga contra Roger, você pode esperar que ele jogue muito, especialmente quando ele está em desvantagem', explica Murray. 'Ele encaixou alguns aces, grandes forehands e eu perdi algumas devoluções que talvez não devesse ter perdido'.


Estreante, camisa 'flamenguista' dá sorte ao algoz do Real Madrid na Copa do Rei

Agência/EFE

Real Unión, que eliminou o gigante merengue, adota nesta temporada pela primeira vez a camisa rubro-negra. Cores são inspiradas em festa local

Além de chamar a atenção por ter conseguido eliminar o Real Madrid da Copa do Rei dentro do Santiago Bernabéu, o Real Unión, clube da Segunda Divisão B da Espanha, também levantou curiosidade pelo uniforme que usou. A camisa era praticamente idêntica à do Flamengo. Curiosamente, esta é a primeira temporada que o clube a usa em 93 anos de história.

O uniforme rubro-negro é o segundo do Real Unión. O principal tem camisa branca, calções e meias negras. Quem explica o porquê do rubro-negro é Gorka Bergés, assessor de comunicação do Real Unión:

- Nos anos anteriores, nosso segundo uniforme era ou todo preto ou todo vermelho. As cores vermelho e preto são usadas pelos cidadãos de Irún (cidade do Real Unión) em suas festas locais como a parada de San Marcial (celebrada em 30 de junho - conta Bergés

O Real Unión surgiu em 1915, em Irún, cidade próxima da fronteira com França e localizada na região autônoma da Espanha conhecida como País Basco. O clube foi um dos fundadores da Liga de Futebol da Espanha em 1929.

Os anos de glória da equipe, cujo torcedores são conhecidos como “fronterizos”, foram nas décadas de 10 e 20, quando conquistou três edições da Copa do Rei (1918, 1924 e 1927).

Atualmente, o Real Unión está na primeira colocação do grupo 1 da Segunda Divisão B (equivalente à Terceira Divisão da Espanha). Após eliminar o Real Madrid, o "Flamengo" basco vai disputar as oitavas-de-final da Copa do Rei.

Divulgação/Divulgação

Parada de San Marcial, festa da cidade de Irún, de onde vem o Real Unión. O vermelho e preto dão o tom


São Paulo se prepara para receber evento com megarampa de 27 m

 
São Paulo irá receber nos dias 22 e 23 de novembro uma megarampa de 27 m de altura e 100 m de comprimento no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo. A competição de skate e BMX na estrutura gigante já é bastante conhecida nos X-Games dos Estados Unidos, mas chega pela primeira vez ao país com as presenças de Bob Burnquist e Danny Way.

No Brasil, a responsabilidade de construir a rampa é do arquiteto George Rotatori, 44 anos, que foi skatista nos anos 80 e 90 e competidor na modalidade vertical. Rotatori começou o trabalho da megarampa há seis meses em seu galpão, no Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo (SP).

A megarampa tem 1,3 mil m² de área construída e altura equivalente a um prédio de nove andares. Ao todo, são 180 toneladas de material, entre estruturas metálicas, material modular e tubular. Só de parafusos, são 50 mil. Sem contar o número de funcionários envolvidos na montagem.

Os competidores atingem cerca de 80 km/h na descida da rampa até chegarem à base, saltando sobre um vão livre de 20 m. A aterrissagem é feita sobre outra rampa de 8 m de altura, onde ainda fazem uma última manobra, podendo voar a mais de 16 m de altura.

Desde a última segunda-feira, cerca de 60 pessoas trabalham dia e noite no Sambódromo do Anhembi. Doze carretas estão sendo usadas para transportar todo material do galpão no Grande ABC para o Sambódromo.

Para Rotatori, fazer parte deste projeto é uma satisfação imensa. "A construção da mega é muito especial para mim. Já fui skatista e sei a responsabilidade que é fazer um trabalho bem feito. A construção é apaixonante", afirma o arquiteto.

De acordo com ele, a idéia de trazer o evento pela primeira vez ao Brasil e a possibilidade de estar envolvido no projeto foi levantada há dois anos em uma conversa com o brasileiro Bob Bunrquist e o norte-americano Danny Way.


 

Zico vê São Paulo favorito e faz alerta para Vasco e Fluminense

 
Renan Prates
Em São Paulo
 
Maior ídolo da história do Flamengo, Zico falou ao UOL Esporte sobre as chances do time rubro-negro carioca de conquistar o título do Campeonato Brasileiro deste ano. O ex-jogador flamenguista acredita que o clube ainda está na briga, mas considera o São Paulo favorito para levar a taça.

"Temos cinco equipes que disputam o título. Vejo o caminho do São Paulo menos complicado do que os outros, principalmente por ele estar na frente, mas não subestimaria ninguém que está na briga", disse.

Com 60 pontos, o Flamengo está cinco atrás do líder São Paulo, a quatro rodadas do fim do Campeonato Brasileiro (apenas Atlético-MG e Vasco jogaram na rodada 35). Grêmio (63), Cruzeiro (61) e Palmeiras (61) são os outros clubes considerados por Zico com chances de título.

O Flamengo tem um jogo de 'seis pontos' neste domingo. O time carioca irá encarar o Palmeiras, no Maracanã (17h, horário de Brasília). Uma derrota praticamente tirará as chances de título do rubro-negro no Campeonato Brasileiro.

Esse clima de pressão por um resultado positivo na partida foi referendado nesta sexta-feira, quando o vice-presidente de futebol do Flamengo Kleber Leite reconheceu que será difícil manter o treinador Caio Júnior se o clube não conquistar ao menos uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Briga contra o rebaixamento
O maior ídolo do Flamengo opinou também sobre a parte de baixo da tabela do Campeonato Brasileiro. Para Zico, existe um equilíbrio muito grande também na briga contra o rebaixamento. O treinador do Bunyodkor (Uzbequistão) fez inclusive um alerta para Vasco e Fluminense.

"A briga lá embaixo também esta indefinida e ninguém pode bobear. Vasco e Fluminense que se cuidem", comentou o campeão brasileiro de 1980, 82, 83 e 87.
 

 

Kovalainen foi o piloto que mais ultrapassou em 2008

Piloto da McLaren protagonizou incidentes que o jogaram para trás neste ano

Heikki Kovalainen foi quem mais realizou ultrapassagens em 2008. O finlandês, segundo o estatístico inglês Brian Lawrence, fez 31 manobras nesta temporada, 10,2% do total, 303.

O piloto da McLaren tinha um dos dois melhores carros do grid, mas foi somente o sétimo colocado no campeonato.

Seu ápice foi o GP da Turquia, no qual era segundo do grid, largou mal e foi parar no fundo do pelotão após um pit stop prematuro por suspeita de furo de pneu. Na recuperação, fez oito ultrapassagens, mas finalizou a prova em 12º.

A segunda posição no quesito ultrapassagens ficou dividida entre Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton, os dois últimos campeões. Cada um deles superou um adversário em 25 ocasiões. Felipe Massa apareceu na seqüência, com 23.

Enquanto Nelsinho Piquet fez 12 e Rubens Barrichello protagonizou dez, Jarno Trulli foi o piloto menos combativo da temporada por ter ultrapassado apenas quatro vezes.


 
Fora de forma, Davenport pensa na aposentadoria

 
Califórnia (EUA) - Pouco mais de um ano depois de voltar ao circuito profissional, a norte-americana Lindsay Davenport pode abandonar as competições novamente. Ex-número 1 do mundo, ela não conseguiu recuperar completamente sua condição física desde o nascimento de seu primeiro filho, Jagger, em 2007. Com o filho como primeira prioridade na vida, ela abriu mão de vários eventos este ano por não conseguir conciliar os calendários e por problemas físicos.

Apesar disso, ela conquistou quatro títulos na temporada: Auckland, Memphis, Bali e Quebec e chegou à 36ª posição no ranking mundial. O último torneio com sua participação foi o Aberto dos Estados Unidos, no qual caiu na terceira rodada, superada pela francesa Marion Bartoli.

Aos 32 anos, Davenport já anunciou que não disputará o Aberto da Austrália em 2009, reforçando ainda mais os rumores de sua aposentadoria.

A primeira 'aposentadoria' da norte-americana foi em 2006, quando anunciou que estava grávida. Em julho do ano seguinte, ela retornou ao circuito, reestreando em Bali na chave de simples.


Recuperado, Da Matta agora “procura emprego” no automobilismo 

 
Cotia (SP) - Campeão da Fórmula Indy em 2002 e com passagem pela equipe Toyota de Fórmula 1, o mineiro Cristiano da Matta busca uma nova guinada em sua carreira. Totalmente recuperado de um gravíssimo acidente sofrido durante um treino há dois anos, o piloto busca um “emprego” na temporada 2009 do automobilismo mundial.

A vida de Cristiano por pouco não foi interrompida em agosto de 2005. Na ocasião, ele testava no circuito de Elkhart Lake quando se chocou contra um cervo que invadiu a pista. Ele teve que passar por uma cirurgia de retirada de um hematoma da cabeça e passou vários dias na UTI do hospital. Porém, gradativamente foi melhorando e hoje está totalmente recuperado.

A volta às pistas se deu este ano, quando ele participou de duas etapas da Grand-Am Series (Laguna Seca e Salt Lake City), nos Estados Unidos. “Não deu nem para sentir o gosto direito ainda”, brincou o piloto, que está no Brasil para participar das 500 Milhas da Granja Viana, evento de kart promovido por Felipe Massa. “Vou tentar ver se, no ano que vem, arrumo algo direitinho, mas por enquanto não tem nada certo, só um monte de coisinha que pode ser”, explicou.

A possibilidade maior é a de ele permanecer na Grand-Am, onde inclusive fez um teste na última terça-feira no circuito de Daytona. Mas ele evita falar com otimismo sobre o assunto. “Eu estou em uma fase que, depois de um ano correndo muito atrás do negócio, se me oferecerem uma corrida de bicicross, de patins, de qualquer coisa, eu estou aceitando. Não tenho frescura não”, afirmou o bem-humorado piloto.

O sonho é voltar a correr de fórmula, mas o próprio Da Matta admite que esta é uma possibilidade remota. “Seria o ideal, mas verdade é que eu estou com 35 anos e sou considerado meio velhinho para fórmula. Mesmo se voltar, teria no máximo uns quatro anos de carreira nessas categorias”, explicou o piloto. “Se eu quiser continuar correndo muito tempo tenho que ir para protótipo, GT, qualquer coisa desse tipo”, destacou.

Cristiano assegura que não tem nenhum medo de voltar a correr em altas velocidades. “O que aconteceu foi uma fatalidade. Não foi algo no qual eu errei a freada ou que a suspensão quebrou... Foi uma coisa com a qual eu nunca nem tive pesadelo. A chance de acontecer uma vez já era pequena, duas então é praticamente zero. Se acontecer duas é porque estava na minha hora mesmo”, sorri.

De acordo com o piloto, só falta um pouco mais de treino para ele retornar à melhor forma. “Para o meu ponto de vista, está tudo legal dentro do carro. Lógico que, como eu fiz duas corridas nos últimos dois anos e as duas nos últimos seis meses, tem um monte de coisinha que eu só vou conseguir refinar andando, andando, andando e andando. Já consigo colocar tempo para fazer uma volta, mas para chegar a um nível de campeonato ainda falta quilometragem”, avalia.

Com muito tempo livre, Cristiano pôde se dedicar a outra de suas paixões em 2008: a bicicleta. “Nunca estive em uma forma tão boa para bicicleta na minha vida, afinal eu nunca tive tanto tempo para treinar. Este ano foi fácil cinco ou seis dias por semana só para isso. Mas ainda está longe de um nível profissional”, garantiu Da Matta, que vai disputar as 500 Milhas da Granja Viana pela segunda vez.

“Eu não vinha os outros anos porque, depois de correr de carro o ano inteiro, estava na época de corrida de bicicleta. Mas como em 2008 eu não corri nada de carro e fiquei o ano inteiro só andando de bicicleta, está o contrário: deixei a bicicleta para lá e vim correr de kart aqui”, finalizou o mineiro.



Escrito por fraja8 às 16h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Bankruptcy lawyer: Vick wants to rejoin NFL after prison

Imprisoned NFL quarterback Michael Vick expects to return to pro football, according to his bankruptcy attorneys who laid out a plan to pay creditors based in part on his anticipated earnings.

"The Debtor has every reason to believe that upon his release, he will be reinstated into the NFL, resume his career and be able to earn a substantial living," Vick's attorneys wrote in a disclosure statement filed before a hearing Thursday in U.S. Bankruptcy Court in Norfolk.

The former Atlanta Falcons star is serving a 23-month sentence in a federal penitentiary for bankrolling a dogfighting ring in rural Virginia and is scheduled to be released on July 20.

Once the NFL's highest-paid player, Vick has assets of $16 million and liabilities of $20.4 million, according to the court filing in which attorneys wrote in extraordinary detail about Vick's dizzying financial mess -- listing a fleet of vehicles, properties, businesses and the extended family he supported.

A Vick attorney said a committee representing all his debtors has proposed a plan to pay off his debt. A judge scheduled a hearing for mid-December on the appointment of a trustee, which Vick's attorneys oppose.

"The committee attorney acknowledged that there's been a lot of progress, so we're hopeful," Peter R. Ginsberg told The Associated Press.

Vick still faces two state felony counts -- dogfighting and animal cruelty. They carry maximum prison terms of 10 years, but under a plea deal, Vick would serve a suspended sentence and a year of probation.

Paul K. Campsen, another Vick attorney in the bankruptcy proceeding, said he had not had any contact with the NFL, nor had Vick. While Vick still has a contract with the Falcons, NFL Commissioner Roger Goodell would have the final say on his return, which he is counting on after he is released.

"That's the hope," Campsen said in an interview. "I think efforts will be made once we get past this."

The attorneys laid out a payment plan to Vick's creditors that includes expected NFL earnings and possible signing bonuses.

Campsen said the reorganization plan involves those expected payments and liquidation of his larger assets.

The assets include four homes in Virginia and Georgia valued at a total of $6 million; an interest in two farms; and an interest in more than 20 businesses, from a horse farm to liquor stores.


AC Milan Says Stadium Restrictions Hurt Soccer Revenues

Nov. 14 (Bloomberg) -- AC Milan's revenue and that of other Italian soccer clubs is being hurt by new security measures introduced by the government to crack down on fan violence, according to the team's chief financial officer.

Milan suffered about 1 million euros ($1.3 million) in lost ticket sales for a Nov. 2 home match against Napoli because of new restrictions, CFO Alfonso Cefaliello said. The rules created an authority that oversees crowd control, and limits how clubs can sell tickets and sets the number of visiting supporters. The changes bring higher expenses, and less sales, AC Milan's Cefaliello said.

``They increased the stadium management costs as now we need to hire more stewards and we had to pay for infrastructure such as turnstiles,'' Cefaliello said in an interview. ``And more importantly, the new ticket sale procedures prevent games from being sold out.''

Italy is trying to control crowds after a resurgence of soccer violence. Officials canceled professional matches last year after a police officer accidentally killed a supporter of Lazio, sparking riots. In 2007, policeman Filippo Raciti was murdered after a match in Catania. Fan behavior and a 2006 match-fixing scandal involving big clubs such as Juventus and AC Milan hurt Italy's bid to stage the 2012 European soccer championship.

In September, supporters of Napoli, which once featured Diego Maradona, were banned from traveling to away matches. There were clashes in the stands after an Aug. 31 match with AS Roma and groups used violence to take over a train home. Italian fans aren't allowed to attend the national team's away matches.

Keeping Rules

Italian Football League president Antonio Matarrese this week urged the government to ease the restrictions, the ANSA news service said.

The Interior Ministry plans to keep the measures because of their success in limiting fan violence, spokeswoman Isabella Votino said today.

In September, Interior Minister Roberto Maroni urged teams to buy their facilities to help reduce hooligan violence after clashes between police and supporters of AS Roma. Cefaliello said clubs need more support and rule changes before investing.

``At the moment, there are not the conditions,'' Cefaliello said. ``The Italian clubs have taken on the security of the stadiums, but they don't receive any financial help from the local administrations.''

The danger is that Italian soccer teams will lose ground to those in the Bundesliga and the U.K.'s Premier League. Serie A is expected to bring in 1.43 billion euros in the current season, according to a report earlier this year from Stageup, an Italian sports marketing firm. That compares with about 2.4 billion euros for the Premier League and 1.3 billion euros for the German league.


Julian Robertson Says Pro Sports Franchises are Overvalued

Nov. 13 (Bloomberg) -- Billionaire Julian Robertson, who founded hedge fund Tiger Management LLC, said North American sports franchises are overvalued.

``There is a lot of interesting business involved in these things, but they've been bid up to pretty ridiculous levels,'' Robertson said in an interview airing Nov. 15 on Bloomberg's ``On the Ball'' radio program.

The National Football League's Dallas Cowboys, at $1.6 billion, are the most valuable sports franchise in the U.S., followed by Major League Baseball's New York Yankees at $1.3 billion, according to Forbes magazine. There are 19 football teams worth at least $1 billion, compared to none five years ago, while the average baseball team is now worth $472 million, 143 percent more than when Forbes first calculated team values 10 years ago.

The New York Knicks ($608 million) lead the National Basketball Association, while the Toronto Maple Leafs ($448 million) top the National Hockey League. The Phoenix Coyotes have a net worth of $142 million, making the hockey team the least expensive of the four major U.S. sports franchises.

Robertson, a 76-year-old who ran what was the world's largest hedge fund in the 1990s, no longer manages funds for clients. He grew up in Salisbury, North Carolina, and owns New Zealand golf courses Kauri Cliffs and Cape Kidnappers.

Robertson has a net worth of $1.8 billion according to Forbes, ranking him as the 262nd richest American. He said he wished he ``had the money to match the ego'' that comes along with sports franchise ownership.

``I'd love to try, I really would,'' he said. ``That's kind of the toy that every man wants, but I think I've done pretty well so far by being poor enough that I couldn't possibly afford one or even contemplate owning one.''

Kiwi Challenge

Robertson, instead, will focus his attention on raising the profile of his New Zealand golf courses. Cape Kidnappers was ranked as the 41st-best course in the world in 2006 according to Golf Magazine, while Kauri Cliffs was 63rd.

To bring even more attention to the courses, Robertson hosted the inaugural Kiwi Challenge two weeks ago. The event, which featured PGA Tour players Anthony Kim, Adam Scott, Brandt Snedeker and Hunter Mahan, will air this weekend on NBC.

The four golfers competed for a $2.6 million purse by playing a round apiece at the two courses on consecutive days. Another PGA Tour fixture, Tiger Woods's caddie and native New Zealander Steve Williams, provided commentary for the telecast.


Ted Turner Son-in-Law Testifies He Didn't Get Help Buying Teams

By David Beasley and Laurence Viele Davidson

Nov. 13 (Bloomberg) -- The owner of two Atlanta sports franchises testified he didn't get help from his father-in-law, Ted Turner, when he bought the teams from Turner Broadcasting System in 2003.

``He thought I was nuts'' for buying the money-losing teams, Rutherford Seydel, the son-in-law, said yesterday in an Atlanta courtroom under questioning by TBS lawyer June Ann Sauntry. ``He still thinks I'm nuts.''

Seydel is a principal in Atlanta Spirit, the group that bought the Hawks basketball team and Thrashers hockey team. He testified at the trial of a lawsuit in which David McDavid of Dallas claims TBS broke an oral contract by selling to the investment group.

McDavid, 66, claims TBS-connected personnel including Turner, 69, the founder of the Atlanta-based cable television company, helped torpedo his planned purchase of the teams.

During cross-examination, McDavid's lawyer Steven J. Rosenwasser showed Seydel a message he sent to James McCaffrey, a TBS executive, recounting a meeting before the sale fell through. Seydel said in the message that McCaffrey had promised Atlanta Spirit the terms of the McDavid deal.

The faxed message, under the letterhead of the law firm where Seydel is a partner, referred to ``discussion and agreement'' that Seydel's group would receive substantially the same terms as ``offered by the McDavid group'' and added that the details were ``as explained to me in your office.''

Untrue Statement

Seydel testified yesterday that statement wasn't true. It was part of his strategy to push TBS into switching buyers, he said.

``I'm trying to get him to acknowledge that I'm getting the McDavid deal'' in the message, Seydel said. He claimed TBS wouldn't disclose the terms of McDavid's offer.

If the terms of McDavid's deal were the same as his, ``it sure is a coincidence,'' Seydel said.

McDavid, a former part owner of the Dallas Mavericks professional basketball team, testified Oct. 24 that the last- minute switch spoiled his lifetime dream of buying a team outright.

The sale to Atlanta Spirit came after directors of Time Warner Inc., TBS's parent company, outvoted Turner and approved McDavid as the buyer. Turner stepped down from the board in 2006.

In the suit, McDavid is asking for about $450 million in damages, a figure his lawyers said in court papers is based on the value of comparable teams. The amount is equal to 11 percent of New York-based Time Warner's $4.39 billion net income last year.



Escrito por fraja8 às 15h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Possível presença de Maradona na final da Copa Davis anima espanhóis

 

Capitão Emilio Sánchez Vigário afirma que ex-craque "dará mais repercussão e colorido" à decisão em Mar del Plata

Das agências de notícias Mar del Plata

O capitão da equipe espanhola na Copa Davis, Emilio Sánchez Vigário, disse nesta sexta ficar feliz com a possibilidade de que o técnico de futebol da Argentina, Diego Maradona, vá à cidade de Mar del Plata para ver a final do torneio entre Argentina e Espanha. Para ele, a presença do ex-craque, que visitou a seleção argentina nesta sexta, trará mais destaque ao confronto.

- Tenho esperança de que Maradona venha, ídolo aqui, na Europa e um grande personagem. Sua presença dará mais repercussão e colorido à final - afirma o tenista.

O capitão espanhol disse que ainda não definiu os atletas que jogarão os jogos de individuais e de duplas, e ressaltou que, mesmo com a baixa por lesão de Rafael Nadal, a "Espanha tem uma oportunidade de ganhar e tentará aproveitá-la".

Cezaro de Luca/EFE

- Não perdemos a fé. A baixa de Nadal representa uma mudança de planos. É como quando Boca e River perdem o seu centroavante. Têm que pôr outro. Os argentinos são favoritos, mas nós faremos o que pudermos - explica.

A equipe argentina recebeu, nesta quinta-feira, a visita de Maradona, que prometeu voltar a Mar del Plata nas finais.


Carlos Augusto Ferrari/GLOBOESPORTE.COM

No primeiro treino em São Paulo depois da conquista do título da Série B, os jogadores do Corinthians foram recebidos com faixas, nesta sexta-feira, no Parque São Jorge. Elas foram colocadas nas arquibancadas e na grade que circunda o gramado. Depois do trabalho, os atletas foram para a concentração. No sábado, o Timão pega o Vila Nova, às 16h20m, no Pacaembu.


Mir provoca Minotauro no TUF 8

Em meio às disputas da casa, o nono episódio do “The Ultimate Fighter 8” contou com um inusitado desafio entre os treinadores Rodrigo Minotauro e Frank Mir: uma disputa de pênaltis. O vencedor levaria US$10 mil, além de US$1 mil para cada atleta de sua equipe.

 

Mir reclama, já que, segundo ele, nunca havia praticado futebol, enquanto todos os brasileiros praticam o esporte.

 

Minotauro venceu a disputa, e seu adversário reclamou.

 

Enquanto a Equipe Nogueira comemora e joga basquete aquático, Mir continua dando desculpas e fazendo pouco caso da derrota: “O jogo foi armado para eu perder. Na verdade, acho que foi mais humilhante para ele, porque eu nunca joguei futebol antes e consegui marcar seis pontos nele. É só mais uma prova que sou 200 vezes mais atleta do que ele. Quando competirmos em algo que ambos somos bons, acabarei com ele.” Terá sua chance, Frank. Terá sua chance”, contou Pedro Coelho, em seu blog no Portal do Vale Tudo.


Lobodan Bitevic não alivia Cristian Rodriguez no Campeonato Mundial de Karatê


Escrito por fraja8 às 15h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Presidente da AFA tenta ignorar problema com 'queridinho' de Maradona

Agência/Reuters

'Tenho uma questão pessoal com Ruggeri, mas levarei para o túmulo', diz Grondona. Alejandro Mancuso é confirmado na comissão técnica

Das agências de notícias Buenos Aires

O presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, assegurou nesta sexta-feira que levará "para o túmulo" o problema pessoal que tem com Oscar Ruggeri, chamado pelo técnico Diego Maradona para ser seu auxiliar.

A indicação do ex-zagueiro gerou uma crise na seleção, antes mesmo da estréia do ex-camisa 10 como treinador, na próxima quarta-feira, contra a Escócia.

- Tenho uma questão pessoal com Ruggeri, mas levarei para o túmulo - disse Grondona em declarações à "Rádio 10" de Buenos Aires, ao se referir sobre a polêmica gerada essa semana.

O dirigente reconheceu que podem ocorrer conversas de Maradona sobre uma possível saída, caso não aceitasse Ruggeri como integrante de sua equipe de colaboradores, mas confiou que "as coisas chegarão ao caminho correto" com Carlos Bilardo, secretário técnico da seleção.

Grondona disse que não foi um obstáculo para a designação de Maradona para sua equipe e, nesse sentido, citou como exemplo que nessa tarefa não estarão os homens que ele tinha proposto, Sergio Batista e José Luis Brown, que dirigiram a Argentina nos últimos Jogos Olímpicos.

O dirigente insistiu que a AFA aceitou os pedidos de Maradona. O ex-volante Alejandro Mancuso, que jogou por Flamengo e Palmeiras, foi confirmado para a viagem a Glasgow como auxiliar de Diego.


Zagueiro brasileiro pode defender a seleção do craque Hristo Stoichkov

Divulgação/Divulgação

Bisneto de búlgaros e ídolo do CSKA Sofia, gaúcho Filipe Machado, ex-Internacional e Fluminense, já domina o idioma local

Marcos Felipe Rio de Janeiro

As eliminatórias européias para Copa do Mundo podem contar com a participação de mais um brasileiro. Além de Deco e Pepe (Portugal) e Marcos Senna (Espanha), outro atleta tupiniquim está perto de se naturalizar para defender uma seleção do Velho Continente. Trata-se do zagueiro Filipe Machado, ex-Inter e Fluminense, que deve defender a Bulgária.

Aos 24 anos, o defensor atua pelo CSKA Sofia, principal clube do país e atual campeão nacional, há duas temporadas. Ídolo da torcida, Filipe já recebeu sondagens para a naturalização e só aguarda um contato oficial para dizer o sim.

- A imprensa aqui comenta isso quase todos os dias. Com certeza aceito numa boa. Minha família me dá apoio total nessa decisão – afirma o jogador, que é bisneto de búlgaros e possui também passaporte italiano. 

Divulgação/Divulgação

De acordo com Filipe, que teve poucas oportunidades nas equipes principais de Flu (onde esteve em 2004) e Inter (clube no qual se profissionalizou), seus companheiros de CSKA, líder do Campeonato Búlgaro 2008/2009, também dão muita força.

- Eles falam que eu tenho todas as condições de jogar, até porque a seleção parece que só conta com um jogador para minha posição – observa Filipe, que garante já dominar bem o idioma búlgaro

O jogador, que é natural de Porto Alegre, também brinca com suas origens.

- O sobrenome da família da minha mãe é Petcov. E aqui na Bulgária existem milhões de Petcov. Deve ser o Silva daqui (risos). Só não tenho Petcov no meu nome porque meu pai preferiu colocar Jose em homenagem ao meu avô – conta o zagueiro.

Fã de Stoichkov
Filipe revela que nunca conversou com Berbatov (Manchester United) ou Petrov (Manchester City), principais nomes da atual seleção búlgara. No entanto, o brasileiro já trocou idéia com o maior ídolo da história do futebol do país: Hristo Stoichkov. 

Divulgação/Divulgação

Ao lado do ídolo Hristo Stoichkov, Filipe Machado é só sorrisos

- Joguei uma partida beneficente com ele uma vez. O cara é demais. Não falamos muito sobre esse lance de naturalização. Disse que era fã dele e admirava muito ele como jogador, principalmente nos tempos que ele atuava ao lado do Romário no Barcelona – ressalta Filipe


Após eliminação na Masters Cup, sueco Jonas Bjorkman confirma aposentadoria

Agência/Getty Images

Tenista foi número 4 do mundo em simples e liderou o ranking de duplas

Das agências de notícias Xangai, China

Jonas Bjorkman encerrou a carreira nesta sexta-feira. Após 17 anos no circuito mundial, o sueco de 36 anos confirmou sua aposentadoria após ser eliminado da Masters Cup de duplas, em que atuou ao lado de Kevyn Ullyett, do Zimbábue. O revés desta sexta-feira veio diante dos poloneses Mariusz Fyrstenberg e Marcin Matkowski por 6/2, 1/6 e 10/6.

No currículo, Bjorkman tem seis títulos em simples e 43 em duplas. Individualmente, chegou à quarta colocação no ranking mundial e, em duplas, chegou a ser o número 1 do mundo. Ele já havia anunciado, em meados deste ano, que deixaria as quadras no fim da temporada.

- Acho que é importante encerrar minha carreira no torneio mais importante do ano. Tentei fazer o possível para seguir vivo mais um dia, ou talvez dois, mas não consegui. Estava preparado para a aposentadoria. Tive muito sorte de poder ter jogado tanto tempo. Tudo começou como um hobby e durou 17 anos, é grandioso - comemora


Edmundo ou Leandro Amaral? Um dos dois vai ficar no banco na Colina

Marcia Feitosa/VIPCOMM

Com os dois juntos, Vasco não tem conseguiu bons resultados no Brasileiro. Mudança para o jogo do dia 19 ainda não foi confirmada

Márcio Iannacca Rio de Janeiro

O assunto ainda é tratado com cuidado em São Januário, mas uma modificação é dada como certa no próximo confronto do Vasco no Campeonato Brasileiro, contra o São Paulo, no dia 23, no Rio de Janeiro. Edmundo e Leandro Amaral não vão atuar juntos nas últimas três rodadas da competição. E não é só o técnico Renato Gaúcho que já constatou tal situação. Os números do time da Colina não mentem.

Com Leandro Amaral e Edmundo iniciando o jogo entre os titulares, o Vasco venceu apenas duas partidas, empatou outras duas e perdeu dez - aproveitamento de 19,04%. Os dois, porém, são os artilheiros do time na competição. Enquanto o Animal tem 13 gols, o camisa 11 já marcou nove.

Por outro lado, quando apenas um dos dois começa jogando, o Vasco tem um retrospecto bem superior. Com Leandro Amaral entre os titulares e Edmundo fora de combate ou na reserva, o time da Colina conquistou quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas - aproveitamento de 33,3%. Com o Animal em campo e o companheiro machucado, o time da Colina obteve 53% dos pontos disputados. Foram dois triunfos, dois empates e apenas um tropeço.

Além disso, na Era Renato Gaúcho, o Vasco tem se saído melhor quando aposta em apenas um dos dois como titular e no esquema 3-6-1. Nos dez jogos sob o comando do treinador, o time entrou em campo com apenas um atacante seis jogos. Foram três vitórias, dois empates e uma derrota.

Um indício de que a mudança deve ser feita foi constada no treinamento desta sexta-feira, em São Januário. O preparador físico Alexandre Mendes dividiu o grupo vascaíno e dez atletas foram selecionados para trabalhar de um lado do campo. Curiosamente, os jogadores foram os mesmos que iniciaram a partida contra o Santos, na semana passada. Edmundo, que segue uma programação diferenciada, ficou na sala de musculação.

No que depender dos números, o técnico Renato Gaúcho vai precisar usar toda a sua diplomacia e o seu jogo de cintura para sacar um dos medalhões da equipe. Resta saber quem vai assistir aos próximos jogos ao lado do comandante, Leandro Amaral ou Edmundo. 


Permanência de Caio Júnior em 2009 depende de vaga na Libertadores

Cezar Loureiro/AGÊNCIA O GLOBO

Até o treinador reconhece que seu futuro está em jogo nos quatro jogos que restam no Campeonato Brasileiro

Eduardo Peixoto Rio de Janeiro

O castelo de Caio Júnior na Gávea está com as estruturas abaladas. Depois de uma semana difícil, em que cobrou aplausos dos torcedores, desabafou contra as críticas e praticamente “dispensou” Jônatas, o treinador terminou colocando um ponto de interrogação sobre a permanência no Flamengo em 2009. E a diretoria concordou.

Embora esteja preocupado em não “fritar” Caio Júnior, o vice-presidente de futebol do Fla, Kleber Leite, que havia dito no início da semana estar "satisfeitíssimo" com o trabalho do atual treinador, prefere esperar o fim do ano para se pronunciar.

- Aqui no Flamengo todo mundo depende de resultado. Nem eu e Marcio Braga estamos garantidos. É uma característica do clube, não é algo com ele (Caio Júnior) – diz o dirigente.

O contrato dele termina no fim da próxima temporada. Em quinto lugar no Brasileiro, o comandante admite que a permanência será difícil se o time não se classificar para a próxima Taça Libertadores.

- Ao fim do campeonato tem que ser tomada uma decisão para o bem do clube. Se não conseguir a vaga fica uma situação... Mas tudo passa muito por esses quatro jogos finais – declara o treinador.

Dentro do Flamengo, mas fora do departamento de futebol, a saída de Caio é considerada (praticamente) irreversível. Dirigentes e conselheiros comentam seguidamente que apenas o título do Campeonato Brasileiro seria capaz de mantê-lo. Há também uma sonsagem do Vissel Kobe, do Japão, que se for concretizada pode mudar o destino do técnico.

Em julho, o clube rubro-negro prorrogou o compromisso até o fim de 2009 depois que o treinador recebeu uma proposta do Qatar. Não há multa rescisória. Apenas houve um adiantamento superior a meio milhão de reais para mantê-lo. 


Agora observador técnico, Romerito retorna ao Fluminense

Cahê Mota/GLOBOESPORTE.COM

Um dos maiores ídolos da história do Tricolor será responsável por descobrir novos talentos na América do Sul

Cahê Mota Rio de Janeiro

Vice-campeão da Libertadores e cada vez mais respeitado no cenário internacional, o Fluminense agora tem um observador técnico na América Sul. Um dos maiores ídolos da história do clube, o paraguaio Romerito aceitou o papel de descobrir novos valores para o Tricolor no continente.

Respeitado pelos serviços prestados dentro de campo, tanto nas Laranjeiras quanto em seu país, "Dom Romero" não conseguiu esconder a satisfação ao ser anunciado novamente como funcionário do clube.

- Fico todo arrepiado por poder ajudar novamente o Fluminense. Vou buscar jogadores que possam dar um grande futuro ao clube e não será apenas para o time profissional. Por viajar muito, conheço vários jovens que podem ir para Xerém e dar bons frutos - diz Romerito.

Quanto a luta contra o rebaixamento, o ex-meia-atacante foi direto e mostrou confiança. 

- Não tenho dúvidas, o Fluminense não vai ser rebaixado.


Artilheiro na Rússia, Love se empolga com possível interesse do Real Madrid

Divulgação/Divulgação

Atacante, que não sabe se torce por Fla ou Palmeiras, revela que poderia estar na seleção se atuasse em um grande centro europeu

Marcos Felipe Rio de Janeiro

Artilheiro do Campeonato Russo com 17 gols, o atacante Vagner Love, do CSKA Moscou, estaria na mira do Real Madrid para a próxima temporada. Em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM, por telefone, o ex-jogador do Palmeiras revela que não recebeu nenhuma proposta oficial, mas se empolga com a possibilidade de atuar na Espanha.

- Não houve contato algum, fiquei sabendo disso através da internet. Mas seria maravilhoso. Qual jogador que não sonha defender o Real Madrid. Com certeza faria o possível e o impossível para conseguir minha liberação junto ao presidente do CSKA – conta Love, de 24 anos.

O atacante, que tem contrato com o clube russo até julho de 2010, deixa entender que já está na hora de deixar a Rússia.

- Estou há quatro anos e meio aqui. Já ganhei todos os títulos possíveis aqui, inclusive uma Copa da Uefa, que era inédito na história do CSKA e do futebol russo – ressalta Love, revelando que, até agora, a única proposta mais concreta que chegou a sua mão foi uma do Everton, da Inglaterra.

Seleção brasileira

E um dos motivos para Love querer deixar a ex-URSS é a chance de ser mais lembrado por Dunga na
seleção brasileira.

- Pelo trabalho que venho fazendo aqui, acho que merecia ser convocado. Mas o técnico Dunga também tem outras opções chamou ótimos jogadores também. Por isso que vejo com bons olhos uma transferência para o Real. Se tivesse fazendo esses gols que faço aqui em um grande centro da Europa, com certeza seria chamado – observa o atacante. A última convocação de Love para seleção brasileira aconteceu em novembro do ano passado, para os jogos contra Peru e Uruguai pelas eliminatórias



Escrito por fraja8 às 15h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ivanovic é atração em programa da Unicef

Agência/Reuters

Ana Ivanovic fez sucesso nesta sexta-feira, durante seu trabalho pela campanha 'Escolas Sem Violência' em Belgrado, capital da Sérvia. A musa do tênis foi cercada por crianças e jovens em busca de fotos e autógrafos. Não é a primeira vez que ela veste a camisa da Unicef. A ex-número 1 do mundo já presenciou um torneio de tênis e outro de futebol, ambos organizados para crianças de 8 a 10 anos de idade



Escrito por fraja8 às 14h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BLOG DO JUCA


Quase tudo tem importância na 35a. rodada do Brasileirão

Sabe quantos jogos desimportantes teremos na 35a. rodada do Brasileirão?

Só dois!

No sábado, o jogo entre Ipatinga, já condenado, e o Sport, já na Libertadores.

E no domingo o entre Goiás e Botafogo.

De resto, os outros sete jogos valem muito, em regra para os dois times em confronto ou, pelo menos, para um.

A começar, ainda no sábado, pela partida do Maracanã, entre Fluminense e Lusa.

O tricolor é favorito, mas, na verdade, a Lusa tem jogado melhor.

Renê Simões já disse que é jogo de vida ou de morte. E é, para os dois.

Como é, para o Náutico, nos Aflitos já com ingressos esgotados, o encontro com o Cruzeiro, atrás do título ou, ao menos da Libertadores.

No domingo, o Maracanã recebe outro jogo que dispensa apresentação: Flamengo e Palmeiras, Libertadores em disputa e, quem sabe, algo mais.

O Morumbi, já com 45 mil ingressos vendidos, vê o favorito ao tricampeonato, ou ao hexa, o São Paulo, e o desesperado Figueirense: consistência x retranca.

No Olímpico, o Grêmio tem tudo para passar pelo Coritiba, desde que preste muita atenção na missão.

E, finalmente, duas partidas só para fugir do rebaixamento.

Na Arena da Baixada, o Furacão pega um desfalcado e despreocupado Vitória, para preocupação e denúncia do Náutico, que desconfia da parceria dos rubro-negros e dos cartões amarelos por atacado do time baiano.

E, na Vila Belmiro, o Santos recebe o Inter concentrado só com a Sul-Americana.

É a chance praiana de afastar de vez o risco de cair.

Sport, Goiás, Fluminense, Flamengo, empate no Recife, São Paulo, Grêmio, Atlético Paranaense e Santos são os palpites deste blog.

Comentário para o Jornal da CBN desta sexta-feira, dia 14 de novembro de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Escrito por Juca Kfouri



Escrito por fraja8 às 14h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[IMG_1221.JPG] 

CONTRAMESTRE PAULO RENATO - http://www.paulongolo.blogspot.com/


Roda na Quorum .... A primeira fora do GG _ Mestre Zullu ...

Era um dia de sábado , Mestre ( na epoca , contramestre) Dionizio nos chamou pra irmos a um roda .. na Asa Norte , na academia Quorum , local onde Mestre Zullu dava aula .. era de tarde .. fomos no carro do Dionizio , eu , Rivaldo , regina e lairan .. fantastico .. roda cheia , com o Mestre comandando , varias pessoas , todo o grupo Beribazu na roda , achei esquisito , qdo vi , 4 caras que ficavam no canto da academia , não falavam com ninguem somente entre eles , com um calça verde , cabeça rapada , sem camisa e com tatuagem nas costas , eram "gigantes" , fortes demais , imagina a gente tudo adolescente com 14, 15 anos e aquelas muralhas na roda ..
A roda do mestre começava com os alunos sem cordas primeiro , os "iniciantes" .. abaixei-me ao pé do berimbau , e um mestre , até então o mais novo , deu um berro na sala que me assustou " .. IIIIIEEEEEEEEEEEEEE " aquilo me marcou até hoje ..
em seguida cantou , achei estranho por ele ser branco .. mas me emocionou demais ..
" As vezes me chamam de negro
pensando que vão me humilhar
mas o que eles não sabem
é que so me fazem lembrar
que eu venho daquela raça
que lutou pra se libertar
que criou o maculele
acredita no camdomble
que tem o sorriso no rosto
a ginga no corpo
e o samba no pé
que fez surgir de uma dança
uma luta que pode matar
capoeira arma poderosa
na luta da libertação
brancos e negros na roda
se abraçam como irmão
perguntei
camarada o que é meu ?
é meu irmão
meu irmão do coração
é meu irmão ..

Mestre Luiz Renato
O coro quando respondeu fez meu coração parar , minhas pernas tremiam , mas foi mágico , momento unico , o jogo que rolou depois , foi um jogo , não passou de nada mais do que um jogo ...
A roda seguia e os "gigantes" como eram bons aqueles caras , quando subiu o ritmo chegou uma hora que somente eles jogavam , agarravam um aqui , jogava outro pra fora lá .. de repente um professor da Beribazu .. ABEDI , excelente capoeira na epoca , grande pessoa , jogando com o professor da turma deu uma tesoura de costas .. marca registrada da Beribazu, e derrubou o cara no chão .. ( RALIL) , nossa !! a roda mudou de figura , a turma se inflamou e começou a jogar com a galera , Abimar , Paulo Paraiba, Mestre Luiz Renato, Mestre Onça, Dionizio ( contramestre na epoca), Divino ( este merece um relato a parte, como gostava de bater em menino, fazia a festa, mas quando chegavam os homens .. hahahaha ) uma vez na nossa roda , me deu um ponteira e olha que não faziamos ponteira , no meu do " saco" quase morri, gostava de apetar mestre Dionizio , mas quando treinamos mais de 2 anos , vixe virou nosso amigo , onde chegavamos nos dava a frente , fazia a alegria da garotada . rsrsrs ..
Onde estava , bom a roda foi magica , com mestre Luiz Renato cantando o canto de entrada da roda , a galera respondendo , tinha Claudio , zuluzinho, danilo , jorge , jonhn, alunos do mestre Falcão, do mestre Zullu , enfim de toda a beribazu..
aquilo sim marcou e firmou na minha alma a capoeira ..
Iê viva meu deus
Iê a capoeira
Iê viva , Zulu
Iê viva Luiz Renato , mestre Dionizio
Iê a malandragem , camará....
 


Escrito por fraja8 às 14h48
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BLOG DO ROMARIO


Diego técnico da seleção argentina

Diego técnico?! Apesar do que geral fala, acho isso  maneiro para o futebol.  Acredito que com essa nova responsabilidade, ele pode mostrar que mudou. É um cara que viveu muitos anos na seleção argentina e sabe o que acontece lá dentro. Além disso, tá levando junto com ele uma equipe experiente.
Mas com Diego ou não, perder pros malucos (hermanos)  é F…

Capita/Treinador (Dunga) Sou mais você hein.

por Romario

http://blog.interzonefutebol.com/romario/



Escrito por fraja8 às 14h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BLOG DO ARNALDO

http://placar.abril.uol.com.br/blogs/blogdoarnaldo/posts/blog.shtml


Quem é que sobra?

Vale vaga no G-4, vale a última esperança de conquistar o Brasileirão deste ano. O Flamengo x Palmeiras do Maracanã tem tudo para ser um dos jogos mais emocionantes do campeonato. O empate, em tese, não serve para nenhum dos dois. Outros ingredientes para que o duelo seja ainda mais interessante: as duas equipes devem atuar completas, o árbitro é FIFA (o experiente Leonardo Gaciba) e os dois treinadores conhecem seus adversários como poucos. Caio Júnior esteve até o ano passado no Palmeiras. Perdeu a classificação para a Libertadores na última rodada e o emprego. Foi preterido por Luxemburgo e não engoliu até hoje a substituição. Quer dar a resposta ao Palmeiras. Quer ir à Libertadores... Luxemburgo é torcedor do Flamengo, pode voltar a dirigir o time em breve e já disse à Placar que um dia pretende ser presidente do clube (sócio, ele já é). Quem é melhor treinador hoje? Caio ou Luxemburgo? Quem vai terminar o campeonato no G-4? Quem tem um time melhor? Quem tem mais camisa? As respostas começam a ser conhecidas nesse jogaço no Maracanã.


ANÁLISE TÁTICA
O trunfo do Flamengo é o apoio dos laterais. Mas, ao mesmo tempo, às vezes se transforma no calcanhar de Aquiles da equipe. O Palmeiras tentará explorar as costas de Leonardo Moura e Juan e equilibrar o duelo no meio-campo contra os versáteis Ibson e Kléberson.



FLAMENGO

Ponto forte: Bruno. O goleiro vive grande fase. Nos últimos cinco jogos, só levou dois gols (numa mesma partida, contra a Portuguesa). Passa segurança à defesa, é um dos líderes do time e intimida os adversários. Hoje, está praticamente no mesmo nível de Marcos.
 
Ponto fraco: Titulares baleados. Três jogadores fundamentais (Leonardo Moura, Fábio Luciano e Juan) devem entrar em campo fora de suas melhores condições. Sem Juan, por exemplo, Caio Júnior tem que improvisar na lateral esquerda. Baita problema.
 
Confrontos diretos: Palmeiras e Cruzeiro. Se o Flamengo vencer seus dois próximos (duríssimos) jogos, crava o pé na zona da Libertadores e pode sonhar com o título. As últimas duas partidas serão contra Goiás (no Maracanã) e Atlético-PR (na Arena da Baixada). A torcida na Gávea é para que o time paranaense já esteja livre do rebaixamento na rodada derradeira.

Baixas: Sambueza (suspenso)

 

PALMEIRAS

Ponto forte: A volta dos cascudos. Diego Souza e Kléber, além de bons tecnicamente, são raçudos. Lutam até o fim, ideais para partidas fora de casa. Com eles em campo, Luxemburgo multiplica suas opções ofensivas. E Alex Mineiro ganha companhia na frente.
 
Ponto fraco: Lateral direita. Élder Granja vive má fase. Sandro Silva não foi bem quando improvisado por ali. Desta vez, Luxemburgo deve escalar Fabinho Capixaba, que não fez ainda sequer um jogo consistente pela equipe. Será desta vez?

A hora da virada?: É a última chance do badalado Palmeiras de Luxemburgo explodir no campeonato. Se vencer no Rio, afasta o Flamengo da briga e volta a sonhar. Os três últimos jogos são “ganháveis”: Ipatinga (c), Vitória (f) e Botafogo (c). Um time que está virtualmente rebaixado e outros dois que não almejam mais nada na competição.

Baixas: Nenhuma
 

 


Escrito por fraja8 às 14h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Planejamento 2009

por daniel perrone - http://colunas.globoesporte.com/danielperrone/


Especulações, boatos e opiniões para o elenco 2009:

Carlinhos Paraíba na mira

O meia Carlinhos Paraíba, do Coritiba, pode ser um dos dois meias que o São Paulo pretende contar para o ano que vem. Se depender da sua multa, Carlinhos Paraíba nem pisa no Morumbi: 20 milhões de euros. Porém é possível um acordo com o Coxa, que possui 70% de seus direitos federativos. O meia está “em baixa” e, de acordo com seu procurador, vê com bons olhos uma possível transferência. Minha opinião? Bom jogador e bem possível. O São Paulo já sondou o futebol do meia no ano passado.

Hernanes de saída?

O volante Hernanes, ao que tudo indica (e com uma ajuda de uma fonte minha) já está com as malas prontas para a Europa ao final do Campeonato Brasileiro. Seu destino provavelmente é o CSKA, de Moscou. Vágner Love (camisa 9 do clube russo) inclusive já deu pistas as rádios brasileiras do futuro paradeiro do jogador. Minha opinião? Acho que o negócio já está fechado sim, mas Hernanes é muito focado e profissional, não vai mudar um pingo de sua concentração e cumprirá seu contrato fielmente até a possível transferência. O São Paulo sondou SIM Verón para o seu lugar. Não sei como anda isso mas assim que tiver mais notícias escreverei.

Rodrigo quer ficar, mas…

O zagueiro Rodrigo tem contrato de empréstimo com o tricolor até o final do ano e é considerado por muitos no São Paulo uma peça importante na defesa para a Libertadores do ano que vem. O jopgador tem muita identificação com o clube e quer ficar. Mas as coisas não serão fáceis com o Dínamo, de Kiev. Minha opinião? Tem que ficar: A zaga cresceu com a chegada dele, não?

Borges e Hugo tem propostas!

Borges recebeu uma proposta da Arábia mas só sai do São Paulo se for para algum (bom) time da Europa. Minha opinião? Acho que fica, e merece ficar! Já Hugo eu não sei não se permanece no tricolor… Provavelmente fará sua independência financeira e deixará o clube um pouquinho mais rico ao final de 2008. A conferir.

Douglas por Richarlyson?

Corre na boca mole que o Corinthians ofereceu o meia Douglas ao Maior do Mundo em troca do volante Zé Luis. O São Paulo não aceitou e, em contrapartida, ofereceu Richarlyson pelo meia alvinegro. Minha opinião? Eu não acredito na especulação. Primeiro porque Douglas foi contratado agora há pouco e o São Paulo há tempos está interessado por outro meia (que pode ser Conca ou mesmo Verón); segundo porque Richarlyson deve ir para algum clube mediano da Europa no ano que vem. O tricolor dificilmente faz negócio sem lucrar. Todavia, você acharia essa troca boa?

Um atacante e dois alas 

Segundo os bastidores do Morumbi, além dos dois meias pretendidos, o tricolor ainda vai contar com mais um ala esquerdo, um ala direito e um atacante. Minha opinião? No momento as alas seriam preenchidas por Wagner Diniz e Júnior César, enquanto que o cara para o ataque ainda é um completo mistério. André Lima não deve ficar e, por conta disso, cresce a especulação em cima do atacante Washington. De qualquer forma Borges e Dagoberto, se ficarem, ainda são meus titulares para o ano que vem: Dagol “aprendeu” a jogar marcando no São Paulo e Borges, se tiver sequência, é matador nato!

Muricy na seleção?

Tem gente que jura que o técnico Muricy Ramalho assumira a seleção brasileira em 2009. Disseram isso com todas as palavras a ele no recente programa “Bem, amigos”, que teve a participação do técnico tricolor. É fato que, se Muricy sair do SPFC, seu destino é a seleção. Não acredito em outro clube brasileiro com o técnico (que possui contrato com o tricolor até o final do ano que vem) em 2009.

Fernandão 2009?

Um amigo meu pediu apenas para lembrarmos do ex-colorado para 2009. Será?



Escrito por fraja8 às 14h29
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




BLOG DO PVC


INFORMAÇÕES E PALPITES PARA A 35a RODADA

 x

Maracanã, Sábado, 18h30

FLUMINENSE – Problemas – Carlinhos (terceiro cartão) – Time provável (4-2-2-2) – Fernando Henrique, Rafael, Thiago Silva, Luís Alberto e Júnior César; Fabinho, Wellington Monteiro, Arouca e Conca; Everton Santos e Washington. Técnico: René Simões

PORTUGUESA – Problemas – Bruno Rodrigo (terceiro cartão), Héverton (terceiro cartão) – Time provável (3-4-1-2) – Gottardi, Halisson, Erick e Ediglê; Patrício, Preto, Raí e Athirson; Fellype Gabriel; Edno e Jonas. Técnico: Estevam Soares

CURIOSIDADE – A última vitória da Portuguesa no Maracanã foi em 2001: 2 x 0 no Flamengo, com dois gols de Ricardo Oliveira

PALPITE – Fluminense

ARBITRAGEM – Antônio Hora Filho (SE) / Cleriston Clay Barreto, Aílton Farias da Silva

 

 x

Aflitos, Sábado, 18h30

NÁUTICO – Problemas - Ânderson Santana (machucado) – Time provável (3-4-1-2) – Eduardo, Adriano, Vágner e Everaldo; Ruy, Hamilton, Derlei e Alessandro; William; Felipe e Gilmar. Técnico: Roberto Fernandes

CRUZEIRO – Problemas – Fabrício (machucado) – Time provável (4-3-1-2) – Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Léo Fortunato e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Wágner; Thiago Ribeiro e Guilherme. Técnico: Adílson Batista

CURIOSIDADE – Ano passado

PALPITE – Cruzeiro

ARBITRAGEM – Sérgio da Silva Carvalho (DF); Marrubson Freitas, Nilson Alves Carrijo

 

 

 x

Serra Dourada, Goiânia, 17h

GOIÁS – Problemas – Nenhum – Time provável (3-4-2-1) – Harlei, Henrique, Paulo Henrique e Rafael Marques; Vítor, Fael, Fernando e Júlio César; Paulo Baier e Romerito; Iarley. Técnico: Hélio dos Anjos

BOTAFOGO – Problemas – Carlos Alberto (rescindiu o contrato), Alessandro (machucado), Thiaguinho (machucado), Castillo (machucado) – Time provável (3-4-1-2) – Renan, Renato Silva, André Luís e Ferrero; Túlio, Diguinho, Leandro Guerreiro e Triguinho; Lúcio Flávio; Jorge Henrique e Fábio. Técnico: Ney Franco

CURIOSIDADE – O Goiás perdeu o mando de campo por causa dos incidentes no Serra Dourada, na partida contra o Cruzeiro. Por isso, o jogo acontece em Itumbiara.

PALPITE – Botafogo

ARBITRAGEM – Paulo César Oliveira (SP); Marcelo Carvalho Van Gasse, Evandro Luís Silveira

 

 x

Maracanã, Domingo, 17h

FLAMENGO – Problemas –Sambueza (terceiro cartão), Juan (machucado, dúvida) – Time provável (3-5-2) – Bruno, Fábio Luciano, Jaílton e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Kléberson, Aírton, Ibson e Juan; Marcelinho Paraíba e Obina. Técnico: Caio Júnior

PALMEIRAS – Problemas – Nenhum – Time provável (4-3-1-2) – Marcos, Sandro Silva, Gustavo, Roque Júnior e Leandro; Pierre, Jumar, Martinez e Diego Souza; Kléber e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CURIOSIDADE – Nos últimos dois jogos entre Flamengo e Palmeiras, uma vitória para cada lado. Uma vitória rubro-negra em 2006 por 2 x 1. Uma vitória paulista por 4 x 2, em 2007.

PALPITE – Empate

ARBITRAGEM – Leonardo Gaciba (RS); Milton Otaviano dos Santos, Alessandro Rocha de Matos

 

 x

Morumbi, Domingo, 17h

SÃO PAULO – Problemas – André Dias (terceiro cartão) – Time provável (3-5-2) – Rogério, Rodrigo, Zé Luís e Miranda; Joílson, Hernanes, Jean, Hugo e Jorge Wágner; Dagoberto e Borges. Técnico: Muricy Ramalho

FIGUEIRENSE: - Problemas – Bruno Perone (terceiro cartão), Alex Bruno (pertence ao São Paulo), Alex Cazumba (pertence ao São Paulo), Marquinho (terceiro cartão), Leandro Carvalho (terceiro cartão), Magal (machucado) – Time provável (3-4-1-2) – Wílson, Bruno Aguiar, Asprilla e Rafael Lima; Diogo, Gomes, Cleiton Xavier e William Matheus; Ramon; Rafael Coelho e Bruno Santos. Técnico: Mário Sérgio

CURIOSIDADE – Desde que subiu para a Série A, o Figueirense perdeu todas as cinco visitas ao Morumbi. Empatou apenas uma partida da Copa Sul-Americna, em 2007, quando o Figueira era dirigido por Mário Sérgio

PALPITE – São Paulo

ARBITRAGEM – Carlos Eugênio Simon (RS); Altemir Halsmann, José Javel Silveira

 

 x

Olímpico, Domingo, 19h10

GRÊMIO – Problemas – Problemas – Léo (machucado), Jean (expulso), Thiego (machucado), Ânderson Pico (machucado) – Time provável (3-4-1-2) – Victor, Pereira, Amaral e Réver; Souza, William Magrão, Rafael Carioca e Hélder; Tcheco; Reinaldo e Marcel. Técnico: Celso Roth

CORITIBA – Problemas – Nenhum – Time provável (3-4-1-2)– Vanderlei, Felipe, Maurício e Rodrigo Mancha; Marcos Tamandaré, Ale, Leandro Donizete e Ricardinho; Marlos; Hugo e Keirrison. Técnico: Dorival Júnior

CURIOSIDADE – Marcelo de Lima Henrique (RJ); Dilbert Pedrosa Moisés, Hílton Moutinho

PALPITE – Grêmio

ARBITRAGEM – Marcelo de Lima Henrique (RJ); Dibert Pedrosa Moisés, Hílton Moutinho

 

x

Vila Belmiro, Domingo, 19h10

SANTOS – Problemas – Rodrigo Souto (terceiro cartão), Fábio Costa (terceiro cartão), Fabiano Eller (machucado), Domingos (machucado, dúvida) – Time provável (4-3-1-2) – Douglas, Wendell, Fabão, Adaílton e Kléber; Roberto Brum, Pará, Bida e Molina; Cuevas e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes

INTERNACIONAL – Problemas – Nenhum – Tite deve poupar titulares – Time provável (4-3-1-2) – Lauro, Ângelo, Danny Morais, Orozco e Gustavo Nery; Sandro, Maycon, Ramón e Taison; Daniel Carvalho e Guto. Técnico: Tite

CURIOSIDADE – O Intenacional jamais venceu na Vila Belmiro.

PALPITE - Santos

 

http://blogs.espn.com.br/pvc/



Escrito por fraja8 às 14h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Sensação na França, Gourcuff avisa: 'Não sou o novo Zidane'

 
Bordeaux (França) - Convocado pelo técnico Raymond Domenech para o amistoso do próximo dia 19 diante do Uruguai, em Paris, Yoann Gourcuff, do Bordeaux, é a nova sensação do futebol francês e considerado o melhor jogador do país na atualidade.

Mesmo diante de tanta badalação, o meio-campista vem mostrando personalidade e cabeça no lugar. Comparado ao maior jogador da história dos Bleus, Zinedine Zidane, Gourcuff mandou o aviso:

'Não sou o novo Zidane. Infelizmente, cada vez que alguém se destaca como meia ofensivo, é logo comparado a ele, mas é um erro, pois ele foi um jogador excepcional e único', discursou, em entrevista ao L'Équipe.

'É impossível comparar e não é bom, pois coloca muita pressão no jogador. Cada um tem o seu estilo. Posso até me tornar o melhor do mundo um dia, mas não sou o novo Zidane', repetiu.

Emprestado pelo Milan ao Bordeaux, Gourcuff evitou falar sobre um possível retorno ao clube italiano, onde foi pouco aproveitado. 'Por enquanto não penso em voltar, mas, se acontecer, será em outras condições, não para ficar apenas sentado no banco', avisou.

O meia será uma das atrações do clássico do próximo domingo, em Lyon, diante dos atuais heptacampeões nacionais, e que poderá colocar o Bordeaux mais perto da liderança (está em terceiro, seis pontos atrás do rival).

Ao falar do duelo válido pela 14ª rodada do Campeonato Francês, foi só elogios ao time de Juninho Pernambucano. 'Vai ser um jogão. O Lyon é muito inteligente na hora de reforçar seu time. Jogadores fantásticos saíram, casos de Tiago, Essien, Diarra e até Malouda, que era considerado o melhor jogador do campeonato em sua última temporada no francês, mas o Lyon continuou competitivo e eu até acho que progrediu', finalizou



Escrito por fraja8 às 14h09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Loeb espera dificuldades em testes com Red Bull

 
Londres (Inglaterra) - Atual pentacampeão do Campeonato Mundial de Rali (WRC), Sebastien Loeb não vê a hora de sentar no cocpkit da Red Bull, equipe pela qual participará de trabalhos a serem realizados na próxima semana, em Barcelona. Entretanto, o francês garante estar com os pés no chão às vésperas dos testes para a Fórmula 1, sabendo que será difícil competir com os tempos dos demais pilotos.

A partir da próxima segunda-feira, o circuito catalão será palco da volta ao trabalho para parte das equipes da Fórmula 1 – inclusive os treinamentos espanhóis serão decisivos para a definição dos pilotos de Toro Rosso e Honda. Entre os que irão à pista estará Loeb, que acaba de se sagrar pentacampeão do WRC e que foi recompensado com a chance de guiar uma Red Bull.

Tentando se familiarizar com o carro austríaco, o francês, que garante que os testes têm apenas caráter de diversão, passou um dia em Silverstone recentemente. Entretanto, ele não acredita que isso o deixe pronto para ir a Barcelona nesta segunda.

“Em termos de preparação, não acho que haverá as mesmas condições na Espanha”, disse Loeb à publicação britânica Autosport, alegando que as condições do circuito inglês estavam ruins. “Eu espero que não seja o caso, mas (esses trabalhos) não tiveram tanta relevância. De qualquer forma, é claro que não são inúteis porque me deram uma experiência extra com o carro”.

Assim, o francês sabe das dificuldades que encontrará ao dividir a pista com pilotos totalmente adaptados à Fórmula 1. “Agora eu sei um pouco mais sobre a Red Bull e não irei a Barcelona tão ‘cru’, mas não espero que os treinos sejam fáceis. Esta será a primeira vez que correrei contra competidores regulares da F-1. Então obviamente será interessante”, disse ele, que já havia utilizado um carro da categoria no ano passado, quando participou de trabalhos particulares a bordo da Renault.



Escrito por fraja8 às 14h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Marcos Senna comemora convocação para jogo especial

 
Villarreal (Espanha) - Campeão da Eurocopa em junho, o brasileiro naturalizado espanhol Marcos senna segue em alta com o novo comandante da seleção, Vicente del Bosque e voltou a ser convocado nesta sexta-feira, desta vez para o amistoso contra o Chile, no próximo dia 19.

O ex-corintiano ficou bastante feliz com a notícia especialmente pelo fato de o duelo acontecer no El Madrigal, casa de sua equipe, o Villarreal. 'É sempre importante defender a seleção. Este jogo será ainda mais especial porque será em Villarreal', destacou o jogador.

Marcos Senna se apresentará à seleção na próxima segunda-feira. Um dia antes, contudo, estará em cmapo defendendo o Submarino Amarelo contra o Málaga, fora de casa, pela 11ª rodada do Campeonato Espanhol.

Único invicto, o time está na vice-liderança do torneio, com 24 pontos, um a menos que o Barcelona. 'A disputa está bastante equilibrada e qualquer tropeço pode nos tirar das primeiras posições, por isso, estamos focados no resultado positivo', concluiu o volante


Borges, São Paulo e Grêmio ganham destaque na Fifa


Sendo o mais disputado desde que os pontos corridos foram instituídos, o Campeonato Brasileiro deste ano ganhou destaque no site da Fifa. A entidade máxima do futebol mundial exaltou a disputa acirrada pela ponta da tabela entre dois times tricolores: o paulista São Paulo, líder com dois pontos a mais, e o gaúcho Grêmio, segundo.

Além da disputa apertada entre as duas equipes, o atacante são-paulino Borges foi apontado como “jogador a ser seguido”, principalmente depois de ter marcado os três gols da vitória por 3 a 2 do time sobre a Portuguesa na última rodada.

 “Será ele o homem que conduzirá os paulistas ao terceiro título brasileiro consecutivo?”, questiona o texto do site da Fifa.

A partida entre Flamengo e Palmeiras, no estádio do Maracanã, também é citada como o principal jogo da rodada, alertando que uma nova derrota palmeirense para um rival direito na disputa pelo título pode acabar de vez com as chances do time comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo.


Ballesteros pode deixar UTI na próxima semana

Madri (ESP) - O ex-golfista número um do mundo, o espanhol Severiano Ballesteros, poderá deixar a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Universitário La Paz, de Madri, na próxima semana.

"Severiano Ballesteros segue evoluindo de forma satisfatória e é provável que na próxima semana deixe a UTI e passe para um quarto", afirma o boletim médico.

Na semana passada a família de Severiano fez um comunicado público agradecendo as manifestações de carinho que o ex-golfista tem recebido.

O espanhol teve diagnosticado um tumor cerebral, no último dia 12 de outubro, após desmaiar em sua casa.

Depois de sua internação, Ballesteros passou por três cirurgias para eliminar o tumor cerebral, mas teve complicações como um edema (inchaço) e acúmulo de líquido intercraniano.



Escrito por fraja8 às 14h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Murray elimina Federer em maratona e classifica Simon às semis

 
Xangai (China) - Em um jogo no qual praticamente tudo aconteceu, Andy Murray esteve tão próximo de vencer Roger Federer e de classificar Giles Simon às semifinais da Masters Cup como de ser derrotado e amargar a segunda posição do Grupo Vermelho. Entretanto, o escocês lutou muito para superar os altos e baixos e causar a primeira eliminação da carreira do suíço na primeira fase da competição – a vitória veio em 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 7/6 (7-3) e 7/5.

A batalha, que durou 3h01 e serviu para fechar com chave de ouro a primeira fase da Masters Cup, colocou dois dos melhores tenistas do mundo frente a frente. Embora já tenha entrado em quadra classificado às semifinais e só precisasse vencer um set para ficar com o primeiro posto da chave, Murray não diminuiu o ritmo e, depois de desperdiçar inúmeras chances e incríveis sete match points, conseguiu o triunfo que garantiu Simon vivo no torneio.

Agora, o escocês tentará avançar à decisão diante do russo Nikolay Davydenko, enquanto o francês segue para enfrentar o sérvio Novak Djokovic. A Federer, mesmo que ele tenha atuado em bom nível e inclusive sacado com vantagem de 4/3 no terceiro set, fica a lamentação pela primeira eliminação precoce em sua história na Masters – tetracampeão, ele verá de forma inédita a reta final do evento desde que começou a participar dele, em 2002.

Garantido até o fim da temporada como vice-líder da lista da ATP, resta ao homem da Basiléia tentar apagar a temporada irregular. Ele fechou 2008 com quatro títulos conquistados, sendo um de Grand Slam, sua pior marca em seis anos de tênis.

O jogo: Mesmo irregular, Murray conseguiu controlar um Federer que lembrou os melhores tempos do tenista no primeiro set, no qual o suíço quebrou de zero dois serviços do adversário e brilhou ao subir à rede com contundência.

Na segunda parcial, o escocês foi dominando as ações à medida que ganhou mais pontos com o saque e desse modo abriu logo 5/2 no segundo set. Entretanto, quando tudo parecia resolvido e o número dois do mundo lamentava erros não-forçados de esquerda, o quarto colocado do ranking bobeou, cedendo dois breaks seguidos ao adversário antes de reagir no desempate, vencido por ele por 7-3.

Em alta na partida, Murray iniciou o terceiro set com tudo e logo abriu 3/0. Enquanto Federer sofria com dores nas costas, tendo pedido inclusive atendimento médico, o escocês exalava confiança e chegou a ter chance de garantir o quarto game consecutivo. Contudo, apagou a partir daí: o suíço se superou, voltou a atuar agressivamente e em grande nível e virou a parcial para 4/3. Por outro lado, o problema lombar afetou de forma considerável o saque do ex-número um, que foi quebrado na seqüência mesmo após abrir 40-15.

Desanimado, o suíço perdeu facilmente o game de serviço de Murray e sacou em 15-40, o que significava um duplo match point. Apesar de não conseguir encaixar o primeiro serviço, o tenista da Basiléia contou com erros do escocês para ter um game point, desperdiçado. Na volta da igualdade, o quarto colocado do ranking de entradas ainda desperdiçou mais cinco pontos para definir a partida, mantendo o adversário vivo.

Após um game em que o sacador confirmou as expectativas sem grandes problemas, Federer novamente teve dificuldades com seu saque: após cometer um erro bobo junto à rede e uma dupla-falta, ele cedeu novamente dois break points ao escocês, que desta vez contou com um erro de direita do rival para vencer seu 125º ponto na partida, este sim decisivo para manter sua invencibilidade no certame.

 



Escrito por fraja8 às 13h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




CBF confirma contrato com a Hugo Boss

PRISCILA BERTOZZI
Da Máquina do Esporte, em São Paulo


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou nesta sexta-feira que a grife Hugo Boss irá fornecer trajes sociais para a seleção pentacampeã mundial até 2014. O contrato prevê o aporte de US$ 200 mil anuais, mais US$ 250 mil em roupas.

Com o acordo, a marca, que veste os jogadores de Real Madrid e Bayern de Munique no futebol internacional, se une a Vivo, Itaú, Ambev, Tam e Nike no grupo de parceiros oficiais da entidade.

A ligação com o esporte, no entanto, vai além das quatro linhas. No passado, a Hugo Boss já investiu em boxe e automobilismo, por intermédio dos pilotos Ayrton Senna e Emmerson Fittipaldi, atual representante da grife no Brasil.

A CBF, por sua vez, comemora o terceiro contrato de patrocínio em menos de um mês. Vivo e Itaú anunciaram recentemente que pagarão, cada um, US$ 15 milhões anuais à entidade nas próximas seis temporadas.

Segundo matéria publicada no "Portal Exame" nesta sexta-feira, a organização dirigida por Ricardo Teixeira pede o mesmo montante à Ambev para renovar a até a Copa de 2014.

Procurado pela reportagem da Máquina do Esporte, Rodrigo Paiva, assessor de imprensa da CBF, negou a negociação com a marca de refrigerantes, que paga US$ 10 milhões anuais até 2019.


Escrito por fraja8 às 13h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
Rachid Orra
Aos 59 anos, o engenheiro Rachid Orra é o presidente eleito da Confederação Brasileira de Golfe (CBG) e ficará no comando até 2010


Entrevista: Rachid Orra

PRISCILA BERTOZZI
Da Máquina do Esporte, em São Paulo


"Enquanto não temos o nosso Guga, precisamos do apoio de outros ídolos. Nós esperamos que apareça alguém que represente para o golfe tudo o que ele representou para o tênis". A frase de Rachid Orra, presidente eleito da Confederação Brasileira de Golfe (CBG), dá o tom do que irá nortear seus trabalhos à frente da entidade nos próximos dois anos: a descoberta de novos talentos.

O dirigente rejeita o rótulo de elitista da modalidade. Na contramão dos especialistas, diz que o golfe é até barato, mas que sua popularização esbarra na falta de divulgação e referências.

A saída, portanto, é focar a base para repetir a façanha alcançada pelo tenista catarinense e, conseqüentemente, pelo tênis no Brasil. No golfe profissional, o esforço será para o fortalecimento circuito nacional.

"É um trabalho grande, mas que será feito, sem dúvida. Só assim vamos conseguir desmitificar o golfe", afirma Orra, que ficará à frente da CBG entre 1º de janeiro de 2009 e 31 de dezembro de 2010.

Nesta entrevista exclusiva à Máquina do Esporte, o novo comandante do golfe brasileiro fala sobre Lei de Incentivo, prioriza a criação de campos públicos, cita a Argentina como modelo a ser seguido e pede mais espaço na grande mídia.

Leia a seguir a íntegra da entrevista:

Máquina do Esporte: Quando se fala em golfe no Brasil, a primeira palavra que vem à cabeça é elite. Esse é um entrave para que o esporte seja difundido em camadas mais populares?

Rachid Orra: Só é assim aqui no Brasil. No mundo inteiro, o golfe é uma modalidade muito popular. O problema é que aqui o golfe não está presente em muitos lugares, o que acaba criando a idéia de que se trata de um esporte caro, elitista, o que não é verdade. Pelo contrário, é até barato praticar. O primeiro passo nesse sentido aconteceu há alguns anos, quando foi aberto o primeiro campo público no país. Qualquer pessoa pode praticar golfe pagando uma taxa muito baixa.

ME: O número de campos públicos no país, no entanto, é mínimo. Como a nova gestão pretende sanar esse problema?

RO: É verdade, temos poucos campos públicos. Já temos um projeto com a Prefeitura de São Paulo para disponibilizar um campo na cidade. É um negócio que ainda está em fase preliminar, mas que deverá sair do papel. A maior parte desses espaços de baixo custo está em clubes ou em áreas ligadas a resorts, o que dificulta o acesso. Isso é algo que precisa ser mudado. Um bom exemplo a ser seguido é a Argentina.

ME: Rubens Barrichello, Daiane dos Santos, César Cielo e outras celebridades no esporte nacional estiveram, recentemente, em eventos de golfe. A associação com a imagem dessas personalidades também ajuda no processo de massificação do esporte?

RO: Claro. Esse é um outro caminho muito importante a ser seguido. Enquanto não temos o nosso Guga, precisamos do apoio de outros ídolos. É importante para chamar a atenção da mídia, principalmente. Nós esperamos que apareça alguém que represente para o golfe tudo o que ele representou para o tênis.

ME: O golfe, assim como o tênis, é uma modalidade com restrições para ser transmitido na TV aberta. Os canais fechados, geralmente, reservam a maior parte do espaço para exibir campeonatos internacionais. Levar o golfe nacional para a grande mídia é um objetivo para o futuro?

RO: É um problema importante a ser resolvido. Faz muita diferença aparecer na grande mídia. Nós temos programas que transmitem torneios nacionais na ESPN e no Bandsports, mas queremos mais. Temos alguns planos para isso, que serão desenvolvidos ao longo da minha gestão. Queremos divulgar a modalidade na TV com muito mais força. Precisamos aumentar esse espaço. É um trabalho grande, mas que será feito, sem dúvida. Só assim vamos conseguir desmitificar o golfe.

ME: Recentemente, a CBG teve um projeto aprovado para a captação de recursos via Lei de Incentivo para trabalhar o desenvolvimento de novos golfistas. O trabalho com as "categorias de base" serão intensificados?

RO: Sem dúvida. A gente precisa criar condições técnicas e físicas para que os atletas possam se desenvolver. Precisamos de craques, precisamos de volume de campeonatos. Isso é fundamental para o crescimento do esporte em geral. Foi por isso que apresentamos esse projeto ao Ministério do Esporte. A idéia básica é criar condições para o surgimento de golfistas, precisamos colher pessoas com habilidade em vários estados do Brasil e, depois, promover intercâmbios com centros mais desenvolvidos.

ME: Existe algum outro projeto tramitando no Ministério do Esporte?

RO: Sim. Temos outro projeto voltado para a elaboração de um calendário nacional forte de golfe. Sem volume de torneios não vamos conseguir descobrir um ídolo. O incentivo fiscal propicia a criação de projetos desse tipo, de médio e longo prazo. Quanto mais recursos, mais fácil abrir caminho para novos praticantes. Junto com a divulgação pela mídia, esse é um passo importante para a popularização.

ME: Em dois anos, o que será possível fazer pelo golfe nacional?

RO: Nossa meta é dar prosseguimento ao trabalho já iniciado pelo Álvaro Almeida. A primeira coisa é profissionalizar cada vez mais a gestão do esporte. O golfe é uma modalidade mais complexa, precisa de profissionais cuidando dele. Além disso, vamos dar prioridade aos garotos. Vamos promover uma série de ações voltadas para o público mais jovem. Afinal, eles são o futuro do esporte. Por último, queremos transformar as competições nacionais em um circuito profissional importante. Precisamos entrar na rota do golfe internacional para, quem sabe, termos um grande ídolo e, finalmente, ver o esporte crescendo para outros públicos



Escrito por fraja8 às 13h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Dunga assume decisão de liberar Alex ou mantê-lo na seleção

Agência/Agência Estado

Treinador diz que fato de partida ser amistosa não influencia na decisão de desconvocar ou não o jogador do Inter

O Inter retorna a Porto Alegre nesta sexta-feira, após a vitória de 2 a 0 sobre o Chivas, no México, pela Sul-Americana. O retorno para casa traz uma indefinição na bagagem: a liberação de Alex da seleção brasileira para que possa disputar a segunda partida das semifinais da competição continental. O jogador não quer ser desconvocado, mas o clube, mesmo com a vantagem conquistada fora de casa, ainda pode fazer o pedido. O técnico Dunga, em entrevista ao "Diário Gaúcho", disse que a decisão cabe exclusivamente a ele.

- Caberá a mim decidir. Os clubes da Europa também fazem esses pedidos, mas eu preciso pensar na seleção. Cada um tem seus interesses - afirma o treinador.

O jogo do Brasil é amistoso. A equipe canarinho enfrenta Portugal na mesma data da disputa colorada com o Chivas por vaga na final da Sul-Americana - quarta da semana que vem. Para Dunga, o fato de o jogo da seleção não ser por uma competição oficial nada muda.

- Para nós, é trabalho igual. Independentemente de ser amistoso, é importante para a seleção



Escrito por fraja8 às 13h18
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Will President Obama help the USA score the 2018 World Cup?

 
As a child, Barack Obama often played soccer on the streets of Indonesia . These days, his affinity for the sport stretches little further than watching his daughter Malia’s junior games and owning a long-distance appreciation for English Premier League team West Ham United.
 
Yet before he even sets up camp in the Oval Office, signs indicate that the President-elect may already be the best thing soccer in the United States could ever have wished for.
 
The world game likes to think that it belongs to the people. However, in reality, its cloistered corridors of power are among the most politically intertwined in international sport.
 
What U.S. Soccer craves is the right to host the 2018 or 2022 World Cup. The election of Obama has made such an outcome far more likely.
 
“We would all like to believe sports and politics do not conflict, but we must be realistic,” U.S. Soccer president Sunil Gulati told Yahoo! Sports. “Certainly, there is a connection. When people talked about China hosting the Olympic Games, it was not independent of other concerns.
 
“Anything that enhances the perceived views of the United States can only be a positive for us.”
 
There is a clear element of “popularity contest” about the way the members of FIFA, soccer’s worldwide governing body, make their big decisions. While Obama may have garnered 53 percent of the popular vote to become USA ’s first African-American president, internationally he has rock-star status. His victory was front-page news in every corner of the globe and the outpouring of delight has been overwhelming.
 
To believe Obama’s popularity will not have an impact on the World Cup selection would smack of naivety, according to a high-placed FIFA source.
 
“How can it not make a difference?” said the source, who asked not to be named. “Now when you think of America , you don’t think George W. Bush or war. You think of this man, Obama, who has made history and given hope to millions.
 
“The men who vote on World Cup hosts are not immune to those same feelings. If the U.S. bid stacks up in terms of infrastructure and organization, then Obama could be a huge factor.”
 
Obama figures to have a similar influence on the 2016 Olympic Games, which Chicago is vying for alongside Tokyo , Madrid and Rio de Janeiro . Japanese Olympic Committee chief Tsunekazu Takeda has already admitted Tokyo ’s chances of success diminished significantly the moment Obama was crowned the election victor, making Chicago the strong favorite.
 
 
The respective rival soccer associations looking at bidding for the 2018 and 2022 World Cups are too savvy to give up any psychological ground at this early stage. But America’s main opponents, likely to be England in addition to joint bids from Spain/Portugal and Belgium/Holland/Luxembourg, must be seriously concerned about the boost received by America’s bid, which is yet to be made official but is no secret.
 
The last and only time the U.S. staged the World Cup was in 1994, when the tournament shattered all-time attendance records that still stand to this day. That month in the world spotlight placed the sport in the consciousness of the American public, after soccer flat-lined following the demise of the North American Soccer League in the 1980s. Following the tournament, Major League Soccer began and has progressed steadily ever since. Participation levels have grown, while television viewing figures, especially the top European leagues, push onwards to decent, if unspectacular, levels.
 
In terms of its ability to host the World Cup, the U.S. is in a position of strength. The phenomenal success of the National Football League is a key element with its countless giant state-of-the-art stadiums in which to host matches.
 
Highly respected in FIFA circles, Gulati and his team were growing in confidence even before Obama’s victory.
 
“We know we have got great infrastructure, stadiums and so on,” Gulati said. “We know we would stage a terrific World Cup and having people view us as a nation in a better way is a positive.
 
“It was very clear from the reaction around the world just how popular this result has been. This election has given a lot of people a reason to cheer. They are looking forward to changes in policy.
 
“We are waiting for the rules of the game to be announced regarding 2018 and 2022. We will go after it in an aggressive fashion.”
 
FIFA president Sepp Blatter is expected to visit Obama at the White House next year, while Obama also is likely to attend the 2010 World Cup in South Africa . The iconic images that would be spawned by a meeting between Obama and Nelson Mandela would cast further positive vibes upon the sport.
 
Much now hinges on the decision-making progress. At present, it is unclear if nations will be forced to choose which World Cup to bid for, or if they will be allowed to put forward for both 2018 and 2022. Either way, it is impossible to contemplate Europe not getting at least one of the selections. Currently, England is considered to be in the strongest European candidate.
 
 
 
Africa and South America will not be in contention because of how recently they will have staged a World Cup. Brazil will play host in 2014.
 
CONCACAF president Jack Warner believes the U.S. should step aside for the Europeans on 2018 and instead effectively square off against Australia and China for 2022. But if Gulati and U.S. Soccer had been leaning toward that approach, Obama’s rise to the White House may have shifted the goalposts.
 
If U.S. Soccer believes it can win in 2018, it will certainly go for it and enjoy the resulting spin-offs four years sooner.
 
Some say it will take more than the arrival of a single charismatic superstar to transform the game and its status in America , as evidenced by David Beckham’s arrival in MLS and its failure to give soccer the boost that was hoped for. Maybe what was actually needed was a different kind of superstar, one who operates in the political playing field rather than within the white lines.
 
If that is the case, then U.S. Soccer’s dreams just came true. (source Yahoo Sports)


Escrito por fraja8 às 13h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mano desconversa sobre Adriano, e Andrés nega interesse no Imperador

Agência/Reuters

Treinador prefere não falar sobre contratações, enquanto presidente do Timão diz que contratação é inviável financeiramente

O técnico Mano Menezes preferiu não fazer comentários sobre o possível interesse do Corinthians no centroavante Adriano, do Inter de Milão. O jogador entrou em atrito com o técnico José Mourinho e, segundo o jornal italiano “Corriere dello Sport”, poderia ser emprestado pelos italianos a uma equipe brasileira. São Paulo e Fluminense também estariam interessados.

- Não vou falar sobre nenhuma possibilidade de contratação. Isso não colabora em nada. Não é muito do meu feitio ficar expondo nomes dos profissionais. Ficar discutindo isso publicamente não é correto. Se o jogador agrada e existe a possibilidade e a condição financeira, você contrata – diz.

O presidente Andrés Sanches negou veementemente que quisesse repatriar o imperador, assim como o rival São Paulo fez no início da temporada. Segundo ele, o clube não tem condições de arcar com os salários do atleta. 

- Não foi nem cogitado isso aqui. É uma coisa impensada por questões financeiras. Mas quem no país não queria ter? – afirma.

José Mourinho perdeu a paciência depois que o jogador faltou ao treino da última terça-feira, alegando gripe. O treinador já estava irritado com o atleta por causa de noitadas em Milão, que atrapalharam o desempenho do Imperador nos treinos.

O que pode atrapalhar a volta de Adriano ao Brasil é o interesse do Inter de Milão em envolvê-lo numa negociação com o Atlético de Madri para a contratação do argentino Sergio Agüero.



Escrito por fraja8 às 13h14
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Em crise, Real visita Valladolid. Na liderança, Barça pega o Recreativo

Confira a programação da 11ª rodada do Campeonato Espanhol

Em crise pelos maus resultados e a eliminação na Copa do Rei, o Real Madrid viaja para enfrentar o Valladolid neste sábado, pela 11ª rodada do Campeonato Espanhol . A equipe merengue está em quarto lugar com 23 pontos.

A eliminação da Copa do Rei - torneio que o clube não conquista há 15 anos - para o Real Unión, da Terceira Divisão, em pleno Santiago Bernabéu, veio após duas derrotas seguidas para O Juventus na Liga dos Campeões, entre outros resultados considerados surpreendentes no Espanhol.

A seqüência de resultados ruins aumenta a pressão sobre o técnico alemão Bernd Schuster, ameaçado de demissão caso a equipe não vença o Valladolid.

Apesar de já ter marcado 28 vezes em dez partidas, a defesa do Real é, de longe, a mais vazada entre os seis primeiros colocados, com 16 gols sofridos - o dobro do líder Barcelona e do Sevilla, por exemplo. Com isso, o clube da capital não consegue alcançar uma regularidade mesmo com 23 pontos, apenas dois a menos que o primeiro colocado.

Líder do torneio com 25 pontos, o Barça também joga fora de casa, mas no domingo, contra o Recreativo, que soma apenas uma vitória na competição e está bem perto da zona de rebaixamento.

Confira os jogos da 11ª rodada do Campeonato Espanhol

* horários de brasília

Sábado

17:00 Valladolid x Real Madrid

19:00 Valencia x Sporting Gijón

Domingo

14:00 Getafe x Sevilla

14:00 Recreativo x Barcelona

14:00 Málaga x Villarreal

14:00 Atlético de Madri x La Coruña

14:00 Espanyol x Numancia

14:00 Bétis x Racing Santander

14:00 Almería x Mallorca

16:00 Athletic Bilbao x Osasuna

18:00 Recreativo x Barcelona



Escrito por fraja8 às 13h10
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Sem Adriano, Inter pega o Palermo

Agência/AFP

Atacante não é relacionado pelo técnico José Mourinho para a partida deste sábado. Arqui-rival Milan recebe o Chievo no San Siro

Líder do Campeonato Italiano com 24 pontos ao lado do Juventus, o Inter de Milão enfrenta o Palermo, na Sicília, neste sábado, em jogo válido pela 12ª rodada do torneio. E, pela quinta vez consecutiva, o atacante Adriano não foi relacionado pelo técnico José Mourinho.

De acordo com o treinador, o motivo para ausência do brasileiro foi um gripe que o tirou do treino da última terça-feira. No entanto, de acordo com a imprensa italiana, o real motivo seria ainda a irritação do português com o comportamento do Imperador fora das quatro linhas. Rumores dizem que Adriano poderá ser emprestado na próxima janela de transferências do mercado europeu.

A um ponto do Inter, o Milan, terceiro colocado, recebe o Chievo em San Siro e conta com a vitória, assim como um tropeço do rival histórico. Em boa fase, Ronaldinho Gaúcho acredita que o time rubro-negro poderá chegar à liderança e conquistar o título, mas será difícil até o fim.

Clássico romano

Em situações bem diferentes na tabela, Roma e Lazio fazem o clássico da capital da Itália no Estádio Olímpico neste domingo.

Quarta colocada na tabela com 22 pontos e de olho na liderança, o Lazio aparece como favorito para o clássico de domingo principalmente diante da péssima situação do adversário: é o 17º colocado, com apenas oito pontos, um acima da zona de rebaixamento.

Confira os jogos da 12 rodada do Campeonato Italiano

* horários de Brasília

Quinta-feira

Juventus 4 x 1 Genoa

Sábado

17:30 Palermo x Inter de Milão

Domingo

12:00 Sampdoria x Lecce

12:00 Udinese x Reggina

12:00 Siena x Bologna

12:00 Cagliari x Fiorentina

12:00 Catania x Torino

12:00 Milan x Chievo

12:00 Atalanta x Napoli

17:30 Roma x Lazio



Escrito por fraja8 às 13h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Marcio Braga: 'Hexa do São Paulo é um desastre para a história do Fla'

Ag./Lance

Presidente acha que o Tricolor Paulista é favorito ao título brasileiro

Mesmo ainda acreditando na conquista do hexacampeonato brasileiro, o presidente do Flamengo, Marcio Braga, já sabe qual o clube que pretende secar, caso os rubro-negros não possam levantar a taça: o São Paulo. A equipe da Gávea foi a primeira a ser tetra em 87 (título não reconhecido pela CBF) e penta em 92, sendo que os dois títulos foram conquistados durante mandatos de Braga. Em entrevista ao diário "Lance", o dirigente apontou o Tricolor Paulista como favorito e acha até que uma conquista são-paulina se tornaria uma mancha na história rubro-negra.

- O São Paulo tem um time feito na base. Demorou 15 anos para ser penta e agora, possivelmente, será hexa. É um desastre para a história do Fla. É decepcionante para mim. Eu quero que o Fla seja hexa, porque estamos sempre na frente, somos o maior clube do país e um dos maiores do mundo - diz Marcio Braga.

A base, elogiada no rival paulista, é justamente a saída para o Fla recuperar seu prestígio, de acordo com o presidente. O atual time não enche os olhos do dirigente e ele critica o fato de a equipe não saber mais jogar no Maracanã lotado.

- Já ouvi comentário de que o Fla fica nervoso com 80 mil no Maracanã e que joga melhor fora. Não dá para compreender. Se pegar um juvenil e botar com a camisa numa decisão, ele joga como se fosse pelada de rua. Se pegar o craque consagrado e com alto salário, ele treme. Basicamente, time tem de ser feito em casa - analisa o dirigente.

O ataque também é uma preocupação de Marcio Braga e lembra de dois atacantes que marcaram época em equipes campeãs nacionais do Flamengo.

- Falta um Gaúcho, um Nunes ali na frente. Essa é a grande falta. O Obina tem seus altos e baixos e Josiel e Vandinho ainda não se firmaram. Ano que vem tem de se replanejar o futebol - indica, dando a entender que reforços para o ataque devem estar entre as prioridades do clube para 2009.



Escrito por fraja8 às 13h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ESPN and The R&A Reach Wide-Ranging Eight-Year Agreement for The Open Championship
 
 
ESPN and The R&A, the organizer of The Open Championship, have reached an eight-year  agreement that will place all four rounds of The Open Championship live on ESPN beginning in 2010, it was announced by George Bodenheimer, President, ESPN, Inc., and ABC Sports and Peter Dawson, Chief Executive of The R&A.  The new pact will also provide: broad and comprehensive rights for digital platforms; expanded television and digital media rights for ESPN International; and, extensive same-day weekend highlights coverage on ABC. 
 
ESPN will televise 34 live hours of Championship play over the four days and produce six hours of encore highlights coverage over the weekend for ABC.  The coverage on ABC will extend The R& A’s relationship with ABC past the half-century mark.
        
Bodenheimer said: “One of the most venerable of all sporting events has embraced the 21st century worldwide media landscape, and we’re thrilled to showcase The Open Championship like never before.  The scope of this deal and the enhancements we obtained offer us tremendous opportunities to serve The R&A and golf fans around the world through any device.”
 
Dawson said: "It is all important to The R&A that we preserve the traditions of The
Open Championship while at the same time ensuring that golf fans are able to enjoy modern state-of-the-art coverage of the event.  We know just how much ESPN respects The Open's heritage and we are very excited by their many innovative plans to cover the Championship across the whole media spectrum, both in the United States and internationally.  We look forward to a long and productive relationship."
 
 
Alastair Johnston, IMG Vice Chairman, who led the negotiating team representing The R&A said, "We had to consider not only the financial terms but The R&A's overall mission to promote and develop the game of golf to an evolving global audience.  Envisaging the platforms where a younger generation could be positively influenced to experience The Open Championship over the next decade was a significant factor in assembling this arrangement with ESPN."
 
The deal also includes: exclusive U.S. coverage of all rounds of the Senior Open Championship, which is governed jointly by The R&A and the PGA European Tour, and coverage of the next two Walker Cups when contested in the United Kingdom (2011 and 2015).  In all, there will be 90-plus television hours and 40-plus hours of live coverage on ESPN360.com and ESPN Mobile TV.  ESPN will provide unprecedented live coverage of the Championships, including the first and second rounds of The Open Championship, which will begin at 5 a.m. ET.  
 
As in all recent major rights acquisitions, the wide-ranging agreement will cover  multiple businesses around the world through ESPN’s various platforms– ESPN, ABC, ESPN2, ESPN Deportes, ESPN International, ESPN.com, ESPN360.com , ESPNDeportes.com and ESPN Mobile Properties, interactive television, ESPN in Latin America/Caribbean, TSN and RDS in Canada, ESPN Star Sports in Asia, and ESPN360 services in Mexico, Chile and Brazil. 
 
ESPN extended and broadened its rights in Canada (TSN and RDS), Asia, Israel and Latin America territories as well as English language rights in China (ESPN Sports Star Sports). The deal also includes digital rights in all territories (excluding China) including live streaming of all events, expansive multiplatform highlight rights (e.g. online, broadband, and wireless); television and digital VOD; interactive television and mobile TV. 
 

 
Big names unlikely to go early
 
 
The biggest name free agents sign their contracts in December, not early November. The negotiating process is in its early chapters at this time of the year, especially when Scott Boras represents a player.  This article was written by Phil Rogers and appeared in the Chicago Tribune.

While CC Sabathia and Manny Ramirez were in headlines last week, it almost certainly will be many weeks before we know where they're going to play in 2009 and beyond. Both would be welcomed back by their teams, the Milwaukee Brewers and Los Angeles Dodgers, respectively, but offers would have to be overwhelming for them to sign during the exclusive signing period, which ends Thursday.

Everybody involved in the process understands this, yet the general managers trying to retain them are obligated to save face with their fan bases. That's why Dodgers GM Ned Colletti recently made an offer to Boras for Ramirez—believed to be two years, $50 million—and proudly proclaimed how it would make him the second-highest paid player in the majors.

It's just part of the dance.

"We're really not even in negotiating mode now," Boras said on XM Radio. "We're in the information-taking mode, trying to determine what the plan is for a variety of major-league teams coming in to the 2009 season. … I think [a team] publicizing an offer and bringing those to light, there may be reasons why that's done."

When the Brewers made their offer to Sabathia—believed to be five years for $100 million—an executive with another team reportedly dismissed it as "window dressing." This insulted Brewers GM Doug Melvin, and rightfully so.

This was a nine-figure offer, not a two-year deal like the Dodgers made to Ramirez. It was a sincere expression of the Brewers' desire to keep Sabathia off the open market, one that probably wouldn't have been made if Sabathia had not been so vocal about how much he enjoyed his three months with the Brewers. (The Brewers certainly enjoyed it, as the big left-hander went 11-2 with a 1.65 ERA and seven complete games in 17 regular-season starts for them.)

But Milwaukee doesn't generate the revenue of the New York Yankees, Boston Red Sox, Cubs or many other franchises. That's why Ryan Braun's eight-year, $45-million deal is the biggest in the Brewers' history. The Brewers' biggest free-agent acquisition is Jeff Suppan, who got a $42 million deal.

It says a lot when the Brewers offer a player $20 million a year for five years. But still, unless Sabathia (a California native who lives in the tony Los Angeles neighborhood of Bel Air) developed a serious addiction to bratwurst, he's not going to sign until the open market establishes his value.

This may not hold true for Ryan Dempster, who is so happy in Chicago that he might sign an extension with the Cubs before Thursday, but the players' union wants top free agents to go the distance in negotiations. That raises the price for other players.

Melvin said he wasn't sure if Sabathia's agent, Greg Genske, would attempt to counter his opening offer before the opening signing period. It's clear Boras won't with Ramirez. Perhaps that's why the Los Angeles Angels apparently are sitting out this round with Mark Teixeira, who will be Boras' most widely pursued client.

Boras says the 28-year-old first baseman has generated preliminary interest from "more [teams] than I can negotiate with." He certainly has a résumé Boras can sell, having averaged 37 homers and 118 RBIs over the last five seasons for Texas, Atlanta and the Angels.

"I'm going to have to sit down with Mark and Leigh, his wife," Boras said. "I'm going to have to limit the number of teams that we can actually deal with because there's that kind of interest in him."

Sit back, read a book, write a book. It's going to be a long winter.

A sad investment: You can't help feeling bad for both Chris Carpenter and the St. Louis Cardinals. The 2005 Cy Young winner was one of the best acquisitions ever when the Cards signed him in December 2003, after a shoulder injury prompted Toronto to discard him, but he has had nothing but grief since signing a five-year, $63.5 million deal after helping St. Louis steal the World Series in 2006.

Elbow and shoulder injuries limited Carpenter to 21 innings the last two years. There had been some hope he could help in 2009, but it largely has vanished since he was forced to undergo surgery that moved a nerve near his elbow.

"Until Carp proves himself to be healthy and capable of doing what he needs to do within the rotation, you can't figure on his availability," Cardinals pitching coach Dave Duncan said. "You may be able to look at him in some kind of relief role."

With a crop of outfield prospects in the farm system, headed by center fielder Colby Rasmus, the Cardinals would consider moving 37-homer hitter Ryan Ludwick or center fielder Rick Ankiel for pitching. With Javier Vazquez being shopped and a hole in center, the White Sox are a potential fit for Ankiel, the pitcher turned slugger.

Missing link: The player the Cubs need to sign is So Taguchi, not because he's especially talented but because he could be a curse-buster. The backup outfielder, just released by Philadelphia, a career .219 hitter in 30 playoff games, has gone to the World Series three times in the last five seasons and picked up rings twice, with St. Louis in 2006 and the Phillies this year.

He appeared in only four playoff games for Philadelphia, none in the World Series, after hitting .220 with no homers in 91 regular-season at-bats.

"He was on our team the whole year," manager Charlie Manuel said. "He didn't get to play a whole lot, but I always looked at him as someone who knew how to play. … It was hard for him to get playing time, [but] that doesn't mean that he's not a good player. I told him that a lot."

The last word: "You have to remember that Manny Ramirez played six years in Cleveland without incident, very happy. [He] took a club that had not been to the World Series in 40 years and they went there twice. He goes to Boston, he lives there [and] he found out after living there for a period of time that he didn't enjoy living in Boston, that he and his family were not comfortable in the city. [He] liked his teammates, liked the organization and Manny, far before I represented him, he went to the ownership and explained that, 'No disrespect to you and what we are trying to accomplish here, I just don't like living in the city of Boston. I want you to know that and I'd like to go somewhere else.' … Throughout this process Manny had explained to them that he wanted to live in another environment, that he wanted to go somewhere else."—Boras on why Ramirez left Boston under bad terms.  This article was written by Phil Rogers and appeared in the Chicago Tribune.


Escrito por fraja8 às 13h02
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




El nuevo Messi

El delantero argentino ha dado un paso adelante en su progresión de la mano de Pep Guardiola

La llegada de Pep Guardiola al banquillo del FC Barcelona ha supuesto un cambio sustancial en el seno del equipo, en su día a día, en sus rutinas y en su funcionamiento. Todos los jugadores han notado el cambio pero si alguien ha vivido esta metamorfosis con especial sensibilidad es Leo Messi.

El tránsito no ha sido fácil pues del club se fueron tres de sus amigos más íntimos, como es el caso de Deco y Ronaldinho, y muestra de este malestar fueron los turbulentos primeros entrenamientos que se vieron en Escocia entre la estrella argentina y el nuevo mister. Tardó poco Guardiola en convencer a Messi de su proyecto, cediendo cuando era posible y apretando cuando era necesario.

Ahora se cumplen cuatro meses desde que coincidieron por primera vez y el balance es inmejorable. Una muestra de la exquisita relación por la que atraviesan se vivió ayer antes del entrenamiento matinal. Guardiola y Messi tomaron un café de desayuno juntos sin ser esta una reunión formal, sino todo lo contrario. Durante el transcurso de esta conversación, el técnico le felicitó por su trayectoria en los últimos partidos, le instó a seguir en esta línea y quitó hierro a situaciones como la vivida en el último partido contra el Benidorm en el que dispuso de muchas ocasiones de gol sin ser efectivo y erró un penalty que, luego, él mismo remató a gol. Guardiola le aplaudió por su actitud, por su generosidad, por su compromiso y por su valentía, factores que va a más durante la presente temporada.

Ante tanto aplauso, Pep Guardiola le recordó que como humano también tiene derecho a fallar pues no es dios, quitándole de esta manera toda la responsabilidad directa en las victorias o en las derrotas. Fue una cumbre que también sirvió para aclarar algunos conceptos que habían quedado borrosos tras la disputa del partido del Benidorm pues el técnico dijo en la rueda de prensa que Messi le había fallado al comentar su voluntad de estar “como hincha” con la selección argentina en el primer amistoso de Maradona.

Guardiola le explicó el plan de entrenamientos que había diseñado para la próxima semana con fiesta el lunes y martes (para que los internacionales pudieran disponer también de descanso) y entrenamientos los siguientes días con el fin de preparar el partido contra el Getafe. Messi, cuya voluntad era la de estar con sus compatriotas, aceptó de buen grado de la decisión del cuerpo técnico y no removió más el asunto pues entiende que primero es entrenar.

Messi no tiene arrebatos de figura reclamando un trato especial por ser la principal estrella del equipo. El jugador mantiene una relación de confianza total con Guardiola y no quiere pulsos con nadie. Desearía apoyar a Argentina pero su prioridad seguir con el plan personalizado de entrenamientos que le ha diseñado el club con el fin de evitar lesiones.

Pep Guardiola cuida a Leo Messi durante el transcurso de un entrenamiento

El extremo, según sus íntimos, aprecia mucho a Guardiola por los numerosos consejos que le está dando que le están llevando a redescubrirse como jugador hasta el punto de hacerle mejorar sensiblemente su juego. Son detalles, nada trascendentales, que en su totalidad han permitido que se vea un nuevo Leo Messi.
Uno de estos es el cambio en la dieta, mucho más variada ahora que antes al incorporar alimentos como la verdura o el pescado.

Guardiola ha sido clave en este cambio pues le ha recalcado la importancia de una dieta equilibrada para evitar lesiones y mejorar el rendimiento. En definitiva, ha mejorado en lo que se llama el entrenamiento pasivo y en el activo pues ahora las sesiones son personalizadas.
La popularidad en el mundo de Messi ha aumentado tanto que la protección familiar se ha acentuado en los últimos meses con el fin de cuidarle para que se centre en todo lo que hace referencia a los aspectos estrictamente deportivos.
Una situación que demuestra el buen entente entre Guardiola y Messi se vivió hace unas semanas cuando el técnico le impidió atender a un compromiso publicitario con la empresa Komani por celebrarse dos días antes de un partido, algo no permitido según el código interno. Messi ha tenido que buscar un nuevo emplazamiento para atender a este acto y, al final, será el próximo martes


Eto'o: "Mi mejor momento está por llegar"

Eto'o, ambicioso

Samuel Eto'o lleva 13 goles en 10 partidos y no se conforma. Está "contento" en un Barça que va por el "buen camino" y con el que quiere "arrasar logrando todos los títulos posibles"

El delantero camerunés compareció en rueda de prensa varias semanas después de hacerlo por última vez y, como es habitual en él, habló claro y sincero sobre todos los temas de la actualidad azulgrana.

Eto'o es consciente que su situación en el Barça ha cambiado mucho. De estar en venta ha pasado a ser de nuevo el hombre referencia en ataque y el actual pichichi del equipo y de la Liga. Sin embargo, el camerunés no quiere pensar demasiado en ello. "Este año es este año, lo del año pasado o hace unos meses ya no importa", declaró.

"Soy más mayor. Llegué con 23 años y ahora tengo 27. Conozco mejor la casa, tengo más experiencia y sé que mi mejor momento está por llegar. En la vida nunca me pongo límites. Quiero concentrarme más, porque cuando todo el mundo habla de lo bien que lo estamos haciendo, lo más fácil es volver a caer", explicó.

Preguntado por su excelente estado de forma, Eto'o reconoce que pasa por un "buen momento" después de haber pasado unos últimos años perjudicado por las lesiones. "Desde que estoy en el Barcelona he tenido suerte de cara a portería, pero no estaba contento. Sabía que podía hacerlo mejor y a parte tuve problemas. Ahora contento, en el buen camino", afirmó un Eto'o que no se fija una cifra concreta de goles. "Llama a Pep y dile que me ponga en todos los partidos a ver si marco, pero yo no pienso en esas cosas", explicó. "Sé que el míster va a dar minutos a todos los compañeros. A todos nos parece justo y, por tanto, no siempre saldré de inicio ni jugaré todos los minutos", comentó el camerunés.

No quiso hablar de renovación, pero piensa en el Barça... y el Mallorca

Samuel Eto'o termina contrato en 2010, pero no está preocupado por lo que sucederá después. "Llevamos unos meses de Liga, dejemos que el trabajo se haga bien y luego ya se hablará de esas cosas", explicó el azulgrana, que sólo tiene una cosa clara: quiere terminar su carrera en el Mallorca. "Siempre he dicho que me gustaría retirarme en el Mallorca, pero si las lesiones me respetan, espero estar muchos años en un club grande como el Barça. Seguiré dando guerra en el Barça mientras mi cuerpo lo permita", aseguró.

El favorito, el Madrid

A pesar de que el equipo azulgrana es líder de la Liga, Samuel Eto'o le quiso pasar el favoritismo al vigente campeón, el Madrid. "El único favorito es el Madrid, que es el campeón. Nosotros hemos de pelear para seguir aspirando al título", afirmó un Eto'o que tiene claro su objetivo esta temporada: "Mi ilusión es arrasar ganando todos los títulos posibles y estamos trabajando muy duro para conseguirlo".


Puyol entra en el top 5

Carles Puyol ya se encuentra entre los jugadores que más partidos ha disputado de blaugrana

Con el partido de Copa frente al Benidorm, Puyol sumó 411 encuentros oficiales, uno más que Zubizarreta

Garra, entrega, solvencia,... podríamos llenar decenas de páginas con sustantivos de esta índole para describir al gran capitán del FC Barcelona, Carles Puyol. ‘El noi de La Pobla’ ya hace tiempo que dejó de ser un chico para convertirse en ese defensa aguerrido que atemoriza a cualquier delantero que se atreva a encararlo. Incluso, en infinidad de ocasiones, se le ha comparado con el mismísimo ‘Tarzán’ Migueli –los dos centrales tienen las mismas características: dureza, contundencia y fortaleza física–, el jugador que por ahora ha disputado más partidos oficiales con la camiseta blaugrana. El ceutí se retiró del fútbol para dedicarse a su gran pasión, el arte, al final de la temporada 1988-89, con 37 años y 548 partidos oficiales como blaugrana a sus espaldas.

Volviendo al presente, Carles Puyol sigue haciendo historia en el equipo que le ha visto crecer. En el partido de Copa del Rey frente al Benidorm, ‘Puyi’ sumó su partido oficial 411 con la zamarra culé, superando al histórico Andoni Zubizarreta (410) y situándose en la quinta posición del ranking histórico. Con toda la temporada por jugar, Puyol, de 30 años, se ha situado muy cerca de los cuatro primeros. Migueli sigue destacado con su marca estratosférica -548- y aun queda un mundo por alcanzarle. Pero Rexach (452), Xavi (436) y Amor (421) están al punto de mira del de Ponent, con permiso de Xavi, claro.

El debut de Carles Puyol con el primer equipo se produjo el 2 de octubre de 1999. Louis Van Gaal le dio la alternativa en un Valladolid-Barça de Liga, cuando el encuentro estaba ya decidido con un 0-2 en el electrónico favorable a los blaugranas. Desde entonces, contando aquel partido en Pucela, el ‘5’ blaugrana ha disputado 279 partidos de Liga, 31 de Copa, 4 de Supercopa de España, 84 de Champions, 9 de UEFA, 1 de Supercopa de Europa y 2 del Mundial de Clubs.


El de La Pobla de Segur ha podido llegar a la cifra de 411 partidos oficiales con el Barça después de ganarse a pulso la confianza de todos los técnicos con los que ha coincidido. Y Pep Guardiola no ha sido una excepción. El entrenador está sacando un gran provecho de la polivalencia del capitán, ya que le ha colocado de central y de lateral por ambas bandas, siempre con un rendimiento óptimo. El ‘capi’ garantiza efectividad en todas las posiciones de la zaga e incluso habría quienes le colocarían en la portería, pues ya ha protagonizado paradas muy valiosas apareciendo bajo palos en momentos cruciales. Imagínense si pudiera usar las manos.

En el presente ejercicio, Puyol ha participado en 9 compromisos de Liga, 4 de Champions y 1 de Copa. Aún le quedan años de buen futbol y nadie ha vislumbrado aún el techo del de La Pobla.


Laporta: "Tenemos el mejor fútbol base del mundo"

El presidente del Barcelona, Joan Laporta, aseguró hoy que su club tiene "el mejor fútbol base" y "las mejores instalaciones para la cantera" del fútbol mundial, durante la presentación oficial de los equipos de formación de la entidad azulgrana, en la ciudad deportiva de Sant Joan Despí

"Orgulloso" de su política de cantera, Laporta reivindicó el hecho de que "más del cincuenta por ciento de la plantilla del primer equipo" esté formada por jugadores de la casa, "un referencia futbolística mundial", como muestra de la salud del fútbol base del Barça, "el club que más cuida su cantera y destina más recursos de todo el mundo".

Durante su discurso ante los jugadores y entrenadores de los 16 equipos que forman el fútbol base, el presidente se declaró "optimista" porque "observadores de todo el mundo se fijan en nuestra manera de trabajar la cantera" y destacó que estar en el fútbol base del Barcelona significa estar en "el escaparate mundial".

Por ello, Laporta pidió a los jóvenes jugadores del club (entre ellos sus hijos Pol y Guillem, del cadete A y el alevín A, respectivamente) un esfuerzo para "valorar lo que representa ser jugadores de la casa, del Barça", y entrenarse "en unas instalaciones magníficas, la mejor ciudad deportiva para el fútbol base del mundo".

En las últimas temporadas, algunos de los jugadores más destacados de la cantera del Barcelona han abandonado el club, seducidos por otros proyectos deportivos, especialmente en el extranjero, como Cesc Fábregas (Arsenal), Fran Mérida (Manchester United) o Iago Falqué (Juventus).

Laporta insistió en la importancia de que la cantera sirva de "formación personal" y "de proyección" hacia el primer equipo y citó a Sergio Busquets, Víctor Sánchez y Pedro, jugadores del primer equipo pero con ficha del Barcelona Atlètic, como ejemplo del "privilegio que supone llegar a la primera plantilla".

Aprovechando su discurso, Laporta agradeció el trabajo del responsable del fútbol base, José Ramón Alexanko, y respaldó la labor de Luis Enrique Martínez, entrenador del Barcelona Atlètic, decimoquinto clasificado del grupo tercero de Segunda división B.

Laporta recordó que el año pasado el filial azulgrana logró el ascenso a Segunda B y que de los 14 campeonatos en los que participaron equipos de fútbol base, el Barcelona ganó doce títulos.

Alexanko, por su parte, celebró la "valentía" de todos los entrenadores del club al "apostar por gente joven" y prometió "esfuerzo, cultura de trabajo y fe" para intentar "superar los logros del año pasado".


Stoichkov alaba al Barça de Pep

Stoichkov estuvo en ‘Hora Q’

El mejor futbolista búlgaro de la historia, Hristo Stoichkov, pasó el miércoles por los platós de TV3 para analizar la actualidad del Barça en el programa ‘Hora Q’, que presenta Helena García Melero

El ex blaugrana se manifestó un gran admirador del actual Barça y elogió la labor de Pep Guardiola al frente de la plantilla. Stoichkov remarcó la honradez del técnico de Santpedor, así como sus dotes como entrenador y su capacidad para dirigir a un equipo de la talla del Barça. Pero también avisó que a estas alturas de la campaña, hay que tener cautela a pesar de la buena marcha del equipo y subrayó que “la temporada es muy larga” y siempre pueden surgir contratiempos como las lesiones.

El que fuera uno de los estandartes del ‘Dream Team’, apuntó que no le gusta que se compare a la actual plantilla con la que moldeó Johan Cruyff: “Nunca me ha gustado comparar. Me parece una falta de respeto hacia los jugadores. Cada uno tiene su época, sus partidos, y no se puede, ni me gusta, que se compare”.

En otro momento de la entrevista, el búlgaro se negó a hurgar en la llaga cuando le invitaron a polemizar sobre la eliminación del Real Madrid en la Copa frente al Real Unión. Lo que Hristo no pudo evitar fue mostrar su más que conocida escasa sintonía con el club blanco y, en tono jocoso, declaró que “cada uno defiende lo suyo. Yo no hablo de los blancos. Para ellos, soy como un toro, veo un blanco y lo enchufo”.


CLUB Y REPRESENTANTE ACERCARON POSTURAS EN TEMAS ECONÓMICOS

Principio de acuerdo para la renovación de Busquets

Busquets está cerca de cerrar su renovación por el Barcelona Foto: PACO LARGO

El centrocampista verá cumplido su deseo de seguir bajo las órdenes de Guardiola y no se moverá del Camp Nou

El proceso sigue su curso. Sin prisas pero sin pausa, las negociaciones para concretar la renovación de Sergio Busquets están a un paso de llegar a su fin. Ayer hubo nueva reunión entre el club y el asesor del jugador y al final de la cita ambas partes confesaron que todo iba por buen camino y que sólo la complejidad del contrato estaba dilatando el acuerdo final. No hay motivo para desatar alarma alguna.

Josep Maria Orobitg señaló que el encuentro fue clave para desencallar algunos aspectos pendientes en reuniones anteriores. “Faltan algunos pequeños detalles pero es verdad que estamos mucho más cerca y creo que muy pronto podremos cerrarlo todo. Son flecos que están ahí pendientes pero que no deben bloquear la renovación”, apuntó. El principal avance se ha producido en el apartado económico. Sergio Busquets verá incrementados sensiblemente sus emolumentos en los cinco años que estipula el futuro contrato. El ‘fijo’ a percibir ya tiene el OK de ambas partes, aunque todavía no se puede decir lo mismo del apartado de variables. “Son contratos muy complicados, con muchos entresijos y cada vez más el tema de los variables tiene mayor peso en el aspecto económico. Todo está bien pero siguen faltando cuestiones por pactar”. Orobitg no cesó de repetir que “la predisposición de todas las partes es total y confío en que todo esto sólo sea cuestión de tiempo. Cuando todas las voluntades coinciden, y aquí no hay dudas, el acuerdo sólo puede ser cuestión de tiempo.

Txiki Begiristain quiere resolver la renovación de Sergio Busquets con cierta celeridad. Ha sido el director deportivo el que ha acelerado todos los contactos en las dos últimas semanas después de un notable parón después del primer encuentro. A Txiki se le acumula el trabajo si tenemos en cuenta que Xavi y otros jugadores también esperan resolver su futuro.

Si todo transcurre según lo previsto, la próxima semana se procederá a una nueva cumbre en la que debe resolverse el resto de asuntos pendientes. El principio de acuerdo debería concretarse en su totalidad antes de pasar a la redacción definitiva del contrato.



Escrito por fraja8 às 12h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Premier League é liga que mais lucra

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

O merchandising no futebol das seis principais ligas européias gera uma receita de 615 milhões de euros de acordo com uma pesquisa realizada no continente. Segundo as empresas responsáveis, a Sport + Markt e a PR Marketing European Football Merchandising Report, os ingleses são os que mais ganham.

O estudo aponta que os 20 clubes da Premier League geram uma renda de 171 milhões de euros. Logo a seguir, aparece o Campeonato Espanhol com um lucro de 145 milhões de euros.

Na sequência aparecem a Bundesliga, com 127 milhões de euros, o Campeonato Francês e o Italiano, com 64 milhões de euros cada um, e por último o Holandês, com 22 milhões de euros.

A mesma pesquisa aponta que a diferença de arrecadação dos 20 principais clubes desses seis países para os 116 restantes é muito grande. O grupo menor gera 21,2 milhões de euros cada, contra 5,3 milhões de euros de cada um dos menores.

"Os atendimentos nos jogos dentro de casa são fundamentais. A venda da mercadoria, no estádio, as receitas dos torcedores nos jogos é um fator importante para muitos clubes", afirmou Hartmut Zastrow, diretor-executivo da Sport + Markt


Rio tem curso de mkt esportivo

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A consultoria esportiva JHAreias, do especialista João Henrique Areias, vai realizar um curso de gestão e marketing esportivo. O evento, que acontecerá em 6 de dezembro, será realizado no Rio de Janeiro e terá duração de apenas um dia.

O objetivo do curso é ensinar para os participantes como funciona a indústria esportiva, mostrando como funciona o ambiente do setor e quais os direcionamentos necessários para se desenvolver na área.

Entre os temas que serão abordados aparecem a Copa União de 1987, a seleção que ganhou o tetra na Copa de 1994, como funciona o mercado, o produto e a participação dos meios de comunicação, além da própria indústria.

As inscrições do curso estão sendo realizadas no site e os valores vão de R$ 280 até R$ 310, variando de acordo com a data do pagamento.



Escrito por fraja8 às 12h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Corinthians vê centenário com estádio, festa "monstruosa" e filme

Folha Imagem
 
Alexandre Sinato
Em São Paulo
 
O sonho do estádio engatilhado, um milhão de pessoas reunidas, um filme e a fiel torcida com voz ativa. A quase dois anos de seu centésimo aniversário, o Corinthians já definiu os principais pilares da aguardada festa. A data é tratada com muito cuidado pelos alvinegros, contagiados pela boa temporada de 2008 e otimistas com o futuro.

A atual diretoria já tem em mente o que pretende fazer em 2010 para celebrar o centenário do clube. Para isso, é claro, depende de vitória na eleição presidencial no início do próximo ano. Mas confiante na vitória, a situação alvinegra estabeleceu os pilares do que promete ser uma comemoração histórica.

"Algumas iniciativas são os marcos da festa. Queremos ter algo do estádio, teremos um filme do centenário, já que este do acesso [chamado Fiel] será um treino, faremos uma festa monstruosa, como nunca se viu em São Paulo, e acima de tudo vamos apoiar todas as iniciativas que a fiel sugerir", adiantou o diretor de marketing Luis Paulo Rosenberg, no hotel que o Corinthians se hospedou em Caxias do Sul.

O tão sonhado estádio alvinegro, segundo ele, pode ser um velho conhecido da torcida. Depois de classificar o Pacaembu como "plano H" entre suas prioridades, a diretoria corintiana já admite assumir o estádio municipal em vez de levantar uma nova arena.

"Não sou um faraó para construir um monumento de R$ 400 milhões. Queremos uma casa toda reformada para a nossa torcida", disse Rosenberg. A confiança do diretor é tanta que ele já começou a convencer o presidente Andres Sanchez do plano.

Folha Imagem

Nos últimos meses, a prefeitura de São Paulo e a secretaria de Esportes insistiram em oferecer o Pacaembu ao Corinthians, que até então tinha o projeto da Egesa/Seebla como prioritário. "Uma das virtudes do Andres é aceitar um bom argumento", ponderou Rosenberg.

Mas o estádio não é o único atrativo previsto pela atual diretoria. A idéia é promover uma festa histórica. "Pensei em algo com um ou dois milhões de pessoas", opinou o diretor. O centenário também terá um filme e o memorial no Parque São Jorge será atualizado.

Outra característica almejada para a comemoração é a interatividade com os torcedores. Rosenberg diz que não haverá uma comissão ou um grupo responsável pelo tema: os corintianos terão voz ativa. "Acima de tudo, apoiaremos todas as iniciativas que a fiel sugerir. Atualmente está sendo preparada uma enciclopédia sobre o Corinthians, é o tipo de iniciativa que queremos", completou o responsável pelo marketing alvinegro.



Escrito por fraja8 às 12h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Gomes não sofre lesão e pode defender o Tottenham contra o Fulham

Agência/AP

Goleiro está liberado para partida deste sábado. Eliminados na Copa da Liga, líderes Chelsea e Liverpool jogam fora de casa

Após o susto contra o Liverpool ,Gomes já está pronto para defender o Tottenham contra o Fulham, neste sábado, pela 13ª rodada do Campeonato Inglês. O goleiro, que passou por exames na quinta-feira, não sofreu nenhuma lesão no rosto depois do choque com Degen.

- Como a pancada foi no rosto e não me recordava de algumas coisas, tive que fazer os exames. O médico me disse que é normal não se lembrar muito do que aconteceu em razão da pancada. Sinto-me bem para jogar. O que incomoda mesmo é a boca, mas caso atue no sábado, utilizarei uma proteção – disse o ex-cruzeirense, que teve dois dentes afundados.

Contra o Liverpool, o Tottenham venceu por 4 a 2 e se classificou às quartas-de-final da Copa da Liga Inglesa. Gomes deixou o campo aos 23 do segundo tempo: após salvar os Spurs com uma defesa, o goleiro levou uma pancada de Degen e ficou desacordado no gramado. O brasileiro teve que sair de maca, mas não precisou ser levado ao hospital.

Na Premier League, a situação do time londrino não é boa, mas já foi pior: o Tottenham tem 12 pontos em 12 rodadas e está na 16ª posição. Porém, desde a saída do técnico Juande Ramos, a equipe ainda não perdeu com Harry Redknapp e ainda deixou a lanterna e a zona de rebaixamento: são seis partidas, com cinco vitórias e um empate (entre Inglês, Copa da Liga e Copa da Uefa).

Os líderes Chelsea e Liverpool (29 pontos) entram em campo também no sábado, eliminados da Copa da Liga, fora de casa. O time de Luiz Felipe Scolari visita o West Brom, enquanto os Reds encaram o Bolton.

Felipão não poderá contar com Alex e Belletti, machucados, mas Ballack e Ashley Cole têm chances de voltar à equipe. No Liverpool, Rafa Benitez vai usar a força máxima, depois de ter perdido para o Tottenham com time misto.

No domingo, o Hull City recebe o Manchester City no reencontro do meia-atacante Geovanni com sua ex-equipe. O brasileiro deixou o time de Robinho no final da última temporada e é o destaque do caçula da Premier League, que faz campanha surpreendente e está na sexta posição (20 pontos). A equipe do ex-santista é a 13ª, com 13.

- Ele está indo muito bem lá, tem jogado sempre e se destacado. Geovanni está aproveitando bem sua chance, sendo um verdadeiro camisa 10. Nós sabemos o que temos que fazer para pará-lo, não podemos deixar espaços para ele chutar – diz o meia Stephen Ireland, do City, que atuou com o ex-cruzeirense em 2007/2008.

Confira os jogos da 1ª rodada do Campeonato Inglês
*horários de Brasília

Sábado

10:45 Bolton x Liverpool

13:00 Arsenal x Aston Villa

13:00 Manchester United x Stoke City

13:00 West Ham x Portsmouth

13:00 Fulham x Tottenham

13:00 Blackburn x Sunderland

13:30 Newcastle x Wigan

15:30 West Brom x Chelsea

Domingo

11:30 Everton x Middlesbrough

14:00 Hull City x Manchester City



Escrito por fraja8 às 12h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Leandrinho volta ao Brasil para o enterro da mãe nesta sexta-feira, em São Paulo

Agência/Reuters

Jogador deixou Phoenix assim que soube da morte de Dona Ivete

O enterro de Ivete Barbosa, mãe do ala-armador Leandrinho, está marcado para as 15h desta sexta-feira, no cemitério Dom Bosco, em Perus, na capital paulista. Ela estava internada há dois meses e morreu na quinta-feira. A causa da morte ainda não foi divulgada pela família. Leandrinho já deixou Phoenix, nos Estados Unidos, e estará em São Paulo nesta sexta. Ele vai desfalcar os Suns por tempo indeterminado.

Aos 66 anos, Dona Ivete era a maior incentivadora do jogador. Ela o acompanhava em partidas na NBA e na seleção, e ficou conhecida por fazer a mistura de feijão com fígado cru que Leandrinho tomava todas as manhãs.

O jogador chegou a deixar o Phoenix durante a pré-temporada, no mês passado, e veio ao Brasil para acompanhar Dona Ivete. Ele voltou aos Estados Unidos e iniciou o campeonato pelo Phoenix. Quando começava a melhorar seu rendimento, recebeu a notícia da morte de mãe



Escrito por fraja8 às 12h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Time de Rivaldo conquista o título do Uzbequistão pela primeira vez

Comandado por Zico, Bunyodkor vence Andijon por 2 a 0 e garante o título nacional por antecipação

GLOBOESPORTE.COM Tashkent

O alto investimento para ter Rivaldo e Zico valeu a pena: nesta sexta-feira, o Bunyodkor venceu o Andijon por 2 a 0, em Tashkent, e garantiu a conquista de seu primeiro título do Campeonato do Uzbequistão.

Agora, a equipe de Rivaldo, que tem ainda o zagueiro brasileiro Luizão (ex-Vasco), soma 78 pontos, faltando duas rodadas para o término da competição. Como a vantagem para o Pakhtakor, segundo colocado, é de sete pontos, o Bunyodkor é o campeão.

Este é o segundo título do clube na temporada. No final de outubro, a equipe
conquistou a Copa da Uzbequistão ao bater o Pakhtakor por 3 a 1 na decisão, com direito à prorrogação.

Vale lembrar que o Bunyodkor tem apenas três anos de existência. Nesta temporada, o clube chegou ainda à semifinal da Liga dos Campeões da Ásia e foi eliminado pelo Adelaide United, da Austrália (o Gamba Osaka, do Japão, sagrou-se campeão).

Este é o sétimo título de Zico como treinador de futebol. Com a seleção do Japão, o Galinho faturou a Copa da Ásia (2004) e a Copa Kirin (2004). Depois, com o Fenerbahçe, foi campeão turco (2006/2007), da Supercopa da Turquia (2007) e da Copa da Turquia (2007).



Escrito por fraja8 às 12h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




He's scored - but is sport better than sex?

Better Than Sex: My Autobiography

There is clearly some kind of overlap between making love and achieving the ultimate on the field of play

A sports book landed on my desk, not a rare event. I started reading it, though, which is rather less common. It has the title Better Than Sex, you see. It is the ghosted autobiography of the jump - surely the mot juste - jockey Mick Fitzgerald and it's a good read.

But you'll be wanting to know about sex. In 1996 Fitzgerald won the Grand National on Rough Quest. Des Lynam, presenting the BBC coverage in those days, asked him: “Mick Fitzgerald, you've just won the Grand National. How does it feel?” “I've never enjoyed 12 minutes as much before in my life. After that, Des, you know, even sex is an anticlimax.”

Well, riding a horse tremendously fast over a series of terrifying jumps is really rather good, even if you only did it at local show level like me. But better than sex?

I was taken back to Barcelona and the Olympic Games of 1992. Ian Stark was riding for Great Britain in the three-day event. His horse was Murphy Himself, a horse Stark described as “a nutty professor with the physique of Arnold Schwarzenegger”. Their flamboyant round had included a breathtaking passage over the most fearsome complex on the course. He, too, was asked how it felt. “There's no better feeling in the world. Except maybe sex.” He said afterwards: “Don't print that, will you?” But like Don Giovanni, we betrayed him and moved on to our next victim.

But the question remains: is it the point that high achievement in sport is better (maybe) than sex? Or is it the point that sport in some way is like sex?

Riding horses is not sexually arousing, let's be quite clear about that. But riding at speed over jumps does involve such things as the merging of two bodies and minds, a series of thrilling and dramatic movements, and finally the release - of a kind - that comes in victory, or even in mere completion of a good round.

It also involves rhythm. “You don't have much time between fences to adjust anything, so when your horse is in a rhythm you just let him flow. It's like the sound you get when you're in a train carriage: de-de-de-dum, de-de-de-dum, de-de-de-dum. Stride-stride-jump, stride-stride-jump, stride-stride-jump.” That's Fitzgerald again, and that's how it was even for me, sometimes.

But other sports and other sportsmen - I can't recall any women athletes talking about sport in terms of sex - also bring sex into the business. “When I was a kid the only thing I shared my bed with was a football,” George Best said. “I know it sounds daft, but I used to love the feel of it. I used to hold it and look at it and think, ‘One day you'll do everything I tell you.'”

Later, Best used to get sexually aroused before football matches, and not necessarily because he was up to no good. When he was young, the excitement was because of the football itself. Best talks about this quite frankly in his book with Michael Parkinson, not worrying about this curious bit of crossed wiring, merely accepting it as one of the things that made him unusual.

Other footballers have talked about sex and the game. Paul Gascoigne compared scoring a goal to sexual release, making it sound a rather lonely pleasure, but no less acute for that. Some men refer to sexual conquest as “scoring”, which reverses the metaphor. But then sport is supposed to be a metaphor; sex is not metaphorical, at least, not in my experience.

Ronaldo, the Brazil striker, said that winning the World Cup was better than sex; so perhaps for him sex is a metaphor. “Both are very hard to stay without and I'm sure sex wouldn't be as rewarding as this World Cup,” he said. “It's not that sex isn't good” - thanks for clarifying that point - “but the World Cup is every four years and sex is not.” Ronaldo, moving effortlessly into too-much-detail mode, added: “I'm going to have sex in a few moments.”

Kevin Pietersen, the England cricket captain, shares Ronaldo's views. It begins to strike me that this notion - that sporting success is better merely because it is rare, while sexual pleasure is less good because it is more frequent - is a false argument. Pietersen, who is married to Jessica Taylor, a singer with something called Liberty X, said that scoring a century for England is better than sex. He added: “Centuries don't come round very often, but sex is on tap, isn't it?” Well, I suppose that's so - unless you require a partner, that is. In fact, the not-requiring-a-partner bit does come close to the way that some sportsmen see the world.

Geoffrey Boycott was another great sleeper with sporting equipment. He used to go to bed with his cricket bat and he said, without any sense of twinkling irony: “Given the choice between Raquel Welch and a hundred at Lord's, I'd take the hundred every time.” He didn't say anything about Trent Bridge, though.

Boycott, through inadequate research, once found himself doing In The Psychiatrist's Chair with Anthony Clare; he apparently thought that Clare would be letting him publicise his latest book. Clare got more from him than the “on sale in all good bookshops” stuff. With effortless charm, he bored into Boycott's defence until he hit a wall of total incomprehension.

“I wanted to be the best batsman in the world, and I were the best batsman in the world,” Boycott said. “How can you talk about missing anything?” Well, Geoff, if you don't know, I can't tell you. But then perhaps that's true of many, if not all, ultra-high achievers, in sport and, no doubt, in a million other areas of life. It comes down to a radically different set of priorities.

But there is, clearly, some kind of overlap, some kind of confusion, between sex and the ultimate achievements in sport. It comes, if you'll permit this locution, from the physical intensity of sport and the release that occurs when a long-cherished goal has been achieved; or, for that matter, scored.

Sigmund Freud was of the opinion that sport, like many other things, existed mainly as a sublimation of the sexual drive, but if it were no more than that, great moments in sport would only be nearly as good as sex. What many great sportsmen say is that sport can be more fulfilling than sex.

One thing is clear here and that is that when it is compared to sport, the sex in question is an impersonal matter. No one has suggested that sport is better, or even comparable, to making love with your wife, to the act of procreation. No: sport is compared more to conquest, to the winning of and sexual release within an unnamed partner.

These are occasions when sex itself is something of a sport. It is not necessarily a competition with other men, but certainly there is some kind of mountain-climbing (and peak-counting) element to it. No one with the possible exception of Boycott has suggested that sport is better than love ... even if that's what many great sportsmen privately believe.

Certainly, great sport is one of the most vivid experiences that life has to offer in peaceful times. But I'll leave the last word with Steve Davis: “It's perfectly OK to talk during sex - so long as it's about snooker.”

Better Than Sex, by Mick Fitzgerald, with Donn McClean, published by Racing Post.



Escrito por fraja8 às 12h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




TheGame - football blog

Martin Samuel responds: are West Ham too good to go down?

Zola

When West Ham slumped to a 3-1 home defeat to Everton last weekend, it prompted Martin Samuel to ask if Gianfranco Zola's side are too good to get relegated from the Premier League. You weren't shy in offering your replies - now he responds ...

Why ask this question about West Ham United? Surely there are several clubs with equally good squads who are in peril of the drop: Blackburn Rovers, Middlesbrough, Fulham, even Newcastle United, Tottenham Hotspur and Everton are not guaranteed safety. Mark, Durham

MS: Blackburn, Middlesbrough and Fulham were widely expected to be in trouble, Newcastle United’s plight has been talked to death, while Tottenham and Everton are moving in the opposite direction. West Ham’s problems off the field have been flagged up, but the poor form since Gianfranco Zola took over, and his lack of experience if a fight against relegation awaits, are new and fertile territory for debate. We can pick over Newcastle’s carcass for the hundredth time, if you wish, or we can move on: there are clubs in a similar position to West Ham that are ripe for discussion, but not the ones you have mentioned. The next correspondent gets it.

I would be more worried if I was a Portsmouth fan. Their season is imploding and they bring in Tony Adams as a manager. MoeTheBarman

MS: I really want Tony to do well, but Harry Redknapp is a big presence at a club, and Portsmouth could struggle without him. Good result against Sunderland last week, though. Better than outplaying Everton at home, and still losing 3-1.

Any club outside the big four could go down in pretty much any season. It only takes a couple of injuries or a bad run of form. Rod

MS: Dave Bassett, who knows a thing or two about relegation battles, said that the difference between relative success for a small club and a potential relegation battle was made in the first week. The season that Norwich City finished third, they were 2-0 down to Arsenal on the first Saturday in August and came back to win 4-2. Bassett said had they lost that game heavily, as was anticipated at half-time, there would then have been tension at the next home game at Carrow Road in midweek, and the result might not have gone their way. That knocks on to the Saturday game at home and, hey presto, there is a crisis of confidence. Instead, Norwich got off to a flyer at Highbury, won and won again: nine points from three matches and nearly won the league. This is no exact science, as you can see, but it interesting that those with experience of the subject see the margins as tiny. 

The instability of West Ham is a myth, peddled via the endless negative press the club receives. West Ham is financially self-sufficient, with no debt. They have some marvellous youth players and a very promising managerial set up, regardless of recent results. Look at Spurs for how quickly things change. Also, what is this stupid nonsense about selling the best players in January? That would be suicide financially, because the one thing that would harm them is relegation and that is far more likely if they sell. A bit more common sense please and less knee jerk reaction. Bill

MS: What negative press? At last look, we didn’t make up the financial crisis that has wiped out the owner’s core businesses, the run of dreadful results, or the looming payment to Sheffield United that will have to be financed. West Ham may be as yet untroubled by the damage done to Bjorgolfur Gudmundsson’s finances in the Icelandic credit crunch – although the sale of Anton Ferdinand to Sunderland suggests otherwise – but it would seem that the one part of his empire that has the potential to function profitably at the moment is his football club, and he may start looking to exploit this. At the very least this will mean no squad improvements, or at worst he could try to further recoup money through player sales. So, instead of West Ham being financed by Gudmundsson, West Ham could end up financing Gudmundsson. In the present climate, all supporters need to be philosophical about this, because it will not be the last problem of this nature: but that does not mean the uncertainty around West Ham is a fabrication. As for using Spurs as an example of how quickly a situation alters, there is a difference between suddenly winning a series of games and suddenly losing them. You understand that, yes? So, we’ve heard from Pollyanna; now for Doctor Doom.

Too good to go down? Let's see now. Owned by someone who can't afford to keep the lights burning all night. Sell one of their best players to the mighty Sunderland. Play with about as much width as Narrowy the Narrow Thing, when he is sucking in. Rely on Craig Bellamy to provide the goals. Too good to go down? Are they good enough to stay in the Championship? Tony

MS: Very funny. Although, worryingly, I find myself identifying as much with Tony as Bill.

West Ham play tidy football under Zola but so do West Bromwich Albion and they are bottom of the league. Who is going to get the goals? Bellamy and Carlton Cole are not the most prolific and Dean Ashton is lucky if he plays five games these days. Robert Hillery

MS: The thing is, Robert, everybody plays tidy football in the Premier League now. Stoke City are the nearest to an old-fashioned long ball side, but they are still a step up from the days when many teams played direct and scrapped. This idea that West Ham are alone in playing lovely football is the real myth, because I’ve seen just as much open, attacking play from Wigan Athletic or Fulham in recent seasons. Nice football solely is not going to keep any team up, because most teams these days can knock it about.

Don't you think West Ham have lost the buzz that was around the place? A few years ago we would see that West Ham were on TV and watch, but now who cares? Josh Dickson

MS: Is it me, or are West Ham always the last game on Match of the Day? I’d select the long version on Sky but it is too painful.

I don’t think West Ham will go down. There are worst teams around and they will have a new manager by January. Gavin

MS: Zola out by the New Year? Sounds like lunacy now, Gavin, but another six weeks like the last and as panic sets in it is not unthinkable.

Look at the question another way: are West Ham bad enough to go down? Well, no. At the moment, West Ham are not bad at all, and certainly not bad enough to get relegated. More importantly, judging by the last few games they are getting better at playing attacking, fast flowing football that puts opponents under pressure. We just need to kill games off when we are ahead, which was the problem against Middlesbrough and Everton. Give Zola and Steve Clarke a chance by at least acknowledging that their team is improving, although not winning. That will come soon. It is too early to start predicting relegation. A win against Portsmouth will help boost confidence and validate Zola's optimism. The only lost cause at West Ham is the current crop of directors. Now they are certainly not too good to go down. Phil M

MS: Nice work, Phil. Turned the argument on its head, I like that. My brother, who is a season ticket holder, was full of praise for the performance at Everton, too, before we miserably agreed that any team that outplays the opposition and gets beat 3-1 to three goals in four minutes is seriously lacking backbone. It was that, not the standard of football, that worried us. I can see why you think the good results will come, though. Maybe we need to lighten up.

The quality of the football being played by West Ham is much improved under Zola but being easy on the eye and outplaying dour and unimaginative opponents has not delivered points. The problem is poor finishing as much as lax defending. There is a core of quality among the players but they lack a leader. As was evident under the insipid Glenn Roeder, all the quality in the world is of little use without leadership, focus and team spirit. John Glester

MS: And now I’m depressed again.

The most noticeable aspect of the season so far is that no team has taken up the role of fodder for the rest of the league (like Derby County, Watford or Sunderland in previous years). Usually, only two places are available for relegation, because one is spoken for from early on, but with the absence of a whipping boy any team from sixth downwards is vulnerable. West Ham need to start scrapping now because teams like Tottenham, Newcastle, Stoke and Fulham have had their scares early on and have the right attitude already instilled. Adam

MS: They will still need quality in their play, Adam, but it is a very valid point that you make.   

Under Zola, we have got our football back. I know there will be more bubbles fading than points gathered, but Jack Collison, Freddie Sears and Mark Noble have given me my belief back. The entertainers are back in town, if only for their comical defending. Gylfi Thor Orrason

MS: There is nothing entertaining about watching your team concede three goals in four minutes to Everton. Presumably, you watch Formula One for the crashes, too? And finally, come in Yorkshire.

The fate of Leeds United should be an example to any club that thinks it is too good to go down. James C

Why do so many people cite Leeds United as the archetypal club that thought itself too good to go down? A club is no better than the team of players representing it and the relegated Leeds team included Seth Johnson and Matthew Kilgallon. Leeds were big when they were spending money but no more than minnows when they dropped. Gordon Evans

MS: Very true, Gordon. Leeds went down because Peter Ridsdale, the chairman, had a £100m punt with money that he didn’t have and when it didn’t come off he, and his successors, had to sell the best players, leaving an impoverished squad which no longer had the playing talent to stay in the Premier League, and was desperately low on confidence because of the constant upheaval. Compare that to West Ham, whose owner spent a fortune on over-priced players, then ran into financial difficulty meaning that ... oh dear.

Martin Samuel

Martin Samuel

Our formidable Chief Football Correspondent. Seven times the Sports Writer of the Year


It's not just players: I've feared for my safety as a pundit

Tony Cascarino

CascarinoFans giving players abuse is in the news after a Burnley supporter threw a coin at Didier Drogba. It set me thinking: what about fans giving pundits abuse? And journalists, managers, players? Think it’s a cushy life, being a pundit? You must be joking. Now I work in the media I feel more vulnerable than I ever did as a player.

Leading teams are well protected by security guards and bussed everywhere but these days I often take public transport. It’s a while since my playing career ended but it amazes me how many people recognise me from being on television, or having my mugshot in the paper.

I go on the Tube to Upton Park sometimes thinking "oh God", perhaps some of the fans in the carriage were on the terraces giving me dog’s abuse as an opposition player 15 or 20 years ago. Perhaps they’ve read something I’ve written about West Ham recently and it’s wound them up. Or not even recently – fans have long memories. Plenty who come up to me agree with something I’ve said, and sometimes there’s some good banter, but not always.

I wrote an article that was critical of Manchester City before last season that said Sven-Goran Eriksson wouldn’t last. When I arrived at Upton Park for West Ham’s first game of the campaign, against City, a few fans had a real go at me. The other day, at Charing Cross station, I heard two people behind me talking. “He hates Arsenal!” one hissed. I turned round. “I don’t hate Arsenal,” I said. “I’m just saying what I see.”

Even my mates have a pop. After writing a critical article about Arsene Wenger I got a text from one of my pals: “Congratulations, you’ve just written the worst article in the history of newspapers.” No prizes for guessing which team he supports. My nephew likes to read the comments that readers leave on the Times Online website beneath my articles. “You’ve got to read the stuff they say about you,” he says. “Some of it’s hilarious.”

Players have rung me up to have arguments, even journalists. Last season at Fiorentina versus Rangers I met a journalist, we shook hands and he reminded me that I’d had a go at him on air when I was doing a show on Sky Sports. He’d suggested that Cristiano Ronaldo had been a one-trick pony in his early days at Manchester United and I’d said he was talking total rubbish. Which he was.

Occasionally, people who’ve somehow got my number leave anonymous abusive messages on my voicemail. After I wrote about the drugs culture at Marseilles, certain people didn’t take too kindly to it and I was threatened.

But I don’t want to shy away from being honest, from saying what I feel. If that winds a few people up, or if I get it wrong sometimes when I stick my neck out, so be it. I’m not looking for pats on the back from fans or those within the game, I don’t care if I’m not one of those former pros who gets a warm welcome at clubs because he’s never critical. So many commentators in the media hide what they really think. They’re appeasers, not analysts. I find it strange. I know pundits who’ll say one thing on air, then later, down the pub or in private, they’re offering completely different opinions. I guess they’re just looking for an easy life, but that’s not the way I work.



Escrito por fraja8 às 12h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Times Online


Manchester United eye permanent Carlos Tevez deal

Carlos Tevez

Manchester United are expected to secure an agreement for the permanent signing of Carlos Tévez in the next few weeks. David Gill, the United chief executive, met Kia Joorabchian, the Argentina striker's representative, last week and they hope to conclude a deal before the European champions fly to Japan for the Club World Cup in the middle of next month.

Tévez, 24, has fallen down the pecking order at Old Trafford since the arrival of Dimitar Berbatov from Tottenham Hotspur on September 1, but Sir Alex Ferguson, the United manager, is adamant that the Argentinian remains an integral part of his plans and has made it clear to Gill that he wants the player's services secured in the long term.

The news yesterday that Ruud van Nistelrooy, the Real Madrid striker, has been ruled out for the rest of the season with a knee injury is likely to have provided extra incentive for United to tie up the deal, with the Spanish champions reported to be interested in signing Tévez. United paid between £6 million and £10 million to sign him on a two-year loan deal, which expires next summer, and those costs are expected to be included in the final fee, which could total as much as £30 million.

That would leave United with about £20 million left to pay to Joorabchian, who owns the economic rights to the player, although the ramifications of Tévez's spell with West Ham United and the issues surrounding third-party ownership are still being debated in the courts.

An independent tribunal ruled in September that Tévez was not eligible to play for West Ham during the 2006-07 season, when they narrowly avoided relegation at the expense of Sheffield United. The Yorkshire club have applied to the High Court for an injunction to prevent West Ham from appealing against the decision to the Court of Arbitration for Sport. The tribunal's verdict has left West Ham liable for damages of up to £30 million.

Diego Maradona, the new coach of Argentina, was quoted yesterday as saying that Tévez was worried about his lack of first-team opportunities at Old Trafford - he has started only four of United's past 13 matches - although Ferguson sat down with the player three weeks ago to “stress to him that our faith in him is absolute”.

That is expected to be borne out by the fact that Ferguson is willing to make Tévez the latest costly addition to an attack that has already set the club back £70 million and could now top the £100 million mark, though such is the complex nature of the deal that it may not be ratified until the transfer window opens in January.

Having been beaten 2-1 by Arsenal last weekend, United can ill-afford to lose further ground on the Barclays Premier League leaders when they play at home to Stoke City tomorrow, but Darren Fletcher, the midfield player, believes the title race will go to the wire. “There will be lots of twists and turns,” Fletcher said. “The league went down to the final day of last season and I wouldn't be surprised if it was the same again.”


FA charge Didier Drogba over coin incident

Drogba has apologised for throwing an object at the Burnley fans

Didier Drogba has been charged with violent conduct by the FA after he threw a coin into the crowd during Chelsea's Carling Cup defeat by Burnley on Wednesday night.

The Chelsea striker has been given until Friday, November 14 to respond to the charge before the FA regulatory commission hear the case on November 17. The FA confirmed that referee Keith Stroud had not seen the incident and only booked Drogba for a gesture he made towards Burnley supporters.

"Didier Drogba has been charged with violent conduct," an FA statement read. "Drogba is alleged to have thrown a missile into the away section of the crowd after scoring during the League Cup match at Stamford Bridge."

The FA confirmed they were liaising with the Metropolitan Police and said they had also written to Burnley to request information on their view of events. The governing body insisted they were taking the matter extremely seriously but that players should be protected.

"Players should be able to play football without fearing for their personal safety," an FA spokesman said. "It is totally unacceptable for players to be put in danger by supporters throwing missiles onto the pitch.

"The priority now is to work with the clubs and the police to identify the individuals involved. The FA wants anyone found guilty of throwing missiles to face the strongest possible action. That includes life bans from attending football matches."

Luis Felipe Scolari has refused to discuss the investigation as he prepares his team for their match at West Bromwich Albion tomorrow. "What would I say? Nothing," the Chelsea manager said. "For the club, for the police ... it's not my business. I'm not someone to say kill or not kill. I'm only the coach and I'll receive the information from the police, the club, the FA."

Reports have suggested Drogba will be fined £160,000 over the incident, however Chelsea would not say whether the Ivory Coast international had been disciplined. "I'm not going to confirm whether he's been fined or not," a club spokesman said.


We will not pay over the odds, says Mark Hughes

Mark Hughes says Manchester City will not be held to ransom

Having been reassured that he has the unequivocal backing of Sheikh Mansour, the billionaire owner of Manchester City, there was a certain irony to Mark Hughes saying yesterday that the club would not be held to ransom when the transfer window opens in seven weeks' time.

Given their newfound status as the richest club in world football and that they are likely to be one of the few, if not the only team spending big in January, City will probably be charged inflated prices for players. Hughes, though, did his best to play down suggestions that Sheikh Mansour would be willing to pay over the odds to make new signings.

Still, it is difficult to see the Sheikh letting Roque Santa Cruz, the Blackburn Rovers striker, or any of Hughes's other targets slip through the net for the sake of a few million pounds that probably equate to a few days' interest on his savings. “There may be the danger that prices go up because it is Manchester City that are interested, but I think people will understand we will not get ripped off,” Hughes said. “The owner and the chairman [Khaldoon al-Mubarak] are very astute businessmen. They know the value of a good deal, so they are not going to be taken for a ride.

“They understand the value of players and what it will take to make a deal happen and that needs to be remembered when dealing with them.”


Newcastle hope to know future in fortnight

Joe Kinnear

The off-field uncertainty engulfing Newcastle United is expected to ease within the next fortnight, with at least one of the two American parties vying to buy the club now engaged in due diligence and Mike Ashley, the owner, formulating contingency plans in the event of a sale falling through that would include offering an extended contract to Joe Kinnear, the interim manager.

Although nothing is guaranteed, there is cautious hope that new owners will be in situ before January’s transfer window. Kinnear has stated that Newcastle’s match away to Chelsea on November 22 could be a “D-Day” for the club, after which he had been promised a “clear the air” meeting with Ashley, and that timescale still appears realistic. By then, it should be clear whether Newcastle’s purchase is viable.

The process of sifting through the company’s books by accountants and lawyers has begun, away from St James’ Park and at a six-figure cost. An estimated price for Newcastle, whom Ashley bought for about £140 million in the summer of 2007 before investing another £100 million to reduce debts, will already have been agreed, subject to the due diligence passing smoothly.

Those facts offer substance to the recent assurances by Keith Harris, chairman of Seymour Pierce, the investment bank charged with finding a buyer for the club, that the pair of United States-based businesses involved in the procedure are “two very serious contenders”. Philip Anschutz, the Los Angeles Galaxy owner, and Clark Hunt, who owns FC Dallas, have denied any interest in Newcastle.

Harris’s optimism, however, is tempered by the volatility of the global economic conditions, from which football is not immune. While there is quiet satisfaction that Newcastle’s prospective sale has reached an advanced stage, until a formal agreement is reached, there is nothing to prevent either company from walking away from a deal.

That eventuality may be as unpalatable to Ashley as it is to Newcastle supporters, who have established an independent representative body in the wake of the sportswear retailer’s management of the club, but it is feasible. In those circumstances, alternative arrangements will be necessary.

Kinnear and Nicky Butt, the experienced former England midfield player, have expressed concern that the haphazard, temporary nature of existence on Tyneside is affecting morale — the team remain in the Barclays Premier League relegation zone, albeit two points away from tenth position — and Ashley is keen to award the interim manager a contract until the end of the season if a sale is derailed.

Kinnear is working on a rolling monthly deal, the original terms of which were due to expire after the Chelsea game, and while the Irishman has helped to stabilise results, there has been little scope for long-term planning. Key players such as Michael Owen, Steve Harper and Butt fall out of contract next summer and negotiations on extensions have stalled. As things stand, Ashley will not encumber possible new owners with further financial ties.

Dennis Wise, the executive director (football), has also been seen publicly at St James’ Park this week, a rarity since Ashley, who is reported to have attended Tottenham Hotspur’s Uefa Cup tie against Dynamo Zagreb last week, announced his decision to leave. Wise was attending a schools community event at the stadium, a clear indication that the club are attempting to adopt a businesslike image. Kinnear has also said that he and Wise are compiling a list of transfer targets.

Kinnear will apologise to Martin Atkinson, the referee, whom he described as “Mickey Mouse” after Newcastle’s 2-1 defeat away to Fulham last weekend. The Irishman has been asked by the FA to explain his comments and could be handed a fine and touchline ban. “I am sorry if my post-match comments at Fulham caused any offence and I will ring Martin Atkinson to tell him,” Kinnear said.

 

type=text/javascript> type=text/javascript>

Escrito por fraja8 às 12h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Considerações sobre o caso Mutu

Caros amigos da Cidade do Fubebol,

Como sabemos, o DRC (Dispute Resolution Chamber) da FIFA decidiu recentemente punir o jogador romeno Adrian Mutu com uma multa no valor record (para atletas de futebol), no valor de 17.17 milhões de euros.

Referida decisão foi proferida em decorrência de reclamação protocolada pelo seu ex-clube, FC Chelsea, da Inglaterra, após a confirmação de alegados exames positivos de substâncias ilícitas no organismo do jogador.

O clube alega que o jogador, com esse teste, descumpriu os termos de seu contrato de trabalho (o qual determina que o jogador tenha uma conduta digna de acordo com a sua profissão), o que obrigou o clube rescindir o contrato.

Essa decisão revela uma grande tendência do futebol moderno. Como sabemos, e repetimos insistentemente neste espaço, após a decisão do jogador Bosman, os atletas de destaque passaram a se beneficiar com uma inflação desmedida de seus salários e respectivos valores de transferência.

Hoje chegamos ao ponto de tamanho disparate entre os grandes salários (nas mãos de poucos jogaodores – topo da pirâmide), e os incontáveis atletas que praticamente pagam para jogar futebol, constituindo a grande base da pirâmide.

Diversas reações, por parte de diversas organizações, hoje tentam minimizar esse “gap” entre jogadores (e de clubes por conseguinte). Custo de controle, governança corporativa nos clubes, proteção a clubes formadores, etc.

Mas a que podemos observar com o caso Mutu é que, os jogadores passam a ter maior responsabilidade. Os jogadores, principalmente aqueles em destaque, são cada vez mais cobrados por manter uma imagem condizente com a imagem e história do clube que atuam, e também que possam servir de exemplo aos milhares de fãs que o acompanham ao redor do mundo.

No caso do atleta Mutu, por exemplo, aparentemente existe disposição contratual clara que ampare uma reação punitiva por parte do clube. Em outros casos, a questão pode se debruçar na disposição legal da responsabilidade civil e consequente obrigação de reparar um dano causado a outrém (no caso, o clube).

Outra questão interessante, é a forma de cálculo dessa punição. Esse cálculo também deve estar claramente estabelecido, quer no listema legislativo ou regulatório aplicável, quer na relevante jurisprudência. A multa de Adrian Mutu foi calculada com base no salário do jogador e no tempo restante para o término de seu contrato (uma clara correspondência, guardadas as devidas proporções e especificidades) às recentes decisões dos casos Webster, além de Bayal e Soto (todos do CAS).

Dessa forma, considerando que o caso Mutu foi também levado ao CAS, grandes chances de se manter a multa conforme determinado pelo DRC. Mas tudo dependerá do que for alegado pelas partes, especificidades do caso, etc.

Sobretudo, temos que ficar atentos à nova realidade do atual futebol. Os jogadores devem se precaver, pois uma maior liberdade, maiores oportunidades e maiores remunerações, trazem consigo maior responsabilidade. E eles devem estar preparados para isso.

André Megale
megale@cidadedofutebol.com.br



Escrito por fraja8 às 11h55
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Real Betis dá liberdade para que Edu negocie com outros clubes

 
Das agências internacionais
Em Sevilla (ESP)
 
Após as polêmicas declarações do meia Edu, que lamentou a forma que o Real Betis está tratando a sua lesão, o clube espanhol se manifestou, através de um comunicado, que o brasileiro tem plena liberdade para assinar com qualquer clube após o fim de seu contrato. O vínculo de Edu com o Betis se encerra no dia 30 de junho de 2009.

No entanto, a entidade espanhola destaca que a oferta para renovação não foi retirada. "As portas do Real Betis seguem abertas para ele. O clube mantém a oferta de 1.500.000 euros por temporada, durante três anos, para assinar amanhã mesmo, se o jogador quiser".

O atacante, que tem previsão de volta somente daqui a três meses, chegou à equipe em 2004 após passagem pelo Celta de Vigo. Na sua primeira temporada com o Betis, foi campeão da Copa do Rei e obteve classificação para a Liga dos Campeões.

Em quatro anos pelo Betis, Edu marcou 34 gols pelo Campeonato Espanhol. O brasileiro também foi decisivo para evitar o rebaixamento da equipe na temporada 2006/2007.


Escrito por fraja8 às 11h49
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Para Mano, Muricy é o melhor do país

Agência/Agência Estado

Treinador coloca 'concorrente' acima e diz que estrutura do Tricolor é ótima

Carlos Augusto Ferrari São Paulo

A amizade entre Mano Menezes continua intacta mesmo depois de trabalharem em equipes rivais no Rio Grande do Sul e São Paulo. Nesta sexta-feira, o comandante corintiano disse que o treinador do Tricolor paulista é o melhor do país pelos resultados que vem obtendo nos últimos anos e rasgou elogios à estrutura do time do Morumbi.

- O melhor técnico do Brasil, para mim, é o Muricy. Ele é bicampeão brasileiro, está com o time na ponta da tabela e quase sempre em todas as finais. Para mim, futebol é resultado – afirma.

Mano Menezes, aliás, fez questão de salientar a qualidade da estrutura oferecida pelo São Paulo nos últimos anos, principalmente por conseguir repor com eficiência a venda de jogadores para o exterior.

- Ultimamente, a gente precisa se preocupar com o São Paulo só no finalzinho dos campeonatos porque vem chegando sempre nas finais. E, se isso acontece, é por competência. Todo mundo fala em perder jogadores. O São Paulo também perde, mas a capacidade de planejamento e a antecipação de ações antes de acontecer faz muita diferença. É um dos times que melhor trabalhou assim – explica.

No único confronto entre os clubes em 2008, os times empataram por 0 a 0, pelo Campeonato Paulista, em jogo marcado pela anulação de um gol do centroavante Adriano, que teria cometido falta no zagueiro William.

- Nós fomos bem no primeiro tempo e eles foram melhores na segunda parte – lembra Mano Menezes.



Escrito por fraja8 às 11h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Simon derrota Stepanek e torce contra Federer para seguir na Masters Cup

Agência/Reuters

Francês não dá chances a tcheco e continua vivo na luta pela classificação

GLOBOESPORTE.COM Xangai

O francês Gilles Simon fez a sua parte e venceu o tcheco Radek Stepanek por 6/1 e 6/4, resultado que o manteve na briga por um lugar nas semifinais da Masters Cup, em Xangai. No entanto, para conquistar uma vaga, ele terá que torcer contra o suíço Roger Federer, que enfrenta o já classificado Andy Murray ainda nesta sexta-feira.

Se o ex-número 1 do mundo derrotar o britânico por qualquer placar, haverá um empate triplo na liderança do grupo Vermelho. No entanto, neste caso, Simon acabará em terceiro lugar na chave e eliminado da disputa por conta do set average, a média entre sets vencidos e perdidos.



Escrito por fraja8 às 11h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Beisebol e softbol apelam aos astros dos EUA para voltar às Olimpíadas em 2016

Agência/EFE

Golfe, caratê, patinação, rúgbi e squash também tentam inclusão nos Jogos, que têm o Rio de Janeiro como candidato a cidade-sede

Das agências de notícias Lausanne, Suíça  

O beisebol e o softbol se despediram do programa olímpico em Pequim, mas se depender do esforço das federações, podem voltar em 2016. Dirigentes das duas modalidades participaram de um encontro nesta sexta-feira com o Comitê Olímpico Internacional (COI), na Suíça, para pleitear o retorno aos Jogos. O trunfo é a possibilidade de mandar para a competição os astros da milionária liga americana.

Representantes do golfe, caratê, patinação, rúgbi e squash também participaram do evento em Lausanne. Os Jogos de 2016, que têm o Rio de Janeiro como candidato a sede, ainda têm dois esportes em aberto.

Na reunião de sexta-feira, cada modalidade teve direito a uma hora de conversa com os dirigentes do COI. Os representantes do beisebol levaram jogadoras da Major League Baseball, como Curtis Granderson, do Detroit Tigers. As Olimpíadas acontecem durante a segunda metade da liga americana, e para a modalidade voltar aos Jogos, será preciso um esforço para conciliar os calendários.

- Optamos por trazer um jogador que já é um astro hoje e será um astro no futuro. Curtis é jovem o bastante para poder participar das Olimpíadas de 2016 – afirmou Harvey Schiller, presidente da Federação Internacional de Beisebol.

O softbol estreou nos Jogos de Atlanta, em 1996, e os Estados Unidos ganharam as três medalhas de ouro até agora.

O comitê do COI vai se reunir em junho do ano que vem para avaliar as propostas. Na mesma sessão, será escolhida a cidade sede. O Rio concorre com Chicago, Madri e Tóquio


'Franco-atirador', Navajas não descarta comércio, mas mira bastidores

Roberta Nomura
Em São Paulo
 
A experiência de dirigir a seleção venezuelana masculina de vôlei pode ter sido a última de Ricardo Navajas como treinador. Ainda com o futuro indefinido, o técnico tem planos ambiciosos para 2009, mas prefere manter os pés no chão. De volta ao Brasil e desempregado, ele almeja o cargo em uma secretaria de esportes, mas não descarta trabalhar no comércio.

AFP
Navajas comemora título sul-americano que deu inédita vaga à Venezuela em Jogos...
Sergio Moraes/Reuters
... mas nas Olimpíadas de Pequim sua equipe terminou em penúltimo no Grupo A
Em entrevista ao UOL Esporte, Navajas revelou o desejo de permanecer no país e se mostrou aberto a possibilidades que vão do comércio à cartolagem. "Minha prioridade é uma secretaria de esportes, não importa a cidade. Quero começar uma carreira nova. Sou muito idealista e quero tentar melhorar a prática no Brasil. Conheço a técnica do assunto e chegou a hora de usar tudo isso, o meu conhecimento, relacionamento, experiência, bagagem", declarou.

Decidido a subir de posição na hierarquia esportiva, o treinador utilizou o último mês para dar os primeiros passos na nova carreira. Para não ser pego de surpresa caso seja convidado a ocupar um cargo nos bastidores, Navajas fez um curso de administração esportiva nos últimos meses.

"Estou preparado. Posso trabalhar como dirigente em um time de futebol, por exemplo. Conversei com algumas pessoas, mas não tenho nada de concreto. Estou em um momento de transição. Tenho muita motivação de trabalhar com esporte e trazer idéias novas. Na verdade não fui atrás, estou aproveitando este ano para resolver problemas particulares", despistou.

A mudança do vôlei para o futebol não é novidade no cenário do esporte nacional. Campeão olímpico com as seleções masculina (Barcelona-1992) e feminina (Pequim-2008), o técnico José Roberto Guimarães atuou como diretor do Corinthians, no final da década de 90.

Mesmo sonhando alto, Navajas trabalha até com a hipótese de levar uma vida mais comum. "Não sei se volto para o comércio, para administrar a loja de carros que tenho em sociedade com meu irmão. Depende se não tiver nada em vista, fazer o quê? É muito cedo para falar. Uma Superliga começou agora. Tem que esperar para ver se as coisas vão se manter na próxima temporada."

A carreira como treinador não está definitivamente encerrada, já que Navajas não descarta montar uma equipe em Suzano (SP). Em seu retorno ao Brasil após comandar a seleção venezuelana na inédita participação em Olimpíadas, o técnico atrelou sua volta ao comando do time da cidade à mudança de administração. No entanto, o prefeito Marcelo de Souza Candido (PT) foi reeleito.

"As coisas não estão muito definidas. Não sei se o ano que vem o prefeito que manter a parceria. Não tenho relacionamento direto. Mas se tiver a idéia de montar uma equipe nova e própria, posso tocar junto o projeto", minimizou. Em entrevista ao UOL Esporte, Navajas havia criticado a fusão entre a equipe do município e a Ulbra (RS), parceria que rendeu títulos a Suzano.

Outras possibilidades mais remotas também não foram descartas pelo treinador. A vontade de permanecer no Brasil só seria deixada de lado caso ele recebesse propostas de clubes espanhóis ou de seleções dispostas a iniciar um novo ciclo olímpico. "Por um contrato de uma forma viável eu iria. Não por dois anos como a Venezuela queria fazer. Hoje em dia os técnicos querem iniciar e terminar um projeto. Não existe você montar uma equipe e não disputar as Olimpíadas", criticou.

A saída de Navajas da seleção venezuelana ocorreu justamente porque o treinador brasileiro condicionou sua permanência a um contrato longo. Ele deixou o comando da Venezuela após terminar os Jogos de Pequim na quinta colocação do Grupo A, ainda na primeira fase.

 
Alonso põe o cinto, alivia no acelerador e incentiva a direção segura

Bicampeão da Fórmula 1 faz campanha em universidade espanhola

Agência/EFE

Correr? Só nos GPs da Fórmula 1. Quinto colocado na temporada, o espanhol Fernando Alonso participou de um evento nesta sexta-feira para incentivar a direção segura. Ele esteve na Universidade de Oviedo, em Gijon, na Espanha. E não esqueceu de colocar o cinto, claro.

Agência/EFE

Ídolo na Espanha, Alonso dirigiu um carro de passeio e atraiu muitos fãs para o evento.



Escrito por fraja8 às 11h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Aprimoramento do Milan conduz projeto

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

Conforme revelou a Máquina do Esporte na semana passada, o Palmeiras Camp foi inspirado no Milan Junior Camp, que faz sucesso no Brasil há cerca de três anos. Mais que uma cópia, a relação com o trabalho italiano é vista no clube do Palestra Itália um aprimoramento do projeto inicial.

"Quando a gente anunciou a idéia em uma coletiva nós dissemos que a nossa base foi com ações como a do Milan, a do Sporting e a da própria Roma. São planos muito bem feitos, muito bem elaborados, e que podem ser complementados", disse Juan Rafael, gerente de planejamento do Palmeiras.

O não-ineditismo da iniciativa, que afastou muitos clubes grandes da prática no passado, não assusta os dirigentes. A demanda do palmeirense, que ainda não teve a possibilidade de participar de uma ação do tipo, é o grande tranqüilizador.

"O nosso torcedor ainda não fez isso. Hoje ele tem essa oportunidade de fidelização com o seu clube próprio clube. Às vezes ele tem a camisa do Milan e não a do time que torce, e essa é a chance dele mudar isso", concluiu Juan


Camp "lança" novo foco do Palmeiras

GUSTAVO FRANCESCHINI
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

Antigo dono da segunda maior torcida de São Paulo, o Palmeiras se viu ultrapassado pelo São Paulo nos últimos anos, e pode iniciar uma recuperação a partir de 2009. Apesar de não trabalhar com essa mentalidade, o clube do Palestra Itália lança, em janeiro próximo, o primeiro projeto de uma sequência que vai trabalhar a aproximação com o torcedor.

O Palmeiras Camp, que acontece entre os dias 17 e 24 de janeiro na estância Santa Filomena, em Jarinu, no interior de São Paulo, vai reunir crianças em um acampamento temático com direito a treinamentos e convívio com o dia-a-dia do clube.

"Esse é um piloto para um grande projeto, por exemplo, para interação com clubes de fora, que queiram vir treinar aqui no Brasil. A gente vai ter toda uma estrutura formada de uma maneira diferente ali", disse Juan Rafael, gerente de planejamento do clube.

A iniciativa, inédita neste formato entre os clubes brasileiros, vai movimentar um setor da torcida que há tempos não era trabalhado pelo marketing do Palmeiras. E o ineditismo da ação chega a ampliar o público alvo.

"Nós já chegamos a receber e-mails de torcedores de 18 anos que queriam participar. A idéia é ativar alguns pontos que estavam parados. Acho que esse é o projeto para o público infantil que atinge mais em cheio esse setor", concluiu Juan


Patrocínio "dobra" 2ª Virada Esportiva

GUSTAVO FRANCESCHINI
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

A versão esportiva da consagrada "Virada Cultural", que, desde 2005, movimenta teatros, praças e bares da cidade de São Paulo em 24 horas chegou à segunda edição elogiada pela crítica e com um programa quase dobrado. Com 703 eventos oficiais, contra cerca de 400 no ano passado, a ação da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer da capital paulista contou com patrocínios oficiais para ampliar o programa sem acréscimo de custos.

Estimado em cerca de R$ 3 milhões, assim como aconteceu em 2007, o aporte financeiro da pasta não tem previsão de avanço, mas foi turbinado pela presença de Sabesp e Nossa Caixa, patrocinadores oficiais do evento, e Topper e Agecom como apoiadores.

As marcas, que desembolsaram um valor não divulgado pela secretaria para tanto, estarão presentes com ações em eventos oficiais da pasta nas 24 horas de evento. Além disso, todas terão os logotipos expostos também nas atividades das sub-prefeituras e parceiros como SESCS e CEUS.

No ano passado, a situação foi bem diferente. Em sua estréia, a Virada Esportiva não conseguiu atrair o mesmo interesse das empresas, e foi "à campo" apenas com o apoio em cima da hora da Topper, que não teve tempo de ativar o fornecimento de material esportivo.


Rangers renova com dois parceiros

REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, em São Paulo

O Rangers renovou com dois de seus parceiros. Agora, o clube escocês terá um acordo mais longo com a marca de relógios suíço Ebel e também com a Coca-Cola.

Segundo o chefe executivo da Ebel, Bain Martin, o objetivo desta renovação é continuar com a expansão da marca no oeste da Escócia e no Reino Unido, além da América do Norte e do Oriente Médio.

O novo contrato entre Rangers e Ebel, que não tiveram os valores e o período revelados, garante a exposição da marca de relógios no estádio do clube, além da produção de um artigo com o logo da agremiação.

No caso do acordo com a Coca-Cola, que terá duração de mais três anos, a fabricante de refrigerantes permanecerá sendo a bebida oficial das partidas do Rangers, além de promoções diretas aos torcedores do clube



Escrito por fraja8 às 11h38
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ontem e hoje: Hortência

Atualmente aposentada, a ex-ala chegou a ser medalha de prata olímpica e campeã mundial e pan-americana com a seleção brasileira de basquete

Editoria de Arte/GLOBOESPORTE.COM

Hortência é considerada uma das maiores jogadores de basquete da história da seleção brasileira, sendo conhecida como Rainha. Pelo Brasil, conquistou uma medalha de ouro Pan-Americana, um campeonato mundial e uma prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta.



Escrito por fraja8 às 11h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Judô japonês luta contra perda de atletas e ameaça lucrativa do vale-tudo

Rodrigo Farah
Em São Paulo
 
O melhor judô do mundo está ameaçado por socos e pontapés. O Japão, berço da modalidade e casa dos atletas mais técnicos do mundo, atravessa um momento de transição e pode sofrer mudanças drásticas em poucos anos: suas estrelas sofrem o assédio do lucrativo mundo do MMA (em inglês Mixed Martial Arts), o vale-tudo.

                 JUDÔ X VALE-TUDO
AP
Ishii deixou de lado um futuro promossior no judô pelo lucro do vale-tudo no Japão
Rodrigo Farah/UOL
Segundo regras do judô japonês, Ishii não poderá voltar a lutar em torneios oficiais
DREAM/Divulgação
MMA no Japão atravessa um momento de renovação e tenta atrair estrelas judocas
DREAM/Divulgação
Lucro e maior projeção no mundo da luta é o grande atrativo para os judocas famosos
O problema ganhou maior repercussão quando o judoca campeão olímpico em Pequim-2008 Satoshi Ishii, de apenas 21 anos, decidiu abandonar a carreira nos tatames duas semanas atrás para tentar a sorte no MMA. Considerado a maior revelação nipônica dos últimos tempos, o atleta era a principal esperança de renovação do judô no país.

Especula-se que Ishii tenha recebido uma proposta de US$ 5 milhões (cerca de R$ 11 milhões) para assinar um contrato com a organização Dream, que promove eventos de vale-tudo. O ex-judoca chegou até mesmo a dar declarações para jornais internacionais confirmando ter ambições de "ser o melhor lutador do mundo" e que seu objetivo é se tornar "um em seis bilhões".

O Japão vê o MMA ganhar cada vez mais espaço na mídia local. Muitos fãs do judô estão transferindo a paixão para a outra luta, o que também contribui para a mudança de esportes dos atletas. O campeão mundial Hiroshi Izumi, de 26 anos, é o próximo judoca na lista de contratação dos dirigentes do vale-tudo.

"O MMA no Japão está que nem o futebol no Brasil. Atualmente, é bem mais valorizado que o judô e é mais lucrativo. Os fãs do judô normalmente são os senhores mais tradicionais, e o problema é que o MMA está atraindo os jovens, tanto homens como mulheres. Desse jeito, fica difícil competir", revelou o judoca faixa preta Rodrigo Oyie, que mora e treina em Tóquio há quatro anos e participa de treinamentos de jiu-jitsu com Ishii.

O campeão olímpico de Pequim, porém, não é o primeiro medalhista olímpico a abandonar o judô seduzido pelo lucro do vale-tudo. Antes dele, Makoto Takimoto (ouro em Sydney-2000) e Naoya Ogawa (prata em Barcelona-1992) também migraram para a nova modalidade.

Até hoje, o lutador que saiu do judô com maior sucesso no MMA foi Hidehiko Yoshida (ouro em Barcelona-1992). Ele tem no currículo grandes lutas contra adversários como Royce Gracie (empate) e Wanderley Silva (vitória do brasileiro), além de triunfos sobre os norte-americanos Maurice Smith e Don Frye.

A mudança do judô para o MMA, no entanto, não é vista com bons olhos por todos no Japão. Segundo o mestre do oitavo dan Katsuhiko Kashiwazaki, campeão mundial de 1981 e visto como uma lenda no país por sua técnica no solo (newaza), os judocas mais jovens precisam reavaliar suas metas na arte marcial.

Técnico de uma das escolas mais tradicionais do esporte no Japão, a Universidade Budo, Kashiwazaki lamentou a perda de Ishii e atentou para o fato de que os judocas promissores estão deixando a modalidade cada vez mais cedo no país seduzidos pela crescente projeção do MMA.

A mudança de categoria do campeão olímpico Satoshi Ishii para o vale-tudo promete aumentar a ainda mais a popularidade do MMA no Japão. Mas até que ponto os atletas do judô estão realmente preparados para os combates na nova modalidade? De acordo com especialistas, a adaptação para o outro estilo de luta pode levar bastante tempo.
ADAPTAÇÃO PODE DEMORAR
"Sou contra essa mudança, principalmente quando ela é feita muito cedo, como no caso do Ishii. Ele tinha condições de ganhar muitos outros títulos no judô para depois pensar em lutar no vale-tudo. Se o atleta inicia um ciclo no judô, ele precisa seguir adiante para só depois pensar em lutar outro estilo", comentou Kashiwazaki.

Vale lembrar que o MMA no Japão também atravessa um momento de transição. Com a decadência do Pride, principal evento da modalidade até alguns anos atrás, o esporte precisou ser renovado com a criação de novos campeonatos, como o próprio Dream e o Sengoku. A integração de estrelas do judô nacional é uma das estratégias dos dirigentes para o aumento da popularidade do esporte.

"O MMA está virando um esporte nacional no Japão. Passou por uma fase ruim, mas está se reerguendo de novo. Essa transferência do Ishii é semelhante à saída de uma revelação brasileira do futebol indo para a Europa", afirmou o carioca Pedro Rizzo, experiente lutador de MMA, com vitórias contra adversários como Josh Barnett e Mark Coleman.


Escrito por fraja8 às 11h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




ATP to add fifth Asian tournament

The ATP will add a fifth Asian tournament in 2009 and is in talks with several companies to replace Mercedes-Benz as a sponsor of the men's tennis tour, Bloomberg reports.

Brad Drewett, head of the international group at the ATP, which runs men's tennis, told reporters in Shanghai that the event will probably be hosted in a ``new market'' along with Bangkok, adding that a decision will be made in the next three months.

"The current importance to the ATP is the strategic value and obviously any organization wants to be strong in Asia right now,'' Drewett said. ``Everyone knows that in three years, five years, 20 years, this is the growth region of the world and we're trying to grow our brand and sport in the region as best way we can.''

The ATP's main Asian event next year will be the Masters 1,000 contest in Shanghai, which has Rolex Group as its main sponsor, Drewett said. The other cities are Beijing and Tokyo.

The ATP’s sponsor of the men’s tournament, Mercedes said last year that it would drop sponsorship of the Tour for other sports. Drewett told Bloomberg that the ATP hasn't set a timeline in its talks with ``a number of companies'' to replace the sponsorship, declining to name them as negotiations are proceeding


Use it or lose it, says Foxtel

Australian pay broadcaster Foxtel again called for the right to transmit sports events that free-to-air TV broadcasters are not covering.

Chief executive Kim Williams said free-to-air broadcasters in the country did not transmit enough sport. They should therefore be subject to a "use it or lose it" principle, whereby they lose the right to privileged access to sports events that they have so far failed to broadcast.

Under Australia’s anti-siphoning law, certain events are protected for free-to-air TV broadcast.

"Over 75 per cent of the 1,00 sporting events - if we leave the Olympic and Commonwealth Games out - protected for them each year since 1994 is never shown on free-to-air TV," Williams said. "They have a lock up on the negotiation process but they never honour the public with transmission of 75 per cent of the events.

"Subscription TV is practical enough to accept that the sport that is broadcast on free-to-air TV today should stay available to free-to-air on the anti-siphoning list …We propose the most simple policy solution imaginable: we call it use-it-or-lose-it.

"But what is not broadcast should come off the list: both free-to-air and subscription TV can then compete to acquire that sport for our multi-channels equally.”


Record requests for 2010 Olympic Winter Games tickets

The Vancouver Organising Committee for the 2010 Olympic and Paralympic Winter Games (VANOC) said that they have received over $345 million in requests for tickets to the Games.

As of this past Friday, November 7, the final day of the Request Period of Phase 1, an estimated 120 of 170 ticketed sessions were oversubscribed due to demand exceeding the available tickets. In terms of dollars, Canadians have already requested approximately four and a half times the value of tickets in Phase 1 for the Vancouver 2010 Olympic Winter Games ($345 million over five weeks), compared to the first phase of ticketing ($75 million over nine weeks) for the Salt Lake City 2002 Olympic Winter Games, the most recent Olympic Games held in North America.

Caley Denton, vice president, ticketing and consumer marketing for VANOC, said: “Canadians are clearly not only excited to welcome the world, but are also excited to be here in person to witness the thrill of competition in 2010. For many people, submitting a request for tickets drives home the realization that we are now less than 15 months away from hosting one of the most anticipated events in the world.”

Tickets that were not purchased during the initial Request Period will be re-released for sale exclusively to Canadian residents who submitted a request during the Request Period — called the Priority Access Period. Running from December 8 to December 22, the Priority Access Period will offer account holders an opportunity to purchase additional tickets before they are again made available to the wider Canadian public. Tickets remaining after this period will go on sale to the public on a first-come, first-served basis in 2009.

An estimated 120 of 170 sessions will be allocated by lottery, including tickets for the Opening and Closing Ceremonies, as well as all figure skating, short track speed skating, speed skating and men's ice hockey (from quarter-finals onward). VANOC reports that more than 140,000 tickets were requested for the men’s gold medal hockey game, more than 41,000 tickets were requested for the women’s gold medal hockey game and over 84,000 tickets were requested for the Opening Ceremony.


Legacy Lives 2009 – an update

Organisers of the Legacy Lives 2009 event are in talks to secure a new host city, event partner and dates for the conference.

Following the recent announcement of the decision to cancel the Legacy Lives event in Vancouver scheduled for January 26–30 2009, organisers will be announcing the outcome of these discussions in the near future.

They say there has been a very positive and gratifying response from all over the world expressing support for the event, from would be delegates, speakers, sponsors and exhibitors.

“We do not intend to let all of these legacy stakeholders down and are working hard behind the scenes to ensure that Legacy Lives 2009 is as vibrant an event as in the two previous years,” organisers said in a statement. “Not going to Vancouver is obviously a disappointment but we look forward to bringing the event to this very special Olympic city in the years to come.”


Tokyo 2016 launches ‘Olympics for All’ campaign

Tokyo 2016 is celebrating the latest set of events in its ‘Olympics for All’ roadshow series, which have been uniting young and old with sport and the Olympic movement for over a year.

Under the program, Olympic athletes will share their experiences with a nation of passionate Tokyo 2016 supporters in a variety of locations, including schools and workplaces. So far showcases have been held at more than 30 locations. During November, seven events will be staged, with more thereafter.

Dr Ichiro Kono, Chairman and CEO of Tokyo 2016, said: “These events are bringing to life both the Olympic spirit and the transformative power of sport for the people of Japan. The sense of possibility and achievement conveyed by some of the world’s highest sporting achievers are helping Tokyo 2016 inspire people of all ages to engage or re-engage with sport and healthy living. The passion across all levels of society for Tokyo 2016 demonstrates that these would be a Games for the entire nation, heralding a golden economic, social, and sporting era for Japan.”

In another demonstration of Tokyo 2016’s commitment to inspiring passion for the Games, the Bid will this week host a major symposium in the heart of Japan’s vibrant capital city. Members of the public are encouraged to attend the meeting, which will see world-renowned architect and member of the Grand Design team for Tokyo 2016, Tadao Ando, deliver a keynote speech highlighting the Tokyo 2016 Games vision.

Tokyo 2016 and the Tokyo Metropolitan Government have also introduced Tokyo Exercise, a new fitness program comprising different forms to suit varying fitness levels - uniting young and old with healthy living.


Sports seeking 2016 inclusion meet IOC

The seven sports vying for two remaining places at the 2016 Olympics will present their cases to the International Olympic Committee today.

Baseball, roller sports, softball, golf, karate, squash and rugby (seven-a-side) are the seven sports competing to be admitted to the Olympic Programme. The IOC has set a limit of 28 sports in 2016, meaning the seven will fight over the last two available slots which will be voted on next year by IOC Members.

The leaders the sports will meet the IOC Commission today to present their cases. The final decision will be made at the IOC conference in October, 2009.



Escrito por fraja8 às 11h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Cielo testará protótipo de supermaiô com assinatura própria

Reuters
 
Bruno Doro e Maurício Dehò
Em São Paulo (SP)
 
O ouro olímpico nos 50 m livre não trouxe apenas fama para o brasileiro César Cielo. A partir de janeiro, o nadador paulista vai começar a testar o protótipo de um novo supermaiô, feito pensando em suas características. O trabalho deve ser o mesmo que a Speedo fez com Michael Phelps no desenvolvimento do revolucionário LZR Racer.

"Este protótipo está chegando já em janeiro para os treinos", disse Cielo ao UOL Esporte. "O que eu quero é uma relação de parceria. Pessoas que queiram trabalhar comigo. Não é aquela coisa de 'está aí o maiô, vai lá e ganha'. E senti que, agora, isso deve acontecer", completou o primeiro brasileiro campeão olímpico da natação.

O material foi desenvolvido exclusivamente para o nadador, com as atuais tecnologias que têm permitido baixar recordes mundiais, a exemplo do que ocorreu durante toda a temporada de 2008. A fabricante é a italiana Arena, com a qual o nadador está perto de fechar contrato.

O novo maiô foi feito usando as medidas de seu corpo, para se adequar perfeitamente à silhueta, ajudando a ganhar centésimos preciosos dentro d'água. Além disso, ele poderá opinar no desenvolvimento de seus maiôs, para manter a evolução do traje.

Na China, Cielo usou o LZR, marcando 21s30 - apenas dois centésimos mais lento do que a melhor marca mundial. O maiô é apontado como o maior responsável por grande parte dos recordes mundiais superados em 2008. Sem costuras, o modelo retém menos água e dá maior flutuabilidade aos nadadores.

Antes dos Jogos, Cielo testou também o Tracer, fabricado pela empresa TYR. No entanto, apesar de ser mais resistente que o LZR, Cielo não se adaptou ao modelo. O brasileiro teve dificuldades para vestir a peça e se queixou que ela apertava demais na região do peito.


Técnico de Cielo ficou duas horas na fila por maiô do ouro

Reuters
 
Bruno Doro e Maurício Dehò
Em São Paulo (SP)
 
César Cielo não se cansa de falar da amizade e a ligação que possui com o técnico Brett Hawke, que trabalhou com o brasileiro para as duas medalhas olímpicas que conquistou em Pequim-2008. Na piscina do Cubo D'Água, ele foi ouro nos 50 m livre e bronze nos 100 m livre

Segundo o nadador, uma das provas mais fortes da dedicação do australiano aconteceu longe das piscinas e dos treinos. Hawke encarou duas horas de fila na China só para retirar o badalado maiô LZR Racer, da Speedo.

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos prometeu o traje para o time verde-amarelo, mas os nadadores só tiveram acesso ao material quando chegaram à sede olímpica, pela mesma via que nadadores do resto do mundo. Atletas de equipes como EUA e Austrália tinham maiôs personalizados, entregues com antecedência.

A vestimenta sem costuras, apontada como uma das maiores responsáveis pela enorme quantidade de recordes superados nesta temporada, foi entregue pela fabricante na piscina do Cubo D'Água e gerou filas entre os olímpicos.

"O Brett ficou na fila para mim e pegou o maiô. Mas eu vi brasileiro lá em pé esperando para nadar o dia seguinte", contou o campeão olímpico ao UOL Esporte. Mesmo parecendo apenas um detalhe, Cielo defende a importância de atitudes como essa.

"O pessoal pode falar que não cansa, mas fique duas horas em pé para nadar no outro dia. Numa hora dessas nossa cabeça fica muito sensível, e isso quebra totalmente o psicológico do cara", explicou o nadador do Pinheiros.

A febre quanto aos maiôs tecnológicos não chega a ser uma novidade. Em 2000, outro brasileiro teve de sofrer na espera por um maiô. Dono de três medalhas olímpicas, Gustavo Borges ficou uma hora na fila, esperando por seu FastSkin. O traje foi o primeiro supermaiô, famoso por imitar a pele de tubarão e diminuir a fricção da água no corpo do nadador.



Escrito por fraja8 às 11h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Painel FC

RICARDO PERRONE -
painelfc.folha@uol.com.br

Previsão do tempo

Parte dos cartolas dos principais clubes do país prevê que em 2009 enfrentará dificuldades financeiras jamais sofridas. Primeiro, pela dificuldade em se obter empréstimos bancários em virtude da crise econômica mundial. Em segundo lugar, porque, por causa do abalo nos mercados, irão vender poucos jogadores para o exterior. E, terceiro, porque não poderão mais empurrar com a barriga dívidas fiscais, a menos que consigam mudanças nas atuais regras da Timemania. As três manobras têm mantido as equipes vivas.




Altos e baixos. O orçamento do Santos para 2009, que ainda será colocado em votação, intriga conselheiros. Querem saber se ele irá prever gastos compatíveis com a trupe de Vanderlei Luxemburgo, almejado pelos cartolas. Ou se será do tamanho da comissão técnica atual.

Mosqueteiros. A diretoria do São Paulo diz haver pacto entre Juvenal Juvêncio, João Paulo de Jesus Lopes e Carlos Augusto de Barros e Silva para que não conversem com agentes interessados em comprar ou vender atletas antes do fim do Brasileiro. Empresários não levam a sério.

Troféu. Enquanto o Avaí comemora a volta à Série A, a WTorre festeja a finalização do projeto do novo estádio do clube, com capacidade para 21 mil pessoas. A construtora, responsável pela remodelação do Parque Antarctica, crê que a arena catarinense será a mais bonita do país.

Estatal. Do presidente do Sindicato da Arquitetura e da Engenharia-SP, João Alberto Manaus Corrêa, sobre gastos com estádios da Copa-14: "A tendência é que o governo tenha de assumir, até pela crise no mercado financeiro".



Não é bem assim. Na comissão técnica do Palmeiras, não pegou bem a Traffic e a diretoria dizerem que Luxemburgo teve tudo o que pediu. Dizem, entre outras coisas, que Keirrison, do Coritiba não veio. E que o treinador queria manter Henrique.

Script. Um dia antes de Marcos dar entrevista em tom de arrependimento por desobedecer a Luxemburgo, dirigentes do Palmeiras já antecipavam o discurso do goleiro. Tiveram uma conversa com ele sobre o tema.

Pedágio. A diretoria do Corinthians reclama que não consegue sacramentar a negociação com um jogador de outra equipe paulistana porque não aceita pagar a quantia exigida pelo empresário do atleta como comissão.

Obediência. Membros da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara reclamam de o grupo adiar sessão com Orlando Silva Jr. e Carlos Arthur Nuzman. Argumentam que duas comissões seguiram suas audiências, apesar de a presidência da casa dizer que não poderiam, para priorizarem votações em plenário.

Colaborou EDUARDO OHATA , da Reportagem Local

Dividida

"O atual presidente divide o chá com todos os palestrinos, na primeira divisão. O ex, dividia o quibe com meia dúzia de áulicos, na segunda"
De VITTORIO PESCOSOLIDO , diretor jurídico do Palmeiras, sobre Mustafá Contursi dizer que Affonso della Monica só se interessa em tomar chá nos hotéis em que o Palmeiras fica


XICO SÁ

Só o amadorismo salva


Para o corintiano, não existe séries A, B ou Z, não tem essa de elite ou várzea, só existe o Corinthians em campo


AMIGO TORCEDOR , amigo secador, baixou uma Pollyana ludopédica, baixou um Cândido, e aqui batuco, na caixinha de surpresa, o meu samba-exaltação às boas coisas que sobrevivem, apesar da turma de fraque e de cartola, nos nossos campos e várzeas.
Como a torcida do Galo, que arrasta 42.182 para ver um embate teoricamente sem importância, contra um Vasco que agoniza em público, em uma noite de quarta. Para os atleticanos, se o time está em campo, seja contra o Tupi, o bravo irmão de crista de Juiz de Fora, ou contra o Boca, pouco interessa.
Os malucos, os Kiko Goifman, os Fred Melo Paiva, os Romero Carvalho e os Lucas Conrado Silva, este caboclo da margem esquerda do Itapecerica, Divinópolis, celebram ao mesmo estilo. Estarão torcendo até contra o vento se avistarem em um varal do fim do mundo uma camisa em branco e preto -como na crônica de Roberto Drummond, outro doido varrido pelo clube mineiro.
Mais beleza nas mesmas cores: o Corinthians, campeão de sobra da Segundona, e jogando contra o Juventude como se fosse o jogo do século. Os rivais não compreendem, mas, para o corintiano, não existe séries A, B ou Z, não existe primeira nem Terceirona, não tem essa de mané elite ou o poeirão da várzea, só existe o Corinthians em campo, nada além disso, como se o time disputasse o campeonato da vida, que para o guerreiro de são Jorge sempre será um mata-mata diário.
O corintiano não sabe sequer, nem procura saber, o certame que está jogando. Ele diz para o seu filho apenas que o Timão está em campo. ""Contra quem, papai?", pergunta o rebento. No que o tiozão responde, orgulhoso: ""Um Barueri ai qualquer, meu garoto". Nada ofensivo ao brioso clube de São Paulo, só um jeito de revelar sua paixão sem limites.
Bonito também é ver Loló, o mais quixotesco dos nossos técnicos, deixando de comer para manter vivo o Cruzeiro, como mostrou o ""Jornal Nacional" nesta semana. Não a raposa das Alterosas, mas o time estrelado da segunda divisão de Rondônia, que está há três anos e cinco meses sem triunfo, sem vitória. Só há beleza de verdade nas atitudes amadoras. Como fez o Marcos do Palmeiras, vingando o torcedor verde que não se conformava com a falta de apetite do então favorito ao caneco. Quando escuto a palavra ""profissionalismo", dita com a arrogância impostada, saco meu talão de cheques. Alguém vai me tomar um troco ou me passar a perna. Desconfie sempre dos profissionais de plantão.
Bonito mesmo foi ver o João Gabriel lá na Fliporto, a festa literária de Porto de Galinhas, mais preocupado com o seu tricolor, que enfrentava a Lusa, do que com os rumos da literatura. Anunciava cada lance da batalha do Canindé como se fosse o surgimento de um novo Hemingway, de um Joyce, de um Flaubert. Maravilha é saber da loucura da torcida do Santa Cruz, como me conta o João Valadares. Com o time na quarta divisão, os corais têm ido ao Arruda testemunhar as obras da reforma do estádio. Como se fosse um clássico. Multidões vibrando com o futuro do Santinha, tijolo por tijolo, nas mãos dos operários, que são vistos como os Nunes, os Ramons, os Fumanchus que vêm por aí reerguer o clube. Que beleza, amigo!

xico.folha@uol.com.br


ROMÁRIO

EM BLOG, EX-JOGADOR COMENTA FUTEBOL

Aposentado, ele inaugurou página (http://blog.interzonefutebol.com:80/romario), mas pouco escreveu em três dias. Ontem, elogiou Maradona como treinador, mas disse confiar mais em Dunga.


Corinthians abre bolso com agentes

Nas intermediações de transações de jogadores, clube paga percentuais acima do mercado e repassa até 25% do total

Empresário Marcelo Djian ganha por contratação de Fabinho, do Toulouse, sem participar da negociação, segundo o próprio volante

RICARDO PERRONE
DO PAINEL FC
RODRIGO MATTOS
DA REPORTAGEM LOCAL

Em aperto financeiro, o Corinthians pagou comissões a empresários acima do percentual de mercado em transações de jogadores, como mostram dados do próprio clube obtidos pela Folha. Em ao menos um caso, o agente não fez nada, segundo o atleta contratado.
No total, quatro negociações geraram pagamentos de R$ 1,6 milhão para empresários. O valor das transações gira em torno de R$ 9 milhões. Ou seja, as intermediações representaram quase 18% dos negócios.
O mercado do futebol costuma estabelecer como 10% a comissão usual dos empresários. O Corinthians alega que a necessidade de fechar transações -ou para reforçar o time ou o caixa- o levou a pagar valores acima disso em alguns casos.
O que mais chama a atenção é a venda dos direitos do zagueiro Zelão para o Saturn, da Rússia. A transação foi fechada por US$ 1,8 milhão -entraram R$ 2,988 milhões nos cofres do time. O empresário israelense Tzvi Kritzer, no entanto, ficou com R$ 747 mil desse valor. Ou seja, o agente embolsou um quarto da negociação.
Segundo a diretoria corintiana, o clube informou ao empresário que aceitaria negociar o zagueiro por US$ 1,4 milhão. Kritzer foi à Rússia e obteve oferta US$ 400 mil maior.
"Nós exigimos que o dinheiro todo entrasse no clube pelo Banco Central. E, depois, repassamos os US$ 400 mil [ao empresário]", disse o advogado corintiano Luis Felipe Santoro, que contou ainda que uma parte foi para o Bragantino, detentor dos direitos sobre o atleta.
"Não falo de dinheiro com jornalistas. Contratos não deixam", disse Kritzer, que confirmou ter intermediado o negócio. "Se a versão do Corinthians é essa, é isso", afirmou Fábio Brito, sócio do israelense.
Bem remunerado, Kritzer pelo menos mostrou Zelão aos russos. Mais do que fez o empresário Marcelo Djian no caso da contratação de Fabinho, de acordo com o próprio jogador.
Não houve pagamento por direitos (foi empréstimo do Toulouse). Mesmo assim, o agente ficou com R$ 135 mil, por ser o empresário do volante, segundo o Corinthians.
"Negociei direto com o presidente [Andres Sanchez]", disse Fabinho, negando participação de Djian na sua liberação.
"Às vezes o time quer um jogador, mas precisa da ajuda do empresário", defendeu Djian, que disse ter recebido valor de um salário do atleta.
O problema é que, pela legislação da Fifa, o cliente do agente -Fabinho- é quem deveria pagá-lo. Se o Corinthians remunerá-lo, precisa de consentimento por escrito do atleta.
Sem acordo entre jogador e agente, só deve ser dado 3% do salário anual ao representante. O pagamento a Djian foi cerca de 10% desse total.
Fabinho era ex-atleta do clube e conhece os dirigentes. No escritório de Djian, trabalhou André Campoy, que era da divisão de base corintiana na gestão de Alberto Dualib, quando Andres era da diretoria.
Outro agente de jogador que lucrou no Corinthians foi Juan Figer. A compra de parte dos direitos de Acosta foi por R$ 1,335 milhão. A MJF, empresa do agente, recebeu R$ 248 mil. Ou seja, 18,6% do total.
A diretoria nega ter pago mais de 10%: baseia-se no salário do jogador, que é de R$ 125 mil. Neste caso, o valor anual é de R$ 1,6 milhão -a comissão ultrapassa um décimo disso.
Outro que ganhou alto foi Franck Henouda, na transação de Everton Santos. Com direito a 50%, o clube recebeu R$ 3,1 milhões do Paris Saint-Germain e pagou R$ 500 mil para o agente. "Ganhei 10%, recebi com nota", disse Henouda.
O Corinthians disse que a comissão foi sobre o total (R$ 5 milhões). E que descontou parte da intermediação de repasse ao detentor de outros 50%.
Enquanto distribuiu comissões, o Corinthians recorreu a empréstimos do Clube dos 13, de bancos e até da BWA (que confecciona ingressos) para fechar suas contas.


SEM LIMITE

FIFA NÃO IMPÕE TETO A COMISSÃO

Pelas normas da Fifa, a remuneração dos agentes em transações deve ser pactuada entre as partes, sem limite. Não há previsão de pagamento ao empresário de percentual da negociação, o que é costume do mercado.


"Se não pagar comissão, não fecha negócio"

DO PAINEL FC

Ao saber que a Folha telefonara para outros envolvidos em negociações de jogadores do Corinthians no dia anterior, Andres Sanchez ligou ontem para a reportagem, antes de ser procurado.0 (RP)

 


ANDRES SANCHEZ - Liguei para convidar a Folha a ir ao clube na segunda e ver o documento que quiser.
FOLHA- Na segunda, a reportagem já saiu. Por que pagou comissão ao Marcelo Djian na negociação do Fabinho?
ANDRES
- Ele recebeu como empresário do atleta.

FOLHA - Normalmente, quem paga o agente é o atleta.
ANDRES
- Se o empresário pede, a gente paga. Se não pagar, não tem negócio.

FOLHA - Mas o Corinthians pagou comissão a Juan Figer na compra do Acosta. No geral, o vendedor paga o agente.
ANDRES
- Se você não pagar, não fecha. Tem cara que recebe do vendedor e do comprador.

FOLHA - A Fifa proíbe o agente de ganhar dos dois clubes. Já denunciou alguém?
ANDRES
- Não. Eu não pago duas vezes.

FOLHA - Mas em alguns casos o Corinthians pagou mais do que os 10% de praxe. No caso do Zelão, por exemplo.
ANDRES
- Quase sempre damos 10%. No caso do Zelão, não lembro quanto, mas foi bastante. Se não faço isso, ele vende atleta de outro time. O que vocês não falam é que vieram jogadores sem comissão. E sobre o Zelão pergunte ao Rubão (ex-vice de futebol) como ele chegou ao clube.

FOLHA - Mas, no caso do Zelão, o Corinthians tinha só a metade dos direitos. O clube pagou sozinho a comissão?
ANDRES
- Você está me chamando de babaca. Não estudei, mas sou comerciante. Recebi o dinheiro, paguei impostos e a comissão. Depois, dei o dinheiro para o Bragantino.

FOLHA- A PF pediu a documentação do Zelão...
ANDRES
- Mentira. Eu levei documentos de todos os negócios até maio para a PF porque quis. Para vocês não me chamarem de ladrão, mas vão chamar.



Escrito por fraja8 às 11h09
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Guardiola proíbe Messi de ir a Glasgow para ver estréia de Maradona

Agência/Reuters

Craque afirmou que gostaria de estar no estádio como torcedor, mas técnico do Barcelona veta a idéia

Por causa de um acordo entre Barcelona e AFA (Associação do Futebol Argentino), Lionel Messi não estará em campo na estréia de Diego Maradona como técnico da Argentina. Então, o craque afirmou que gostaria de ir a Glasgow para ver o amistoso com a Escócia, na próxima quarta-feira, como torcedor. Idéia que foi vetada pelo técnico do Barça, Pep Guardiola.

Segundo a rádio Ona FM, o treinador do clube catalão proibiu o meia-atacante de viajar durante a semana. Para convencer Messi, Guardiola afirmou que o melhor para o jogador é seguir na Espanha treinando para as partidas com Getafe (Espanhol) e Sporting (Liga dos Campeões).

Após marcar o gol da vitória sobre o Benidorm por 1 a 0, na última quarta, pela Copa do Rei, Messi disse que gostaria de ir a Glasgow para ver o primeiro jogo de Maradona como técnico, “apenas como torcedor”.

Na semana passada, Diego esteve em Barcelona para conversar com o jovem craque. O “Pibe” teve que abrir mão de Messi contra a Escócia, já que a AFA concordou em não convocar o meia-atacante para amistosos já que ele foi liberado para disputar as Olimpíadas de Pequim.


Beckham voltará ao Galaxy em março

Agência/AP

Assessor do meia nega que contrato com o Milan será prorrogado

GLOBOESPORTE.COM Los Angeles

A passagem de David Beckham pelo Milan terá duração de apenas dois meses e não há chances de o contrato de empréstimo ser prorrogado. Quem garante é o assessor do meia, Simon Oliveira, apoiado ainda por um comunicado oficial do Los Angeles Galaxy.

Segundo o porta-voz, o inglês estará de volta ao futebol dos Estados Unidos em março, quando a temporada 2009 da MLS começa.

- Beckham assinou por dois meses com o Milan e não há conversas para que o contrato seja estendido – afirmou Simon à imprensa inglesa.

O Galaxy também divulgou uma nota oficial para negar que perderá seu principal jogador no próximo campeonato da MLS. “Não é verdade que Beckham seguirá no Milan depois de março. Esperamos tê-lo de volta no início da nossa temporada”, diz o texto.

O meia chegará ao Milan no final de dezembro e viajará com a equipe rubro-negra para Dubai, onde o time treinará durante o recesso do Campeonato Italiano. A estréia de Beckham já tem data marcada: 6 de janeiro, em amistoso com o Hamburgo, nos Emirados Árabes.

Em dois anos nos Estados Unidos, o meia brilhou mais fora de campo - ao lado de celebridades como Tom Cruise - do que dentro das quatro linhas. Com Beckham no time, o Galaxy não conseguiu passar da primeira fase nas duas temporadas.


Nistelrooy: 'Voltarei a marcar gols'

Reprodução/Marca.com

Atacante do Real Madrid, mesmo sabendo que passará oito meses se recuperando de uma cirurgia, diz que sua carreira não acabou

A notícia de que não poderá mais jogar nesta temporada foi bem recebida pelo atacante Van Nistelrooy, do Real Madrid. O jogador precisou passar por uma cirurgia para correção de algumas lesões no joelho direito e terá de ficar oito meses afastado para se recuperar. Em entrevista ao jornal espanhol "Marca", o holandês, operado nos EUA, deixou uma ponta de esperança para os torcedores merengues.

- Voltarei a fazer gols. Quero ganhar a
Liga dos Campeões. É verdade que tenho 32 anos, mas foi a mesma coisa oito anos atrás. Sei o que é preciso fazer. A recuperação é muito dura, mas eu vou conseguir. Tenho muitos gols a marcar com a camisa do Real Madrid e objetivos a atingir - afirmou o jogador.

O diagnóstico foi feito pelo doutor americano Richard Steadman, especialista em joelho, nos Estados Unidos, onde o jogador foi examinado e submetido a uma artroscopia. Steadman também operou o atleta há oito anos, para a correção de um outro problema no mesmo joelho, quando ele ainda atuava pelo PSV.

Depois de estudar o quadro, médicos do Real Madrid e o doutor Steadman decidiram, em acordo com o próprio jogador, levar o caso para o centro cirúrgico. Uma artroscopia foi feita. Nistelrooy tinha lesões no menisco, na cartilagem e no ligamento cruzado.


Reprodução/Reprodução

Goleiro titular da seleção inglesa troca carrão por lata velha em Portsmouth

Jogadores fazem vaquinha e compram veículo caindo aos pedaços. Atleta com pior desempenho no treino tem de ir embora com o 'presente'

Os jogadores do Portsmouth, pequeno clube da Inglaterra que nos últimos anos vem ganhando dimensão entre os grandes (é o atual campeão da Copa da Inglaterra), encontraram uma maneira curiosa para aumentar a dedicação durante os treinamentos. Eles fizeram uma "vaquinha" e compraram um carro velho para ser utilizado pelo atleta que tiver o pior desempenho nas atividades do dia. O premiado é obrigado a deixar o seu carrão de luxo na garagem do centro de treinamento do clube e dirigir a lata velha até a própria casa.

Nesta sexta-feira, no primeiro dia da brincadeira, o "agraciado" foi o goleiro David James, de 36 anos, que também é titular da seleção da Inglaterra.

Reprodução/Reprodução

- É apenas um toque engraçado para melhorar o espírito de grupo e dar aos jogadores um incentivo maior para os treinamentos. É uma motivação para o treinamento, uma forma de o time se dedicar ainda mais - afirma o jogador à imprensa inglesa, enquanto tenta entrar no carro de pelo menos 20 anos.

O Reliant Robin é um carro curioso, pois tem apenas três rodas. Ele é um produto da Reliant Motor Company e foi criado em 1979. Em 2001, a montadora anunciou o fim da sua produção


Habilidade de Robinho deixa o meia Wright-Phillips impressionado no City

Agência/EFE

Inglês diz que habilidade do brasileiro 'não existe na Terra'

Contratação mais cara da história do Manchester City, Robinho não impressiona apenas os torcedores. Shaun Wright-Phillips, seu companheiro de time, também está encantado com a habilidade do atacante brasileiro.

- O que ‘Robbie’ faz com a bola não existe na Terra – diz o camisa 8 ao “Daily Mail”.

Phillips, que voltou ao City nesta temporada após passagem pelo Chelsea, conta que gosta de ver o ex-santista brincando com a bola durante os treinamentos.

Agência / Reuters

- Vê-lo controlando a bola é como ver uma cascata d’água caindo no seu corpo. É fascinante. Eu e Micah Richards apenas sentamos e nos perguntamos: “Que diabo é isso?” – afirma



Escrito por fraja8 às 11h03
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Jornal italiano diz que Adriano pode ir para São Paulo, Flu ou Corinthians

Agência/Reuters

‘Corriere dello Sport’ afirma que Imperador será emprestado novamente pelo Inter de Milão a uma equipe brasileira

O futuro de Adriano está cada vez mais longe do Inter de Milão. E pode estar perto do futebol brasileiro: segundo o jornal “Corriere dello Sport”, o Imperador pode ser emprestado em janeiro para São Paulo, Corinthians ou Fluminense.

Entre os brasileiros, o São Paulo aparece como favorito para ter novamente o atacante, já que teve Adriano por seis meses no início deste ano. O Imperador voltou à boa forma, foi o destaque do time no Paulista e na Libertadores e depois retornou para o Inter sob elogios.

Porém, o técnico José Mourinho perdeu a paciência depois que o jogador faltou o treino da última terça-feira, alegando gripe. O treinador já estava irritado com o atleta por causa de noitadas em Milão, que atrapalharam o desempenho do Imperador nos treinos.

Adriano está fora do time do Inter há quatro jogos, barrado por Mourinho. Nem no banco tem ficado. Mas há a chance de o jogador ser relacionado para a partida com o Palermo, sábado.

Apesar da possibilidade de o Imperador voltar ao futebol brasileiro, o “Corriere” afirma que o interesse maior do Inter é envolvê-lo na negociação com o Atlético de Madrid para a contratação do argentino Sergio Agüero.

Adriano estará no Brasil na próxima semana para defender a seleção contra Portugal, na próxima quarta, em amistoso em Brasília


Breno ganha o aval de Kaká para trocar Bayern de Munique pelo Milan

Agência/Reuters

Imprensa italiana diz que zagueiro está na mira do clube italiano

GLOBOESPORTE.COM Milão

O zagueiro Breno ganhou um aliado importante para trocar o Bayern de Munique pelo Milan: Kaká. Segundo a imprensa italiana, o ex-zagueiro do São Paulo está na mira do clube rubro-negro. E o melhor jogador do mundo de 2007 diz que aprovaria a contratação.

- Ele é um grande jogador e era do meu ex-time, o São Paulo. Ele é muito talentoso e forte, mas joga pelo Bayern... – afirmou Kaká ao jornal “Corriere dello Sport”.

O camisa 22 aproveitou a entrevista para elogiar mais uma vez Ronaldinho Gaúcho, que deixou a má fase em Barcelona e é o destaque do Milan na temporada.

- A gente sabia que ele poderia contribuir muito para nosso time. Está tudo na cabeça... ele gosta daqui. A atmosfera positiva do vestiário e a confiança de todos o ajudaram a fazer tudo que ele sabe – disse.



Escrito por fraja8 às 10h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Júnior vai reencontrar astros da areia em um desafio na Praia de Copacabana

Amistoso comemora dez anos de triunfo carioca no Campeonato Brasileiro e marca o lançamento da edição 2008 da competição nacional

Júnior Negão, Neném, o português Madjer e outros craques que ajudaram a escrever a história do futebol de areia vão se reencontrar neste sábado, às 17h, na Praia de Copacabana. Um amistoso entre Rio de Janeiro e Macaé marcará o lançamento do Campeonato Brasileiro da modalidade e relembrará os dez anos da última conquista da seleção carioca de praia. Quem estará por lá também e receberá uma homenagem é Júnior, ex-jogador do Flamengo. O ídolo dos gramados era o capitão do time campeão brasileiro nas areias em 1998.

O time carioca será comandado pelo treinador da seleção brasileira, Alexandre Soares. Ele convocou Neném, Junior Negão, Benjamim, Madjer, além de Sidney, Bueno, Daniel e Betinho, que foram campeões mundiais, em julho, na França.

A partida será uma prévia do Campeonato Brasileiro, que reunirá 13 equipes. As disputas serão de 24 a 30 de novembro, nas areias da Arena Domingos Leal, em São Luís. Bahia (BA), Ceará (CE), Distrito Federal (DF), Espírito Santo (ES), Paraíba (PB), Pernambuco (PE), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande do Norte (RN), Rio Grande do Sul (RS), São Paulo (SP), Sergipe (SE) e Tocantins (TO), além, claro, do Maranhão (MA), sede do torneio, vão brigar pela taça.

Todos os campeões brasileiros de futebol de areia
2007 Rio Grande do Norte
2005 São Paulo
2004 São Paulo
2003 São Paulo
2002 São Paulo
2001 Espírito Santo
2000 São Paulo
1999 Espírito Santo
1998 Rio de Janeiro
1997 Rio de Janeiro


Escrito por fraja8 às 10h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Precavido, campeão da Tríplice Coroa leva 15 pranchas para o Havaí

Agência/Divulgação

Número 2 do mundo, australiano Bede Durbidge capricha na bagagem para buscar o bicampeonato na série mais tradicional do surfe mundial

GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro

Número 2 do mundo e atual campeão da Tríplice Coroa havaiana, Bede Durbidge prefere pecar pelo excesso a correr riscos. O australiano levou 15 pranchas para o Havaí, onde disputará os WQSs de Haleiwa e de Sunset e o Pipeline Masters, última etapa do Circuito Mundial (WCT).

- Estou levando mais dez pranchas. Com as cinco que sobraram do ano passado, terei 15 no meu quiver, com tamanhos de 6’’2 a 7’’6. A verdade é que você pode ter que usar uma prancha pequena e uma grande no mesmo dia, pois a ondulação pode crescer em questão de horas - diz Bede, que neste ano
venceu o WCT Brasil.

Bede levará a esposa para o Havaí. Eles vão se hospedar na casa de uma família em Sunset. O australiano não vê a hora de defender os títulos tanto o Pipe Masters quanto a Tríplice Coroa. Pela vitória em Pipe, ele ganhou uma prancha feita pelo veterano Gerry Lopez.

- O respeito que os havaianos têm pela coroa faz você sentir orgulho de ganhá-la.



Escrito por fraja8 às 10h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Passaporte para a Taça Libertadores pode render quase R$ 14 milhões

Editoria de Arte/GLOBOESPORTE.COM

GLOBOESPORTE.COM levanta os valores que podem ser arrecadados na competição, que se tornou uma salvação para os clubes brasileiros

Cahê Mota, Eduardo Peixoto e Julyana Travaglia Rio de Janeiro e São Paulo

Quanto você pagaria para realizar um sonho? Imagine então poder alcançar seu objetivo e ainda receber, e bem, para isso. Pois é. Objeto de desejo de dez em cada dez torcedores brasileiros, a Taça Libertadores da América deixou de ser apenas o maior campeonato entre equipes do continente para se transformar também em salvação para os combalidos cofres dos clubes tupiniquins.

Com o Sport, campeão da Copa do Brasil, garantido, São Paulo, Grêmio, Palmeiras, Cruzeiro e Flamengo disputam as quatro vagas restantes do Brasil, e o GLOBOESPORTE.COM fez um levantamento de quanto cada um pode deixar de ganhar caso termine o Brasileirão na quinta posição.

Entre cotas de publicidade e TV, rendas, premiação por participação e avanço de fases e bônus do patrocinador do torneio, estima-se que um clube que chegue à decisão arrecade cerca de R$ 13,7 milhões, fora o lucro indireto.

Único brasileiro tricampeão da competição e prestes a carimbar o passaporte para a sexta participação consecutiva, o São Paulo é quem melhor aproveita os recursos proporcionados pela Libertadores. Ações de marketing no Brasil e no exterior entram na lista das receitas extras do Tricolor.

- Temos ganhos indiretos diversos. Quando estamos na Libertadores, temos uma exposição muito forte. Estaremos pela sexta vez seguida, se Deus quiser, e isso se torna uma coisa mais cotidiana. No preço do patrocínio é bem significativo, porque a marca vai aparecer muito. Outro ganho indireto é a vitrine internacional, para mostrar o clube, o que traz vantagens comerciais grandes. Além dessa projeção internacional, tem a visibilidade do exterior para os jogadores - explica o diretor de futebol do clube, João Paulo de Jesus Lopes.


ESTIMATIVAS DE RECEITA
Nas cotas de TV em R$:
Fase de grupos: 237 mil por jogo + 23,7 mil de placas de publicidade
Oitavas-de-final:  331,8 + 71,1 mil de placas de publicidade
Quartas-de-final:  426,6 mil + 94,8 mil de placas de publicidade
Semifinal: 592,5 mil + 118,5mil de placas
Final: 2,37 milhão ao vencedor e R$ 1,18 milhão ao vice
Bônus do patrocinador da competição:
Em cada jogo, os times ganham ainda R$ 23,7mil, menos na final
Renda com média de público de 50 mil torcedores:
R$ 8 milhões bruto, R$ 5 milhões líquido
Total: 13,7 milhões

Por outro lado, Kléber Leite, vice-presidente de futebol do Flamengo e experiente no ramo de marketing esportivo, lembra que há fatores em que a Conmebol ainda precisa evoluir e aponta onde o próprio mercado nacional se sobressai.

- Financeiramente, a Libertadores não é a oitava maravilha do mundo. Alguns itens são absurdos, como a publicidade estática. O que os clubes recebem é ridículo. No Brasileiro e no Carioca estamos em outro mundo. As cotas também são de ruins para razoáveis. Só quem vai ao Japão é que tem uma vantagem enorme porque pode usufruir de cotas extraordinárias.

Senso comum, entretanto, é a força que a Libertadores tem quanto à atratividade. Normalmente, os clubes que disputam a competição são os preferidos pelos jogadores em todo início de temporada, tornando o mercado mais acessível.

- No lado da visibilidade e esportivamente falando a Libertadores é nota dez. Sem dúvida alguma fica mais fácil convencer os jogadores a jogar no clube. Embora a gente pretenda manter quase todo time - reforça Kléber Leite.

O dirigente, por sinal, fala com conhecimento de causa. Caso não se classifique para a competição, o Rubro-Negro pode perder a oportunidade de contar com Ronaldo "Fenômeno" em 2009, além da provável aposentadoria do capitão Fábio Luciano.

Bônus da Fifa

Muito mais rentável que a Libertadores é o Mundial de Clubes da Fifa. Disputado tradicionalmente no Japão, a disputa está marcada para Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, em 2009, e pode render até R$ 10,6 milhões para o participante.

- Outro ganho com a Libertadores é o fato de classificar para o Mundial. E, no Mundial, a cota é entre US$2 milhões e US$4,5 milhões. Esse envolvimento todo é importante. Nisso tudo, o menos significativo, são as cotas da Conmebol - diz João Paulo de Jesus Lopes.

Por fim, Kléber Leite resume o sentimento de quem luta desesperadamente por uma vaga no G-4 nas últimas quatro rodadas do Brasileirão.

- Ficar fora da Libertadores não seria uma tragédia financeira. Mas esportivamente, sim.



Escrito por fraja8 às 10h46
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Destaques na Superliga, Dani Lins e Fabíola disputam vaga na seleção

a/Divulgação..

Levantadoras de Rio de Janeiro e Brusque trabalham forte para ocupar lugar deixado por Fofão na equipe de José Roberto Guimarães

João Gabriel Rodrigues Rio de Janeiro

Em setembro, um dos pilares da seleção feminina, medalha de ouro em Pequim, deu adeus ao grupo: a levantadora Fofão. Com a despedida da veterana, Carol Albuquerque, também presente nos últimos Jogos Olímpicos, assumiu sua vaga. O treinador Zé Roberto, porém, já garantiu que a medalha de ouro nas Olimpíadas não garante lugar no time. Com isso, levantadoras que vêm brilhando na Superliga passam a sonhar com uma vaga na seleção.

É o caso de Dani Lins, do Rio de Janeiro. Eleita melhor levantadora da última temporada, a jogadora se considera pronta para ser chamada por Zé Roberto para a seleção principal. Mas deixa a decisão a cargo do treinador.

- Estou me preparando desde que comecei a jogar vôlei. É o desejo de qualquer jogadora. Tenho treinado forte para isso, mas quem tem de dizer se eu estou pronta é o técnico. Embora ele tenha dito que ouro não garante vaga, a Carol Albuquerque tem bastante qualidade, entre outras – afirma.

Adversária de Dani Lins na última quarta-feira, Fabíola, do Brusque, é outra que busca chamar a atenção do técnico da seleção. E ela aponta a própria levantadora do Rio de Janeiro como uma de suas concorrentes à vaga.

- A Fofão é insubstituível, mas acho que estou pronta para jogar. Já trabalhei com o Zé Roberto, sei como é o trabalho dele, então acredito que tenho lugar na seleção. Mas tem outras jogadoras com potencial, como a Dani Lins, além da própria Carol – afirma a levantadora do Brusque, com passagem pela seleção em 2007.



Escrito por fraja8 às 10h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Real Madrid buscará Crespo para o lugar de Van Nistelrooy, diz jornal espanhol

'AS' afirma que atacante argentino de 33 anos é o favorito

Em busca de um artilheiro para substituir o holandês Van Nistelrooy, que só poderá voltar a jogar na próxima temporada, o Real Madrid tentará a contratação do argentino Hernán Crespo, de 33 anos, do Internazionale de Nilão. Segundo o jornal espanhol "AS, o atacante é o favorito para ser contratado de emergência até junho de 2009.

A diretoria do Real acredita que não é o momento de buscar um astro para o ataque como o português Cristiano Ronaldo ou o francês Benzema, o que só deve fazer para a próxima temporada. Crespo não foi inscrito pelo técnico José Mourinho na Liga dos Campeões e o tem preterido por causa do grande número de atacantes que têm à disposição.

Crespo só jogou 90 minutos nesta temporada divididos em três jogos do Campeonato Italiano, sempre entrando no decorrer das partidas. O argentino tem contrato com o Inter de Milão justamente até junho próximo.

As outras opções, de acordo com o jornal, o marfinês Drogba, o holandês Huntelaar e o alemão Mario Gómez, estão praticamente descartadas pelo menos para o momento por razões diferentes. Drogba é caro demais e o Chelsea, da Inglaterra, não concordaria em cedê-lo só por seis meses; Huntelaar está lesionado também, e Gómez não agrada ao tecnico do Real, o alemão Bernd Schuster


Vagner Love e Nilmar também entram na lista do Real para o ataque

Divulgação/Divulgação

Sem Van Nistelrooy, clube busca um centroavante com urgência

A cada hora, novos nomes surgem como candidatos para o lugar de Rudd Van Nistelrooy no Real Madrid. Nesta sexta-feira, o jornal “Marca” diz que outros três brasileiros estão na lista do clube: Vagner Love (CSKA), Nilmar (Internacional) e Ricardo Oliveira (Zaragoza).

Na quinta, o mesmo diário revelou que
Guilherme (Cruzeiro), Dentinho (Corinthians) e até o veterano Alex Mineiro, de 33 anos, do Palmeiras, também estavam sendo observados.

Apesar de seis brasileiros na mira, os favoritos para chegarem em janeiro ao clube merengue são argentinos: Diego Milito (Genoa) e Hernan Crespo (Internazionale).

O “Marca” faz um pequeno perfil dos jogadores na lista do Real, com pontos fortes e fracos. Sobre os brasileiros, uma gafe: o nome de Nilmar aparece ao lado da foto do volante Magrão, seu companheiro no Inter.

Agência/Reuters
 
Para o jornal, os pontos fracos de Nilmar são a passagem sem sucesso pelo Lyon e o histórico de lesões. Mas o “Marca” destaque o “enorme talento e qualidade” do colorado.

Ricardo Oliveira é tido como uma “solução caseira”, pois está na Segunda Divisão da Espanha. Ele é apontado com “olfato goleador” e “experiência comprovada na Série A”, pois brilhou pelo Bétis. Mas o “caráter polêmico” joga contra.

Já Love tem “velocidade”, “experiência na Europa” e conta com a proximidade do término do Campeonato Russo, o que facilitaria a negociação. Mas tem um “caráter ocioso e conflitante”, segundo o diário.

O Real procura um "camisa 9" com urgência. Nistelrooy, seu principal atacante, teve que passar por uma cirurgia no joelho direito e ficará pelo menos oito meses fora do time, ou seja, não joga mais nesta temporada.



Escrito por fraja8 às 10h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Após momento doloroso no Brasileiro de 2007, Hugo espera redenção com título

Agência/VIPCOMM

Meia ficou fora das partidas finais do Tricolor no ano passado e agora afirma viver dias especiais com o São Paulo na competição

O ano de 2007 não é considerado de todo ruim por Hugo. Bem aproveitado na equipe, ele foi vice-artilheiro do São Paulo, atrás somente do atacante Borges, e conquistou o título Nacional. Esta temporada está sendo bastante parecida com a anterior, com gols e proximidade de nova conquista na competição. Mas o desfecho está ganhando contornos especiais para o atleta.

Suspenso por ter dado uma cusparada em um atleta do Paraná, quando o Tricolor vencia o confronto por 6 a 0, Hugo perdeu a reta final do Brasileiro do ano passado. Embora tenha contribuído para o segundo título consecutivo do time, ele acompanhou a conquista de longe, pois pegou um gancho de 120 dias do STJD.

Agora, Hugo espera não se ausentar das próximas quatro partidas que restam para o São Paulo no Campeonato Brasileiro. Com 65 pontos, a equipe lidera o Nacional, seguida de perto pelo Grêmio, 63

- Este campeonato está sendo especial porque estou participando diretamente. No ano passado fiquei fora no momento em que era artilheiro da equipe e foi muito doloroso, pois o time estava bem. Mas veio o título e fiquei feliz com isso. Agora estou em um momento diferente e quero muito mais este título inédito – diz o camisa 18, vislumbrando um tricampeonato na competição para o Tricolor.

Para dar mais um passo rumo ao hexacampeonato do clube no torneio –também venceu em 1977, 1986 e 1991, além de 2006 e 2007-, o São Paulo precisa passar primeiro pelo Figueirense, adversário deste domingo, no Morumbi.

- Será uma partida decisiva, como as outras três que restam. Temos de vencer. Não há outro caminho – diz o meia, lembrando que a equipe ainda enfrentará Vasco, Fluminense e Goiás.



Escrito por fraja8 às 10h39
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Luxemburgo não concorda com mudança no regulamento da Copa Sul-Americana

Agência/Agencia Estado

Treinador do Palmeiras entende que é injusto o campeão da competição em 2008 garantir a vaga na próxima edição da Libertadores

Luiz Ademar São Paulo

O assunto será tratado somente no final do mês, em reunião que será realizada na sede da Conmebol. Mas existe a possibilidade de o campeão da Copa Sul-Americana deste ano garantir vaga na Libertadores de 2009, algo que não consta no regulamento. O técnico Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras, também não conhece o assunto com profundidade. Ele ouviu algumas especulações, mas não concorda com mudanças nas regras com a competição em andamento.

- Vai dar agora a vaga na Libertadores? Eu não concordo. Então eu quero que volte o jogo com o Argentinos Juniors. Eu poderia dividir o time de outra maneira, trazendo ainda mais prejuízos para a equipe que jogou no Brasileiro, mas escalando o Palmeiras com outros atletas - afirma Luxemburgo.

O treinador do Palmeiras avisa que tratou a Copa Sul-Americana da melhor maneira possível. Mas, no momento em que entendeu que era necessário, Luxemburgo priorizou o Brasileiro, onde as chances de título eram maiores e também em busca da vaga na Libertadores. O único time brasileiro na competição é o Internacional.

- Tratamos como deveria a Sul-Americana, pois estávamos valorizando o Brasileiro. Com certeza absoluta eu dividiria a equipe de uma maneira diferente se no regulamento constasse uma vaga na Libertadores - admite o treinador

Luxemburgo entende que a mudança no regulamento da Sul-Americana precisa acontecer na próxima temporada. Mexer nas regras com a competição em andamento não é justo com os demais participantes.

- Botar agora no regulamento que vale uma vaga na Libertadores é complicado. Não tem lógica. A Copa Sul-Americana precisa mudar para trazer atrativos para os clubes. Também precisam aumentar o número de jogadores inscrito. Colocar apenas 25 prejudica os times - diz Luxemburgo



Escrito por fraja8 às 10h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Menino de 9 anos deixa o Brasil para jogar no Roma

Caio Werneck sonha em jogar na Roma

'O Globo' revela que Caio Werneck de 9 anos foi selecionado em uma clínica realizada pelo clube italiano em Petrópolis

GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro

Depois de Alípio, de 16 anos, contratado recentemente pelo Real Madrid, agora foi descoberto um menino brasileiro ainda mais novo que já está na Itália há quatro meses para defender o Roma. Informa o jornal "O Globo" desta sexta-feira que Caio Werneck, mineiro de Juiz de Fora, de apenas nove anos, foi selecionado na primeira clínica realizada pelo clube italiano no Brasil, em julho, em Petrópolis, cidade serrana do Rio de Janeiro.

Na Itália, Caio tem a companhia da mãe, Alessandra, e tem se dividido entre as aulas na escola em tempo integral e os treinos na academia de futebol do Roma.

- Fiquei impressionada com a determinação dele. Não fraquejou um dia sequer. A adaptação foi muito rápida - diz Alessandra, que está grávida de Gabriel, que nascerá em janeiro, e deixou o marido e o filho caçula em Juiz de Fora.

Alessandra e Caio voltaram da Itália para passar as festas de fim de ano em Juiz de Fora, mas o menino terá de se reapresentar em janeiro. O pai, Israel Werneck, de 37 anos, ex-jogador de futebol, diz que seu filho foi escolhido por ter noções avançadas do jogo de futebol para a sua idade:

- Meu filho não é um fenômeno e nem será. Mas sabe executar bem todos os fundamentos do futebol desde os seis anos. Bate bem na bola, joga de cabeça em pé. Tem tudo para ser um bom jogador de futebol.

Caio diz que já conversou com Juan e Júlio Baptista no Roma, mas prefere um zagueiro francês: Mexès.

- Quero ser zagueiro. Tenho força para jogar nesta posição - afirma Caio, com personalidade.

A próxima clínica do Roma será realizada em dezembro, em Barra do Piraí, tendo como padrinho o ex-zagueiro do
Flamengo, da seleção brasileira e do próprio clube italiano. E mais algumas promessas brasileiras de craque devem ser levadas.



Escrito por fraja8 às 10h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Cristiano Ronaldo dará presente para Dunga, diz colunista

Agência/AP

Astro português entregará ao técnico da seleção uma camisa autografada

Ele pode ser polêmico e arrogante, mas uma coisa que o atacante português Cristiano Ronaldo não parece ser, além de mau jogador, é ingrato. Segundo o colunista Ancelmo Gois do jornal "O Globo", o jogador trará um presente para o técnico da seleção brasileira, Dunga, que votou nele para ganhar o prêmio da Fifa de melhor jogador do mundo este ano: uma camisa da seleção portuguesa autografada.

Cristiano Ronaldo será uma das estrelas do amistoso entre Brasil e Portugal, marcado para a próxima quarta-feira, no Bezerrão, que fica na cidade-satélite do Gama, no Distrito Federal. A chegada da delegação portuguesa ao Brasil está prevista para a próxima segunda-feira.



Escrito por fraja8 às 10h33
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Cavs de Varejão levam a melhor sobre os Nuggets de Nenê

Tony Dejak/AP

LeBron James tem mais uma grande atuação e lidera o Cleveland Cavaliers na vitória em casa, a sétima na temporada regular da NBA

GLOBOESPORTE.COM Cleveland, EUA

Na partida que colocou dois brasileiros frente à frente na rodada desta quinta-feira da NBA, o Cleveland Cavaliers de Anderson Varejão derrotou em casa o Denver Nuggets de Nenê, por 110 a 99. O Cleveland quebrou um tabu, já que não vencia o Denver desde 2005.

O grande nome do jogo foi o ala dos Cavs LeBron James, que marcou 22 pontos, deu 11 assistências e ainda pegou oito rebotes. Outro que brilhou na equipe de Cleveland foi o armador Mo Williams, que fez 24 pontos. Varejão jogou somente 12 minutos, mas fez bem seu papel, com seis pontos, oito rebotes e uma assistência

No Denver, o armador Chauncey Billups acabou como o cestinha do jogo, com 26 pontos. O ala Carmelo Anthony converteu outros 18, e Nenê, que jogou 34 minutos e 42 segundos, esteve abaixo de suas atuações anteriores, com 12 pontos e três rebotes.

A nota triste do espetáculo foi mais uma discussão em quadra, que levou o ala dos Nuggets Kenyon Martin, no fim do último quarto receber falta técnica por fazer uma falta flagrante em Anderson Varejão. Ele xingou o árbitro Joey Crawford e teve de ser seguro pelo técnico do Denver, George Karl, que o tirou de quadra.

- Eu não recebi uma explicação. Trata-se de basquete. Basquete é um esporte de contato. Não se trata de boliche ou tênis de mesa - afirma Martin, revoltado com a marcação do árbitro.

Os Cavaliers, que continuam invictos em casa, atingiram a sua sétima vitória em nove jogos e com aproveitamento de 77,8% mantiveram a liderança da Divisão Central. Já os Nuggets têm o mesmo número de vitórias e derrotas, quatro (50%), e ocupam a terceira colocação da Divisão Noroeste.

Outro jogo da rodada desta quinta-feira

Chicago Bulls 98 x 91 Dallas Mavericks

Golden State Warriors 102 x 107 Detroit Pistons


Vitória na prorrogação sobre os Patriots dá a liderança na Divisão Leste aos Jets

Agência/EFE

Jay Feely anotou os pontos decisivos para o time de Nova York

Das agências de notícias Foxborough, EUA

Com um tiro de 34 jardas de Jay Feely, o New York Jets conseguiu vencer o New England Patriots, por 34 a 31, na prorrogação, nesta quinta-feira (no horário local), em Foxborough. O resultado manteve os Jets na liderança da Divisão Leste da Conferência Americana (AFC).

Os Patriots conseguiram empatar a partida em 31 a 31 no último segundo do tempo regulamentar com um passe do quarterback Matt Cassel para Randy Moss anotar o touchdown. Mas Feely acabaria se tornando o herói da partida ao dar a vitória e a liderança aos Jets pela primeira vez desde 19 de novembro de 2001.

O time novaiorquino, que obteve sua quarta vitória consecutiva, agora tem sete no total e três derrotas, enquanto que o da Nova Inglaterra tem seis vitórias e quatro derrotas e ocupa a segunda colocação da Divisão Leste da AFC.

Além de Feely, outros grandes destaques dos Jets foram o veterano quarterback Brett Favre, que completou 26 de 33 passes para 258 jardas, com dois lançamentos para pontos sem que nenhuma bola tenha sido interceptada. O ataque foi liderado por Thomas Jones, que carregou a bola 30 vezes para 104 jardas com um touchdown.

Nos Patriots, o quarterback